Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > OPT2_16

Biologia do Ferro: Metabolismo e sua Regulação

Código: OPT2_16     Sigla: BFMR

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Medicina

Ocorrência: 2020/2021 - 1S Ícone do Moodle

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Química
Curso/CE Responsável: Mestrado Integrado em Medicina

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MIM 37 Plano Oficial em Vigor 2 - 3 28 81

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Maria da Conceição Santos Silva Rangel Gonçalves Regente
Maria da Graça Beça Gonçalves Porto Regente

Docência - Horas

Teorico-Prática: 1,42
Práticas Laboratoriais: 0,60
Tipo Docente Turmas Horas
Teorico-Prática Totais 1 1,42
Maria da Graça Beça Gonçalves Porto 0,71
Maria da Conceição Santos Silva Rangel Gonçalves 0,71
Práticas Laboratoriais Totais 1 0,60
Maria da Graça Beça Gonçalves Porto 0,28
Maria da Conceição Santos Silva Rangel Gonçalves 0,28

Língua de trabalho

Português - Suitable for English-speaking students

Objetivos

O ferro é um elemento essencial para a vida, estando envolvido em múltiplos processos metabólicos tais como o transporte celular de oxigénio, cadeia de transferência electrónica e a síntese de DNA que ocorrem nos seres vivos. Apesar de ser um micronutriente fundamental o elemento ferro pode ser também tóxico dado que tem um papel fundamental na geração de espécies reativas de oxigénio e azoto. Assim, a manutenção estrita da sua homeostasia é crucial para a vida e qualquer desregulação deste equilíbrio irá ter implicações na fisiopatologia e evolução clínica de um grande número de doenças em quase todas as especialidades médicas. Nesta unidade curricular pretende-se fornecer uma visão do papel deste elemento integrando conhecimentos de química bioinorgânica, bioquímica, genética molecular e celular, fisiopatologia e imunologia bem como algumas das suas aplicações na prática clínica.

Resultados de aprendizagem e competências

O estudante deverá ser capaz de visualizar de uma forma integrada os mecanismos de obtenção e regulação do ferro, bem como as implicações que a não regulação daquele elemento pode ter na saúde humana. Pretende-se que o estudante adquira uma capacidade acrescida não só para compreender as patologias já associadas ao elemento ferro mas também uma maior sensibilidade para detectar problemas eventualmente associados à sua não regulação.

Modo de trabalho

Presencial

Programa


  1. Conceitos químicos: (a) o ciclo biogeoquímico do ferro; (b) espécies de ferro e sua química de coordenação; (c) estabilidade e reatividade das espécies de ferro; (d) métodos de quantificação e visualização de espécies de ferro em meio celular; (e) reatividade e toxicidade.

  2. Função e estrutura de metaloproteínas de ferro: (a) proteínas de armazenamento e transporte de ferro; (b) proteínas de transporte e armazenamento de oxigénio; (c) proteínas de transferência eletrónica; (d) proteínas de ferro-enxofre.

  3. A regulação sistémica do metabolismo do ferro (o ciclo do ferro): (a) absorção intestinal; (b) a reciclagem nos macrófagos; (c) espécies no soro e sua distribuição; (d) armazenamento e utilização.

  4. Regulação molecular do metabolismo do ferro: (a) regulação do metabolismo celular; (b) o eixo hepcidina/ferroportina; (c) regulação pela anemia e hipoxia; (d) regulação pela inflamação.

  5. Patologias relacionadas com a insuficiência ou a sobrecarga de ferro: (a) anemia (b) hemocromatose e outras doenças de sobrecarga de ferro; (d) doenças neuro-degenerativas; (e) infeção; (f) cancro.

  6. Aspetos terapêuticos (a) na deficiência de ferro (b) na sobrecarga de ferro

Bibliografia Obrigatória

Robert R. Crichton; Biological Inorganic Chemistry An Introduction, Elsevier, 2008. ISBN: 978-0-444-52740-0

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

A apresentação de um conjunto de exemplos que demonstem a importância e as várias vertantes do tema da UC inicia a discussão para os conceitos e ferramentas para necessários para a abordagem do metabolismo do ferro. Nas aulas seguintes é feita uma discussão aprofundada que pode envolver a apresentação de exemplos por parte dos alunos, que deve ser baseada numa pesquisa bibliográfica.

A parte laboratorial envolve sessões no laboratório que permitem ao estudante tomar contacto com os métodos de determinação e monitorização de espécies de ferro. Estão prevista também a análise de dados de parâmetros hematológicos relativos a groupos de pacientes com patologias associadas a desregulação do ferro.

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída sem exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Apresentação/discussão de um trabalho científico 25,00
Teste 75,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Apresentação/discussão de um trabalho científico 6,00
Estudo autónomo 47,00
Frequência das aulas 28,00
Total: 81,00

Obtenção de frequência

Não aplicável

Fórmula de cálculo da classificação final

A nota final é a obtida em avaliação distribuída ou exame final 

Avaliação especial (TE, DA, ...)

Exame escrito em época definida no Regulamento/os de avaliação para os respectivos estatutos.

Melhoria de classificação

A melhoria é realizada em Exame Final nas épocas definidas para o efeito.

Observações

Fórmula de cálculo de classificação Final : Alteração em Outubro de 2020

Classificação final = (0.55 x Nota teste)+(0.45 x apresentação/discussão de dois trabalhos científicos)
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2021 © Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2021-03-07 às 19:11:44 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais