Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início > Q2004
Mapa das Instalações
FC6 - Departamento de Ciência de Computadores FC5 - Edifício Central FC4 - Departamento de Biologia FC3 - Departamento de Física e Astronomia e Departamento GAOT FC2 - Departamento de Química e Bioquímica FC1 - Departamento de Matemática

Química Inorgânica

Código: Q2004     Sigla: Q2004     Nível: 200

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Química

Ocorrência: 2018/2019 - 1S Ícone do Moodle

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Química e Bioquímica
Curso/CE Responsável: Licenciatura em Química

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
L:B 0 Plano de Estudos Oficial 3 - 6 56 162
L:CC 1 Plano de estudos a partir de 2014 2 - 6 56 162
3
L:F 1 Plano de Estudos Oficial 2 - 6 56 162
3
L:G 3 Plano estudos a partir do ano letivo 2017/18 3 - 6 56 162
L:M 0 Plano de Estudos Oficial 2 - 6 56 162
3
L:Q 55 Plano estudos a partir do ano letivo 2016/17 2 - 6 56 162

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Ana Cristina Moreira Freire Regente

Docência - Horas

Teórica: 2,00
Teorico-Prática: 2,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teórica Totais 1 2,00
Ana Cristina Moreira Freire 2,00
Teorico-Prática Totais 2 4,00
Alberta Paula Lobo Machado Gameiro dos Santos 2,00
Eulália Fernanda Alves de Carvalho Pereira 2,00

Língua de trabalho

Português - Suitable for English-speaking students

Objetivos

Aprofundar os conhecimentos sobre compostos de metais de transição, suas propriedades eletrónicas, magnéticas e reações químicas.

Reconhecer a diversidade de aplicações de compostos inorgânicos: Catálise, Química de materiais e Nanoquimica e Química biológica.

Resultados de aprendizagem e competências

Aprofundar a Química dos Compostos de Coordenação
Saber identificar isómeros. Saber os modelos de ligação química dos compostos de coordenação: Teoria de campo de cristal e de campo de ligando. Entender as reações em complexos metálicos: equilíbrio de complexação. Efeitos de natureza estereoquímica. Alteração ao estado de spin. Efeito de Jahn-Teller. Série de Irving-Williams. Carácter lábil-inerte. Efeito quelato, efeito macrocíclico.
Entender  a espetroscopia eletrónica em complexos metálicos
Saber identificar os termos do ião livre e utilizar os diagramas de Tanabe-Sugano. Interpertar os espectros electrónicos: transições electrónicas: regras de seleção e intensidade das bandas
Saber os conceitos básicos de Magnetismoaplicados a ccomplexos.
Saber os conceitos básicos da Química Organometálica
Entender a ligação química em complexos organometálicos: regra dos 18 eletrões. Saber caracterizar o tipo de compostos organometálicos
Saber os conceitos básicos da Química do Estado Sólido e da Química dos Materiais
Saber como se preparam  materiais bulk, entender defeitos e transporte iónico.
Saber dar exemplos de materiais e saber as suas aplicações:  Óxidos, nitretos e fluoretos metálicos. Calcogenetos, compostos de intercalação e fases ricas em metais. Estruturas com organização em rede.  Hidretos e materiais para armazenamento de hidrogénio. Pigmentos inorgânicos. Química de semicondutores. Materiais moleculares e aniões de fulereno.
Entender os conceitos de Nanoquímica através dos seus princípios básicos: Nanociências e  Nanotecnologias. 
Saber os principios básicos associados à Catálise  homogénea e à Catálise heterogénea.
Entender os principios básicos associados à Química Inorgânica Biológica

Modo de trabalho

Presencial

Programa

1. Química dos Compostos de Coordenação
1.1 Química dos Compostos de Coordenação conceitos gerais.
1.2. Isomeria,  Isómeros: compostos constituídos por átomos semelhantes, mas que apresentam uma diferente distribuição espacial e/ou diferente tipo de ligação.
1.3 . Modelos de ligação química: Teoria do Campo de cristal, Teoria de Campo de Ligangando.
1.4. Reacções em complexos metálicos: Equilíbrio de complexação. Efeitos de natureza estereoquímica. Alteração ao estado de spin. Efeito de Jahn-Teller. Série de Irving-Williams. Carácter lábil-inerte. Efeito quelato, efeito macrocíclico.
2. Espetroscopia eletrónica em complexos metálicos
2.1 Termos do ião livre
2.2 Diagramas de Tanabe-Sugano.
2.3 Espectros electrónicos: transições electrónicas: regras de seleção e intensidade das bandas
2.4 Magnetismo.
2.5 Luminescência: aplicação tecnológica
3. Química Organometálica
3.1 Ligação química em complexos organometálicos: regra dos 18 eletrões.
3.2 Tipo de compostos organometálicos
4. Estado Sólido e Química dos Materiais
4.1 Preparação de materiais bulk 
4.2 Defeitos e transporte iónico 
4.3 Exemplos de materiais e suas aplicações:  Óxidos, nitretos e fluoretos metálicos. Calcogenetos, compostos de intercalação e fases ricas em metais. Estruturas com organização em rede.  Hidretos e materiais para armazenamento de hidrogénio. Pigmentos inorgânicos. Química de semicondutores. Materiais moleculares e aniões de fulereno.
4.4 Introdução aos conceitos de Nanoquímica. Princípios básicos: Nanociências e  Nanotecnologias. Materiais bulk vs nanomateriais. Métodos de preparação denanomateriais. Auto-montagem não molecular.
5. Catálise
5.1 Princípios gerais.
5.2 Catálise homogénea
5.3 Catálise heterogénea
6. Química Inorgânica Biológica
6.1 transporte de iões nde metais.
6.2 Processos catalíticos
6.3 Metais na regulação de genes.

Bibliografia Obrigatória

Weller,M., Rourke, J., Overton, T., Armstrong, F.; Inorganic Chemistry, 7th Edition, OUP
Atkins Peter William 1940- 070; Shriver & Atkins inorganic chemistry. ISBN: 978-0-19-926463-6

Bibliografia Complementar

Catherine E. Housecroft, Alan G. Sharpe;; Inorganic Chemistry, 4th edition, Pearson

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

Aula teóricas:
Os slides apresentados nas aulas serão disponibilizados na página da disciplina.  Serão disponibilizados sites na internet e ficheiros para complementar o estudo da UC. Será usada a plataforma Moodle da UP na gestão da UC.

Aulas teórico-práticas:
Resolução de problemas relativos a matéria leccionada nas aulas teóricas. Os estudantes formarão grupos de 3 e/ou 2 alunos.  Os grupos terão de preparar a resolução de problemas em casa para serem apresentados durante as aulas TP. 

Será realizado um teste intermédio durante o mês de Novembro

Palavras Chave

Ciências Físicas > Química > Quimíca inorgânica
Ciências Físicas > Química > Química molecular
Ciências Físicas > Química > Catálise homogénea
Ciências Tecnológicas > Tecnologia > Nanotecnologia
Ciências Físicas > Química > Química estrutural
Ciências Físicas > Química > Catálise heterogénea

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Exame 70,00
Participação presencial 30,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 106,00
Frequência das aulas 56,00
Total: 162,00

Obtenção de frequência

Os alunos não podem faltar mais do que 1/4 das aulas previstas - 14. Assim, não poderão ter mais do que 4 faltas às aulas TPs

A nota final das aulas TPs terá de ser igual ou superior a 9,5 valores.

Fórmula de cálculo da classificação final

NOTA FINAL= (0,70 x Exame) + (0,30 x aulas TP)
Em todas as avaliações considera-se arredondamento às décimas

 AVALIAÇÃO EXAME:
1 - Teste intermédio + exame final (época normal): O teste intermédio será realizado durante o mês de Novembro. 
Se o aluno tiver uma nota igual ou superior a 7,0 valores poderá ficar dispensado de realizar no exame final da época normal, a avaliação sobre a parte da matéria objecto do teste intermédio. Neste caso, no exame da época normal será avaliado sobre a matéria não coberta pelo teste intermédio. A nota do exame da época normal não pode ser inferior a 7,0 valores.
A avaliação final será: (nota teste intermédio + nota do exame da época normal) / 2 Em nenhuma das avaliações a nota poderá ser inferior a 7,0 valores.
Se o aluno obtiver no exame da época normal uma nota inferior a 7,0 valores, terá de realizar nova avaliação na época de recurso. Neste caso, terá de fazer a avaliação sobre toda a matéria lecionada, ficando a nota do teste intermédio sem qualquer efeito na classificação final.

AVALIAÇÃO EXAME:
2 - Exame final (época normal ou de recurso): Se o aluno tiver uma nota infeiror a 7 valores no teste intermédio terá terá de realizar o exame final na época normal ou de recurso sobre toda a matéria lecionada.
A nota do teste intermédio ficará sem qualquer efeito na classificação final. Para o estudante obter aprovação a nota de exame da época normal ou de recurso terá de ser igual ou superior a 7,0 valores.

Avaliação AULAS TEÓRICO-PRÁTICAS:  30% da nota final da UC: nota mínima de 9,5 valores. Inclui a nota das resoluções dos problemas nas aulas TP

Avaliação especial (TE, DA, ...)

Alunos Trabalhadores Estudantes: 
Com frequência das aulas TP = aos alunos ordinários. A nota final é calculada do mesmo modo que os alunos ordinários 

Sem frequência das aulas TP: realização do exame final ou teste intermédio+exame final.  Neste caso a nota fina da UC corresponde à nota do exame ou teste intermédio+exame

Melhoria de classificação

Realização de exame final.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2022-10-02 às 07:17:54 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias