Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres da U.Porto - Arnaldo Roseira

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

Arnaldo Roseira

Fotografia de Arnaldo Roseira / Photo of Arnaldo Roseira Arnaldo Roseira
1912-1984
Botânico, professor universitário e diretor da FCUP



Arnaldo Deodato da Fonseca Roseira, filho de Arnaldo Francisco Lopes Roseira e de Maria Amélia da Fonseca e Silva, nasceu em Nossa Senhora das Neves, São Tomé e Príncipe, a 29 de abril de 1912.

Em 1930 matriculou-se na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, onde foi professor entre 28 de março de 1936 e 29 de Abril de 1982 e fez toda a sua carreira académica na área da Botânica.

Fotografia de Arnaldo Roseira em jovem / Photography by Arnaldo Rosebush in youngDoutorou-se em 1944 com a tese "A flora de Trás-os-Montes e Alto Douro". Em 1949 concorreu ao lugar de professor extraordinário do 2.º grupo – Botânica -, da 3.ª secção – Ciências Histórico-Naturais - da FCUP, com Alfredo Andrade da Silva e Manuel Cabral Resende Pinto. Arnaldo Roseira, então 1.º assistente de Botânica e bolseiro do Instituto para a Alta Cultura, apresentou a dissertação "A Secção STOECHAS Gingins do Género LAVANDULA Linn", sendo aprovado em mérito absoluto juntamente com Manuel Pinto; em mérito relativo foi aprovado por maioria. Foi nomeado para o lugar pela portaria 3 de março de 1949, publicada no Diário do Governo, 2.ª série, n.º 65, de 2 de março. Tomou posse a 14 de abril de 1952 e, a 29 de março, foi reconduzido definitivamente.

No ano letivo de 1950-1951 fez um estágio em Montpellier com o patrocínio do Instituto para a Alta Cultura. Em 1952 e 1953 foi eleito delegado dos professores extraordinários ao Senado da Universidade do Porto, respetivamente para os anos de 1952-1953 e 1953-1954.

Esteve em serviço na missão científica de S. Tomé desde 3 de setembro de 1954, tendo-se apresentado ao serviço da FCUP em 30 de dezembro desse ano. Entre 13 de junho e 3 de julho de 1955 esteve de novo em missão oficial fora do país.

Trabalho académico «A Secção STOECHAS Gingins do Género LAVANDULA Linn» de Arnaldo Roseira / Academic work «A Secção STOECHAS Gingins do Género LAVANDULA Linn»Em Julho de 1957, com Manuel Cabral de Resende Pinto, realizou as provas de concurso para professor catedrático de Botânica, tendo, na ocasião, apresentado uma lição subordinada ao tema "Estudos Botânicos nas Ilhas de S. Tomé e Príncipe. Problemas fundamentais", no Salão Nobre da Faculdade de Ciências. Os dois candidatos foram aprovados em mérito absoluto, tendo Roseira também sido aprovado em mérito relativo. Ainda nesse ano, foi nomeado professor catedrático a 10 de agosto e tomou posse do lugar a 22 desse mês.

A sua carreira académica prosseguiu com brilhantismos. Entre 30 de junho de 1958 e 8 de junho de 1959, assumiu interinamente a direção do Museu e Laboratório Antropológico, anexo à FCUP. Ascendeu a diretor em 1969 e foi renomeado em 1970. Entretanto no ano letivo de 1958-1959 foi autorizado a deslocar-se a S. Tomé para integrar a campanha de prospeção botânica.

Em 1960 foi empossado no cargo de diretor do Instituto de Botânica "Dr. Gonçalo Sampaio", vinculado à mesma faculdade, sendo reintegrado nessa função em 1967 e 1970. Dirigiu igualmente o Jardim Botânico, de 1960 a 1974 e de 9 de janeiro e 29 abril de 1982, e a FCUP, entre 27 de abril de 1972 e 29 de abril de 1974 e foi também Presidente da Associação de Filosofia Natural da FCUP.

Foi aposentado compulsivamente em 1975 e reintegrado em 1976. Mais tarde, em 1982 foi nomeado definitivamente professor catedrático do 2.º grupo – Botânica, da 3.ª secção – Ciências Histórico-Naturais da FCUP (Diário da República n.º44 de, II série, de 22 de fevereiro de 1982).

Atingiu o limite de idade a 29 de abril de 1982.

Era casado com Maria Irene de Mariz Teixeira com quem teve 10 filhos: Arnaldo Eduardo, Maria Irene, António José, Maria do Céu, Augusto Duarte, Nuno Manuel, João Luís, Armando Jorge, Maria da Graça e Paulo Maria de Mariz Roseira.

Morreu no Porto a 8 de Março de 1984.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2012)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-07-15 Página gerada em: 2018-11-16 às 00:03:45