Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres U.Porto: Alexandre Pinheiro Torres

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

Alexandre Pinheiro Torres

Fotografia de Alexandre Pinheiro Torres / Photo of Alexandre Pinheiro Torres Alexandre Pinheiro Torres
1923-1999
Professor, escritor, crítico literário e tradutor



Fotografia de Amarante / Photo of AmaranteAlexandre Maria Pinheiro Torres nasceu em Amarante a 27 de Dezembro de 1923. Era filho de João Maria Pinheiro Torres e de Margarida Francisco da Silva Pinheiro Torres.

Fez o bacharelato em Ciências Físico-Químicas na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e, posteriormente, licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas na Universidade de Coimbra.

Viveu em Amarante, na Póvoa de Varzim, em Lisboa, no Porto, na Ilha de S. Tomé e em Coimbra. No período que passou nesta última cidade conviveu com grandes poetas do seu tempo que viram parte da sua obra poética reunida no Novo Cancioneiro.

Capa da publicação Espingardas e Música Clássica, de Alexandre Pinheiro Torres / Cover of the publication Espingardas e Música Clássica, by Alexandre Pinheiro TorresFoi professor do ensino secundário, escritor (poeta e romancista) e colaborador em várias publicações periódicas como a Seara Nova, a Gazeta Musical e de Todas as Artes, O Jornal de Letras e Artes e Ideias, a revista A Serpente, que ajudou a fundar. Também se dedicou à História da Literatura, à crítica literária e à tradução de muitas obras estrangeiras, nomeadamente de autores consagrados, como Ernest Hemingway e D. H. Lawrence.

Em 1965 foi nomeado membro do Júri do Grande Prémio de Ficção, da Sociedade Portuguesa de Escritores, no qual propôs a atribuição desse galardão ao livro Luuanda, da autoria de Luandino Vieira, que se encontrava preso no Tarrafal, acusado de terrorismo. Esta decisão política e cultural precipitou a sua prisão, juntamente com mais 4 membros do júri, e a proibição de ensinar em Portugal, empurrando-o para o exílio. Mas esse facto, para Alexandre Pinheiro Torres, foi motivo de grande orgulho.

Fotografia da Universidade de Cardiff / Photo of Cardiff UniversityNesse ano de 1965 recebeu vários convites para lecionar no estrangeiro. Acabou por aceitar a proposta da Universidade de Cardiff, no País de Gales, onde foi bem recebido, em especial pelo professor Stephen Reckert, figura que o marcou profundamente. Aí criou, em 1970, a cadeira "Literatura Africana de Expressão Portuguesa", a primeira deste tipo em universidades britânicas, e fundou, em 1976, o "Departamento de Estudos Portugueses e Brasileiros".
Só regressou ao país de origem de passagem ou em férias.

Morreu a 3 de Agosto de 1999, vítima de doença prolongada, já aposentado da Universidade de Cardiff, onde deixou um inextinguível testemunho de vida e de profissionalismo.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2008)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-01-12 Página gerada em: 2018-12-15 às 19:17:47