Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > Notícias > ICBAS|Professor Auxiliar|Área Disciplinar Ciências Veterinárias (CT Tempo Indeterminado)

Noticias

ICBAS|Professor Auxiliar|Área Disciplinar Ciências Veterinárias (CT Tempo Indeterminado)

Candidaturas até 7 de junho

PROCESSO DE SELEÇÃO E RECRUTAMENTO DE UM PROFESSOR AUXILIAR NA ÁREA DISCIPLINAR DAS CIÊNCIAS VETERINÁRIAS PARA O INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS ABEL SALAZAR DA UNIVERSIDADE DO PORTO

 

António Manuel de Sousa Pereira, Professor Catedrático e Diretor do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, torna público que se encontra aberto pelo prazo de 15 dias úteis, a contar do dia útil imediato ao da publicação do presente aviso no Jornal de Notícias e nos sítios da internet do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto e da Universidade do Porto, o processo de seleção com vista ao recrutamento de um Professor Auxiliar em regime de contrato de trabalho por tempo indeterminado, ao abrigo do Código do Trabalho, na área disciplinar das Ciências Veterinárias para o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.

 

  1. Admissão ao processo de recrutamento

Serão admitidos os titulares do grau de Doutor enquadrável na área das Ciências Veterinárias.

Caso o doutoramento tenha sido conferido por instituição de ensino superior estrangeira, o mesmo tem de obedecer ao disposto no Decreto-Lei nº 341/2007, publicado no Diário da República, 1ª série, nº 197, de 12 de outubro, devendo quaisquer formalidades aí estabelecidas estar cumpridas até à data do termo do prazo para a candidatura.

 

  1. Processo de seleção
O processo de seleção dos candidatos admitidos ao processo de recrutamento decorrerá em duas fases, sendo a primeira eliminatória para os candidatos que, não obstante terem sido aprovados em mérito absoluto, nos termos do ponto 2.1 seguinte, não reúnam as condições exigidas para admissibilidade à entrevista nos termos do ponto 2.2 infra.

2.1. A primeira fase tem em vista a aprovação em mérito absoluto e consistirá numa avaliação curricular sendo selecionados os candidatos com classificação igual ou superior a 50,0 pontos (na escala de 0-100), nos termos do processo de avaliação explicitado nos pontos 3.1., 3.2. e 3.3. a seguir.

2.2. A segunda fase visa uma avaliação por entrevista, em complemento da avaliação curricular, e será realizada aos candidatos seriados nas três primeiras posições e a todos os que obtiverem na avaliação curricular uma classificação igual ou superior a 80,0 pontos.

2.3. Na entrevista individual serão apreciadas as capacidades dos candidatos de acordo com o expresso no ponto 3.4. e Anexo I deste edital e proceder-se-á a esclarecimentos de aspetos curriculares relevantes.

2.4. A Para determinar a classificação final dos candidatos admitidos à fase de entrevista, será plicada uma ponderação da avaliação curricular e da entrevista de seleção nas percentagens de 70% e 30%, respetivamente.
 
  1. Critérios de seleção

3.1. Nos métodos e critérios de seleção serão consideradas as seguintes vertentes:

a) Titular de Agregação em Ciências Veterinárias
b) Mérito científico na área das Ciências Veterinárias, considerando: i) produção científica; ii) coordenação e participação em projetos científicos; iii) prémios de mérito científico.
c) Experiência pedagógica no ensino superior, considerando: i) atividade letiva, com valorização da lecionação e coordenação de unidades curriculares nas áreas da epidemiologia e da saúde pública veterinária (áreas letivas a assegurar pelo contratado, sem prejuízo de apoio à lecionação de outras unidades curriculares a cargo do Departamento de Estudos de Populações do ICBAS); ii) responsabilidade na orientação de teses de mestrado e doutoramento;
d) Atividades de extensão universitária, valorização económica e social do conhecimento e participação na gestão em instituições de ensino superior ou centros de I&D;
e) Motivação para as funções de docência, investigação e extensão a desempenhar, em particular no contexto das necessidades do departamento que manifestou a necessidade de contratação; qualidade da expressão oral e competências de relacionamento interpessoal (a avaliar na entrevista de seleção).

 

3.2. No processo de Avaliação Curricular serão consideradas as seguintes vertentes:

Agregação (AG)

  1. a) Ser titular do título de Agregado em Ciências Veterinárias (AG).

Mérito Científico (MC):

b.1) Produção científica (MC1). Publicações científicas enquadráveis na área em que é aberto o processo de recrutamento (dos tipos: livros, capítulos de livros, artigos em revistas com circulação internacional e outras publicações) pontuada de acordo com o número e tipo de publicações.

b.2) Coordenação e participação em projetos científicos (MC2). Participação em projetos científicos financiados através de agências nacionais ou internacionais, empresas ou outras instituições, na área em que é aberto o processo de recrutamento, dando-se relevância à coordenação de projetos.

b.3) Prémios de mérito científico (MC3). Trabalhos e artigos científicos premiados a nível nacional ou internacional

 

 Experiência Pedagógica (EP):

c.1) Atividade letiva (EP1). Experiência letiva em unidades curriculares do ensino superior, valorizando-se a atividade como regente de unidades curriculares nas áreas da epidemiologia e da saúde pública veterinária, lecionadas até à data ou validadas para o ano letivo de 2017-2018.

c.2) Orientação de estudantes de pós-graduação (EP2). Experiência na orientação ou coorientação ou arguição de teses de mestrado e doutoramento já concluídas com sucesso, em Ciências Veterinárias.

c.3) Orientação de estágios curriculares e teses de Mestrado Integrado (EP3). Experiência na orientação ou arguição de estágios curriculares em Ciências Veterinárias ou teses de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária já concluídas com sucesso.

Atividades de Gestão e de Extensão Universitária, incluindo a valorização económica e social do conhecimento (GEU):

d.1) Atividades de gestão (GEU1). Participação em órgãos de gestão do ensino superior publico ou privado ou de centros de I&D reconhecidos pelas agências nacionais ou internacionais ou na gestão de empresas privadas com atividade relacionada com as Ciências Veterinárias.

d.2) Atividades de extensão universitária (GEU2). Participação na prestação de serviços à comunidade; participação como perito ou consultor em comissões técnicas ou científicas especializadas ou em grupos de trabalho, nacionais ou internacionais; coordenação e/ou participação em iniciativas de divulgação científica ou de translação e aplicação de conhecimento científico à solução de problemas com relevo para a comunidade, (junto da comunidade científica e do público em geral - incluindo a realização de estudos, a preparação de relatórios técnicos ou científicos, a organização de congressos e conferências); transferências de tecnologia.

 

3.3. A classificação é feita na escala de 0 − 100, com arredondamentos às décimas.

 

3.4. Na fase de Entrevista de Seleção (ES) a Comissão de Seleção apreciará:

  1. a) Qualidade da expressão oral e capacidade de relacionamento interpessoal. Pela interação entre a comissão de seleção e o candidato, serão avaliados comportamentos e aptidões fundamentais julgadas necessárias a um bom desempenho pedagógico e a uma boa integração em equipas de investigação, tendo-se em conta a clareza, coerência, fluência, objetividade, rigor e síntese do discurso. Serão também verificadas a empatia, assertividade e cordialidade, assim como a referência a experiências passadas, de modo a inferir sobre a aptidão para trabalhar em equipa e capacidade para prevenir e gerir conflitos.
  2. b) Motivação e potencial para as funções a desempenhar. Será avaliada a motivação do candidato assim como as suas intenções para o progresso e desenvolvimento futuros na área de recrutamento em apreço, nas vertentes de ensino, investigação e extensão universitária, em particular no contexto das atividades do departamento que manifestou necessidade de recrutamento.

 

3.5. O método e fórmulas de cálculo das pontuações de cada componente do processo de seleção e das respetivas vertentes, mencionados nos números anteriores, são os indicados no Anexo I.

 

  1. Funções a desempenhar

O conjunto das funções a desempenhar encontra-se descrito no Anexo I do Regulamento de Celebração de Contratos de Trabalho de Pessoal Docente da Universidade do Porto ao abrigo do Código do Trabalho (Despacho nº. 1567/2013 de 25 de janeiro de 2013, publicado no DR, 2ª série, nº 18, de 25 de janeiro de 2013) onde se incluem os requisitos gerais a preencher pelos candidatos:

“Ao professor auxiliar compete lecionar aulas práticas e teórico-práticas e a prestação de serviço em trabalhos de laboratório ou de campo, em unidades curriculares dos vários ciclos de estudo e de programas ou cursos não conferentes de grau, bem como a regência de unidades curriculares desses ciclos de estudo e programas ou cursos. Compete também orientar e realizar trabalhos de investigação, segundo as linhas gerais previamente estabelecidas ao nível da unidade organizativa em que se integra. Compete ainda realizar tarefas de extensão universitária, de divulgação científica e de valorização económica e social do conhecimento, bem como participar na gestão universitária e realizar outras tarefas distribuídas pelos órgãos de gestão competentes e que se incluam no âmbito da atividade de docente universitário. Ao professor auxiliar pode ser distribuído serviço docente idêntico ao dos professores associados, caso conte cinco anos de efetivo serviço como docente ou investigador universitário.”

Além das funções gerais acima referidas, o contratado terá de assegurar o ensino nas áreas da epidemiologia e da saúde pública veterinária, sem prejuízo do apoio à lecionação de outras unidades curriculares a cargo do Departamento de Estudos de Populações do ICBAS, e desenvolver atividades de I&D neste âmbito.

 Candidaturas

5.1. O requerimento de candidatura, em suporte papel, deverá ser obrigatoriamente acompanhado da seguinte documentação em suporte digital:

  1. a) Curriculum Vitae detalhado, contendo todas as informações pertinentes para a avaliação da candidatura tendo em consideração os critérios de seleção constantes do ponto 3 do presente aviso e respetivo Anexo I;
  2. b) Certificado de Habilitações relativo ao grau de doutor na área de recrutamento;
  3. c) Quaisquer documentos que o candidato entenda serem relevantes para apreciação do seu mérito.

 

5.2. As instruções, a título exemplificativo, para a apresentação da informação, em suporte digital encontram-se disponíveis na área de Concursos de Pessoal do SIGARRA U.PORTO, no endereço http://sigarra.up.pt/up/web_base.gera_pagina?p_pagina=1004282, onde poderá também ser encontrado o modelo de requerimento a apresentar (Docentes - Regime Privado).

 

5.3. As candidaturas deverão ser entregues presencialmente ou remetidas por correio para a Unidade de Recrutamento de Recursos Humanos do Serviço de Recursos Humanos do Centro de Recursos e Serviços Comuns da Universidade do Porto, sita à Praça Gomes Teixeira, 4099-002 Porto, até ao 15º dia útil posterior ao da publicação do presente aviso.

 

  1. Exclusão de candidaturas

A não apresentação dos documentos exigidos nos termos deste aviso, ou a sua apresentação fora do prazo estipulado para o efeito, ou a não adequação das habilitações académicas (doutoramento) dos candidatos à área de recrutamento em apreço, determinam a sua exclusão.

 

  1. Comissão de seleção

A Comissão de Seleção é constituída pelos seguintes elementos:

Presidente - Prof. Doutor Alexandre Manuel da Silva Lobo da Cunha, Professor Catedrático e Vice-Presidente do Conselho Científico do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto (ICBAS-UPorto).

Vogais:

Prof. Doutora Corália Maria Fortuna de Brito Vicente, Professora Catedrática do ICBAS-UPorto

Prof. Doutora Ana Colette Pereira de Castro Osório Maurício, Professora Associada com Agregação do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto (ICBAS-UPorto)

Prof. Doutor Virgílio de Almeida, Professor Associado com Agregação da Faculdade de Medicina Veterinária de Lisboa, Universidade de Lisboa

 

  1. Contratação

O professor auxiliar será contratado por tempo indeterminado com um período experimental de cinco anos.

 

  1. Outras disposições legais

Em cumprimento da alínea h) do artigo 9º da Constituição, a Administração Pública, enquanto entidade empregadora, promove ativamente uma política de igualdade de oportunidades entre homens e mulheres no acesso ao emprego e na progressão profissional, providenciando escrupulosamente no sentido de evitar toda e qualquer forma de discriminação.

  Universidade do Porto, 16 de maio de 2018

 

O DIRETOR DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS ABEL SALAZAR DA UNIVERSIDADE DO PORTO

 

PROF. DOUTOR ANTÓNIO MANUEL DE SOUSA PEREIRA

 


Anexo I

 

  1. Componentes do Processo de Seleção

A1. Avaliação curricular (AC)

Vertentes da Avaliação Curricular

Ponderação

Agregação (AG)

5%

Mérito Científico (MC)

30%

Experiência Pedagógica (EP)

35%

Atividades de Gestão e Extensão Universitária (GEU)

30%

 

Agregação (AG)

Os candidatos que possuam título de agregado em Ciências Veterinárias adquirem 5 pontos, os quais contribuem com 5% para a totalidade da Avaliação Curricular.

 

Mérito Científico (MC)

MC1 - Produção Científica (não incluindo trabalhos em preparação ou submetidos, mas admitindo os trabalhos já aceites para publicação desde que seja incluída prova inequívoca da sua aceitação final)

Publicações com circulação internacional na área das Ciências Veterinárias

  • Autor de livro: 16 pontos
  • Editor de livros: 10 pontos cada livro
  • Artigos em revistas científicas indexadas e capítulos de livros

                               Primeiro, segundo ou último autor: 8 pontos por cada artigo ou capítulo

                               Autor secundário (não sendo 1º, 2º nem último): 6 pontos por cada artigo ou capítulo

  • Outras publicações em revistas não indexadas incluindo as nacionais: 3 ponto cada

Comunicações em congressos e outras reuniões científicas internacionais na área das Ciências Veterinárias

Comunicações orais a convite (realizada pelo próprio candidato): 3 pontos cada.

Comunicações orais: 2 pontos cada.

Comunicações em painel: 1 ponto cada.

Comunicações em congressos e outras reuniões científicas nacionais na área das Ciências Veterinárias

Comunicações orais a convite (realizada pelo próprio candidato): 1,5 pontos cada.

Comunicações orais: 1 ponto cada.

Comunicações em painel: 0,5 pontos cada.

MC2 - Coordenação ou participação em projetos científicos ou de I&D na área das Ciências Veterinárias, financiados através de agências nacionais ou internacionais, empresas ou outras instituições, concluídos ou em curso.

  • Investigador responsável de projetos científicos: 20 pontos cada projeto
  • Participação em projetos científicos, sem funções de coordenação: 10 pontos cada projeto
  • Membro de grupo de investigação em instituições de ensino superior ou outras de I&D, com classificação de "outstanding" ou excelente na última avaliação da FCT: 5 pontos
  • Membro de grupo de investigação em instituição de ensino superior ou outras de I&D, com classificação de Muito Bom ou Bom na última avaliação da FCT: 3 pontos

 

MC3 - Prémios de mérito científico internacionais: 3 pontos cada; Prémios de mérito científico nacionais: 2 pontos cada.

 

Pontuação final do Mérito Científico (MC) de forma a não ultrapassar o peso de 30% na Avaliação Curricular:

MC30 x (MC1 + MC2+MC3)

             30 + (MC1 + MC2+MC3)

 

Experiência Pedagógica (EP)

EP1 - Atividade letiva no ensino superior (não incluindo o serviço letivo que já tenha sido aprovado para o ano letivo de 2018-19, por não ter ainda sido efetuado), exclusivamente em áreas da epidemiologia e saúde pública veterinária (unidades curriculares a lecionar pelo candidato que venha a ser contratado).

  • Docência no ensino superior nas áreas referidas com cargas horárias interiores a 6 horas semanais (
  • Docência no ensino superior nas áreas referidas com cargas horárias de 6 ou mais horas semanais (≥168 horas anuais, considerando um ano letivo de 28 semanas de aulas): 6 pontos por ano letivo
  • Regência de unidades curriculares nas áreas de epidemiologia e saúde pública veterinária: 9 pontos por unidade curricular em cada ano letivo.

EP2 - Orientação ou coorientação de pós-graduações em Ciências Veterinárias.

  • Estudantes de mestrado: 12 pontos por cada estudante com dissertação aprovada
  • Estudantes de doutoramento: 24 pontos por cada estudante com tese aprovada
  • Participação como arguente em júris de mestrado: 3 pontos por arguição
  • Participação como arguente em júris: de doutoramento: 6 pontos por arguição

EP3 - Orientação de estágios curriculares na área das Ciências Veterinárias e dissertações de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária: 4 pontos por cada estudante com aprovação.

 

Pontuação final da EP, de forma a não ultrapassar o peso de 35% na Avaliação Curricular:

EP =    35 x (EP1 + EP2+EP3)

             35 + (EP1 + EP2+EP3)

 

Atividades de Gestão e Extensão Universitária (GEU)

GEU1 - Participação em órgãos de gestão

  • Participação como membro de órgãos de gestão do ensino superior público ou privado e de centros de I&D reconhecidos pelas agências nacionais ou internacionais: 10 pontos por ano
  • Como gestor, gerente ou membro do conselho de administração, em empresas privadas com atividade no domínio agropecuário e volume de negócios até 1 milhão de euros: 4 pontos por ano
  • Como gestor, gerente ou membro do conselho de administração, em empresas privadas com atividade no domínio agropecuário e volume de negócios superior a 1milhão de euros: 8 pontos por ano

GEU2 - Atividades de extensão universitária, incluindo a valorização económica e social do conhecimento

  • Prestação de serviços à comunidade no domínio da saúde animal, saúde pública ou segurança alimentar: 15 pontos por ano
  • Participação como perito ou consultor em comissões técnicas ou científicas especializadas e permanentes

Internacionais: 10 pontos por ano como membro

Nacionais: 5 pontos por ano como membro

  • Participação como perito ou consultor em grupos de trabalho, nacionais ou internacionais: 2 pontos por grupo de trabalho.
  • Translação e aplicação de conhecimento científico à solução de problemas com relevo para a comunidade, junto da comunidade científica e do público em geral, incluindo a realização de estudos e preparação de relatórios técnicos ou científicos: 10 pontos por estudo com relatório público.
  • Organização de congressos e conferências científicas

Internacionais: 5 pontos por atividade

Nacionais: 3 pontos por atividade

  • Organização de congressos e conferências, jornadas ou seminários científicos ou técnicos: 2 pontos por atividade.
  • Participação como orador, a convite, em jornadas ou seminários técnicos: 1 ponto por atividade.

 

 

Pontuação final das atividades de GEU, de forma a não ultrapassar o peso de 30% na Avaliação Curricular:

GEU = 30 x (GEU1 + GEU2)

             30 + (GEU1 + GEU2)

 

O resultado da Avaliação Curricular (AC) é calculado através da seguinte fórmula:

AC = AG + MC + EP + GEU

Os valores correspondentes a cada uma das vertentes incluidas na formula são arredeondados às décimas.

 

A2. Entrevista de Seleção (ES)

Vertentes da Entrevista de Seleção

Ponderação

Qualidade da expressão oral e capacidade de relacionamento interpessoal (EORI)

50%

Motivação e potencial para as funções a desempenhar (MPFD)

50%

 

Qualidade da Expressão Oral e Capacidade de Relacionamento Interpessoal (EORI)

Pela interação entre a comissão de seleção e o candidato, serão avaliados os comportamentos e aptidões fundamentais julgadas necessárias a um bom desempenho pedagógico e a uma boa integração em equipas de investigação, tendo-se em conta a clareza, coerência, fluência, objetividade, rigor e síntese do discurso. Serão também verificadas a empatia, assertividade e cordialidade, de modo a inferir sobre a aptidão para trabalhar em equipa e capacidade para prevenir e geri conflitos. Será pontuada de 0 a 100 em função das qualidades e capacidades demonstradas.

Motivação e Potencial para as Funções a Desempenhar (MPFD)

Será avaliada a motivação do candidato assim como as suas intenções para um futuro progresso e desenvolvimento na área de recrutamento em apreço, nas vertentes de ensino, investigação e extensão universitária, em particular no contexto das atividades do departamento que manifestou necessidade de recrutamento. Será pontuada de 0 a 100 em função do interesse e potencial demonstrado.

Durante a entrevista podem ser pedidos esclarecimentos e discutidos aspetos curriculares relevantes para avaliação das vertentes incluídas na entrevista de seleção.

 

O resultado da Entrevista de Seleção (ES) será calculado através da seguinte fórmula:

ES = EORI x 0,50 + MPFD x 0,50

 

 

 

  1. Ponderação dos componentes do processo de seleção no cálculo do Resultado Final

Metodologias

Ponderação

Avaliação Curricular (AC)

70%

Entrevista de Seleção (ES)

30%

 

O Resultado Final (RF) será calculado através da seguinte fórmula, com arredondamento às décimas:

RF = AC x 0,70 + ES x 0,30

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Serviços Partilhados da Universidade do Porto I Termos e Condições I Acessibilidade I Índice A-Z I Livro de Visitas
Página gerada em: 2018-10-16 às 05:10:44 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais