Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres U.Porto: Manuel Pereira da Silva

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

Manuel Pereira da Silva

Auto-retrato de Manuel Pereira da Silva Manuel Pereira da Silva
1920-2003
Escultor



Fresco «A Paixão de Cristo» na Igreja de Santa Luzia em Viana do CasteloManuel Pereira da Silva nasceu no lugar das Portelas, na Rua 14 de Maio, em Vila Nova de Gaia, no dia 7 de Dezembro de 1920.

Em Outubro de 1928 iniciou a vida de estudante na Escola Primária de Cabanões. Depois de ter realizado o exame de 2º grau na Escola das Palhacinhas, o pai matriculou-o na Escola Industrial Faria Guimarães (atual Escola Secundária Artística de Soares dos Reis), nas oficinas de marcenaria. No ano seguinte, transferiu-se para o curso de Desenho.

Concluídos os estudos secundários, matriculou-se na Escola Superior de Belas-Artes do Porto, em 1939. Nesta Escola, foi aluno de Joaquim Lopes, Acácio Lino e Rodolfo Pinto Couto, e colega de Arlindo Rocha, Júlio Resende, Eduardo Tavares, Isolino Vaz, Nadir Afonso e Fernando Azevedo, parte dos quais integraram o "Grupo dos Independentes". Nessa época obteve dois prémios: o "Prémio Teixeira Lopes" e o "Prémio Soares dos Reis". Como tese final de curso apresentou um trabalho sobre Nuno Álvares Pereira, que lhe valeu a classificação de dezoito valores.

Em 1946 partiu para Paris. Durante os dois anos que passou nessa cidade estudou na École des Beaux-Arts, partilhou a experiência dos grandes mestres do Louvre, conheceu as novas correntes artísticas e frequentou cursos livres, onde aprendeu, entre outras, a técnica de afresco, que, mais tarde, veio a utilizar na Igreja de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

No seu atelier na Rua Afonso de Albuquerque, em Vila Nova de Gaia, produziu dois tipos distintos de obras: esculturas essencialmente realistas, destinadas a satisfazer encomendas, e esculturas com maior grau de abstração e independência, as quais podem ser vistas em várias cidades portuguesas e africanas, como em Viana do Castelo, em Vila Nova de Gaia, no Porto, em Bolama, na Guiné – Bissau, e em Luanda, em Angola.

Baixo relevo de D. Pedro Pitões entre os Cruzados no Palácio da Justiça do PortoEntre os trabalhos escultóricos podem destacar-se os bustos dos seus amigos Fernando de Araújo Lima, Adriano de Sá Figueiredo e o de Adelino Gomes; o monumento ao Atleta (1973), situado no Largo da Gândara, em Vila Nova de Gaia; o monumento ao general e estadista americano Ulysses Grant (1822-1847) no espaço fronteiro aos Paços do Concelho de Bolama (1955); e o baixo-relevo em pedra de ançã para a sala de audiências do 3º Juízo do Palácio da Justiça do Porto, no qual se representa D. Pedro Pitões junto à Sé portuense a exortar os cruzados a ajudarem Afonso Henriques na conquista de Lisboa, de 1961.

Estátua de Ulysses Grant (1955)Manuel Pereira da Silva realizou também um baixo-relevo em cerâmica polícroma para o frontispício de um edifício de Luanda, de 1960; a figura do Lavrador, para Gulpilhares; as figuras de bombeiros em Avintes e Gondomar; o monumento ao benemérito de Sandim, Fernando Couto; o monumento ao mobiliário, para Paços de Ferreira; o busto de Alves de Sousa, para Vilar de Andorinho, Vila Nova de Gaia; o busto de Henrique Moreira e de Francisco Viana, para o Clube Recreativo Avintense; o busto do historiador José Hermano Saraiva, numa homenagem da Confraria da Broa de Avintes; A Maternidade, escultura em bronze para a Praça Marquês de Pombal, no Porto, de 1958; e o busto do locutor Fernando Pessa, que o autor ofereceu ao homenageado.

Fresco «Branca de Neve» (1957)Paralelamente à escultura, lecionou no ensino secundário entre 1949 e 1991, experimentou várias técnicas de desenho e pintou obras caracterizadas pela predominância de temas femininos e pela utilização de linhas geometrizantes e de um rico imaginário: retratos, frescos sobre A Paixão de Cristo para a capela-mor da Igreja de Santa Luzia de Viana do Castelo, em 1956, o mural a fresco da Sapataria "Branca de Neve", na Rua de Santa Catarina, em 1957, e duas figuras ornamentais em edifícios no Jardim do Marquês de Pombal, no Porto, etc.

Em 2000 foi-lhe atribuída a Medalha de Mérito Cultural pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

Morreu em 2003.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2009)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-01-05 Página gerada em: 2019-01-23 às 10:07:34