Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Hoje é domingo
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres U.Porto: Maria José Marques da Silva

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

Maria José Marques da Silva

Fotografia de Maria José Marques da Silva / Photo of Maria José Marques da Silva Maria José Marques da Silva
1914-1994
Arquiteta



Maria José Marques da Silva Martins nasceu no Porto em 1914. Era filha do arquiteto José Marques da Silva e de Maria Júlia Lopes Martins e irmã de Maria Amélia Lopes Martins.
Depois de concluir a licenciatura em Arquitetura na Escola de Belas Artes do Porto, obteve o Diploma de Arquiteto (CODA) em 1943, o que a tornou a primeira arquiteta diplomada por essa escola.

Fotografia de Maria José Marques da Silva e David Moreira da Silva / Photo of Maria José Marques da Silva and David Moreira da SilvaEncetou a sua atividade profissional no atelier do pai. Nesse meio conheceu David Moreira da Silva (1909-2002), arquiteto e urbanista, com quem veio a casar em 1943 e a partilhar um atelier no Porto (1941-1996).
A produção saída deste gabinete conjunto traduziu-se em projetos de planeamento urbano, que refletiam a moda das cidades jardim, mas também as condicionantes do mercado e do tempo político: trabalhos de consultadoria, projetos de obras, equipamentos, edifícios mistos, habitações (rurais e urbanas), peças de mobiliário, continuação e conclusão de obras iniciadas por Marques da Silva.

Desde os anos 40 que este duo de arquitetos foi autor de inúmeros edifícios, nomeadamente para a cidade do Porto. Para esta cidade riscaram a sede da Cooperativa dos Pedreiros (1934-1939) e a "Torre Miradouro" (1963-1969), na Rua da Alegria e ainda o Prédio de Rendimento "Trabalho e Reforma" (1949-1953), na Rua Nossa Senhora de Fátima; projetaram o Palácio do Comércio (1944-1946) no quarteirão das ruas Sá da Bandeira, Fernandes Tomás, Bolhão e Firmeza; e o adro da Igreja de Nossa Senhora da Conceição e seu remate, na Praça Marquês de Pombal.

Fotografia do Mercado de Guimarães / Photo of the Guimarães MarketDepois da morte do mestre Marques da Silva, em 1947, Maria José e o marido finalizaram vários dos seus projetos, como, por exemplo, o novo edifício da Sociedade Martins Sarmento, o Mercado Municipal, o Santuário da Penha e a Igreja de S. Torcato, em Guimarães, e o prédio da Rua Barjona de Freitas, em Barcelos.

Fotografia do Palácio do Comércio, Porto / Photo of the Comércio Palace, PortoNas décadas de 70 e 80, o casal afastou-se das lides do urbanismo e dedicou-se essencialmente à produção agrícola em Barcelos. No entanto, ainda nessa época, Maria José Marques da Silva desempenhou cargos de chefia na Associação dos Arquitetos Portugueses, tendo presidido à Secção Regional do Norte da Associação dos Arquitetos e organizado o 40.º Congresso desta organização, realizado no Palácio da Bolsa, em 1986.

Nos seus últimos anos de vida procurou dignificar a vida e obra de seu pai instituindo um legado testamentário para a Universidade do Porto, para que se criasse o Instituto José Marques da Silva.

Actualmente, a Fundação Instituto Arquitecto Marques da Silva dedica-se à promoção, estudo e divulgação do património artístico e arquitetónico de José Marques da Silva e do acervo de Maria José Marques da Silva e de David Moreira da Silva, assim como à incorporação de outros acervos de arquitetura e urbanismo.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2009)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2017-02-08 Página gerada em: 2018-12-16 às 04:41:29