Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres U.Porto: José Carlos Loureiro

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

José Carlos Loureiro

Fotografia de José Carlos Loureiro José Carlos Loureiro
1925-
Arquiteto



José Carlos Loureiro nasceu na Covilhã a 2 de Dezembro de 1925.

Depois de ter concluído o Curso Geral dos Liceus ingressou na Escola de Belas Artes do Porto, no ano letivo de 1941-1942. Durante a licenciatura, na qual se distinguiu, recebeu o prémio Carlos Ramos, em 1945, por ter alcançado a nota mais alta na cadeira de Arquitetura (18 valores), e o prémio Associação Industrial Portuguesa, em 1947.

Parque Residencial LusoEm 1950 terminou o curso com a classificação de 19 valores na prova final, e iniciou a sua atividade profissional como arquiteto e docente (2.º assistente) da ESBAP.

Passados dez anos concorreu a professor da ESBAP com a edição da tese O Azulejo – Possibilidade da sua reintegração na Arquitetura Contemporânea, tendo sido aprovado em mérito absoluto.

Em 1972 abandonou o ensino para se dedicar a tempo inteiro ao exercício da Arquitetura. Quatro anos mais tarde criou o Galp, Lda. (Gabinete de Urbanismo, Arquitetura e Engenharia, Lda.) com o colega Pádua Ramos que com ele colaborava desde 1955. Esse Gabinete iria tornar-se um dos espaços mais criativos da arquitetura portuense.

José Carlos Loureiro desempenhou, também, cargos diretivos no extinto SNA – Secção Regional do Norte, em duas épocas distintas, e o cargo de Vice-Presidente do Conselho Diretivo Nacional da Associação dos Arquitetos Portugueses (1986/89).

Associou-se a diversos congressos e colóquios de Arquitetura e Urbanismo, realizou viagens de estudo e investigou, em particular, sobre "A Casa do Brasileiro", tema de referência de muitas conferências e palestras que proferiu como por exemplo, "Os Portugueses e o Mundo", no Colóquio de Arquitetos Ibero Americanos em Sevilha, na Ordem dos Arquitetos, na Câmara Municipal de Santo Tirso e na Alfândega do Porto.

Desde os anos 50 que participa em diversas exposições, tendo sido premiado nalgumas delas (exposição ODAM - Organização dos Arquitetos Modernos, 1951, na Bienal de S. Paulo, e na exposição de Artes das Olimpíadas, na qual obteve uma Menção Honrosa, em 1952, na Exhibition Of Contemporany Portuguese Architecture, em 1958, na I Exposição de Arquitetura da Associação de Arquitectos Portugueses, em 1987, na qual alcançou uma Menção Honrosa e em muitas outras exposições de Arquitetura, Exposições Magnas da ESBAP, Serralves, da A.A.P., Prémio de Arquitetura da Maia, etc.).

Pavilhão Rosa Mota, PortoA competência que sempre demonstrou valeu-lhe a presença em inúmeros júris de concurso, em representação da Ordem dos Arquitetos ou por convite direto. Participou em dois júris de concurso de azulejo, no concurso promovido pelas Empresas Produtoras de Fibrocimento, no concurso para o hall de Exposições promovido pela Câmara Municipal de Braga, no concurso para a Frente Urbana do Parque da Cidade do Porto, mais uma vez num concurso promovido pelo município de Braga, desta feita para o Campo da Vinha, no concurso impulsionado pela Câmara Municipal de Gondomar para o Centro Direcional e Edifício da Câmara Municipal, novamente num concurso da edilidade portuense para a Biblioteca Pública Municipal Almeida Garrett e no Concurso "Caminhos do Romântico" no âmbito do PORTO 2001.

A convite da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, José Carlos Loureiro foi arguente no concurso para Professor Associado do Arquiteto Alcino Soutinho.

Este Arquiteto escreve artigos em publicações periódicas como "O Tripeiro" e teve diversas intervenções em programas televisivos. Em 1992 retomou a docência como professor convidado da ESBAP. E, em Março de 2009, foi agraciado com a Medalha Municipal de Mérito, Grau de Ouro, da Câmara Municipal do Porto.

A 2 de dezembro de 2015, por ocasião do 90 anos do arquiteto José Carlos Loureiro, a Fundação Instituto Arquiteto José Marques da Silva (FIMS), entidade à qual doou o seu acervo profissional, e a Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP), escola da sua formação e de prática pedagógica, promoveram uma homenagem a este destacado arquiteto português, iniciativa que também contou com o apoio da Câmara Municipal do Porto e da Secção Regional Norte da Ordem dos Arquitetos e com o patrocínio da OTIMAH!.

O evento realizado na FAUP constou de uma mesa redonda, com intervenções dos arquitetos Siza Vieira, Ana Tostões e Nuno Brandão e moderação de Alexandre Alves Costa. Da inauguração de uma exposição projetada por Luís Pinheiro Loureiro e Nuno Brandão Costa, que apresentou as suas obras mais singulares e do lançamento de uma brochura sobre a obra deste arquiteto.

Em 2017 recebeu a Medalha de Mérito Profissional da Câmara Municipal de Gondomar.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2010)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2017 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2017-08-14 Página gerada em: 2017-09-26 às 20:53:34