Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page is not available in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres U.Porto: Camilo Korrodi

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

Camilo Korrodi

Fotografia de Camilo Korrodi / Photo of Camilo Korrodi Camilo Korrodi
1905-1985
Arquiteto



Vila Hortênsia, LeiriaErnesto Camilo Korrodi nasceu em Leiria a 8 de março de 1905. Era filho do arquiteto Ernesto Korrodi (1870-1944), de origem suíça naturalizado português, e de Quitéria Maia, professora do ensino primário.
Viveu em Leiria na vila Hortênsia, projetada pelo pai.
Fez os estudos primários, liceais e industriais em Leiria.

Iniciou os estudos em Arquitetura na Universidade de Lisboa, que depois veio a concluir na Escola de Belas Artes do Porto, que frequentou entre 1925 e 1931.

Café Imperial, PortoEm 1929 participou no concurso da Companhia de Seguros “A Mundial”, com Ricardo Spratley (1905-1932), obtendo 1.º e 2.º prémios. Casou com Susana Bouhon, com quem veio a ter três filhas, e regressou a Leiria.
Nesta cidade trabalhou com o pai, com quem riscou, entre outras obras, o Portal do Parque da Cidade (Leiria, 1930), o Café Imperial (inaugurado no Porto em 1935), o Cine-teatro de Alcobaça e o Cine-teatro de Castelo de Vide (ambos projectados nos anos 40).
Paralelamente ensinou na Escola Industrial Domingos Sequeira e exerceu o cargo de arquiteto municipal de Leiria.

Em 1931 participou na I Exposição dos Arquitectos do Norte, no Palácio da Bolsa. Neste certame apresentou com o pai os projetos de uma igreja para a cidade do Porto e de um parque recreio na margem do Liz (Leiria); e com Ricardo Spratley o monumento a Carvalho Araújo, um circo, um club para oficiais de marinha, um hospício na montanha e casas de habitação.

Depois da morte do pai (1944), retomou o ateliê e passou a trabalhar por conta própria, até meados dos anos 60, altura em que se associou-se ao arquiteto Célio Cantante.
Deixou vasta obra em Leiria como o Edifício Álvaro Salgueiro Órfão (anos 40), o edifício da Garagem Ford, com residências para os trabalhadores; a Casa dos Magistrados (1956) e a Casa Sarreira Pena na Avenida Marquês de Pombal, e o Edifício Rocha Marques (1950) na rua Dr. José Jardim. Fora da cidade, é autor da Garagem Capristanos, inaugurada em 1949 nas Caldas da Rainha, considerada ao seu tempo uma luxuosa central rodoviária; das gares rodoviárias da Nazaré e de Alcobaça, do Edifício n.º88 da rua rei da Memória, em Alcobaça, etc.
Também trabalhou as câmaras municipais de Peniche, de Pombal, da Marinha Grande, de Alcobaça e das Caldas da Rainha, além da de Leiria.

Morreu a 7 de janeiro de 1985.

Em Leiria dá nome a um arruamento - a rua Camilo Korrodi - e ao Prémio Korrodi (instituído em 2003 e destinado a reabilitação de imóveis degradados) que o homenageia não só a si, mas também a seu pai.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2014)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-05-11 Página gerada em: 2019-03-21 às 23:02:21