Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres U.Porto: Manuel Dias

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

Manuel Dias

Inexistência de fotografia Manuel Dias
1944-
Escultor e professor Universitário



Manuel Ferreira Dias nasceu em Anta, Espinho, a 16 de Dezembro de 1944.

A vocação para as artes despertou em tenra idade, pois ainda era criança quando alcançou diversos prémios em concursos de escultura de areia.

Entre o final da década de cinquenta e o início dos anos sessenta frequentou o curso de Pintura (1957-1961) e a Secção Preparatória para a admissão à Escola de Belas-Artes do Porto (1961-1962) na Escola de Artes Decorativas Soares dos Reis, tendo sido aluno dos artistas plásticos António Cruz e Isolino Vaz.

Em seguida, cursou Escultura na ESBAP (1962-1967) até ser incorporado no exército, em 1967. Como muitos jovens do seu tempo, recusou a mobilização e buscou refúgio na Europa. Primeiro, em Paris, onde se inscreveu na Escola Superior de Belas-Artes, e, no final do ano de 1967, nos Países Baixos, fixando-se em Haia e depois em Haarlem.

Escultor Carel VisserNa Holanda, passou a viver e a estudar sob o estatuto de refugiado político concedido pelo Alto-Comissário para os Refugiados da Delegação para os Países Baixos, beneficiando de uma bolsa de estudo.

Aconselhado pelo pintor Constant Mevwenhuis concorreu aos Ateliers 63 de Harlem, onde trabalhou sob orientação do escultor Carel Visser entre 1968-1971; este deu-lhe a conhecer materiais novos, como cobertores, esponjas, colas, poliésteres, etc. Aqui, teve oportunidade de contactar com uma nova forma de ensino artístico, apostada em conduzir o aluno a encontrar as suas próprias necessidades na formação de um conceito individual de criação artística.

Durante este período de tempo passado na Holanda, Manuel Dias produziu a instalação "Um percurso no chão", e várias obras para edifícios públicos como o Aeroporto de Schippol, em Amesterdão.

Regressado a Portugal após o 25 de Abril, Manuel Dias frequentou, em 1976, o Seminário intitulado "Algumas notas sobre design", orientado pelo Arquiteto Sena da Silva. No ano seguinte regressou à ESBAP para terminar o curso complementar de Escultura e, logo depois, assumir o lugar de Assistente Eventual do grupo de Escultura. Em 1979, passou a Assistente Além do Quadro nesta escola e, em 1981, a Professor Agregado do 6º Grupo.

O conhecimento e o interesse manifestado por materiais escultóricos pouco usuais em Portugal permitiu-lhe auferir de uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian (1978) para fazer investigação na área dos plásticos e derivados e, ainda, de um subsídio do Ministério da Cultura e Recreio Holandês para frequentar um curso intensivo sobre plásticos no Instituto de Investigação Plasticks-Werk-Plaats, em Delft.

Manuel Dias foi, também, equiparado a bolseiro para, em 1984, poder frequentar o Curso de Pós-Graduação na Slade School of Fine Arts, da University College of London, com o objectivo de criar uma disciplina de Cenografia.

Na ESBAP, além de lecionar Escultura, Desenho, Figura Humana, Medalhística e Tapeçaria), integrou júris de provas de agregação e de mestrado. Colaborou com a Universidade de Aveiro orientando e co-orientando teses de mestrado e de doutoramento e este tipo de colaboração tem-se estendido, também, à Escola de Tecnologias Artísticas de Coimbra, onde, desde 1984, tem trabalhado como docente e como planeador de cursos de Artes Visuais.

Ardina de Manuel Dias - PortoDe entre as esculturas da sua autoria podem salientar-se o actor/escultura "Ardina" (1992), uma peça em bronze colocada na Avenida dos Aliados junto à Igreja de Santo António dos Congregados, no Porto, que homenageia os velhos e hoje quase desaparecidos vendedores de jornais; uma obra cénica realizada para Vila Nova de Cerveira e o "Monumento ao 25 de Abril", concebido em mármore verde de Viana, em Espinho (1998).

A par da atividade pedagógica e da produção de escultura, Manuel Dias é autor de medalhas ("Medalha Comemorativa da elevação de Amarante a cidade"; "Medalha Comemorativa dos 70 anos das Tintas Cin"; "Medalha ao Professor Ribeiro Soares", Vila Meã; "Medalha alusiva à ARCA-ETAC" e "Medalha comemorativa dos 75 anos do Sporting Club de Espinho"), concebe espaços cénicos, figurinos e adereços vários para companhias de teatro, colabora com o Círculo Portuense de Ópera e com o Conservatório Regional de Gaia e produz cenários para programas televisivos.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2009)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-06-22 Página gerada em: 2019-02-16 às 22:24:14