Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Hoje é domingo
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Galeria de Retratos do Salão Nobre - Luís Woodhouse

Memória U.Porto

Salão Nobre da Universidade do Porto - Galeria de Retratos


Luís Woodhouse
Matemático, professor universitário, diretor da FCUP e vice-reitor da U.Porto

Retrato da autoria de Júlio Ramos
Retrato de Luís Woodhouse, pintado por Júlio Ramos / Portrait of Luís Woodhouse, painted by Júlio Ramos

Biografia de Luís Woodhouse (1857-1927)

Luís Inácio Woodhouse nasceu na cidade do Porto, na freguesia da Foz do Douro, a 31 de julho de 1857. Era filho de Roberto Guilherme Woodhouse Barreto de Lencastre (1826-1876), 1.º presidente da Associação Católica do Porto (eleito em 1872, reeleito em 1873, ficando até à sua morte como presidente honorário desta associação) e de D. Isabel Emília de Sousa Vahia de Morais Madureira, viscondessa de Balsemão (1821-1892). Teve um irmão, Roberto Woodhouse de Lencastre, que faleceu em 1889.

Luís Woodhouse formou-se na Faculdade de Matemática da Universidade de Coimbra, entre 1875 e 1881. Aluno premiado interrompeu os estudos no terceiro ano por motivos de saúde.

Ao longo da sua careira acumulou a função de professor na Academia Politécnica do Porto e da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, com a de professor do Instituto Industrial e depois no Instituto Superior do Comércio do Porto, até à sua morte em 1927, apesar de a doença o ter afastado do ensino a partir de 1926.

Ao longo da sua careira acumulou a função de professor na Academia Politécnica do Porto e da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, com a de professor do Instituto Industrial e depois no Instituto Superior do Comércio do Porto, até à sua morte em 1927, apesar de a doença o ter afastado do ensino a partir de 1926.

Em 1883 foi convidado a lecionar na Academia portuense por Francisco de Salles Gomes Cardoso, diretor interino da Instituição, sendo-lhe atribuída a 2.ª cadeira - Cálculo Diferencial, Integral, das diferenças e das variações. Em 1884 foi nomeado lente proprietário da 2.º cadeira (decreto de 5 de junho e carta régia de 18 de outubro, posse a 10 de junho) e regeu também a 1.ª cadeira – Geometria analítica, Álgebra Superior, Trigonometria Esférica, da qual veio a ser lente proprietário (decreto de 23 de setembro de 1885), e que lecionou até 1911. Foi ainda lente interino da 5.ª cadeira, entre 1884-1885 e 1887-1888. Na transição da Academia Politécnica para a Faculdade de Ciências passou a professor ordinário do 1.º grupo da 1.ª secção.

Depois da criação da Universidade do Porto transferiu-se para a secção de Matemática da Faculdade de Ciências, onde, em 1918, lhe foi conferido o grau de doutor em Ciências Matemáticas.

Entretanto, em 1887 foi admitido como lente catedrático da 6.ª cadeira do Instituto Industrial e Comercial do Porto (posse do cargo a 4 de março de 1887). Em 1891 a 6.º cadeira foi substituída pela 2.ª – Elementos de Calculo infinitesimal e geometria analytica – Principos de geometria descriptiva e suas aplicações, na qual foi colocado a 16 de outubro de 1891. Em 1919, o então lente catedrático da 2.ª cadeira, passou a professor ordinário da 2.ª cadeira – Cálculo infinitesimal e Probabilidades do renomeado Instituto Superior do Comércio do Porto (posse a 21 de maio desse ano) e, por ser o professor mais antigo da Escola, assumiu várias vezes a presidência do Conselho Escolar, na ausência do diretor.

Além de reputado professor, desempenhou diversas funções e cargos na Universidade do Porto. Foi tesoureiro interino (nomeado em 1912), delegado dos Professores da FCUP ao Senado Universitário (eleito em 1918) e Vice-reitor (nomeado a 26 de junho de 1926, tomou posse a 24 de julho e ocupou o cargo até à sua morte). Na Faculdade de Ciências foi primeiro presidente da Secção de Matemática da Faculdade (1911), diretor interino [1922-1926] e diretor efetivo da Faculdade (posse a 27 de maio de 1926, nova posse a 24 de julho, e substituição, em meados de dezembro, por José Alves Bonifácio).

Luís Woodhouse integrou a Junta Escolar (1887-1888), foi vereador da Câmara Municipal do Porto (1887-1889) e eleito substituto da comissão executiva da Câmara (1887) e vice-presidente da Associação Portuguesa para o Progresso das Ciências (1925). Na Real Companhia Vinícola do Norte, de que era acionista, foi membro substituto da direção, entre 1902 e 1903, e membro efetivo da direção nos anos de 1907-1908, 1912-1915 e 1918.

Foi sócio efetivo do Instituto de Coimbra (a partir de 1878), sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa(eleito em 1926) e sócio benemérito n.º1 da Associação Académica do Porto.

Deixou inúmeros textos impressos e manuscritos sobre Matemática (Ciência, Historia e Ensino da Matemática). Colaborou na “Revista Científica Literaria” (Coimbra, 1880-1881) e foi membro da comissão redatora da revista “O Instituto” (1925-1926).

Participou nos congressos luso-espanhóis para o Progresso da Ciência (Porto, 1921; Salamanca, 1923; e Coimbra, 1925) e representou a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto no congresso luso-espanhol de Ciências realizado em Salamanca em 1923.

Era proprietário do Convento dos Trinos Descalços de Mirandela.

Amigo profundo de Francisco Gomes Teixeira, faleceu a 13 de março de 1927. O cortejo fúnebre partiu da Igreja da Trindade e reuniu professores e estudantes da Universidade do Porto, personalidades públicas e muitos anónimos. Aurélio Pinheiro, vigário da Ordem da Trindade, presidiu aos atos fúnebres. Os discursos ficaram a cargo de Vitorino Laranjeira, de José Alves Bonifácio, de Leonardo Coimbra, do Ministro da Instrução, Alfredo Magalhães e do estudante António Amaral Guimarães. Luís Woodhouse ficou sepultado no Cemitério do Prado do Repouso.

Um ano depois da sua morte, a 17 de março de 1928, a Associação Académica do Porto promoveu uma romagem ao seu túmulo e uma sessão solene na sede da Associação.

A 13 de março de 1935 realizou-se uma sessão de homenagem a Luís Woodhouse na biblioteca da Universidade do Porto, à qual assistiram o governador civil do Porto, o cônsul de Itália e vice-cônsules de Espanha e França. Mendes Correia e Scipião de Carvalho proferiram elogios ao homenageado. Na Sessão do Conselho escolar de 18 desse mês a sala de Álgebra da Faculdade de Ciências (atual edifício histórico da Reitoria da Universidade do Porto) foi rebatizada com o nome Sala Luís Woodhouse.

Em 1937 a Câmara Municipal do Porto deu o seu nome a uma artéria da freguesia de Paranhos.

Em 1958, no centenário do seu nascimento foi lembrado no Conselho Escolar.

Universidade do Porto Digital / Gestão de Documentação e Informação, 2018.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2024 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2018-11-08 Página gerada em: 2024-05-19 às 12:13:11 Denúncias