Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > Notícias > Ciclo de Conferências Filosofia e Literatura

Ciclo de Conferências Filosofia e Literatura

7 de Julho 2013 | 16h00 | Sala 208 (Piso 2) | FLUP

Ciclo de Conferências
FILOSOFIA E LITERATURA

7 de Junho 2013 | 16h00

Sala 208 (Piso 2) | FLUP


[Entrada livre]

O Grupo de Investigação Raízes e Horizontes da Filosofia e da Cultura em Portugal do Instituto de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto tem o prazer de convidar todos os interessados para a conferência "Pessoa, Píndaro e Homero ou a vontade de Poder ser o que se é", que será apresentada por Julia Alonso Diéguez (Espanha)*, no âmbito do Ciclo de Conferências "Filosofia e Literatura".

[Cartaz]


"PESSOA, PÍNDARO E HOMERO OU A VONTADE DE "PODER SER O QUE SE É"

O título desta comunicação pessoana, está inspirado em versos pindáricos escolhidos tanto por Nietzsche como por Pessoa para reforçar a sua versão de Super-homem e do Ultra-homem; o homem esforçado e auto-poiético.

Vai tratar sobre o asunto do conhecimento entendido como actividade poiética; como esse "arte superior" desenvolvido por aristócratas do pensamento que como os funámbulos na corda bamba caminhan sobre o abismo.

Ao enlaçar o más antigo e o mais novo, desvenda-se a insuficiência da filosofía para poder abordar uma verdade a que não se chega pela explicação, uma verdade "pressentida", en laçada com o arretón, com um misterio velado que tem a ver mais com um pensamento noético muito antigo, ante-predicativo que com uma razão cientista e técnica. Vamos pois a falar de uma outra verdade.

Se nos detemos na Pítica II-72 de Píndaro, e na Nemea VI, 1-8, a primeira evocada por Nietzsche en Ecce Homo, quando ele levanta a questão: "como se pode ser aquilo que se é?", e a segunda , rememorada por Fernando Pessoa através do personagem-filósofo Antonio Mora, no Regreso dos deuses, temos de reflectir sobre tudo na grande riqueza de sentidos que são derivados do original imperativo pindárico: faz de você o que, é tal como aprendido tem você!, e da consideração que Pessoa tem do relacionamento do homem com os deuses, quando afirma que a raça dos homens e sos deuses e uma sola". É ahí onde enlaçamos a Pessoa com o Ulises do Homero, o homem viajante, o argonauta que com ajuda, e também contra a vontade dos deuses, demonstrou a sua astucia, a sua destreza e a sua capacidade esforçada para chegar a "Patria", por roteiros entranhos.

Em Pindaro e Homero assim como em Nietzsche e Pessoa destaques a escolha dum viver que representa o nível máximo do deseo e da vontade de poder auto-re-criar-se de maneira permanente. Esa "vontade de poder ser o que se é" implica uma filosofia do futuro sustentada nas diferenças e superadora do conceito.

O desejo duma ascensão no conhecimento requer, sem dúvida, uma prévia descida, um des-aprender-se, voltar a ser criança, e, por último, un fortalecimento da capacidade de observação que comporte a captação instantânea de um momento apropositado, tempestivo, isto é o momento certo da "presença": o kairós.

Em suma, estamos perante profetas que desde paradigmas encontrados projetam a figura de um Super-Homem ou um Ultra -Homem que pela força de vontade e o desejo de superação foi capaz de desmascarar as ficções e superar a si mesmo. Esse processo não rejeita a dor daqueles que, desde a mais profunda das solitudes " iniciam uma viagem incerta" pelas estradas, atravessam pontes, chegam ao "limiar", tornando-se, no caso de Pessoa-Ulises, en um "Argonauta das sensações"



* Julia Alonso Diéguez (Espanha) - CV:

Doctora en filosofía
Tese de mestrado en filosofía con el trabajo de investigación: " la noción de tiempo en krishnamurti"
Tese doctoral con el título de "fernando pessoa o la belleza de la geometría del abismo", bajo la codirección de paulo borges esteves y mª teresa oñate y zubía
Miembro de la sociedad de filosofía de castilla la mancha
Miembro del grupo de investigación onleher ( ontología, lenguaje y hermeneútica)
Funcionaria pública del cuerpo superior de administradores del estado
Master en contabilidad pública y gestión presupuestaria
Jefe de sección del departamento de infraestructuras de la delegación provincial de ciudad real, de la conesjería de de sanidad y asuntos sociales de la comunidad autónoma de castlla-la mancha
Integrante del equipo organizativo de diversas jornadas y congresos sobre gestión económica y presupuestaria en las administraciones públicas
Exposición de ponencias en diversos congresos en españa y portugal
Publicaciones en diversas revistas españolas, y en las portuguesas " a nova águia" y en "entreculturas"
copartícipe con varios autores en el libro el pensar poético en fernando pessoa, publicado por editorial manuscitos
Copartícipe con varios autores en el libro pensamiento y literatura, editorial manuscitos
Colaboradora en la revista española de arte y pensamiento

Organização: Maria Celeste Natário - Investigadora Responsável do Grupo de Investigação "Raízes e Horizontes da Filosofia e da Cultura em Portugal"

____________________________________________
Instituto de Filosofia (UI&D 502)
Faculdade de Letras da Universidade do Porto
Via Panorâmica s/n
4150-564 Porto
Tel. 22 607 71 80
E-mail: ifilosofia@letras.up.pt
http://ifilosofia.up.pt/

Financiamento, avaliação e auditoria do Instituto de Filosofia:
FCT; COMPETE; QREN; UE
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2017 © Faculdade de Letras da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2017-10-17 às 15:46:07