Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres U.Porto: Jaime Azinheira

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

Jaime Azinheira

Fotografia de Jaime Azinheira Jaime Azinheira
1944-2016
Escultor, pintor e professor universitário



Os velhos de Jaime AzinheiraJaime Miranda Azinheira nasceu em Peniche no ano de 1944.

Em 1980 concluiu o curso de Escultura na Escola Superior de Belas Artes do Porto com a média de 16 valores. A partir desta altura, começou a expor.

Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian (entre 1964 e 1965 e no início dos anos oitenta) e, em 1979, principiou uma carreira docente, de início no Ensino Preparatório (1979/1984), depois na ESBAP, onde lecionou design de Comunicação e Desenho, entre outras disciplinas, e se doutorou.

A sua primeira exposição individual de escultura, intitulada "Serões – cinco histórias em três dimensões", foi realizada na Cooperativa Árvore, no Porto, em 1982.

O Beijo de Jaime AzinheiraEste artista produz esculturas de vincado desenho, feitas em materiais normalmente frágeis e com uma técnica original de moldagem, criando singulares e cenográficos objetos artísticos, muito expressivos, volumosos e até mesmo monstruosos, mas profundamente humanos. Exemplo disto mesmo são as esculturas "Scarface", uma obra em papel com vinilica e pintura acrílica, mostrada na segunda exposição individual do autor na Cooperativa Árvore (1986), "O Beijo", em gesso policromado (1982), obra que pertence ao Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, e "Jornal" (1984), escultura em gesso policromado, propriedade da colecção da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

Jaime Azinheira também fez cenografias destinadas a peças de teatro, como as de Carlo Gozzi e Boris Vian, para os Comediantes do Porto e para o TEUC (Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra), respetivamente, e protagonizou o filme "Saudade", para a RTP, sobre o mestre Soares dos Reis, integrado na série "Outonos" e dirigido por Francisco Manuel Manso Gonçalves de Faria. Este filme retrata a vida e obra de quatro vultos da cultura portuguesa que escolheram o suicídio (além de Soares dos Reis, Mário de Sá Carneiro, Antero de Quental e Florbela Espanca). Jaime Azinheira ajudou a fundar os "Artistas de Gaia" e também se dedicou ao Design de equipamento e de comunicação.

Obteve uma menção honrosa na III Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira (1982) com a escultura "A Sueca", o Prémio de Escultura com "Taberna", na IV Bienal de Cerveira (1984) juntamente com Clara Menéres, obra que integra a coleção da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, e o Prémio Garrett de Teatro, da Secretaria de Estado da Cultura (1988), pela cenografia da peça "Pássaro Verde", representada pelos Comediantes do Porto.

Homem T-7 de Jaime AzinheiraAzinheira participou em várias exposições em Portugal (Cooperativa Árvore, Bienais Internacionais de Arte de Vila Nova de Cerveira, Galeria Almada Negreiros, Bienal de Escultura de Óbidos, Centro Cultural do Minho, por exemplo) e no estrangeiro e encontra-se representado na Biblioteca-museu de Vila Nova de Gaia, na Casa-Museu Teixeira Lopes, em Vila Nova de Gaia, na Fundação de Serralves, Porto, no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, na Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, no Clube Náutico Caminhense e em coleções particulares.

Morreu a 4 de janeiro de 2016 no Porto.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2010)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-01-05 Página gerada em: 2019-01-23 às 10:12:09