Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > AP111

Artes Plásticas

Código: AP111     Sigla: AP

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Artes Plásticas

Ocorrência: 2015/2016 - A

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Artes Plásticas
Curso/CE Responsável: Artes Plásticas

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
AP 100 Plano de estudos oficial 2011 1 - 19,5 288 526,5

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
José António Ramalheira Corujo Vaz Regente

Docência - Horas

Teorico-Prática: 9,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teorico-Prática Totais 4 36,00
Joana Margarida Brandão Costa 9,00
José António Ramalheira Corujo Vaz 9,00
António Rui Ferro Moutinho 9,00
Samuel Joaquim Moreira da Silva 9,00

Língua de trabalho

Português

Objetivos

Nesta UC, trata-se de fazer uma introdução abrangente às artes plásticas, entendidas aqui como o território da criação, investigação e expressão plásticas no campo das artes, revelando por isso mesmo uma relativa diversidade nos seus conteúdos. Apenas nos anos subsequentes, especialmente nas disciplinas de Atelier I e II, e já após a escolha de um ramo de especialização (Pintura, Escultura ou Multimédia), se poderão ver consolidadas as linhas programáticas apontadas por esta unidade curricular.

O trabalho a realizar oscilará assim entre uma abordagem da plástica dos materiais e dos processos inerentes à sua manipulação (o fazer), e uma outra plasticidade, aquela que define os próprios mecanismos da prática artística (o pensar).

Resultados de aprendizagem e competências

Familiarizar os estudantes com aspectos fundadores de escultura, multimédia e pintura, tendo em conta os benefícios que o conhecimento resultante traga, no futuro, a todos os estudantes, independentemente do ramo por que, no segundo ano da licenciatura, optem (escultura, multimédia ou pintura).

 

Modo de trabalho

Presencial

Programa

Escultura

O programa de Escultura orienta-se preferencialmente para a promoção de diferentes abordagens em ambientes susceptíveis de enquadramento metodológico na área científica da escultura, entendida na sua condição moderna e pós-moderna, alargada e multidimensional, com a ressalva de que estas mesmas práticas devam obedecer a normativo que releve e investigue a importância do potencial plástico dos diferentes materiais empregues na produção dos artefactos, como ainda a necessária reflexão crítica no que respeita à sua instalação

Alguns tópicos: A escultura como corpo e expressão particular de cultura e saber. Diluição de territórios. Objeto expandido e multidimensional. Assemblage e acumulação. A escultura como objeto. Matéria, forma e cor. Princípios gerais da construção da escultura. Estruturas primárias: redução e economia. Máximo de ordem / mínimo de meios. Estrutura e volume. O desenho interno da forma. Corpo opaco e corpo transparente. Escultura híbrida e corpo múltiplo. Ambiente e espaço circundante. Estratégias de transformação. Princípios de composição.

 

Multimédia

O Bloco de Multimédia (ou Intermédia) tem por base um entendimento alargado da ideia de plasticidade e toma como referência o campo expandido da prática artística. Funcionará num regime de interdisciplinaridade, oscilando entre diferentes meios, práticas e processos, numa relação de contiguidade e/ou complementaridade com os restantes blocos deste programa.

[a] ENTRE A PALAVRA E A IMAGEM: Texto e imagem, texto como imagem; Imagem e pensamento, imaginação; Comunicação verbal e não-verbal, a língua e olho; Imagem como objecto, objecto como imagem; Desdobramentos semânticos e expressividade fonética; Mecanismos do espaço visual e da construção da imagem; Tradutibilidade e intradutibilidade entre as artes; Narratividade, tempo e duração; Apropriação, transferência, reprodutibilidade e impressão da imagem fotográfica;

 [b] ENTRE A MATÉRIA E O ESPAÇO: Plasticidade e experimentação; Construção e estruturação do objecto tridimensional; Estudos de composição no espaço; tipologias da instalação; Especificidades e contextos: relações entre o espaço, o lugar, o corpo e o objecto;

 [c] ENTRE O SOM E O LUGAR: Elementos básicos da plasticidade sonora; Interacção entre som e imagem; sinestesias; Som e espaço: relações de especificidade; Introdução a algumas ferramentas de captação, edição e manipulação sonora; Arte sonora: Intersecções e fronteiras;

[d] ENTRE O CORPO E A IMAGEM EM MOVIMENTO: A imagem em movimento na arte: o caso do vídeo; Vídeo, performance e acontecimento (documentação, registo mediação, reflexividade, tempo-real, instalação); Imagem e narratividade (linear e não-linear/sincrónica e assincrónica); Dispositivos do som e da imagem; Introdução e exploração de ferramentas de captação, manipulação e gravação de imagem.

[e] ENTRE A ACÇÃO/SITUAÇÃO E O CONTEXTO: Práticas artísticas e a esfera pública: estratégias de contaminação do real; As linguagens de natureza efémera e performativa; Relações e especificidades contextuais; Estratégias relacionais e participativas; as contingências do social na arte; Documentação e exibição.

 

Pintura

Trata-se de familiarizar o estudante com aspectos estruturais da pintura, tanto técnicos como ópticos. A mesma familiarização, embora de carácter oficinal, será acompanhada pela consideração da dimensão histórica e estilística indissociável desses aspectos, e que competirá depois, ou em paralelo, a outras Ucs do currículo desenvolver e aprofundar. 

Os tópicos seguintes não são para entender senão como guias que ajudam a delimitar o itinerário de quem, tacteando, começa a familiarizar-se com o imenso território de uma história com 20.000 anos, do Paleolítico aos nosso dias. 1) A matéria da pintura: a tinta. 2) Contorno, deliberação, acidente e informalismo. 3) Fluidez e viscosidade. 4) Ingredientes da tinta: matéria colorante, aglutinante, dissolvente. 5) Transparência e opacidade. 6) Tinta e cor. 7) Tintas a água e a óleo. 8) Propriedades da cor: matiz, luminosidade e saturação. 9) Misturas subtractiva e aditiva. 10) Preto e branco. 11) Idiossincrasias das matérias colorantes, para aquém e além das teorias da cor. 12) Pincelada. 13) Pigmentos: manufactura de tintas. 14) Técnicas de representação realista. Perspectiva, sombras e reflexos. 15) Elementos de composição: perspicuidade e homogeneidade, centro e periferia, superfície e profundidade. Geometria. 16) Opções figurativas e não figurativas.

Bibliografia Obrigatória

Bell Julian; What is painting ?. ISBN: 0-500-28101-7
Bishop Claire 340; Participation. ISBN: 978-0-85488-147-5
LaBelle Brandon; Background noise. ISBN: 0-8264-1845-7
Foster Hal; Art since 1900. ISBN: 0-500-23818-9 69.76
Buskirk Martha; The^contingent object of contemporary art. ISBN: 0-262-52442-2
Campany David 340; Art and photography. ISBN: 0-7148-4286-9
Doherty Claire 340; Contemporary Art. ISBN: 1-904772-06-4
Drucker Johanna; The^century of artists. books. ISBN: 978-1-887123-69-3
Frieling Rudolf 340; The^art of participation. ISBN: 978-0-500-23858-5
Kwon Miwon; One Place After Another. ISBN: 0-262-11265-5 38.61
Rees A. L.; A^history of experimental film and video. ISBN: 0-85170-681-9
Rosenthal Mark; Understanding installation art. ISBN: 3-7913-2984-7
Sichel Berta 340; Primera generación. ISBN: 84-8026-308-3
Warr Tracey 340; The artist.s body. ISBN: 0-7148-3502-1
LICHT, Alan ; Sound Art: Beyond Music, Between Categories, Rizzoli, 2007
Nicolau, Ricardo; Campany, David; Fotografia na Arte: De ferramenta a paradigma, Público; Fundação de Serralves (Colecção de Arte Contemporânea Público Serralves, 2006
Schimmel, Paul; Out of Actions: Between Performance and the Object, 1949-1979, Thames and Hudson, 1998
Goldberg, Roselee; Performance Art: From Futurism to the Present (World of Art), Thames & Hudson, 2001

Bibliografia Complementar

Moure Gloria 340; Behind the facts. ISBN: 972-739-126-5
Costa, Luís e Costa, Rui; Three Years in Nodar: context-specific art practices in rural Portugal, Edições Nodar, 2011
Loock, Ulrich; A obra de arte sob fogo, Público; Fundação de Serralves (Colecção de Arte Contemporânea Público Serralves, 2004
Delcroix, Jean-Michel; Site of Sound: Of Architecture and the Ear, Errant Bodies Press, 2011
Loock, Ulrich; AnArquitectura, Público; Fundação de Serralves (Colecção de Arte Contemporânea Público Serralves, 2005
Todoli, Vicente (org.); Circa 1968, Museu de Serralves, 1999
Villel-Borja, Manuel (org.); Um teatro sem teatro, Macba/ Fundação de Arte Moderna e Contemporânea – Colecção Berardo, 2007
CASTRO, E.M. de Melo e; Hatherly, Ana ; PO.EX: Textos teóricos e documentos da poesia experimental portuguesa, Morais Editores, 1981
Goldberg Roselee; Performances. ISBN: 2-87811-168-0
Pearce.s Emma; Artists. materials. ISBN: 0-572-03146-7

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

Prática intensa em estúdio, de modo a proporcionar a criação constante de novas situações e problemas.  Aulas teórico-práticas com recurso a meios audiovisuais, textos e outros julgados convenientes. Visitas de estudo a exposições, participação em colóquios e outras actividades capazes de contribuírem para um alargamento efectivo do campo pedagógico.

Palavras Chave

Humanidades > Artes > Belas artes > Pintura
Humanidades > Artes > Belas artes > Artes plásticas

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída sem exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Participação presencial 100,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Frequência das aulas 288,00
Trabalho laboratorial 238,50
Total: 526,50

Fórmula de cálculo da classificação final

Serão valorizados na avaliação os seguintes factores: assiduidade; qualidade dos trabalhos desenvolvidos; capacidade de argumentação; cumprimento de prazos .

Melhoria de classificação

Mediante frequência no ano lectivo seguinte.
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2019-05-23 às 22:28:13 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais