Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > Publicações > Visualização > Women's beliefs as a significant predictor of negative dyadic marital adjustment in remarried couples

Women's beliefs as a significant predictor of negative dyadic marital adjustment in remarried couples

Título
Women's beliefs as a significant predictor of negative dyadic marital adjustment in remarried couples
Tipo
Tese
Ano
2022-07-12
Autores
Mariana Martins de Almeida Sarmento
(Autor)
FPCEUP
Ver página pessoal Sem permissões para visualizar e-mail institucional Pesquisar Publicações do Participante Sem AUTHENTICUS Sem ORCID
Classificação Científica
FOS: Ciências sociais > Psicologia
Outras Informações
Resumo (PT): As famílias de recasamento têm uma representatividade cada vez maior no contexto social português. Estas famílias têm uma maior probabilidade de enfrentar desafios, pela complexidade que surge no reconstruir de relações e recomposição de famílias. Existe uma escassez de estudos voltados para estes casais e famílias, que com eles trazem crenças para estas novas construções familiares. O presente estudo procurou contribuir para uma lacuna literária com intuito de perceber a relação das crenças destes casais com o seu ajustamento diádico no contexto do recasamento. Através da utilização de um protocolo que engloba as escalas em versão portuguesa de The Revised Dyadic Adjustment Scale (RDAS) e The Remarriage Belief Inventory (RMBI), investigamos os efeitos de ator e parceiro no Actor-Partner Interdependence Model (APIM) e obteve-se uma amostra de 96 casais portugueses de diversas tipologias de recasamento . Dos 192 participantes, a idade variou entre 25 e 70 anos, 91.7% das mulheres e 95.8% dos homens encontravam-se empregados, e a maioria dos participantes possuía educação superior. Foi ainda possível estabelecer duas categorias entre os casais: aqueles que conceberam descendência no contexto do recasamento e aqueles que não conceberam. Relativamente aos dados diádicos obtidos através das referidas escalas, colhidos entre fevereiro 2019 e abril 2020, deduziu-se que existe um efeito de ator (β = − 0.296, p < 0.05) e um efeito de parceiro (β = − 0.270, p < 0.05) das crenças das mulheres. Verificou-se ainda que o efeito de ator e de parceiro das crenças do homem não são significativos (β = 0.085, p = 0.380; β = 0.026, p = 0.804, respetivamente). Conclui-se que as crenças das mulheres em relação ao recasamento impactam pela negativa o seu ajustamento marital. Estas mesmas crenças também têm um efeito negativo nos seus parceiros. Em contraste, as crenças dos homens em relação ao recasamento não demonstraram ter qualquer efeito no seu ajustamento ou no das suas parceiras. Esta influência poderá advir das imposições de modelos socais afetos à mulher nestas situações e pressões que a mesma poderá sofrer por parte do seu contexto, colocando em causa o seu tempo de “luto e resolução” do relacionamento anterior; a importância que a mulher atribui à sua autonomia financeira, aos seus filhos (quando existem) e, em última análise, tendo implicações na forma como se relaciona na sua situação de recasamento e na do seu parceiro.
Abstract (EN): There is epidemiologic validity to studying families within the context of remarriage in Portugal. Given their potential complexity in the relationships they entail, these families are at greater risk of facing struggles. The research involving the belief system of these couples and families within the context of remarriage is scarce. The present study aimed to fill this gap by trying to understand the relationship between the belief system of these couples regarding remarriage and the way they perceive their remarital adjustment. In our protocol we used the Portuguese versions of The Revised Dyadic Adjustment Scale (RDAS) and The Remarriage Belief Inventory (RMBI) and looked for actors’ and partners’ effect using an Actor-Partner Interdependence Model (APIM). We drafted a sample of 96 Portuguese couples in total within a variety of remarriage settings. Of all 192 participants, the age ranged from 25 to 70 years-old, 91.7% of females and 95.8% of males were employed and most participants had a higher educational degree. Two main categories were also established between couples: those who had conceived in the context of remarriage and those who hadn’t. The dyadic data obtained using the beforementioned scales, collected between February 2019 and April 2020, provided the following results: women’s beliefs constitute an actor effect (β = − 0.296, p < 0.05) as well as a partner’s effect (β = − 0.270, p < 0.05). We also depicted that there is no actor nor partner effect of the male’s beliefs (β = 0.085, p = 0.380; β = 0.026, p = 0.804, respectively). We concluded that female’s beliefs regarding remarriage negatively affected their dyadic adjustment within remarriage, as well as their male partners. We also found that male’s beliefs did not influence how they perceive their remarital adjustment neither did it influence the remarital adjustment of their female partners. These influences may reflect the social pressure and imposition directed at women to remarry fast after a dissolved marriage, not allowing them to grieve and give proper signification to the past relationship, disregarding the importance women give to financial autonomy and children (when she has them), ultimately setting them at risk to adjust to this new configuration as well as their partners.
Idioma: Inglês
Nº de páginas: 33
Documentos
Nome do Ficheiro Descrição Tamanho
Tese_MarianaSarmento_17.06_Final Women's beliefs as a significant predictor of negative dyadic marital adjustment in remarried couples 387.58 KB
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2024 © Reitoria da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2024-06-13 às 15:02:38 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias