Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page is not available in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres U.Porto: João Dixo

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

João Dixo

Fotografia de João Dixo / Photo of João Dixo João Dixo
1941-2012
Pintor e professor



Manuel João Ribeiro Dixo, filho de Manuel Maria Claro Dixo e de Maria Helena Fernandes Ribeiro, nasceu em São Dinis, Vila Real, a 22 de outubro de 1941.

Fotografia de João Dixo (jovem) / Photo of João Dixo (young)Terminou o curso de Pintura da Escola Superior de Belas Artes com 20 valores (1961-1966).
Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian durante o curso e também em Paris (1975-1977), onde desenvolveu o projeto de investigação Convenção Coletiva X Consciência Individual.
Fez o curso de Ciências Pedagógicas da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Foi professor do Círculo de Artes Plásticas da Associação Académica de Coimbra (1955-1975), docente de Desenho do Centro de Artes Plásticas de Coimbra (a partir de 1967), responsável pelo Grupo de Desenho do Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (1986-1988), diretor da A.R.C.A. / E.T.A.C. (Escola Universitária das Artes de Coimbra) e responsável pela Licenciatura de Pintura; foi professor da ESBAP e da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, entre 1973 e 1997 (professor agregado desde 1981).

DST - 12.2, João Dixo / DST - 12.2 by João DixoNos anos setenta, começou a participar, de forma coletiva ou individual, em mostras e festivais de Arte e de Performance, em Portugal e no estrangeiro. Subscreveu o Manifesto de Vigo, foi membro fundador do Grupo Puzzle, membro de La Jeune Peinture e co-fundador da Bienal de Vila Nova de Cerveira.

Encontra-se representado nas coleções do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa), do Museu Nacional de Soares dos Reis e do Museu de Arte Contemporânea de Serralves (Porto), da Fundação Cupertino de Miranda (Vila Nova de Famalicão), do Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (Amarante), do Museu José Malhoa (Caldas da Rainha), do Museu de Ovar, do Fórum da Maia, das câmaras municipais de Vila Real, de Vila Franca do Campo e de S. Miguel (Açores), da Caixa Geral de Depósitos, do Banco de Portugal, da Companhia Portuguesa do Cobre, etc.

Fez encomendas públicas de grandes dimensões para o Instituto Português de Oncologia do Porto, o Centro de Saúde de Montalegre, a Fábrica Flor do Campo (Santo Tirso), a Companhia Portuguesa do Cobre (Porto), a Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, a Igreja matriz de Ponta Garça (S. Miguel, Açores) e a empresa Gec Alsthon.

Faleceu a 6 de agosto de 2012. A cerimónia fúnebre teve lugar na Igreja de Santo António dos Olivais, em Coimbra, e cinzas forma depositadas em Vila Real.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2014)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-08-11 Página gerada em: 2018-12-13 às 05:13:53