Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Viver no Porto

Viver no Porto

A cidade do Porto situa-se no Norte de Portugal, na margem direita do rio Douro. É a segunda maior cidade do País, inserida numa zona urbana com mais de 1,3 milhões de habitantes. A passagem para a outra margem do rio (Vila Nova de Gaia) é feita através de quatro pontes rodoviárias (Arrábida, Freixo, tabuleiro inferior da ponte Luiz I e Infante) e duas pontes ferroviárias (S. João e D. Maria – esta já desactivada e considerada monumento histórico). Cidade caracterizada pelo granito, que faz dela uma cidade “com carácter”, goza de um clima temperado, embora bastante húmido.

A área que constitui hoje o Porto é habitada desde tempos pré-históricos, tendo por aí passado romanos, iberos, celtas, suevos, visigodos e mouros (embora a influência destes tenha sido muito mais notada a sul do país).

Na história nacional, o Porto distingue-se pela sua luta pela independência e pelo amor à liberdade. O liberalismo, a liberdade e o patriotismo sempre foram valores muito caros aos portuenses. A própria designação de “tripeiros” pela qual os portuenses são conhecidos provém de uma dessas manifestações de amor à pátria: ao ajudarem a equipar a armada que saiu do Douro para a conquista de Ceuta, no séc. XV, os habitantes do Porto cederam toda a carne que possuíam para abastecimento das naus, reservando para si as tripas. Daqui surgiu o prato mais típico da gastronomia local, “tripas à moda do Porto”.

Com uma forte e dinâmica burguesia responsável pelo epíteto de “Cidade do Trabalho”, o Porto sempre foi uma cidade comercial. O seu principal produto de exportação foi e é o vinho do Porto, que permitiu a renovação da velha cidade, através da construção de novas estradas e edifícios, numa afirmação da riqueza burguesa de então.

A riqueza histórica da cidade é atestada pelo labirinto de ruas estreitas e tortuosas da época medieval e pelos seus inúmeros monumentos, desde a Sé Catedral ao Palácio da Bolsa, passando pelas suas igrejas, museus e numerosas moradias particulares. Influenciada pela irrefutável riqueza histórica e monumental, pela beleza da cidade e pela renovação social e urbana em constante desenvolvimento, nomeadamente nas zonas mais antigas e degradadas, em 1996 a UNESCO conferiu ao Porto o estatuto de “Cidade Património Mundial”, demonstrando a vitalidade cultural e social da cidade, também atestada pela existência de várias Universidades, academias de arte, conservatórios de música, museus e galerias.

Esta vitalidade valeu à cidade a honra de ser nomeada, em conjunto com Roterdão, Capital Europeia da Cultura 2001: implementaram-se grandes projectos, procurando incentivar um maior dinamismo cultural para o futuro, bem como dar continuidade à renovação urbana já em curso há alguns anos.

Por tudo isto, a cidade conquistou o seu lugar entre os seus pares europeus como um local de trabalho, ciência, cultura e lazer...

Vir ao Porto significa viver uma experiência única: apreciar a leve neblina matinal, durante um percurso pela marginal de manhã, em dias de sol, que dá à cidade uma tonalidade azulada; o agradável almoço na Praça da Ribeira, junto ao cubo e aos pombos; uma tarde bem passada, graças a um passeio a pé pela zona histórica (património mundial) e pelos parques da cidade; assistir ao pôr-do-sol numa das esplanadas da foz; jantar num dos tradicionais restaurantes da cidade; à noite, saltar de bar em bar ou acabar a noite numa das discotecas da cidade ...

Apesar de ser conhecido como “cidade do trabalho” e pela qualidade da sua Universidade, o Porto também tem áreas de lazer, complementando a qualidade de vida na cidade.

Por isso, quem vem ao Porto uma vez vai querer voltar ...

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2009-03-05 Página gerada em: 2018-07-19 às 12:51:28