Saltar para:
Logótipo
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
FMUP
Você está em: Início » Departamentos Não Académicos » Museu de História da Medicina Prof. Maximiano Lemos
Autenticação




Esqueceu-se da senha?

Museu de História da Medicina Prof. Maximiano Lemos

Sigla: MHM Museu de História da Medicina Prof. Maximiano Lemos - Abre numa nova janela
Responsável: Amélia Ricon Ferraz
Missão:

O ensino, a investigação e a prestação de serviços à Comunidade no âmbito da História da Medicina e da Museologia Médica.

Descrição:

A História do Museu

 

Datam de 1836 as primeiras aulas de História da Medicina lecionadas por Francisco de Assis e Sousa Vaz (1797-1870) na Escola Médico-Cirúrgica do Porto. O programa desta área de formação compreendia dezassete lições que apresentavam de forma pedagógica e pioneira a História Geral da Medicina e inseria-se na sétima cadeira, lecionada no quinto ano médico. Com escassos períodos de interrupção o ensino da História da Medicina prosseguiu na Escola Médica do Porto associada à Patologia Geral, Anatomia Patológica, Medicina Legal e Deontologia Profissional, adquirindo autonomia no tempo de Maximiano Augusto de Oliveira Lemos (1860-1923), Luís José de Pina Guimarães (1901-1972), Maria Olívia Pires Firmino Rúber de Meneses (1932-1990) e Amélia Assunção Beira de Ricon Ferraz (n.1961). Conhecem-se a maioria dos programas selecionados pelos professores da Escola para o ensino desta temática. Foram infindáveis os esforços do corpo docente da Escola Médica do Porto na demonstração da utilidade de um curso regular de História da Medicina, aceitando a sobrecarga temporal e temática, redigindo uma contínua série de trabalhos de investigação e o programa da disciplina, adquirindo obras médicas nacionais e estrangeiras para recheio de uma biblioteca especializada e organizando um Museu - o Museu de História da Medicina Maximiano Lemos (1933) - sede do ensino da disciplina de História da Medicina, centro de investigação médico-histórica e importante arquivo de património médico nacional.

Data de dezassete de outubro de 1933 a fundação do Museu de História da Medicina Maximiano Lemos da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto por iniciativa do Professor Luís de Pina. Este docente da Escola Médica do Porto sucedeu ao Professor Maximiano Lemos - patrono do Museu - na cátedra de História da Medicina nesta Faculdade. Aquando da exposição médico-histórica de 1925, realizada no Palácio de Cristal, comemorativa do primeiro centenário da fundação da Régia Escola de Cirurgia do Porto um pequeno número dos objetos presentes foram oferecidos à Faculdade de Medicina do Porto pelos seus proprietários. A este grupo de peças se associaram outras, dispersas pelos Serviços da Faculdade, e livros antigos de Medicina. O Professor Abel Salazar (1889-1946), então diretor das obras de restauro e ampliação da Faculdade, criou as condições necessárias para a sua instalação no edifício da Faculdade. A organização e a aquisição de novas peças ficou a cargo do Professor Luís de Pina, doutorado em Medicina em 1930 e regente da disciplina de História da Medicina e Deontologia Profissional. Em 1959-60 o Museu transfere-se para as novas instalações da Faculdade de Medicina do Porto. Desde então, situa-se no sexto piso noroeste do novo edifício comum às duas instituições Faculdade de Medicina/Hospital de S. João. Uma vez mais, a reorganização do Museu deveu-se ao labor do Professor Luís de Pina, esforço facilitado pela colaboração da sua assistente Maria Olívia Rúber de Meneses. O espaço destinado ao Museu compunha-se de um corredor central a partir do qual se abriam as sete salas de exposição, a sala de aulas e a biblioteca. Este espaço manteve-se até ao presente. Cada sala do Museu recebeu o nome de um professor da Escola Médica do Porto que soube cultivar os estudos de História da Medicina nacionais. A exposição obedeceu prioritariamente a um critério de apresentação cronológico desde os primórdios da existência humana à atualidade. O livro de entradas do Museu comprova a sucessiva e crescente receção de doações de particulares ou de instituições ligadas à Medicina. Houve a preocupação de desde a fundação se entregar à entidade doadora um agradecimento formal descritivo da natureza da doação. Subordinadas à história da ciência médica as coleções do Museu são diversas e de grande valor pela sua raridade e qualidade de execução. A pintura, o desenho, a caricatura, a escultura, a fotografia, a medalhística, a ourivesaria, os instrumentos, os aparelhos e o equipamento médico e cirúrgico, os objetos de Farmácia, o manuscrito, o livro médico e a iconografia vária compõem o vasto e diversificado acervo do Museu Maximiano Lemos.

Após a jubilação do Professor Luís de Pina, e até ao doutoramento da Professora Maria Olívia Rúber de Meneses, sucedeu-lhe na direção do Museu o Professor Carlos Ribeiro da Silva Lopes (1906-1997), Professor Catedrático de Medicina Legal e Toxicologia Forense. Após o doutoramento (1971) a Professora Maria Olívia assumiu a direção do Museu e a regência da disciplina de História da Medicina e Deontologia Profissional até 1990. Suceder-lhe-ia a sua assistente Amélia Ricon Ferraz na direção do Museu e na docência de História da Medicina até ao presente, tendo realizado Provas de Aptidão Pedagógica e Capacidade Científica na FMUP em 1993 e Provas de Doutoramento em História da Medicina (Sociologia Médica) na nossa Faculdade em 1996.

Fundamentalmente desde 1959-60 o Museu de História da Medicina reuniu as condições necessárias para desenvolver a formação pré e pós-graduada. Mais do que sensibilizar o discente para a Museologia Médica procuramos fornecer-lhe os conhecimentos básicos imprescindíveis à identificação, caracterização e catalogação do objeto médico. A sua história aviva uma sequência de saberes médico-históricos, científicos, tecnológicos e sociais. Paralelamente pressupõe um enquadramento histórico e uma análise evolutiva. O Museu dá formação ao estudante de Medicina e Medicina Dentária e este, reconhecido, vela pela sua preservação e continuidade. Assim participa nas investigações e tarefas em curso no Museu, na organização e visita das exposições e na elaboração de trabalhos práticos que ampliam o recheio da Biblioteca especializada do Museu.

Quanto à formação pré universitária houve a preocupação de dar resposta às solicitações de várias Escolas Secundárias do País ao efetuar visitas guiadas ao Museu ou ao apresentar temas do seu interesse aquando das visitas. Desenvolveram-se esforços no sentido de dar continuidade e dinamizar um princípio sempre atual, formulado e testado pela Secção Norte da Associação Portuguesa de Museologia em 1987 relativo à ação pedagógica dos Museus da Região Norte. No livro de assinaturas do Museu deparamos com uma plêiade de pareceres apologistas da importância e divulgação dos estudos médico-históricos.

O ensino pós-graduado dirigiu-se à apresentação de temas de cariz médico-histórico em Congressos Nacionais e Internacionais de várias Especialidades Médicas e Cirúrgicas, à organização de exposições históricas paralelas a festividades académicas ou a encontros científicos e à orientação bibliográfica de trabalhos e comunicações solicitada por docentes, internos de especialidade e especialistas. Neste âmbito, existiu a preocupação permanente de sensibilizar os vários profissionais médicos para a importância do património médico e a consequente necessidade da sua identificação e preservação. Essa consciencialização aliada ao conhecimento do trabalho desenvolvido pelo Museu de História da Medicina Maximiano Lemos na recolha, catalogação detalhada e conservação de cada exemplar pertença do Museu e na sua divulgação foram fatores decisivos para uma crescente preservação do Património Médico e uma chegada exponencial de material médico e cirúrgico a esta Instituição. Não basta a identificação do objeto, é fundamental uma caracterização quanto à sua história, função, forma, material constituinte, marca de fabricante, dimensões, data ou período de manufatura e a citação do doador, entre outros indicadores. Algumas destas informações são cruciais para o conhecimento da origem e evolução do instrumento médico e cirúrgico num contexto internacional. O restauro de texteis, pintura e documentos pertença deste Museu constituiu uma prioridade que se levou a cabo graças ao trabalho desenvolvido por pessoal especializado com o patrocínio da Direção da Faculdade de Medicina do Porto.

A investigação científica, tecnológica e museológica esteve na base de todas as atividades desenvolvidas no Museu. A formação pré e pós graduada beneficiou positivamente com as pesquisas bibliográficas e iconográficas fundamentadas na informação contida nas obras ou periódicos pertença do Museu bem como com o significado das suas coleções. É de referir o precioso contributo dos "Reservados" do Serviço de Documentação e Iconografia da Faculdade de Medicina do Porto que facultaram um melhor conhecimento do passado da Medicina Nacional e Estrangeira desde o século XVI à atualidade e uma fácil compreensão da evolução do livro médico antigo. O intercâmbio estabelecido com instituições relacionadas com a História da Medicina ou a Museologia Médica permitiu definir linhas de investigação comuns onde a experiência portuense e portuguesa foi incentivada e apreciada. De importância capital se revestem os pareceres dos responsáveis pelos Serviços da Faculdade de Medicina do Porto para a compreensão do significado e função das doações feitas a esta Instituição. Mantem-se um diálogo permanente com a Sociedade de História da Medicina Portuguesa, a Sociedade Portuguesa de Museologia, a Sociedade de Estudos do século XVIII, a Association Européenne des Musées d'Histoire des Sciences Médicales, a American Medical Museum Association, a Royal British Society of Medicine, pela Secção de História da Medicina, a Belgian Association for the History of Medicine e a International Society of History of Medicine, entre outras

 

 

Horário: Segunda a Sexta feira
9h às 12h30mn
14h às 17h
Email: museuhm@med.up.pt
Telefone: 225513615
Morada: Alameda Prof. Hernâni Monteiro
Código Postal: 4200-319
Localidade: Porto
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2017 © Faculdade de Medicina da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2017-11-20 às 02:18:54