Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FEUP
Hoje é domingo
Você está em: Início > MEMG0021
Autenticação




Mapa das Instalações
Edifício A (Administração) Edifício B (Aulas) - Bloco I Edifício B (Aulas) - Bloco II Edifício B (Aulas) - Bloco III Edifício B (Aulas) - Bloco IV Edifício C (Biblioteca) Edifício D (CICA) Edifício E (Química) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício G (Civil) Edifício H (Civil) Edifício I (Electrotecnia) Edifício J (Electrotecnia) Edifício K (Pavilhão FCNAUP) Edifício L (Mecânica) Edifício M (Mecânica) Edifício N (Garagem) Edifício O (Cafetaria) Edifício P (Cantina) Edifício Q (Central de Gases) Edifício R (Laboratório de Engenharia do Ambiente) Edifício S (INESC) Edifício T (Torre do INEGI) Edifício U (Nave do INEGI) Edifício X (Associação de Estudantes)

Reabilitação de Solos e Aquíferos

Código: MEMG0021     Sigla: RSA

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
CNAEF Tecnologia de proteção do ambiente

Ocorrência: 2017/2018 - 1S Ícone do Moodle

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Engenharia de Minas
Curso/CE Responsável: Mestrado em Engenharia de Minas e Geo-Ambiente

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MEMG 1 Plano de estudos oficial a partir de 2008/09 2 - 6 56 162
MIEA 39 Plano de estudos oficial a partir de 2006/07 4 - 6 56 162

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
António Manuel Antunes Fiuza Regente

Docência - Horas

Teóricas: 3,00
Teórico-Práticas: 1,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teóricas Totais 1 3,00
Maria Cristina da Costa Vila 1,00
António Manuel Antunes Fiuza 2,00
Teórico-Práticas Totais 2 2,00
Maria Cristina da Costa Vila 2,00

Língua de trabalho

Português - Suitable for English-speaking students

Objetivos

- Conhecimento: Relembrar conhecimentos relativos a equilíbrios multi-fásicos, química ambiental e eco-toxicologia; - Compreensão: Identificar, reconhecer e caracterizar situações de contaminação de solos e aquíferos; - Aplicação: Distinguir o campo de aplicação das diferentes tecnologias; Seleccionar as tecnologias adaptadas a cada situação. - Análise: Elaborar uma Análises de Risco simples; Definir a investigação a desenvolver para realizar um Plano de Acção Correctiva; - Síntese: Estabelecer a metodologia da elaboração de um plano de acção correctiva; Dimensionar unidades de remediação de solos e/ou águas subterrâneas.

Resultados de aprendizagem e competências

Capacidade de
- caracterizar a dispersão duma contaminação no subsolo;
- seleccionar as tecnologias de reabilitação mais convenientes;
- determinar os parâmetros de projecto mais relevantes;
- prever e projectar a monitorização da tecnologia;
- plaborar um Plano de Acção Correctiva.

Modo de trabalho

Presencial

Programa

Revisão dos Conceitos Básicos de Química Ambiental; Transporte e Destino de Contaminantes no Subsolo; Introdução à Análise de Risco e Breves Noções de Ecotoxicologia; Barreiras de Contenção e barreiras reactivas permeáveis; A Atenuação Natural como modalidade de reabilitação; Tecnologias de reabilitação de solos contaminados com produtos petrolíferos: Técnicas agrárias, eiras biológicas, ventilação do solo, bio-ventilação, arrastamento in-situ, atenuação Natural, bio-reabilitação in-situ, extracção multi-fásica, dessorção térmica a baixa temperatura; Tecnologias de reabilitação de solos contaminados com metais pesados: electrocinética, fito-reabilitação, lavagem de solos, lavagem de solos in situ; Tratamento de água subterrânea: Arrastamento por ar e arrastamento por vapor; Tratamento químico in-situ; Tecnologias avançadas: extracção por fluídos super-críticos;

Bibliografia Obrigatória

António Fiúza; Protecção e reabilitação de solos e aquíferos contaminados, 2004 (Disponível, em formato pdf, aos alunos na página da disciplina)

Bibliografia Complementar

Grasso, Domenic; Hazardous waste site remediation. ISBN: 1-56670-056-6

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

Parte-se da análise do equilíbrio em sistemas multi-fásicos para compreender a repartição dos contaminantes pelas diferentes fases constituintes dos subsolo. Analisa-se em seguida como os sistemas de transporte e destino de contaminantes no solo. Como toda a reabilitação apenas pode ser efectuada se houver um risco introduzem-se conceitos básicos de Análise de Risco quantitativa. Analisam-se em seguida um conjunto de tecnologias de reabilitação de solos e aquíferos contaminados de modo a cobrir vários objectivos: serem sistemas bastante utilizados, alguns serem in-situ e outros “off-site”, alguns serem de raíz física, outros química e outros biológica, permitirem tratar vários tipos de contaminantes: orgânicos e metais pesados. Nas aulas práticas resolvem-se problemas, que se tenta sejam complexos retratando situações reais.

Tipo de avaliação

Avaliação por exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Exame 95,00
Participação presencial 5,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 56,00
Frequência das aulas 56,00
Total: 112,00

Obtenção de frequência

Para obter frequência os alunos terão que estar presentes em pelo menos 75% das aulas teórico-práticas e práticas leccionadas.

Fórmula de cálculo da classificação final

0,95* Nota Exame Final + 0,05 Componente presencial (acima das presenças obrigatórias)

 

Provas e trabalhos especiais

Não existente.

Melhoria de classificação

Em exame de melhoria de classificação.

 

Observações

Disciplina complementada com módulo de e-learning.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2020 © Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2020-06-07 às 03:05:19 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais