Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início > AGR2001
Mapa das Instalações
FC6 - Departamento de Ciência de Computadores FC5 - Edifício Central FC4 - Departamento de Biologia FC3 - Departamento de Física e Astronomia e Departamento GAOT FC2 - Departamento de Química e Bioquímica FC1 - Departamento de Matemática

Bases de Protecção de Culturas

Código: AGR2001     Sigla: AGR2001     Nível: 200

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Agronomia

Ocorrência: 2018/2019 - 2S

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Geociências, Ambiente e Ordenamento do Território
Curso/CE Responsável: Licenciatura em Biologia

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
L:B 0 Plano de Estudos Oficial 3 - 6 49 162
L:CC 0 Plano de estudos a partir de 2014 2 - 6 49 162
3
L:F 0 Plano de Estudos Oficial 2 - 6 49 162
L:G 0 Plano estudos a partir do ano letivo 2017/18 2 - 6 49 162
3
L:M 0 Plano de Estudos Oficial 2 - 6 49 162
3
L:Q 0 Plano estudos a partir do ano letivo 2016/17 3 - 6 49 162

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Ana Álvares Ribeiro Marques de Aguiar Regente

Docência - Horas

Teórica: 2,00
Práticas Laboratoriais: 1,50
Tipo Docente Turmas Horas
Teórica Totais 1 2,00
Ana Álvares Ribeiro Marques de Aguiar 2,00
Práticas Laboratoriais Totais 1 1,50
Ana Álvares Ribeiro Marques de Aguiar 1,50

Língua de trabalho

Português

Objetivos

Pretende-se que os alunos: - compreendam a filosofia subjacente à tomada de decisão em protecção das culturas nas várias modalidades de agricultura sustentável. - saibam as consequências para uma região ou país do ataque generalizado a uma cultura importante e tomem consciência dos seus deveres na matéria - conheçam e saibam utilizar os componentes da protecção integrada. - saibam quais os principais grupos de inimigos das culturas. - conheçam as características gerais dos fungos agentes causais de doenças de plantas. - saibam classificar um insecto (até à ordem) e saibam como proceder para identificar a espécie. - relacionem os estragos nas plantas com os possíveis agentes causais. - conheçam os meios de luta cultural, biológica, biotécnica e química a usar em Portugal. - adquiram competências de diagnóstico de problemas fitossanitários em diversas plantas.

Resultados de aprendizagem e competências

Conhecer os principais grupos de seres vivos que são pragas e agentes causais de doenças em plantas. Saber fazer o correcto diagnóstico e prescrever um tratamento. Redigir um relatório tecnico, debater um tema e fazer uma apresentação oral.

Modo de trabalho

Presencial

Programa

1. Introdução à protecção de plantas A protecção das plantas nas modalidades de agricultura sustentável. Pragas e doenças de quarentena (casos históricos de ataques que provocaram elevados prejuízos, organismos envolvidos, responsabilidade individual); Biodiversidade nos sistemas agrários. Relações entre seres vivos no ecossistema agrário. Organizações nacionais e internacionais relacionadas com a protecção das culturas. Evolução da protecção de plantas. Os inimigos das culturas (inimigo chave, inimigo ocasional; pragas, doenças e infestantes). 2. Entomologia agrícola Importância dos insectos nos diferentes ecossistemas. Morfologia dos insectos. Metamorfoses. Classificação nas principais ordens 3. Patologia agrícola Importância dos fungos em protecção de plantas. Conceito de planta doente e planta sã. Manifestação da doença (conceitos de sinal, sintoma, quadro sintomatológico, sintoma primário e secundário).Diagnóstico da doença. Conceitos de parasita, parasitismo, patogeneidade, estragos e prejuízos. Tetraedro da doença. Ciclo da doença (inoculação, penetração, infecção, invasão, reprodução, disseminação). Doença endémica. Patogénios monocicliclos e policiclicos. Características diferenciadoras dos fungos dos vários filo. Estruturas de desenvolvimento e de reprodução. Reprodução assexuada e sexuada. Estruturas de reprodução assexuada e sexuada: conídios, oosporo, ascosporo, basidiosporo. Classificação taxonómica dos fungos. Ciclos de vida do fungo na planta e manifestação da doença. 4. Estratégias de protecção Protecção integrada: Medidas preventivas de luta (tipos e momento de aplicação); estimativa do risco; nível económico de ataque; exemplos de NEA; mapas de risco; factores de nocividade; tomada de decisão e escolha do meio de luta. Estratégias de protecção noutros sistemas de produção. 5. Meios de luta Luta cultural e luta genética (utilização de sementes com resistências, redes de exclusão, intervenções em verde, enrelvamento, solarização, biofumigação). Luta química (classificação dos pesticidas, modos de acção, aplicação, medidas de toxicologia aguda e crónica, riscos, processo de homologação). Luta biológica (limitação natural e enriquecimento da biocenose, predadores e parasitoides). Luta biotécnica (utilização de feromonas e outros semioquimicos; reguladores de crescimento de insectos, luta autocida, confusão sexual).

Bibliografia Obrigatória

Agrios George N. 1936-; Plant pathology. ISBN: 9780120445646
Tomaz Ilídio Lucas; Doenças das plantas
Hill Dennis S. 1934-; Agricultural entomology. ISBN: 0-88192-223-4

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

As aulas, de 3,5 horas, poderão ser: teórica presencial, de debate à distância (fórum de discussão), prática de campo e/ou laboratório (presencial). Poderá haver uma visita de estudo. As aulas são no Campus Agrário de Vairão. Na página da disciplina, serão disponibilizados os documentos, protocolos dos trabalhos e avisos. Será também o local para o aluno submeter os trabalhos e onde irá acontecer o fórum de discussão.

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Exame 50,00
Trabalho escrito 50,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 49,00
Frequência das aulas 49,00
Total: 98,00

Obtenção de frequência

Condições de Frequência: É proposto um conjunto de trabalhos a realizar durante o semestre. O estudante terá de obter pelo menos 10/20 valores nos trabalhos (média dos três).

Fórmula de cálculo da classificação final

Fórmula de avaliação: São propostos três trabalhos T1, T2 e T3. Cada trabalho será avaliado na base 20. O exame final será, também avaliado na base 20. A classificação final é: CF=((T1+T2+T3)/3 + Exame)/2. 

Avaliação especial (TE, DA, ...)

n.a. 

Melhoria de classificação

Pode ser obtida em exame de recurso.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2022-10-02 às 07:53:02 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias