Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page is not available in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Recursos e Serviços > Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe da U.Porto

Recursos e Serviços

Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe da U.Porto

Nesta página apresentamos algumas ações levadas a cabo na preparação de um Plano de Contingência para uma eventual pandemia de gripe.

Pode consultar o documento o documento (atualizado) que serve de base à estruturação do plano em curso.

Inquérito aos Estudantes

De modo a que o Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe da Universidade seja adequado às necessidades de todos, foi necessário conhecer os hábitos e as rotinas dos estudantes da U.Porto:
O inquérito aos estudantes (sobre local de residência, meios de transportes utilizados, sistemas de informação e comunicação de que dispõem em tempo de aulas e algumas questões genéricas de saúde) permitiu uma melhor caraterização dos alunos e respetivas necessidades.

Os principais resultados deste estudo podem ser consultados neste documento.

A U.Porto no GripeNet

A Universidade do Porto aderiu ao projeto Gripenet, um sistema online de monitorização da gripe sazonal.

Neste sistema, desenvolvido por investigadores do Instituto Gulbenkian de Ciência, foi criada uma entrada própria para a população da Universidade do Porto (estudantes, professores e funcionários) que contribui para criar o retrato da situação gripal da população da U.Porto, para além de contribuir para a amostra nacional.

A equipa, na Universidade do Porto, responsável pelo desenvolvimento e coordenação do Plano de Contingência para uma eventual pandemia de gripe tem ao seu dispor, dessa forma, uma ferramenta preciosa para trabalhar as medidas preventivas.

Os resultados são disponibilizados à universidade, mantendo-se os princípios da confidencialidade (anonimato dos participantes).

Como participar?

Visite o site www.gripenet.pt e inscreva-se. Irá receber por e-mail a confirmação da sua inscrição, acompanhada da sua senha pessoal e, caso deseje, uma newsletter semanal com notícias sobre a gripe, os vírus e outras curiosidades científicas. Depois, é só preencher um pequeno questionário de sintomas, que dará informações pertinentes para a monitorização da gripe, em tempo real. Importante: mesmo que não esteja doente, deverá preencher o questionário. Pode ainda, facilmente, declarar os sintomas dos seus filhos ou de idosos a cargo. A recolha de dados decorre de novembro a abril.
Para que os resultados obtidos possam dar suporte às iniciativas de prevenção da gripe no campus universitário é muito importante a participação de todos.

Inscreva-se. Ajude a parar a gripe.

A Ação Piloto na FPCEUP

No âmbito da preparação do Plano de contingência para a pandemia de gripe da U.Porto, é pertinente a implementação de medidas não farmacológicas de controlo de infeções respiratórias nas instituições da U.Porto.
Foi proposto pelo grupo de preparação do referido Plano de Contingência testar estas medidas não farmacológicas de controlo de infeções respiratórias numa das Faculdades da Universidade durante a época gripal 2006/07.

A Faculdade escolhida como piloto foi a Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação (FPCEUP).
As medidas implementadas na ação piloto tiveram como objetivos:

  • Aumentar o conhecimento da população da FPCEUP relativamente às doenças respiratórias transmissíveis, em particular a gripe, e sobre as medidas mais relevantes na sua prevenção;
  • Contribuir para a mudança de atitude da mesma população relativa a normas de controlo da infeção relacionadas com higiene pessoal e das instalações, bem como a normas de distanciamento social em caso de gripe sazonal.

As atividades empreendidas basearam-se:

  • Na constituição de uma equipa coordenadora local;
  • Na formação de sala sobre gripe, modos de transmissão e medidas de controlo de infecções respiratórias, que tinha, como população alvo, toda a população da Faculdade e que foi avaliada através de um questionário elaborado especificamente para o efeito aplicado antes e depois desta formação;
  • Na elaboração e afixação de cartaz alusivo à formação supracitada.
  • No diagnóstico de situação das instalações quanto a condições e material necessário para as medidas de prevenção da transmissão de infeções respiratórias, através de um formulário de avaliação construída para o efeito;
  • Na formação dos funcionários de limpeza com o objetivo de reforçar a formação aos responsáveis pela execução de serviços de limpeza das instalações, em particular chamando a atenção para pontos críticos que habitualmente são esquecidos como, por exemplo, teclados ou "ratos" de computador, telefone, puxadores ou corrimões;
  • No aconselhamento sobre o procedimento correto a adotar em caso de infeção respiratória.

Pode consultar o relatório final desta ação desenvolvida na FPCEUP.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2017 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2014-03-24 Página gerada em: 2017-08-22 às 19:38:09