Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > P411

Projeto

Código: P411     Sigla: P

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Artes Plásticas

Ocorrência: 2015/2016 - A

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Artes Plásticas
Curso/CE Responsável: Artes Plásticas

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
AP 99 Plano de estudos oficial 2011 4 - 24 272 648

Docência - Horas

Teorico-Prática: 8,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teorico-Prática Totais 3 24,00
Domingos Fernando da Silva Loureiro 8,00
Fernando Manuel Amaral da Cunha 8,00
Miguel Teixeira da Silva Leal 8,00

Língua de trabalho

Português - Suitable for English-speaking students

Objetivos

1 - Promover e consolidar, em ambiente pluridisciplinar, o envolvimento dos alunos em projetos de produção/criação autónomos;
2 - Diligenciar para que os referidos projetos dos diferentes Ramos designados de Escultura, Multimédia e Pintura, sejam devidamente articulados com metodologias que favoreçam o estudo dos fenómenos relativos às práticas artísticas contemporâneas;
3- Fomentar o exercício das práticas artísticas preferencialmente em função de uma experiência prática;
4- Consolidar competências ao nível do enunciado verbal e escrito, principalmente ao nível da resposta aos trabalhos de investigação teórica a solicitar pelos docentes e em resposta aos enunciados propostos pelo discente.
5- Avaliar o ganho de competências teórico e teórico-prático entretanto consolidados pelos alunos nos anos precedentes.

Resultados de aprendizagem e competências

O discente deverá ser capaz de construir e desenvolver um programa projectual, repondendo aos objectivos apresentados.

Modo de trabalho

Presencial

Programa

O programa para a Unidade Curricular de Projeto segue duas direções distintas: uma de natureza concetual, outra eminentemente pragmática.

Natureza concetual: 

1. O Programa para a Unidade Curricular de Projeto é naturalmente diverso, orientando-se para a realização de trabalhos de investigação autónomos no âmbito dos diferentes Ramos designados de Escultura, Multimédia e Pintura, respondendo a propostas apresentadas pelos alunos. O desenvolvimento da componente teórica e teórico-prática estará dependente do percurso proposto pelo discente e pela sua resposta adequada, salvaguardando abordagens que os docentes tomem por indispensáveis para o entendimento das práticas artísticas contemporâneas.
2-O Projeto individual de trabalho deverá descrever com clareza o âmbito da sua investigação, bem como os objetivos e etapas a desempenhar, tal como o seu enquadramento nos contextos dos diferentes Ramos designados de Escultura, Multimédia e Pintura e da arte contemporâneas.

Nivel Prático:
1- Pretende-se uma aplicação adequada da vertente tecnológica à proposta individual, fazendo recurso dos conhecimentos aprendidos, bem como a pesquisa e experimentação de novas tecnologias, permitindo a articulação com diferentes estruturas (académicas ou outras) que objetivamente se constituam como lugares de formação e que valorizem o envolvimento técnico e desenvolvimento de competências, promovendo o respetivo enquadramento cientifico/pedagógico.

2 - Esta metodologia consagra abertura com a envolvente social através de convénios, numa perspetiva de formação alargada dos nossos alunos nas vertentes concetual e prática.

Bibliografia Obrigatória

.; .

Observações Bibliográficas

Devido ao carácter particular dos programas individuais, torna-se difícil a sugestão de uma bibliografia principal, estando previsto acompanhar cada projeto com uma bibliografia própria, tendo por base, por exemplo as listas bibliográficas estudadas ao longo de todo o curso, dando principal ênfase para a correspondente à arte contemporânea.

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

1-    Em data a definir pelos docentes, o discente apresenta uma Proposta Preliminar relativa ao projeto individual de trabalho onde deverá fixar e enquadrar a natureza do projeto do ponto de vista conceptual e estratégico. Nele, devem ser explicitadas com a clareza necessária a natureza da abordagem, as técnicas, e os processos a utilizar, como ainda, as metodologias a desenvolver com vista à sua consumação. As propostas deverão incidir sobre o agir e o pensar dos diferentes Ramos designados de Escultura, Multimédia e Pintura, valorizando o contexto atual.

2 - Num segundo momento, o discente apresenta, nos prazos designados, Relatório Final relativo ao trabalho realizado no ano escolar, devidamente enriquecido por textos e suporte de imagens que se apresenta em suporte analógico e digital. 
3 - Caso exista pretensão de desenvolvimento do trabalho curricular em lugar diferente da FBAUP, o aluno deve, nos mesmos prazos, apresentar relatório de candidatura devidamente organizado, no qual fundamente as necessidades de aprendizagem tendo em vista a prossecução do enunciado artístico que se propõe realizar. 
4 - O acompanhamento/orientação do projeto individual de trabalho, decorrerá preferencialmente por dentro do horário definido para a disciplina. Ao docente compete coordenar e regular metodologias que respeitem e melhor interpretem as ideias inerentes a cada um dos diferentes projetos, orientando os alunos para bibliografia e experiências artísticas específicas. 
5 - O regime tutorial, se requerido, obriga sempre à frequência da disciplina em regime ordinário, e não interfere na avaliação, ou em qualquer decisão pedagógica/científica, a qual corre sob responsabilidade exclusiva do professor da disciplina. O tutor deve ser professor catedrático, associado ou auxiliar, ou personalidade de reconhecido prestígio no domínio das artes e/ou das ciências, sendo indispensável um elevado nível de competências teóricas e práticas inerentes aos diferentes Ramos designados de Escultura, Multimédia e Pintura

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída sem exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Defesa pública de dissertação, de relatório de projeto ou estágio, ou de tese 50,00
Participação presencial 10,00
Trabalho de campo 5,00
Trabalho escrito 15,00
Trabalho laboratorial 20,00
Total: 100,00

Obtenção de frequência

Classificação final igual ou superior a 10 valores.

Fórmula de cálculo da classificação final

1 - Tratando-se de uma disciplina anual, obrigatória e nuclear, a classificação final concordará com os resultados obtidos em cada um dos semestres, sem que se recorra obrigatoriamente a médias aritméticas. De resto, a primeira avaliação é qualitativa, de A a E, segundo parâmetros que concordam com o regulamentado no Regime de Estudos e de Avaliação da FBAUP;

2 - Segundo o aproveitamento dos alunos. Para o cômputo da classificação final entrará a assiduidade e responsabilidade do estudante perante as tarefas a que obriga o desenvolvimento do seu projeto, bem como a sua relação com os projetos dos seus colegas, a resposta às tarefas de pendor mais teórico, cumprimento de prazos e por fim, a natureza e competência na produção e instalação do(s) artefacto(s).

Avaliação especial (TE, DA, ...)

1 - Conforme o estipulado no Regulamento do regime de Estudos e de Avaliação da FBAUP, a avaliação às disciplinas teórico-práticas é contínua, sem prejuízo de combinação com outras modalidades de avaliação. A presença assídua às aulas (75 % das aulas previstas) deve assegurar informação qualitativa e quantitativa a qualquer momento, independentemente dos períodos fixados para a avaliação. A informação referida é assegurada através do desenvolvimento regular de trabalhos práticos e respetivo enquadramento de reflexão teórica. 
2 - Dadas as características da modalidade de avaliação contínua (avaliação distribuída sem exame final), são fatores de ponderação para a avaliação/classificação final, a natureza e originalidade do projeto, o desempenho e capacidade de produção, a apresentação/instalação, a argumentação, a adequação das propostas aos objetivos, a eficácia na utilização dos meios tecnológicos, a participação efetiva/presencial do aluno(a) nos espaços de oficina.
3 - De acordo com o disposto no ponto 4 do Art. 23 º do RREA (Unidades Curriculares teórico-práticas), "cabe ao regente das unidades curriculares teórico-práticas decidir sobre as condições excecionais que advêm da ausência objetiva de elementos com vista à fundamentação da primeira avaliação podendo, nestes casos, declarar inconsequente o regime de avaliação distribuída sem exame final e determinar tais condições de carácter eliminatório".
4 - Haverá para cada aula protocolo (registo dos alunos presentes na aula).

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2019-05-21 às 22:25:29 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais