Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Governação > Conselho de Curadores da U.Porto: Currículo

Governação

Conselho de Curadores da Universidade do Porto

Currículo


Fotografia do Dr. António Portela António Portela

Licenciado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e MBA Executivo da Porto Business School, iniciou a sua atividade profissional na farmacêutica Roche, no Reino Unido, onde foi Delegado de Informação Médica e analista de Mercado para as Unidades de Negócio de oncologia e hematologia.
Foi responsável pela Roche European Business Platform e, ainda na Roche no Reino Unido, foi Gestor de Produtos da Hepatite C.
Desde 2004 integrou a empresa BIAL como Diretor Adjunto de Marketing para Portugal. Em 2007 integrou o Conselho de Administração da Bial, assumindo durante 3 anos a Direção Geral da Área Internacional, tendo sido responsável pela expansão do negócio e pela entrada do grupo BIAL em novos países; coordenação dos lançamentos de novos produtos a nível internacional e dirigiu também a definição estratégica das atividades de Bial no mercado espanhol, um dos maiores mercados da indústria farmacêutica a nível mundial. Desde janeiro de 2011 assume as funções de CEO da BIAL, marcando a chegada da quarta geração da família à frente do maior grupo farmacêutico português, fundado em 1924 pelo seu bisavô Álvaro Portela.
Cargos que exerce: membro do Board da EFPIA (European Federation of Pharmaceutical lndustries and Association) - junho 2017; membro do júri do Prémio PME Inovação COTEC -BPI - outubro 2015; vogal do Conselho de Administração da MAPFRE Seguros Gerais, S. A. - julho 2015; vogal do Conselho Geral da AEP (Associação Empresarial de Portugal) - maio 2014; membro do Comité para o Comércio e Investimento Externo da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) - abril 2013.
Outros cargos que exerceu: vogal do Conselho de Administração da Fundação AEP (Associação Empresarial de Portugal) - novembro 2009 a abril 2013; membro do Conselho Geral da Porto Business School - outubro 2009 a maio 2015; vice-presidente da ANJE (Associação Nacional de Jovens Empresários) - outubro 2013 a dezembro 2016; conselheiro do CES (Conselho Económico e Social) - outubro 2013 a dezembro 2016; vice-presidente do Conselho Geral da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) - março 2014 a dezembro 2016.


Fotografia da Drª Eugénia Aguiar Branco Eugénia Aguiar Branco

Licenciada em Ciências Históricas pela Universidade Livre do Porto e pós-graduada em Gestão Cultural pela Escola de Gestão do Porto, Porto Business School.
Iniciou a sua atividade profissional como docente no departamento de História na ULP e, posteriormente, na Universidade Portucalense.
É diretora-geral da Fundação Eng. António de Almeida tendo-a representado em conselhos gerais, consultivos e de representantes de várias organizações, salientando -se o Centro Português de Fundações, a Comissão Nacional da Unesco, a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, o Círculo Dr. José de Figueiredo e, ainda, no European Foundation Center.
É Académica Correspondente da Academia Portuguesa da História.


Fotografia do Engº José Manuel dos Santos Fernandes Manuel Ferreira de Oliveira

Licenciado pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) em 1971, ano em que iniciou a sua atividade de docente e investigador na área de Energia na mesma Faculdade. Depois de ter concluído os programas de mestrado e doutoramento em Energia na Universidade de Manchester (UMIST) em 1976, concluiu provas públicas de Agregação em 1978 na FEUP, onde foi nomeado Professor Catedrático em 1979.
Em 1980 inicia a sua atividade na Indústria Petrolífera internacional, tendo assumido responsabilidades operacionais, de coordenação e de gestão ao serviço da empresa petrolífera verticalmente integrada Lagoven SA, a principal filial operacional de Petróleos da Venezuela, SA.
Em 1987 é transferido para Londres onde assume a responsabilidade de Diretor-Geral do Projeto Orinoco em 1989 é nomeado como CEO da BP Bitor, SA – uma parceria entre a BP e a Lagoven, SA para o desenvolvimento da Faixa Petrolífera do Orinoco.
Em 1995 regressa a Portugal para assumir a Presidência Executiva da Petróleos de Portugal - Petrogal, SA, função que ocupa até 2000, ano em que assume a Presidência Executiva da Unicer, SA até 2006. Em 2006 regressa à indústria petrolífera para assumir a Presidência Executiva da Galp Energia até 2015.
Durante a sua carreira académica e profissional foi condecorado com a Ordem Francisco Miranda em 1995 e com a Grã-Cruz da Ordem de Mérito em 2005 concedidas, respetivamente, pelos Srs. Presidentes da República de Venezuela e de Portugal. Em 2011 e em 2013, foram-lhe concedidos os graus de Doutor Honoris Causa, respetivamente, pelas Universidades de Lisboa e de Aveiro.
Tem integrado os órgãos sociais de múltiplas instituições, fazendo referência especial à sua participação no Senado da U.Porto (2002-2005) e no primeiro Conselho Geral da U.Porto (2010-2013), do qual foi Vice-Presidente.


Fotografia do Dr. Miguel Cadilhe Miguel Cadilhe

Miguel Cadilhe nasceu em Barcelos, fez a escola e o liceu na Póvoa do Varzim, vive no Porto.
Licenciou -se na Faculdade de Economia da Universidade do Porto com a melhor classificação de 1968, aqui lecionou Macroeconomia, Estatística, Econometria, Matemática Financeira, Investigação Operacional, etc., publicou lições, e integrou a Comissão de Reestruturação de 1977.
Investigou política macroeconómica na LSE, London School of Economics, em 1981-82. Foi professor catedrático convidado da Universidade Católica, no Porto, onde lecionou economia politica e políticas públicas, em 2006 a 2011.
Cumpriu serviço militar de outubro 1969 a março 1973.
Integrou e dirigiu o gabinete de estudos económicos e financeiros de um dos maiores bancos portugueses (BPA), no Porto, entre 1973 e 1985, abrangendo as áreas de economia portuguesa, macroeconomia e análise da conjuntura (Boletim Conjuntura), análise de empresas e central de balanços (Indicadores Setoriais da Central de Balanços). Foi diretor, administrador e presidente de bancos (BPA, BFE, BBI, BCP, BII, BPN) e de empresas (API, Espaço Atlântico que fundou o IESF, Praemium, BPA Vida, etc., …). Foi membro de conselhos fiscais.
Foi presidente da Fundação Portugal África (criada pelo BFE, durante a sua administração) e da Fundação Rei Afonso Henriques (responsável pela candidatura do Alto Douro Vinhateiro a Património da Humanidade). Ajudou a criar várias ligas e associações e fez parte dos seus órgãos sociais (APDMC, FDLJR, LADPM, LAHSJ, CLABL, …).
Atualmente colabora pro bono com entidades ligadas à cultura, à benemerência ou à economia, como membro de conselhos consultivos e conselhos fiscais. Integra igualmente conselhos editoriais de revistas de análise económica e política.
Foi e é consultor de empresas e associações, nomeadamente em avaliações de projetos e partes sociais. Foi secretário de Estado do Planeamento em 1980 e ministro das Finanças entre fins de 1985 e inícios de 1990.
Debruça-se sobre temas da realidade nacional, matérias de docência e outros assuntos, em livros, artigos e relatórios, de entre os quais: Teoria dos conjuntos (coautoria, 1964); Investigação operacional (coautoria, 1968, prémio UP); Lições de Matemática Financeira (livro, coautoria, 1969, reedições até 1988); Financiamento obrigacionista da empresa portuguesa (1970); Arranque da inflação portuguesa (1972); Acordo comercial Portugal Mercado Comum (livro, coautoria, 1973); Plano de aulas de Estatística (1974); Estratégia do sector do calçado (coautoria, APICCAPS, 1978?); Regeneração da economia portuguesa (AEP, 1984); Matemática financeira aplicada (livro, 1984, reedições até 1998); Portuguese external deficit and strategy of the humps (1984); Estratégia macroeconómica para Portugal (1985); Ao sabor da estratégia (livro, 1987); Factos e enredos, quatro anos no Ministério das Finanças (livro, 1990); Luzes e sombras da UEM (1990); Tempos e modos de Portugal na UEM (1991); Matematismos na economia e na gestão (1991); Política de dividendos e dupla tributação (1991); Eficiência empresarial dos têxteis portugueses (1992); Controlo parlamentar das finanças públicas (1996); Recessão e défices públicos (1997); Ministério das Finanças e Tribunal de Contas (2000); Fronteiras das funções do Estado (2005); Enquadramento político da Reforma Fiscal de 1988/89 (2005); Poemas da minha vida (livro, antologia, 2005); Portugal e o novo Pacto de Estabilidade e Crescimento (2006); Finanças da descentralização política (2006); Reforma conceitual e administrativa do Estado (2007); Razões da descentralização política (2011); Políticas contra o desmazelo florestal (2012); Sobrepeso do Estado em Portugal (livro, 2005, 2013); Prémio de hostilidade coativa – artigo 490.º do CSC (2015, no prelo). Em jornais: Escudo precoce (1992); Série de 25 artigos no Expresso (2007); Razões da descentralização política (2010); PEC 2010/2013 em doze breves notas (2010); Resgatar a honra e o futuro (2011); Imposto patrimonial solidário «one shot» (2012); Reforma do centralismo (2013); Contra-guião da reforma do Estado (2013); Série de 23 artigos no JN (2014); Etc.
Recebeu diversos prémios escolares e profissionais. Foram-lhe atribuídas as grãs-cruzes das ordens do Mérito de Portugal e do Cruzeiro do Sul do Brasil, e a Medalha de Mérito, grau ouro, da cidade do Porto.


Fotografia da Drª Odete Maria Alves da Silva Patrício Odete Maria Alves da Silva Patrício

Odete Maria Alves da Silva Patrício, residente no Porto, obtém a licenciatura em Economia no ano de 1977, pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e detém uma Pós-Graduação em Análise Financeira, da mesma Faculdade, em 1989/90.
Iniciou a sua atividade profissional em 1979 nos Laboratórios Bial como Assessora do Presidente do Conselho de Administração, no Gabinete de Análise Económica (GAE), gabinete este de que foi a primeira titular.
Em 1982, transitou para o BPA - Banco Português do Atlântico, onde trabalhou como analista financeira no Gabinete Central de Análise Económica e Financeira e avaliou grandes projetos de investimento, de que se destacam o estudo da viabilidade do primeiro Hipermercado Continente e do primeiro empréstimo obrigacionista do Grupo Sonae; mais tarde, entre 1986 e 1989, assumiu a função de Investment Adviser e Dealer no Mercado de Capitais na Direção Financeira - Investimento Institucional Estrangeiro, assegurando os contactos permanentes com algumas das maiores casas de Investimento Internacional, nomeadamente Morgan Stanley, Warburg Asset Management, Shearson Lehman, Fidelity Investments, Bear Sterns Asset Management, Credit Suisse First Boston, entre outros.
Foi, entre 1989 e 1991, Diretora-Geral da Companhia Portuguesa de Gestão de Fundos de Investimento Mobiliário (CPG - FIPOR), onde foi responsável pela criação, lançamento e gestão de fundos de investimento mobiliário.
Em outubro de 1991, assume a função de Diretora-Geral da Fundação de Serralves, até janeiro de 2017. No âmbito das suas funções, destaca-se a representação hierárquica do Conselho de Administração junto dos restantes órgãos da Fundação, a responsabilidade pela prossecução dos seus objetivos estratégicos e operacionais e gestão global da Fundação, assegurando o seu regular funcionamento institucional, em todas as suas vertentes, programáticas, operacionais, financeiras, legais e fiscais, de comunicação e marketing, comerciais e mecenáticas, patrimoniais e humanas, através de uma gestão rigorosa, eficaz e eficiente.
No âmbito das suas funções, liderou a criação da 1ª Incubadora de Industrias Criativas em Portugal e da ADDICT – Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas, outubro de 2008. Entre abril de 2009 e junho de 2011 foi Presidente do Conselho Geral do Politécnico do Porto (P.PORTO).
Desde janeiro de 2000 até dezembro de 2010, integrou a Direção da Associação de Antigos Alunos da Faculdade de Economia do Porto (AAAFEP). Foi Membro do Conselho Consultivo do Programa de Ignição para as Industrias Criativas do Portugal Ventures, entre 2014 e 2016. Foi Membro do Conselho Científico da Fundação Marques da Silva até dezembro 2017. Foi distinguida em outubro de 2010 como Profissional do Ano pelo Rotary Club do Porto.
Na presente data: é membro do Conselho de Curadores da Universidade do Porto, desde fevereiro de 2014; é vereadora na Câmara Municipal do Porto, eleita nas listas do Partido Socialista, cargo que exerce a partir de 25 de outubro de 2017, sem pelouro; é membro do Conselho Fiscal da Fundação Casa da Música a partir de maio de 2018; é Consultora, em regime de profissão liberal, em organismos públicos e privados; tem sido palestrante convidada em várias prestigiadas instituições e tem publicado textos em edições da especialidade.


Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2019-01-23 Página gerada em: 2019-02-20 às 22:23:52