Saltar para:
Logótipo SIGARRA U.Porto
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Você está em: U. Porto > Memória U.Porto > Docentes e Estudantes da 1ª Faculdade de Letras da Universidade do Porto: Damião António Peres

Memória U.Porto

Docentes e Estudantes da Primeira Faculdade de Letras da Universidade do Porto

Damião António Peres


Fotografia de Damião António Peres

1889-1976
Professor Universitário, Historiador e Numismata



Damião António Peres nasceu em Lisboa a 8 de Julho de 1889. Após a conclusão do Curso Superior de Letras escolheu a carreira de professor liceal de História, tendo sido colocado no Liceu do Funchal entre 1912 e 1915. Neste estabelecimento de ensino exerceu, também, as funções de reitor.

Em 1919, após transferência para o Liceu de Gil Vicente, em Lisboa, onde desenvolveu laços de amizade com Leonardo Coimbra, realizou uma missão de estudo a Espanha, França e Suíça, com o propósito de estudar as instalações liceais para o ensino da Geografia. De novo em Portugal continental, interrompeu o magistério liceal para exercer funções docentes na recém-criada Faculdade de Letras do Porto, na sequência do convite que lhe foi feito pelo Ministro da Instrução Pública, Leonardo Coimbra. Foi, também, reitor interino desta instituição.

Na Faculdade de Letras do Porto, Damião Peres desempenhou funções como professor contratado do 4.º Grupo (Ciências Históricas). Findo o contrato de dois anos, foi reconduzido pelo Governo na qualidade de professor ordinário (professor catedrático depois da Reforma de 1926), tendo regido as cadeiras de Propedêutica Histórica, História de Portugal, História dos Descobrimentos e Colonização Portuguesa, História Geral da Civilização, Numismática e Esfragística, Epigrafia, Paleografia, Diplomática e História das Religiões. Entre Janeiro de 1920 e Julho de 1926 desempenhou as funções de Secretário da Faculdade, cargo para o qual foi eleito pelo respetivo Conselho Escolar.

Durante a segunda passagem de Leonardo Coimbra pelo Ministério da Instrução Pública (1925 a 1927), Damião Peres exerceu as funções de Chefe de Gabinete do Ministro durante um curto período de tempo.

Página da Revista de Estudos HistóricosDesde 1922 que Damião Peres se destacou como impulsionador da promoção científica das Ciências Humanas e Sociais na Universidade do Porto. Nesse ano fundou o Museu de Arqueologia Histórica, anexo à Faculdade de Letras da Universidade do Porto, cuja direção assumiu durante a sua breve existência.

Um pouco mais tarde iniciou a publicação da "Revista de Estudos Históricos" (1924-1926) e, em 1925, obteve a anuência para a criação do Instituto de Investigação Histórica da Universidade do Porto, destinado à orientação e difusão dos trabalhos de investigação científica no âmbito das Ciências Históricas, de que foi diretor. Em 1925 assumiu a direção do Arquivo Histórico da Cidade do Porto, cargo que exerceu durante a sua estadia na cidade.

A 12 de Fevereiro de 1926, por decisão do Conselho Escolar da Faculdade de Letras do Porto, foi-lhe conferido o grau de Doutor em Letras – Ciências Históricas. Posteriormente, foi nomeado diretor desta Faculdade, entre 1926 e 1930. Após a promulgação do Decreto n.º 15 365, de 12 de Abril de 1928, que decretou a extinção da Faculdade de letras na Universidade do Porto, passou a exercer funções no Liceu Rodrigues de Freitas, onde lecionou até 28 de Fevereiro de 1930.

A convite da Universidade de Coimbra passou a lecionar na Faculdade de Letras como professor contratado em comissão de serviço. Aqui defendeu provas públicas para professor catedrático do 4.º Grupo, tendo apresentado a dissertação "A Diplomática portuguesa e a sucessão de Espanha: 1700-1704". Foi nomeado professor catedrático por decreto de 28 de Julho de 1931.
Até à data da sua jubilação, em 1959, manteve o vínculo com esta instituição, partilhando a carreira docente universitária com a investigação científica, participando na publicação da "Biblioteca Etnográfica e Histórica Portuguesa" e da "Revista Portuguesa de História" (1941) e exercendo, ainda, o cargo de Diretor da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (1940-1944).

Fotografia de Damião António PeresA incontestável reputação de Damião Peres como numismata, demonstrada, por exemplo, na organização da coleção de numismática do Museu Municipal do Porto, conduziu ao convite para que assumisse o cargo de diretor do Museu Numismático Português, anexo à Casa da Moeda, cargo em que foi reconduzido até à data da aposentação.

No plano científico podem referir-se a participação em várias conferências nacionais e internacionais, a direção da comissão portuguesa do Comité International des Sciences Historiques, as palestras radiofónicas sobre a História de Portugal na Emissora Nacional, as funções de secretário-geral da Academia das Ciências de Lisboa e da Academia Portuguesa de História até 1973.

Damião Peres faleceu no Porto a 26 de Outubro de 1976, legando o seu nome à direção da coleção "História de Portugal" (1928-1954), tradicionalmente designada “de Barcelos”, uma das mais sólidas e completas monografias publicadas no século XX.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2008)

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Universidade do Porto Termos e Condições Acessibilidade Índice A-Z Livro de Visitas
Última actualização: 2016-06-20 Página gerada em: 2018-12-13 às 05:13:34