Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FAUP
Você está em: Início > Notícias > Exposição Imagens em Falta de Nuno Sousa | projecto Riscotudo

Notícias

Exposição 'Imagens em Falta' de Nuno Sousa | projecto Riscotudo

28 de Fevereiro a 2 de Abril de 2018, Átrio do Auditório da Biblioteca - FAUP

No contexto do projecto Riscotudo, a Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) apresenta a exposição 'Imagens em Falta' de Nuno Sousa. 

A Exposição vai estar patente de 28 de Fevereiro a 2 de Abril de 2018, no Átrio do Auditório da Biblioteca da FAUP, de Segunda a Sexta, das 9h00 às 19h00 (encerra aos Sábados, Domingos e Feriados). A entrada é livre.

Sobre a exposição
Durante cerca de três décadas, a minha mãe, os seus pais e irmãos, viveram num palacete do século XIX, outrora pertencente ao Conde de Alto Mearim, situado junto ao Porto de Leixões. O meu avô era o vigilante de um armazém de fardos de algodão que havia sido construído no terreno do edifício, propriedade nessa altura de uma empresa de importações e exportações. De modo a albergar a minha família, uma ala do edifício foi adaptada, convertendo uma antiga sala de estar num espaço divido por quartos e casa de banho. Contudo, durante muitos anos, os meus familiares tiveram acesso a todo o palacete e ao extenso terreno onde ainda se incluíam dois armazéns. O edifício foi demolido faseadamente antes de eu nascer, num período que abrangeu o final do Estado Novo e o pós 25 de abril. (também ele um período nebuloso na memória colectiva do país).
Apesar de não possuir memórias minhas desse tempo, o palacete detém uma presença importante no meu imaginário de infância e no imaginário colectivo da família. As histórias passadas nesse espaço, talvez pela desproporção do nível económico dos seus habitantes e a grandiosidade do local, marcaram as gerações de familiares que não o chegaram a conhecer. Para a minha geração, o palacete desaparecido adquiriu o estatuto de pequeno mito, símbolo de uma identidade familiar: a de gerações de trabalhadores precários, habitando lugares e terrenos que não lhes pertencem, entrando e saindo de casa pela porta dos fundos.
Em 2012, após a morte do meu avô e com a colaboração de alguns familiares, iniciei uma reportagem gráfica acerca das memórias das pessoas que viveram no palacete. A ausência de imagens fotográficas – e a progressiva deterioração da memória dos que habitaram o espaço – conduziu-me a utilizar o desenho como meio de restituição, conjugando imagens feitas a partir de testemunhos e relatos de familiares, desenhos realizados em colaboração e pequenas sequências narrativas. As imagens resultantes desse processo integram a observação, a recordação e a imaginação e constituem o solo que foi necessário revolver na tentativa de resgatar à escuridão as imagens fugidias e difusas da memória.

Nuno Sousa
Nasceu no Porto em 1979. Doutorado em Educação Artística pela Faculdade de Belas Artes (FBAUP), com a tese “Imagens em Falta – Desenho, Narrativa Gráfica e o Trabalho da Memória” (2017). Mestre em Ensino de Artes Visuais pelas Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação (FPCEUP) e FBAUP, com a dissertação “Fazer Acontecer – Construção de um não-método de aprendizagem” (2010). Licenciado em Artes Plásticas – Escultura pela FBAUP (2007).
Expõe regularmente desde 2005.
 Em 2012 publicou o livro “Sobrevida”, em co-autoria com Carlos Pinheiro, editado pela Imprensa Canalha, Lisboa.
Co-fundador do Clube de Desenho (clubedesenho.wordpress.com) — criado em Setembro de 2010 juntamente com Carlos Pinheiro, Marco Mendes e Sofia Barreira. 
Ilustrador da revista 2, suplemento do jornal Público, entre 2012 e 2015.
 Co-editor e autor do jornal Buraco, entre 2011/2013. 
Foi membro fundador do colectivo artístico Senhorio, no Porto, participando desde 2004 na produção e publicação de vários fanzines de banda desenhada e ilustração.
Compositor e intérprete de música para diversos projectos: nos filmes “Baal” e “Santa Joana dos Matadouros” de João Sousa Cardoso; nas peças de teatro – “Rubro”, de Marta Bernardes, e “Barafunda”, de Afonso Cruz e Marta Bernardes (Teatro Maria Matos, Lisboa) e nos projectos musicais Stowaways, João Peludo & Orquestra Sonâmbula e Sr. Doutor.
Assistente convidado na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) em 2009/10 e desde 2011 em Desenho I.
Assistente convidado na Escola de Arquitectura da Universidade do Minho desde 2014, em Desenho de Observação; Coordenador das unidades curriculares de Desenho de Observação e Desenho II em 2016/17.
Autor do blog sorvedouro@wordpress.pt, onde edita periodicamente trabalho gráfico na área da banda desenhada e do desenho.

Projecto Riscotudo
O projecto Riscotudo que constitui-se como um Espaço na FAUP destinado a exposições de Desenho localizado no Átrio do Auditório da Biblioteca. Com projecto de José Manuel Barbosa que partilha a curadoria com José Maria Lopes, Riscotudo é "um espaço expositivo onde se apresentam propostas que trabalham os elementos gráficos e plásticos do desenho privilegiando técnicas e concepções estéticas dispares".

+ info
riscotudo.wordpress.com

Notícias relacionadas:
Exposição 'Mas, afinal, será mesmo assim?' de Luís Viegas | projecto RiscotudoExposição 'Desenhos de Contorno' de Teresa Pais | projecto Riscotudo
Exposição 'Desenhos' de Ricardo Leite | projecto Riscotudo

Exposição de Miguel Bandeira Duarte prolongada até 30 de Setembro
Exposição 'DESENHO setorna PINTURA' de Joaquim Pinto Vieira

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2019-05-23 às 22:48:01