Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > Publicações > Visualização > Trajectos de vidas assexuais: uma análise psicológica crítica

Trajectos de vidas assexuais: uma análise psicológica crítica

Título
Trajectos de vidas assexuais: uma análise psicológica crítica
Tipo
Tese
Ano
2017-11-16
Autores
Ana Sousa Campos
(Autor)
FPCEUP
Classificação Científica
FOS: Ciências sociais > Psicologia
Outras Informações
Resumo (PT): A sexualidade é vista como um aspecto central da existência humana e, como tal, os indivíduos que experienciam pouca ou nenhuma atracção sexual ou que simplesmente não se interessam por sexo, assumindo uma identidade assexual, contribuem de forma única para a compreensão da sexualidade como um conceito fortemente marcado por uma construção social. Consideramos, portanto, bastante pertinente recorrer a uma perspectiva psicológica crítica para questionar a sexualidade compulsória que caracteriza a sociedade vigente e que impele as pessoas a adoptarem determinados comportamentos, marginalizando aqueles/as que não se revêem nos discursos normativos. Assim, este trabalho pretendeu explorar os trajectos de vida de pessoas que se auto- identificam como assexuais, através da análise das suas vivências. Para isto, realizámos 7 entrevistas individuais semi-estruturadas a participantes auto-identificados como assexuais, recorrendo à análise temática segundo as propostas de Braun e Clarke (2006), tendo emergido desta análise quatro temas: i) Identidades que se divide em três subtemas: dimensão pessoal, dimensão relacional e social; ii) Binarismo sexual/não-sexual que se ramifica em dois subtemas: espectro e (res)significações; iii) Dimensão romântica que inclui o subtema – negociação; e iv) “Violência do inexistir”. Ao longo desta análise identificámos um organizador central, que através da relação entre os dados e a teoria propomos ser: (des)construindo (as)sexualidades, ilustrando os mecanismos construtivos e desconstrutivos que os discursos das pessoas assexuais entrevistadas integram. O trabalho finaliza com algumas considerações e reflexões relevantes decorrentes não só do diálogo entre os discursos analisados e a revisão teórica, mas também da própria caracterização das assexualidades, alertando para o perigo de definições essencialistas. De realçar também a referência às limitações do estudo e a possíveis trabalhos futuros relacionados com as assexualidades.
Idioma: Português
Nº de páginas: 60
Documentos
Não foi encontrado nenhum documento associado à publicação com acesso permitido.
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2021 © Reitoria da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2021-06-22 às 22:39:41 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais