Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Docentes e Estudantes da 1ª Faculdade de Letras da Universidade do Porto: Torquato Brochado de Sousa Soares

Memória U.Porto

Docentes e Estudantes da Primeira Faculdade de Letras da Universidade do Porto

Torquato Brochado de Sousa Soares


Fotografia de Torquato Brochado de Sousa Soares

1903-1988
Professor Universitário e Historiador Medievalista



Natural da cidade do Porto, onde nasceu a 7 de Março de 1903, concluiu o curso liceal em 1920 no Liceu Rodrigues de Freitas e, de seguida, matriculou-se no curso de Ciências Histórico-Geográficas na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Decorrido um ano, solicitou a transferência para curso equivalente na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, terminando a licenciatura com a classificação de 19 valores no dia 5 de Novembro de 1924.

A 5 de Março de 1927 foi nomeado Assistente do Grupo de Ciências Históricas (4.º Grupo) nessa Faculdade, lugar de que tomou posse no dia 25 e no qual foi reconduzido anualmente até ao anúncio da extinção da instituição pelo Decreto n.º 15 365, de 12 de Abril de 1928. No ano letivo seguinte, acumulou funções docentes nos liceus Alexandre Herculano e Rodrigues de Freitas, no Porto, e, em virtude da manutenção da Faculdade para conclusão dos cursos por parte dos alunos matriculados, foi contratado como Professor Auxiliar do 4.º Grupo, cargo que exerceu até ao final do ano letivo de 1929-1930. Durante a sua passagem pela Faculdade de Letras do Porto regeu as cadeiras de História dos Descobrimentos e Colonização Portuguesa, Propedêutica Histórica, Paleografia e Diplomática.

Terminada a carreira académica na Universidade do Porto, Torquato de Sousa Soares prosseguiu a preparação do seu doutoramento na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, tendo obtido o estatuto de bolseiro do Instituto para a Alta Cultura, por indicação dos Dr. Paulo Merêa e do Dr. Damião Peres. Assim, entre 1934 e 1937, deslocou-se entre a Espanha e a Bélgica para investigar e recolher documentação medieval em diversos arquivos, a respeito da organização política e municipal do Portugal medievo. Em 1935, com a dissertação "Organização Municipal da cidade do Porto durante a Idade Média", obteve o grau de Doutor em Ciências Históricas.

Em 1937 prestou provas públicas para Professor Auxiliar do 4.º Grupo na Faculdade de Letras de Coimbra, instituição onde desenvolveu a sua carreira docente e de historiador, regendo diversas disciplinas, como História Medieval, História Geral da Civilização, Paleografia e Diplomática, História de Portugal, História dos Descobrimentos e da Colonização Portuguesa, História Geral da Civilização, História da Civilização Romana, Arqueologia e Epigrafia. No Instituto de Estudos Históricos da Faculdade de Letras de Coimbra fundou e organizou a "Revista Portuguesa de História" (1941), assumindo, durante a sua direção, a organização de um arquivo com reproduções de documentos medievais conservados em arquivos portugueses e estrangeiros.

O reconhecimento da sua idoneidade científica mereceu-lhe convites para reger cursos e proferir conferências em universidades espanholas e brasileiras durante os anos seguintes. Entre 1957 e 1958 ocupou o lugar de professor da cadeira de História Civilizacional Ibérica, na Universidade de S. Paulo, após convite da respetiva Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. Foi membro da Academia Portuguesa de História, da Academia de Ciências de Lisboa, da Sociedade de Geografia de Lisboa, da Real Academia de la Historia de Madrid e da Real Academia Gallega. Participou em diversos congressos, como o Congresso Internacional de História da Arte (1949), os Congressos Luso-Espanhóis para o Progresso das Ciências (1950, 1956), o IV Congresso de História Nacional (Rio de Janeiro, 1949), o IX Congresso Internacional de Ciências Históricas (Paris, 1950), o X Congresso de Ciências Históricas (Roma, 1955), entre outros. Enquanto preletor, fez parte do Centro de Estudos Humanísticos, anexo à Universidade do Porto, percursor da 2.ª Faculdade de Letras.

Em 1962, defendeu provas para Professor Agregado na Universidade de Coimbra, com a dissertação "Reflexões sobre a origem e formação de Portugal", a que se seguiram provas públicas para Professor Catedrático em Ciências Históricas, finalizadas com a lição "Antecedentes da Crise de 1580". A sua obra "Reflexões sobre a origem e a formação de Portugal" valeu-lhe o Prémio Ocidente de 1964 para a melhor obra em prosa.

Entre 1965 e 1970, após nomeação em comissão de serviço, desempenhou as funções de Professor Catedrático nos Estudos Gerais Universitários de Luanda (elevados a Universidade de Luanda, em 1968), onde serviu como delegado do reitor e fundou a revista "Estudos de Humanidades". Regressado a Portugal, continuou a carreira académica na Universidade de Coimbra, onde lecionou as cadeiras de História da Idade Média e História Medieval de Portugal e dirigiu o Arquivo da Universidade. Jubilou-se em 1973.

Até ao seu falecimento, continuou a dedicar-se à investigação e à gestão agrícola da sua Casa do Marmoiral, em Vila Meã, Amarante, onde veio a falecer em 10 de Dezembro de 1988.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2008)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2021 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-06-21 Página gerada em: 2021-10-25 às 03:22:35