Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FCUP
Você está em: Início > B210

Ecofisiologia Vegetal

Código: B210     Sigla: B210

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Biologia

Ocorrência: 2015/2016 - 2S

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Biologia
Curso/CE Responsável: Licenciatura em Arquitectura Paisagista

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
L:AP 24 Planos de estudos a partir 2009 2 - 7,5 -
L:AST 0 Plano de Estudos a partir de 2008 3 - 7,5 -
L:F 1 Plano de estudos a partir de 2008 3 - 7,5 -
L:G 0 P.E - estudantes com 1ª matricula anterior a 09/10 3 - 7,5 -
P.E - estudantes com 1ª matricula em 09/10 3 - 7,5 -
L:M 0 Plano de estudos a partir de 2009 3 - 7,5 -
L:Q 0 Plano de estudos Oficial 3 - 7,5 -

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Maria Fernanda da Silva Fidalgo Ferro de Beça Regente
Paula Maria Vieira de Melo Gomes Regente

Docência - Horas

Teórica: 2,00
Práticas Laboratoriais: 3,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teórica Totais 1 2,00
Maria Fernanda da Silva Fidalgo Ferro de Beça 1,00
Paula Maria Vieira de Melo Gomes 1,00
Práticas Laboratoriais Totais 1 3,00
Paula Maria Vieira de Melo Gomes 3,00

Língua de trabalho

Português

Objetivos

O objectivo básico do curso é que o aluno compreenda o modo como a anatomia está associada à função das plantas. Pretende-se ainda que o aluno adquira competências para identificar estruturas específicas a determinadas funções.
As plantas são organismos complexos e o curso explora aspectos que as tornam peculiares, centrando-se especialmente nos processos bioquímicos e moleculares envolvidos no seu crescimento e desenvolvimento. É também objectivo do curso que o aluno compreenda o modo como as plantas interactuam com o meio ambiente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Resultados de aprendizagem e competências

A frequência da Unidade curricular deverá permitir aos alunos, terem competência e capacidade para:

(a)    Compreender a importância das plantas na sociedade actual

(b)   Relacionar características anatómicas da planta com a sua função, habitat que ocupado e resposta ao meio ambiente

(c)   Compreender a fisiologia básica das plantas e forma como esta é regulada pelos sinais endógenos e ambientais

(d)   Compreender as potencialidades da biotecnologia vegetal, seus usos e aplicações

 

 

 

Modo de trabalho

Presencial

Programa

Importância da investigação na área da “Biologia das plantas”: Principais características que realçam a importância e peculiaridade das plantas e razões que justificam o seu estudo.Mecanismo de controlo do funcionamento dos estomas e sinais ambientais de regulação. Fitocromo e fotocontrolo do desenvolvimento da planta. Fotomorfogénese mediada pela luz vermelha. Fitocromo: propriedades e funções ecológicas - movimentos de sono, fuga à sombra e germinação de sementes.  Respostas à luz azul: fototropismo, inibição rápida do alongamento do caule e estimulação da abertura dos estomas. Fotoreceptores da luz azul: criptocromos, fototropinas e zeaxantina. Fotossíntese: conceitos gerais e considerações fisiológicas e ecológicas. Fisiologia da floração. Respostas fisiológicas e adaptações das plantas aos factores de stresse ambiental abiótico: stresse hídrico; stresse térmico; stresse luminoso; stresse oxidativo. Respostas e adaptações ao stresse biótico: defesa das plantas a ataque por herbívoros e  agentes patogénicos e resposta à presença de plantas antagonistas.

Nutrientes minerais. Critérios de essencialidade. Elementos essenciais. Classificação dos nutrientes vegetais: critério quantitativo e fisiológico. Hidroponia: princípios e aplicações. Percurso radial dos nutrientes através das raízes. Absorção de nutrientes e sistemas de transporte através das membranas. Carregamento do xilema. Translocação dos elementos na planta. Transporte no floema e mobilidade dos nutrientes no floema. Importância da mobilidade no floema para diagnóstico da sintomatologia de carência nutricional. Função e sintomatologia carencial dos macronutrientes e dos micronutrientes Mn e Fe. Principais limitações da análise de sintomatologia. Diagnósticos bioquímicos de carência nutricional.

Crescimento e desenvolvimento das plantas e sinais internos e ambientais. Moléculas sinal nas plantas. Fito-hormonas; conceito e percepção. Grupos de fito-hormonas. Auxinas: descoberta e natureza química. Auxinas nativas e de síntese. Biossíntese e transporte do IAA. Efeitos fisiológicos das auxinas. Aplicações práticas. Giberelinas (GAs); descoberta e natureza química. Regulação da biossíntese. Efeitos fisiológicos das GAs e mecanismos de acção. Transdução do sinal GAs nas células da camada de aleurona. Aplicações comerciais. Inibidores da biossíntese das GAs e sua possível utilização. Citocininas: descoberta e identificação; formas livres e ligadas; locais de biossíntese e transporte. Efeitos fisiológicos. Principais aplicações práticas. Características das plantas com sobre-expressão das citocininas e potencial utilização. Etileno; descoberta, estrutura e biossíntese. Regulação da biossíntese. Efeito de factores ambientais e da auxina na produção de etileno. Efeitos fisiológicos do etileno e modo de acção. Aplicações comerciais. Ácido Abcísico (ABA); descoberta, natureza química, locais de biossíntese e transporte. Variação do nível de ABA durante o desenvolvimento da semente em resposta a stress ambiental. Efeitos fisiológicos. Transdução de sinal do ABA nas células de guarda. Brassinoesteróides (BRs); descoberta, ocorrência nas plantas, biossíntese e transporte. Principais efeitos fisiológicos. Papel dos BRs na protecção de plantas contra stresses. BRs como nova estratégia para a protecção das plantas.

Biotecnologia vegetal - princípios e aplicações. Noções fundamentais sobre culturas de células e de tecidos vegetais in vitro. Propagação de plantas in vitro. Importância da micropropagação na produção de plantas com interesse comercial. Plantas transgénicas: tecnologia; importância; usos e aplicações; preocupações relativamente ao seu uso.

 

Bibliografia Obrigatória

Lambers, Hans, Chapin, III, F. Stuart, Pons, Thijs L.; Plant Physiological ecology, Springer, 2008. ISBN: ISBN 978-0-387-78340-6
Taiz Lincoln; Plant physiology. ISBN: 978-0-87893-866-7

Observações Bibliográficas

A bibliografia aconselhada encontra-se disponível na biblioteca do departamento de Biologia (ed. FC4). Serão ainda disponibilizados pelos docentes da disciplina elementos complementares de estudo e consulta.

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

Os conteúdos serão desenvolvidos em aulas teóricas e práticas.
As aulas teóricas serão maioritariamente expositivas, embora nas aulas teóricas seja incentivada a participação dos alunos através de uma componente de discussão. A apresentação da matéria será acompanhada pela projeção de imagens e esquemas que ilustrem convenientemente a exposição oral. O acompanhamento da matéria leccionada nas aulas teóricas deverá ser feito através da consulta de bibliografia: livros de texto, websites e artigos científicos.
Em relação às aulas práticas será fornecido aos alunos, um “Guia de apoio aos trabalhos práticos” contendo os procedimentos experimentais e no qual estarão também incluídos o programa e a calendarização das respectivas aulas.

Palavras Chave

Ciências Naturais > Ciências biológicas > Botânica > Fisiologia vegetal

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Exame 90,00
Trabalho escrito 10,00
Total: 100,00

Obtenção de frequência

Frequência obrigatória às aulas práticas – mínimo 2/3.
Realização do trabalho prático.

Será dada dispensa das aulas teóricas e práticas a alunos repetentes que obtiveram frequênciaà UC nos 2 anos lectivos anteriores

Fórmula de cálculo da classificação final

Exame teórico (T) – 12 valores; nota mínima 5 valores 
Exame teórico-prático (TP) – 6 valores; nota mínima - 2,5 valores 

Trabalho laboratorial (TL) - 2 valores 
Nota Final = T+TP+ TL.
Aprovação obtida com nota igual ou superior a 9,5 valores

 

 

Avaliação especial (TE, DA, ...)

 

 

Melhoria de classificação

Para melhoria de nota final o aluno necessita de requerer nova prova de exame, de acordo com a legislação vigente relativa ao assunto.

Observações



Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2019-02-19 às 17:35:20