Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Antigos Estudantes Ilustres U.Porto: João Carrington da Costa

Memória U.Porto

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto

João Carrington da Costa

Retrato de Carrington da Costa\Portrait of Carrington da Costa João Carrington da Costa
1891-1982
Geólogo, professor universitário e político



Os prisioneiros major Simões da Costa e João Carrington, em La Lys\Prisoners Major Simões Costa and John Carrington in La LysJoão Carrington Simões da Costa nasceu na Figueira da Foz a 21 de abril de 1891.

Ainda jovem, interrompeu os estudos para combater em França na Primeira Guerra Mundial, tendo sido feito prisioneiro na Batalha de La Lys, a 9 de abril de 1918. No ano seguinte, enquanto ajudante de campo do Ministro da Guerra, bateu-se pela derrota da contrarrevolução monárquica liderada por Paiva Couceiro.

Finda a guerra, retomou os estudos e formou-se em Ciências Histórico-Naturais na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (1931), e pela Escola Normal Superior de Lisboa e doutorou-se em Geologia na FCUP, em 1931, com a apresentação da tese intitulada "O Paleozoico Português: síntese e crítica".

Capa da Tese intitulada O paleozoico Português (Síntese e crítica)\Cover of the thesis entitled O paleozoico Português (Síntese e crítica)Durante um largo período de tempo exerceu o magistério no ensino liceal, tendo sido responsável pela aprovação de vários compêndios escolares pelo Ministério da Educação, nomeadamente para as áreas de Mineralogia, de Petrologia e das Ciências Geológicas.
Em 1936, o então professor efetivo do Liceu Rodrigues de Freitas e naturalista do Museu e Laboratório Mineralógico e Geológico da FCUP desde 1928, integrou o corpo docente desta Faculdade, onde foi nomeado, sucessivamente, professor auxiliar contratado (1937), professor catedrático contratado (1939), professor catedrático (1941) e professor catedrático de nomeação definitiva (1942). Em 1952 foi transferido para Lisboa em comissão de serviço, como vogal da "Comissão de Estudos de Energia Nuclear", não tendo regressado mais à Universidade do Porto.

A Geologia de Goa, livro de Carrington da Costa\The geology of Goa, book of Carrington da CostaNo âmbito da Geologia, disciplina que contribuiu para renovar, chefiou as missões de estudos geológicos à Guiné (1946-1947) e presidiu à Sociedade Geológica de Portugal e à Comissão Executiva da Junta das Missões Geográficas e de Investigação do Ultramar, para que havia sido nomeado em 1955. Dirigiu o Centro de Mineralogia e Geologia da Comissão de Estudos de Energia Nuclear do Instituto para a Alta Cultura. Foi membro de várias associações científicas, nacionais e estrangeiras, como a Academia das Ciências de Lisboa e a Real Academia de Ciências de Madrid (eleito sócio correspondente em 1956).
Proferiu diversas conferências, entre as quais uma sobre a evolução da orografia do solo português, numa sessão presidida pelo Vice-reitor da Universidade do Porto, Adriano Rodrigues, em 1934, e que teve lugar na sala de Física da Faculdade de Ciências. Foram seus discípulos Carlos Teixeira e João Manuel Castelo Neiva.

Carrington da Costa desempenhou outros cargos de relevo, nomeadamente políticos - foi chefe de gabinete do Ministro da Agricultura, em 1921, Governador Civil de Braga entre 15 de fevereiro e 16 de novembro de 1923 e Ministro da Instrução em 1925. Em 1958 foi vogal da Comissão Ultramarina do V Centenário da morte do Infante D. Henrique, vogal da comissão nacional promotora da adesão portuguesa à Reunião Internacional da História das Ciências e membro da Comissão Nacional da Conferência Internacional dos Africanistas Ocidentais e, em 1961, presidente da Comissão Nacional da "Union Internationale d’Histoire des Sciences".

Atingiu o limite de idade a 21 de abril de 1961 e jubilou-se em junho deste ano.

Pela sua participação na Primeira Guerra Mundial foi agraciado com as medalhas da Vitória das Campanhas da França. Foi também agraciado com o grau de comendador da Ordem da Instrução Pública, em 1955, e com o grau de oficial da Ordem do Império em 1961.

Carrington da Costa era republicano e maçon. Em 1913, ingressou na Loja Madrugada de Lisboa com o nome "Enjolras", mudando-se depois para a Loja Renascença.

Faleceu na Parede, Cascais, a 20 de abril de 1982.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2011)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-07-06 Página gerada em: 2019-01-23 às 10:05:47