Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início > 50143C5

Concepção e Experimentação Estrutural

Código: 50143C5     Sigla: CEE

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Tecnologia da Construção

Ocorrência: 2019/2020 - 1S

Ativa? Sim
Página Web: http://structures.arq.up.pt
Unidade Responsável: Arquitectura (A)
Curso/CE Responsável: Mestrado Integrado em Arquitetura

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MIARQ 17 MIARQ 4 - 3 - 81
5

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Rui Humberto Costa de Fernandes Póvoas Regente

Docência - Horas

Teorico-Prática: 0,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teorico-Prática Totais 1 0,00
Rui Humberto Costa de Fernandes Póvoas 1,50
Edgar Garcia da Silva Brito 1,50

Língua de trabalho

Português e inglês

Objetivos


A unidade curricular pretende aproximar os alunos a três tipos de princípios estruturais - estática, materiais e construção - que estiveram na génese conceptual das obras de referência de engenheiros do passado.
Do ponto de vista da estática, o objectivo consiste em desenvolver uma compreensão intuitiva e holística da relação entre forma e estrutura a partir de métodos gráficos e modelos físicos. A partir do mais simples comportamento estrutural, arco (compressão) e cabo (tracção), os alunos serão capazes de visualizar, qualificar e questionar o comportamento de qualquer estrutura.
Os alunos deverão explorar a especificidade estrutural de cada material - por exemplo, a pedra só funciona à compressão e o aço funciona tanto à compressão como à tracção – mas também o campo comum em que estes podem trabalhar em conjunto. Cada material tem uma origem, um funcionamento estrutural e uma memória que estão profundamente ligadas à evolução tecnológica e ao saber-fazer que importa conservar e reinterpretar.
Os alunos deverão ainda compreender como os processos de produção, assemblagem, transporte e processos de construção influenciaram e estiveram na génese de novas soluções. A resposta a restrições, o como ultrapassar dificuldades impostas pela realidade e o desafio do status quo foram essenciais para definir novas soluções, como pontes e coberturas de grandes vãos.


Resultados de aprendizagem e competências


Pretende-se que os alunos desenvolvam um pensamento de síntese entre forma, estrutura, materiais e construção no decorrer do seu método processual de projecto, procurando esbater os confinamentos disciplinares entre engenharia e arquitectura.
Com estes processos de aprendizagem, baseados no desenho, em referências históricas e na experimentação, os alunos devem ser capazes de desenvolver de uma linguagem comum que promova um diálogo mais informado com os engenheiros e outros profissionais da área da construção.
No final da unidade curricular os alunos deverão ser capazes de projectar e explicar uma estrutura, a partir dos princípios estruturais, e materializá-la numa forma construída.


Modo de trabalho

Presencial

Programa


1. PRINCÍPIOS ESTÁTICOS
1.2. Os fundamentos: compressão e tracção
1.3. A estática gráfica e a síntese entre forma e estrutura
1.4. A ausência da evidência: flexão
1.5. Sobreposições
1.6. Transgressões




2. PRINCÍPIOS MATERIAIS
2.1. Os materiais naturais – pedra e madeira
2.2. Os materiais da revolução industrial – as ligas metálicas
2.3. O betão armado enquanto pedra líquida
2.4. O pré-esforço e o negar à massa o seu peso próprio
2.5. Os materiais híbridos




3. PRINCÍPIOS CONSTRUTIVOS
3.1. Produção
3.2. Assemblagem
3.3. Transporte
3.4. Processos construtivos


Bibliografia Obrigatória

DEPLAZES, Andrea ; Constructing Architecture: Materials, Processes, Structures, Birkhauser, 2009
GARGIANI, Roberto; The rhetoric of Pier Luigi Nervi: Forms in reinforced concrete and ferro-cement., EPFL Press, 2016
MOSTAFAVI, Mohsen ; Structure as Space: Engineering and Architecture in the Works of Jürg Conzett and His Partners, AA Publications, 2006
MULLER-BROCKMANN, Josef ; Sistemas de grelhas, Gustavo Gili, 2012
MUTTONI, Aurelio; The Art of Structures: Introduction to the Functioning of Structure in Architecture, EPFL Press, 2012
NERVI, Pier Luigi; Aesthetics and Technology in Buildings, Harvard University Press, 1966
SANDAKER, Bjorn; The Structural Basis of Architecture, Routledge, 2014
SEMPER, Gottfried ; Style in the technical and tectonic arts, or, practical aesthetics, Getty Research Institute, 2004
REICHEL, Alexander ; Support, materialise. Columns, walls, floors, Birkhauser, 2014

Bibliografia Complementar

ADDIS, Bill; Building: 3000 Years of Design Engineering and Construction, Phaidon, 2007
ANGERER, Fred; Surface Structures in Building: Structure and Form, Reinhold Pub. Corp, 1961
BILL, Max; Robert Maillart, Erlenbach, 1949
CARLANA, Michel; Forms of Structures, Electa architectura, 2011
FLURY, Aita; Cooperation: The Engineer and the Architect, Birkhauser, 2012
KIND-BARKAUSAS, Friedbert; Concrete Construction Manual, Birkhauser, 2002
PICON, Antoine; Art de l'Ingenieur: Construction Entrepreneur Inventeur, Centre Georges Pompidou, 1997
POPOVIC, Olga; Conceptual Structural Design: Bridging the Gap between Architects and Engineers, Thomas Telford, 2003
TORROJA, Eduardo; Razón y ser de los tipos estructurales, Ediciones Doce Calles, 2010

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem


Cada aula semanal é dividida em três partes: teoria, exercícios rápidos (estática gráfica e maquetes) e trabalho de grupo. Convidados (arquitectos, engenheiros e construtores) irão dar aulas cujos conteúdos complementam o tronco principal.
O trabalho de grupo consiste em desenhar e construir uma peça estrutural em material a definir. Cada equipa de cinco estudantes deve desenhar, planear e construir o objecto, em que deverá questionar pelo menos um dos princípios estruturais.
Como num ambiente de atelier, cada membro da equipa será responsável por tarefas específicas do trabalho de grupo (gestão, desenho, imagens e renders, estaleiro, fotografias, publicações).
No final do semestre cada grupo deverá entregar três painéis descritivos do projeto, processo e obra, para além de uma reflexão sintética sobre a objecto construído.


Software

Autocad, Illustrator, Indesign, Photoshop, Rhinoceros

Palavras Chave

Ciências Tecnológicas > Engenharia > Engenharia civil > Engenharia estrutural
Ciências Tecnológicas > Arquitectura

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Participação presencial 30,00
Trabalho prático ou de projeto 70,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Apresentação/discussão de um trabalho científico 6,00
Elaboração de projeto 36,00
Frequência das aulas 39,00
Total: 81,00

Obtenção de frequência


75% presenças


Fórmula de cálculo da classificação final

Avaliação será global e contínua ao longo do semestre, tendo em conta:
1. Presença e participação nas aulas;
2. Pesquisa e reflexão sobre o trabalho de grupo;
3. Funcionamento e dinâmica do trabalho de grupo;
4. Domínio dos princípios estruturais;
5. Qualidade do objectivo construído;
6. Clareza e precisão da solução final.

CF = (1,2 e 3)x0,50 + (4,5 e 6)x0,50

Observações

Ver página web para mais informações sobre o trabalho de grupo.
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2020 © Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2020-03-28 às 13:31:59 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais