Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > Cursos/CE > MIM > Informação para Candidatos

Cursos

Mestrado Integrado em Medicina

Dados Gerais

Código Oficial: 9813
Sigla: MIM

Diplomas

  • Mestrado em Medicina (360 Créditos ECTS)
  • Licenciatura em Ciências Básicas da Saúde (180 Créditos ECTS)

Unidades Curriculares

Anatomia Sistemática I

M115 - ECTS

É um curso clássico de anatomia macroscópica humana que se destina a transmitir conhecimento sistematizado e detalhado da estrutura do corpo humano. Nesta informação anatómica serão frequentemente integrados conceitos de fisiologia, histologia e alguns exemplos de medicina clínica. Na Anatomia Sistemática I tratam-se três capítulos da Anatomia Descritiva Humana: Osteologia, Artrologia e Miologia. Durante as primeiras aulas teóricas, partilhando tempo de aula com a Osteologia, será apresentada uma visão global da anatomia humana (designada como “Anatomia Geral”); é um componente novo da disciplina (2019/20 é o primeiro ano letivo que inclui este capítulo introdutório de “Anatomia Geral”) que se considerou útil adicionar logo à entrada das Anatomias. Com as aulas práticas pretende-se que os alunos adquiram a capacidade de identificar, interpretar e descrever os elementos anatómicos do corpo humano de um modo sistemático e completo, tendo com objeto de estudo peças cadavéricas. Os restantes capítulos de Anatomia Humana serão tratados em detalhe nas disciplinas de Anatomia Sistemática II (Angiologia, Esplancnologia e Estesiologia) e Anatomia e Fisiologia do Sistema Nervoso (Neuroanatomia). A aplicação de conceitos de Anatomia Topográfica à Clínica Médica será realizada na disciplina de Anatomia Clínica.

Biologia da Célula e dos Tecidos

M112 - ECTS

Parte 1 - BIOLOGIA DA CÉLULA:

-Pretende-se que os alunos adquiram conceitos básicos da estrutura e funcionamento da célula.

-Mais especificamente:

-obter noções específicas da estrutura e função dos diferentes componentes celulares.

-saber utilizar em autonomia o microscópio ótico.

-saber o processamento para microscopia ótica e eletrónica.

-saber identificar a ultrastrutura dos componentes celulares.


Parte 2 - BIOLOGIA DOS TECIDOS:

Promover conhecimentos teóricos e práticos da microanatomia e histofisiologia dos tecidos do corpo humano, adquirindo-se saberes e competências potenciadores da análise, compreensão e integração progressiva de conteúdos de biologia celular, anatomia, fisiologia, patologia, etc.

Fundamentos da Química e da Biofísica

M113 - ECTS

1. Em geral, explicar o funcionamento, e métodos de estudo, dos componentes moleculares biológicos, e das suas organizações supramoleculares, com base em modelos fundamentais da Física e da Química.

2. Aplicar modelos fundamentais da Física para descrever o funcionamento de alguns métodos instrumentais de diagnóstico e de terapêutica, bem como para entender os dados medicamente relevantes obtidos a partir dos referidos métodos.

3. Aplicar modelos fundamentais da Química para descrever as propriedades estruturais e reaccionais biologicamente mais relevantes dos compostos de carbono.

4. Sistematizar conhecimentos específicos sobre a estrutura das moléculas biológicas mais importantes, bem como relacionar a referida estrutura com a "função" biológica.

Introdução à Medicina I

M111 - ECTS
Esta UC tem por objetivo dar a conhecer aos estudantes de Medicina as várias dimensões da profissão médica, da investigação à prática clínica, ao promover o contato prático com cada um estes cenários de atuação.
Ao concluir esta UC pretende-se que o estudante seja capaz de responder com espirito crítico às seguintes questões sobre ser Médico:

I- Quem somos? O que fazemos?
Dimensões da Medicina: clínica, investigação, educação, indústria, administração.

II- Como chegamos aos dias de hoje?
História da Medicina.

III- Como nos integramos no meio?
Relação e comunicação interpares, médico-doente, médico-sociedade.

Métodos Quantitativos

M114 - ECTS

O objetivo desta UC é familiarizar os estudantes com conceitos e técnicas estatísticas necessárias para uma correta formulação e interpretação de modelos biológicos.

Os estudantes deverão adquirir competências para formular e analisar modelos estatísticos. Competências que neste caso são de várias ordens, mas basicamente pretende-se que o estudante entenda a utilidade dos modelos matemáticos para aproximar fenómenos biológicos, assim como seja capaz de perceber, quando pretende fazer um estudo estatístico, que tipo de dados deve recolher, que tipo de análises deve fazer para tentar obter os resultados pretendidos, ou seja a resposta às questões de investigação. Na realidade o que se pretende é tão somente que o estudante entenda para que serve a estatística nas áreas da vida. Não se estão a formar estatísticos, mas alguém que se saiba relacionar com estatísticos.

Anatomia Sistemática II

M122 - ECTS

É a segunda parte de um curso clássico de anatomia geral humana que se destina a transmitir um conhecimento completo e detalhado da morfologia dos órgãos e da estrutura do corpo humano. Na informação anatómica estão integrados conceitos de fisiologia e histologia e é frequentemente ilustrada com situações escolhidas de medicina clínica. Com as aulas de laboratório pretende-se que os alunos adquiram a capacidade de identificar, interpretar e descrever os elementos anatómicos do corpo humano.

Bioquímica e Metabolismo

M123 - ECTS

O metabolismo é um conjunto integrado de reacções químicas que ocorrem nas células com o objectivo de extrair energia do ambiente e usa-la para sintetizar as moléculas necessárias para produzir proteínas, lípidos, carbohidratos, ácidos nucleicos, etc. A disciplina de Bioquímica e Metabolismo tem como objectivos o estudo dos mecanismos de regulação dessas vias metabólicas, assim como das vias de transdução de sinal utilizadas pelas células para receber, processar, amplificar e integrar diversos sinais extracelulares. O aluno deverá ser capaz de reconhecer e explicar as funções das vias metabólicas, relacionar processos digestivos e de produção e armazenamento de energia com a composição de alimentos, relacionar mecanismos de regulação metabólica por hormonas, retroinibição e outros mecanismos com as necessidades em energia e metabolitos, reconhecer e explicar as bases moleculares dos mecanismos de homeostase (e.g., glucose e lípidos), relacionar o conhecimento das vias metabólicas com as bases moleculares, diagnóstico e tratamento de doenças, e participar activamente na resolução de problemas.

Genética Básica

M125 - ECTS

Procurar-se-à introduzir e estimular nos alunos: (i) a importância da Genética na Medicina e no quotidiano da prática clínica; (ii) a capacidade de formular hipóteses relacionadas com a observação de pedigrees, usando os conceitos e as técnicas matemáticas apropriados para identificar as causas genéticas responsavéis por determinadas doenças e o desenvolvimento do espírito crítico em relação aos resultados; (iii) a aptidão para compreender a evolução de uma população através das frequências genéticas.

Histologia dos Sistemas e Embriologia

M124 - ECTS Proporcionar aos estudantes uma experiência de ensino-aprendizagem curso de elevada qualidade em Histologia dos Sistemas e de Embriologia, na continuidade dos conteúdos de Biologia Celular e de Tecidos, expandindo assim os conhecimentos, aptidões e competências anteriormente promovidas.

Facultar aos estudantes uma visão muito dinâmica dos conteúdos programáticos, incentivando a integração de conhecimentos e o perspetivar da importância e da aplicabilidade dos resultados da aprendizagem e competências no contexto da formação do futuro médico.

Introdução à Medicina II

M121 - ECTS

Esta UC tem dois tipos de objectivos:

A - Proporcionar aos estudantes conhecimentos sobre alguns dos problemas da atualidade (1,2)

B - Proporcionar aos estudantes conhecimentos sobre métodos quantitativos  aplicados à medicina, seja ela na sua vertente de planeamento, clínica, saúde pública ou investigação. (3,4)

Anatomia e Fisiologia do Sistema Nervoso

M212 - ECTS

Esta unidade tem por finalidade fornecer uma perspectiva abrangente da função do sistema nervoso, com uma incidência particular nos tópicos relevantes para a neurociências clínicas. Os objectivos principais do curso são:

 

1) fornecer aos estudantes os conhecimentos básicos da estrutura, nomenclatura e funcionamento do sistema nervoso;

2) fornecer os conhecimentos neuroanatómicos e funcionais necessários à compreensão e interpretação do exame neurológico.

 

Estes objectivos serão atingidos utilizando uma diversidade de modalidades de ensino, incluindo aulas teóricas, aulas laboratoriais e análise de casos clínicos.

 

A unidade terá 2 módulos que irão versar sobre neuroanatomia e neurofisiologia durante 7 semanas cada.

 

A responsabilidade da unidade será em regime de corregência pelos Profs. Joaquim Reis (neuroanatomia) e Jorge Machado/Manuel Laranjeira (neurofisiologia).

Ciência e Sociedade

OPT2_12 - ECTS Desenvolver capacidade de reflexão e análise crítica sobre ciência, produção de conhecimento científico e o lugar da ciência na sociedade.

Complementos de Metabolismo

OPT2_14 - ECTS Esta UC é oferecida em regime de opção e, por isso, pretende fornecer ao estudante com particular apetência/interesse pela bioquímica/metabolismo humano a oportunidade de aprofundar os seus conhecimentos nesta área. Dar-se-á particular atenção às alterações metabólicas associadas a diversas patologias de natureza genética. Várias doenças metabólicas hereditárias monogénicas serão analisadas e utilizadas como fio condutor para ilustrar como as alterações ao nível de uma molécula (e.g., uma enzima, um canal membranar) levam a modificações metabólicas severas com consequências em diversos órgãos/sistemas. Uma perspectiva “histórica” será apresentada para algumas destas patologias e respectivos tratamentos. Pretende-se com esta estratégia também desmistificar a ideia de que a investigação científica é uma actividade transcendente.

E pur si Muove! Avanços Recentíssimos da Medicina

OPT2_13 - ECTS Esta disciplina opcional destina-se aos que têm prazer em estar atentos e curiosos relativamente às descobertas científicas mais recentemente, em particular às que têm implicações médicas. Regente e estudantes embarcarão numa viagem de pesquisa na net daquilo que vai sendo publicado em revistas científicas, à procura de resultados que tenham o de aumentar o conhecimento médico, em particular novos dados com potencial a aplicação à saúde humana. Os participantes nesta disciplina opcional devem ter prazer de procurar o desconhecido: a disciplina não tem programa prévio porque o seu alvo preferencial serão artigos científicos publicados após a darta de início da disciplina. Através da procura na internet, por exemplo, no site Science Direct, serão selecionados pelos estudantes e pelo regente notícias e artigos científicos recentemente divulgados e, entre estes, escolhidos aqueles que pareçam mais interessantes para quem quer ser médico. Os artigos escolhidos serão alvo de apresentação sucinta, apoiada por PowerPoint a partilhar por todos, seguida de discussão geral sobre o seu significado e importância em medicina.

Epidemiologia e Saúde Pública

M214 - ECTS

CONHECIMENTOS – os estudantes deverão ficar a saber que:

 

Os aspectos comportamentais são importantes factores determinantes de saúde na atualidade e é essencial a sua discussão pública, nomeadamente através dos media;

 

Através dos meios audiovisuais divulgados pelo cinema clássico (e vídeos), são veiculados conhecimentos e opiniões sobre importantes problemas de saúde pública;

 

Os meios acima descritos são instrumentos com enorme potencial de uso a favor da resolução de problemas de saúde pública, mas também têm podem ser usados na manipulação dos profissionais e da população em geral;

 

A organização dos serviços de saúde é uma questão essencial para assegurar que da sua actividade resultem ganhos de saúde para a população;

 

Existe uma metodologia devidamente comprovada para intervir em emergências de saúde pública (Epidemiologia de Intervenção ou Epidemiologia de Campo);

 

CAPACIDADES - os estudantes deverão ficar a ser capazes de:

 

Avaliar de forma crítica as mensagens sobre problemas de saúde pública veiculados por meios audiovisuais através do cinema clássico e dos media;

 

Integrar os conhecimentos e capacidades adquiridas nas outras unidades curriculares do MIM, no contexto mais amplo dos problemas de saúde pública;

 

ATITUDES - os estudantes deverão passar a:

 

Advogar o empenhamento activo dos médicos nas estratégias de saúde pública.

Fisiologia I

M213 - ECTS Objectivos comuns a Fisiologia I e II, UCs complementares. O estudante deve familiarizar-se com as funções primárias e secundárias dos grandes sistemas fisiológicos, através dos seus mecanismos de acção; perceber as relações entre eles e a importância de cada um para a homeostasia; deve perceber as diferenças e complementariedade entre os 2 principais controladores das funções do organismo, sistemas nervoso e sistema endócrino, com uma abordagem especial deste último; estas competências serão imprescindíveis para o estudo ulterior da fisiopatologia. A abordagem ao sistema nervoso é feita em paralelo na Uc de Anatomia e Fisiologia do Sistema Nervoso.

Genética Molecular

M215 - ECTS

Induzir a apreensão de conhecimentos sobre os vários aspectos da estrutura e expressão dos genes, da regulação destes mecanismos e das tecnologias genéticas a nível molecular. Treinar a leitura, compreensão e transmissão da informação contida em artigos científicos da área.

Imunologia

M211 - ECTS

1. Aquisição de conhecimentos em imunologia básica ou fundamental, necessários para a compreensão da fisiologia e patologia imunológica em humanos. 2. Aquisição de competências para a compreensão de informação bibliográfica básica e avançada na área disciplinar da imunologia. 3. Aquisição de hábitos e métodos de auto-aprendizagem. 4. Aperfeiçoamento da capacidade de transmissão oral e escrita de informação e conhecimento. 5. Aperfeiçoamento da capacidade de realização de trabalhos laboratoriais. 6. Aquisição de conhecimentos e competências para a boa utilização de técnicas laboratoriais imunológicas de diagnóstico.

Psicologia

M216 - ECTS

Os estudantes deverao
i) conhecer as principais etapas do ciclo vital, integrando aspetos do desenvolvimento 
biologico, psicologico e social do ser humano
ii) conhecer os sistemas comportamentais basicos da especie 
humana, integrando os conhecimentos sobre a estrutura / funcao e
iii) identificar os focus principais de cada etapa 
de vida e os desafios que colocam em termos de saude

Tópicos de Saúde Tropical

OPT2_15 - ECTS

Introdução à Saúde Tropical tendo em conta o conceito Global Health. Aos estudantes do segundo ano, ainda sem experiência clínica, serão dados conceitos básicos passíveis de serem explorados em anos posteriores em diferentes valências do ciclo de estudos. Intervenções no âmbito da Medicina sem Fronteiras, quer de emergência quer de desenvolvimento, podem contribuir para reduzir o peso do dia-a-dia de milhões de pessoas. Esta Unidade Curricular pretende familiarizar os futuros médicos com os rudimentos da saúde tropical e as oportunidades que a profissão oferece devido às carências no mundo em desenvolvimento, especialmente em África.

A Doença vista pela Literatura e pela Pintura

OPT2_21 - ECTS Percorrer lentamente algumas obras icónicas da literatura e da pintura que abordam o homem doente, fomentando um papel ativo dos estudantes na escolha dos textos, das imagens e sobretudo da sua interpretação e significado.

Anatomia Clínica

M222 - ECTS

Revisitar os conhecimentos da Anatomia Humana, anteriormente aprendidos nas disciplinas de Anatomia Sistemática I e II e Neuroanatomia, agora com ênfase na sua vertente topográfica e de aplicação dos conhecimentos anatómicos à compreensão de cortes anatómicos axiais do corpo humano e de casos clínicos. As aulas teóricas estão divididas em dois grupos: (i) anatomia topográfica regional do corpo humano e (ii) exercícios de identificação de fundamentos anatómicos de casos clínicos concretos. As aulas práticas serão focadas na revisão da topografia anatómica dos várias regiões do corpo humano (utilizando cortes anatómicos axiais) e discussão de fundamentos anatómicos de casos clínicos concretos. Em vez de ter todo o programa da Anatomia Humana Topográfica tratado exaustivamente nas aulas, o aluno é agora convidado a assistir a módulos temáticos e discussões anatomoclínicas (aulas teóricas e práticas) e é estimulado a acompanhar o estudo geral da disciplina por iniciativa própria, tendo como referência manuais como o "Clinical Anatomy "de Snell (ou a "Anatomia Orientada para a Clínica" também de Snell).

Bioestatística e Métodos de Investigação

OPT2_25 - ECTS

A unidade curricular visa contribuir para a construção de uma visão geral e integrada da Bioestatística e Métodos de Investigação em Medicina:

Conhecer, compreender e aplicar conceitos, métodos, aplicações e tópicos em Estatística relevantes em Bioestatística e Métodos de Investigação em Medicina.

Desenvolver, no domínio da Estatística, competências analíticas de comunicação e aprendizagem apropriadas ao exercício da profissão.

Desenvolver capacidades, em especial na leitura crítica de literatura em Bioestatística e Métodos de Investigação em Medicina.

Bioquímica e Infeção na Prática Médica

OPT2_24 - ECTS Nem todo o conhecimento de bioquímica e de microbiologia é aplicado na medcina. De facto, a medicina selecciona apenas os conhecimentos que são úteis na prática da profissão, emparticular no diagnóstico, acompanhamento e tratamento da doença. Esta disciplina será focada em conhecimentos de bioquímica e microbiologia que são efetivamente úteis para compreender a doença, e a infeção em particular.
Mais importante do que saber m detalhe o ciclo de Krebs, é cmpreender o significado dos marcadores de doença que podem ser detetados no sangue ou em líquidos orgânicos.
Mais importante do saber qual o matabolismo molecular das bactérias, interessa saber como podem ser detetadas e combatidas as bactérias que causam doença, e apenas estas bactérias.
No componente bioquímico desta disciplinas serão tratadas, a título de exemplo, as seguintes moléculas: glucose, albumina, colesterol, creatinina, amilase, triglicéridos, HDL e LDL, ureia, ácido úrico, bilirrubina, transaminases, troponinas, mioglobina, proteína C reativa, fibrinogénio, lipase, gastrina, hemoglobina glicada, PSA, etc.
No componente microbiológico desta disciplina serão tratados, a título de exemplo, os seguintes agentes infecciosos: virus influenza, papilomavirus, adenovirus, virus das hepatites, virus herpes, priões, bacteriófagos, estreptococos, estafilococos, micobactérias, escheria coli, gram positivos e negativos, vibrião da cólera, treponema, parasitas, fungos, etc.

Fisiologia Humana Integrada

OPT2_26 - ECTS

Estudo do impacto na função de sistemas biológicos quando ocorrem necessárias adaptações ao longo da vida e em situações fisiológicas de stresse ou atividade extrema, bem como em resposta à doença com o objetivo de aplicação no exercício na medicina.

Fisiologia II

M223 - ECTS

Objetivos comuns a Fisiologia I e II, UCs complementares. O estudante deve familiarizar-se com as funções primárias e secundárias dos grandes sistemas fisiológicos, através dos seus mecanismos de ação, perceber as relações entre eles e a importância de cada um para a homeostasia, perceber as diferenças e complementariedade entre os 2 principais controladores das funções do organismo, sistemas nervoso e sistema endócrino, com uma abordagem especial deste último. Estas competências serão imprescindíveis para o estudo ulterior da fisiopatologia. A abordagem ao sistema nervoso é realizada em paralelo na Uc de Anatomia e Fisiologia do Sistema Nervoso.

Imunopatologia Humana

OPT2_22 - ECTS

Aplicação da imunologia básica à doença imuno-mediada.

Compreensão da disfunção imune e sua tradução clínica.

Compreeensão da manipulação da resposta imune como estratégia terapêutica.

Medicina da Reprodução

OPT2_23 - ECTS

-OBJETIVOS:

Os alunos devem adquirir os conceitos básicos sobre avaliação e tratamento de casais inférteis. Esta unidade curricular tem como objetivo principal permitir que os alunos adquiram conhecimentos gerais que melhorem a capacidade de se aproximar corretamente da infertilidade em seu futuro futuro médico, incluindo sua prevenção. Neste módulo, o aluno adquire conhecimento geral de como avaliar, diagnosticar e tratar de forma mais adequada as diferentes patologias de casais inférteis. Também iremos capacitar o aluno com conhecimento sobre as áreas laboratoriais associadas. Também abordará as indicações e os meios disponíveis para a preservação da fertilidade, bem como os aspectos psicológicos, legislativos e éticos inerentes ao diagnóstico e ao tratamento de casais inférteis. Na área da ciência básica, queremos que os alunos aprofundem seus conhecimentos sobre gametogénese, fertilização, desenvolvimento embrionário preimplantação e implantação embrionária e para adquirir conhecimentos sobre investigação nesta área.

Mais especificamente:

-Obter noções gerais sobre gametogénese humana, fertilização, desenvolvimento embrionário preimplantação e implantação embrionária.

-Obter competências sobre como lidar com o casal infértil e prevenir a infertilidade.

-Obter noções sobre como avaliar e tratar o casal infértil em relação às principais causas, métodos de diagnóstico e tratamento.

-Adquirir noções sobre os métodos nos laboratórios de andrologia e embriologia.

-Adquirir noções sobre as indicações e métodos para a preservação da fertilidade.

-Adquirir noções sobre questões psicológicas, legislativas e éticas na reprodução assistida.

Microbiologia

M221 - ECTS No final deste curso de Microbiologia, pretende-se que os alunos sejam capazes de:

Reconhecer a importância da Microbiologia no contexto das Ciências Biomédicas.
Enunciar as características estruturais básicas conhecidas hoje para os vírus, bactérias, fungos e protozoários.
Citar diferentes estratégias usadas por diferentes bactérias para a obtenção de energia e de elementos para a biossíntese.
Descrever matematicamente o crescimento bacteriano; enunciar fatores que afetam esse crescimento.
Citar mecanismos de atuação de alguns dos antibióticos presentemente disponíveis e reconhecer potenciais novos alvos para atuação de futuros quimioterápicos.
Explicar como surgem as resistências bacterianas aos antibióticos e como pode ser evitado esse surgimento.
Explicar em quê que diferem as bactérias e vírus dos organismos eucariotas em termos de organização genética e troca de material genético entre indivíduos.
Descrever de forma genérica os ciclos replicativos de diferentes tipo de vírus.
Descrever os tipos de danos que podem ser causados pelas infeções virais.
Descrever o modo de atuação de alguns dos fármacos antivirais em uso clínico.
Identificar as principais características dos fungos com relevância para a sua identificação.
Enunciar e distinguir as diferentes formas de manifestação das infeções fúngicas.
Descrever os ciclos replicativos de alguns protozoários com relevância clínica e epidemiológica.
Reconhecer fatores de virulência ou patogenicidade microbiana.
Enunciar os principais componentes dos sistemas de defesa contra infeções presentes em animais vertebrados.

Executar corretamente a técnica asséptica de manipulação de microrganismos e respeitar regras de biossegurança.
Usar corretamente o microscópio ótico para a observação de microrganismos.
Usar diferentes técnicas de coloração para a visualização e classificação de microrganismos.
Usar de forma apropriada alguns testes metabólicos para a identificação microbiana.
Quantificar as bactérias presentes numa amostra.
Encontrar de forma eficaz e crítica as fontes bibliográficas que lhes permitam atualizar estes conhecimentos ao longo dos anos.

Patologia I

M224 - ECTS
  1. Reconhecer a “Patologia” como estudo de alterações estruturais, bioquímicas e funcionais das células, tecidos e orgãos, subjacentes ao desenvolvimento de doença
  2. Compreender os mecanismos fundamentais de adaptação, lesão e morte celular
  3. Reconhecer os principais tipos de inflamação, seus mecanismos e papel na regeneração e reparação tecidular
  4. Identificar exemplos de alterações do metabolismo, correlacionando os mecanismos com manifestações clínicas e patológicas
  5. Compreender os mecanismos subjacentes às alterações da parede vascular, hemostase e tromboembolismo
  6. Identificar as principais patologias associadas à desregulação do sistema imunitário e sua correlação com síndromes clínicos do foro imunológico
  7. Reconhecer os ciclos de vida de parasitas comuns e as lesões associadas
  8. Compreender os mecanismos de patogenicidade do tabaco, álcool e drogas
  9. Reconhecer os principais mecanismos celulares e moleculares subjacentes ao processo de envelhecimento e patologias associadas

Farmacologia I

M312 - ECTS

Dotar os alunos de conhecimentos em Farmacologia Básica, com especial referência aos mecanismos de ação (da molécula ao sistema), à farmacocinética, ao relacionamento do mecanismo de ação com a resposta clínica, aos efeitos laterais, problemas clínicos e toxicidade dos diferentes fármacos, e sua aplicabilidade na terapêutica.

Patologia II

M313 - ECTS
  1. Compreender o conceito de neoplasia como alteração do crescimento e diferenciação celular/tecidular
  2. Compreender as bases de classificação e reconhecer os principais tipos de neoplasia humana
  3. Conhecer o perfil epidemiológico das principais neoplasias humanas e sua evolução temporal
  4. Reconhecer os principais agentes tumorigénicos e seus mecanismos de acção
  5. Identificar as fases principais do desenvolvimento neoplásico e as características biológicas subjacentes
  6. Reconhecer as bases genéticas, epigenéticas e moleculares subjacentes ao processo de tumorigénese
  7. Reconhecer e compreender as principais situações de predisposição hereditária para cancro
  8. Integrar os conhecimentos sobre genése, biologia e evolução das neoplasias com base nos modelos de neoplasia humana mais prevalentes

Semiologia e Fisiopatologia I

M311 - ECTS

Objetivos gerais

- Adquirir autonomia, capacidades de autoaprendizagem e propósitos de educação contínua que garantam preservação da postura pessoal e competência profissional adequada ao desempenho da prática médica ao longo da vida;

- Adquirir posturas e atributos indispensáveis ao desempenho da profissão médica, percebendo a importância definitiva da relação médico-doente;

- Dar contexto clínico ao currículo científico básico, i.e., integrar os conhecimentos previamente adquiridos numa perspetiva clínica;

Objetivos específicos

Na Semiologia e Fisiopatologia I (SFI), os objetivos centram-se na aquisição de conhecimentos e de capacidades de estabelecer uma relação apropriada com o doente, recolher informação, construir uma base de dados clínica e raciocinar clinicamente e criticamente sobre os casos clínicos. A aprendizagem cognitiva centra-se na semiologia geral e na semiologia específica de sistemas respiratório, cardíaco e musculoesquelético. Além da recolha da anamnese, o estudante adquire competências na realização de exame físico básico do adulto e na leitura básica de determinados exames complementares (Eletrocardiograma, Radiografia de Tórax e Espirometria)

Semiologia Radiológica

M314 - ECTS

Conhecimento dos fundamentos teóricos das técnicas atualmente utilizadas na exploração imagiológica dos doentes: Radiologia convencional, Tomografia Computorizada, Ultrassonografia, Ressonância Magnética, cintilografia, SPECT e PET.

Familiarização com o ambiente radiológico, designadamente com a proteção radiológica e os diferentes aparelhos.

Indicações clínicas para as diferentes técnicas diagnósticas e terapêuticas.

Integração dos meios de estudo e informação clínica.

Capacidade diagnóstica de situações de urgência.

Capacidade de diagnóstico guiado por relatório nas situações básicas não urgentes.

Virologia, Micologia e Parasitologia

M315 - ECTS

Objetivos: Para além dos objetivos gerais transversais a todas as unidades curriculares do MIM, a UC de Parasitologia, Micologia e Virologia terá por objectivo principal a formação do estudante não só no conhecimento básico da etiologia, da patogenia, do estudo laboratorial, do tratamento e da prevenção das grandes síndromas causadas por bactérias, fungos vírus e parasitas, mas também:

- Descrever as diversas vertentes do diagnóstico microbiológico, conhecendo a importância e o impacto das variáveis pré analíticas na qualidade dos resultados
- Planear todo o diagnóstico microbiológico
- Correlacionar os resultados laboratoriais com as informações clínicas
- Ter noções sobre os antimicrobianos, antifúngicos e antivíricos usados quer no tratamento quer na prevenção das infeções causadas pelos microrganismos
- Reconhecer a importância da vigilância epidemiológica da infeção nosocomial.
- Compreender o contributo da Microbiologia na investigação clínica

A equipa docente deseja motivar e colaborar no desenvolvimento pessoal de cada aluno para que estes objectivos sejam alcançados

Epidemiologia Médica

M324 - ECTS

CONHECIMENTOS – os estudantes deverão ficar a saber:

  • A importância da Epidemiologia para a prática da Medicina, qualquer que seja a especialidade.
  • As características, potencialidades e limitações dos estudos da coortes, casos-controlos, ensaios aleatorizados e outros tipos de estudos epidemiológicos.
  • Quais são as medidas de frequência, associação e de impacto, mais usadas em Epidemiologia.
  • Como se avalia a validade de estudos epidemiológicos através da análise dos potenciais efeito do acaso, do viés e do confundimento.
  • Quais os critérios de causalidade que se aplicam aos resultados da investigação epidemiológica.

 CAPACIDADES - os estudantes deverão ficar a ser capazes de:

  • Calcular medidas de frequência e de associação tais como incidência, prevalência, risco relativo, risco atribuível, fração etiológica do risco e odds ratio.
  • Interpretar os valores das medidas atrás referidas.
  • Avaliar a validade de estudos epidemiológicos publicados.
  • Aplicar critérios de causalidade a associações entre fatores de risco e doenças. 

ATITUDES - os estudantes deverão passar a:

  • Valorizar o ensino da Epidemiologia no ensino e treino dos médicos
  • Ser críticos relativamente aos achados (e recomendações) publicados sobre medidas de prevenção e de tratamento de doenças.

Farmacologia II

M322 - ECTS

Dotar os alunos de conhecimentos em Farmacologia Especial, com relevância para o tratamento de entidades patológicas específicas de cada órgão ou sistema, e dos fármacos importantes no combate das infeções e infestações por agentes microbianos (bactérias, fungos, vírus, protozoários, etc.). Na abordagem de cada grupo de fármacos faz-se especial referência ao mecanismo de ação (da molécula ao sistema), à farmacocinética, ao relacionamento do mecanismo de ação com a resposta clínica, aos efeitos laterais, problemas clínicos e toxicidade, bem como à sua relevância clínica na prática médica.

Genética Médica

M325 - ECTS

Conhecimentos: doença genética como extremo da variabilidade humana; tipos de hereditariedade; cálculos de riscos; técnicas de diagnóstico de doenças hereditárias; genética das doenças comuns; fatores genéticos no cancro; rastreio, prevenção e tratamento de doenças genéticas; aspetos éticos, legais e sociais das doenças genéticas.

Aptidões: colher, registar e interpretar uma história familiar; determinar a natureza hereditária de uma doença; calcular riscos; reconhecer o impacto psicosocial da doença hereditária; reconhecer os síndromes cromossómicos e as doenças hereditárias mais frequentes; conhecer as indicações para testes genéticos, interpretar resultados mais frequentes e reconhecer as suas limitações.

Competências: supeitar/fazer o diagnóstico correto de algumas doenças genéticas mais frequentes; saber quando referenciar doentes e familiares a consulta de genética médica; aprender a ajudar os doentes na tomada de decisões sem influenciar através de opiniões próprias ou preconceitos, a respeitar a autonomia e a não julgar as escolhas.

Psicologia Médica

M326 - ECTS É objectivo primordial da UC de Psicologia Médica dotar o futuro Médico de aptidões, atitudes e comportamentos consentâneos com uma abordagem global do Homem em sofrimento.

- Compreender e conhecer o desenvolvimento humano e a dimensão psicológica do processo do adoecer e a adaptação da pessoa à doença ao longo do ciclo vital (criança, adolescente, adulto, pessoa mais velha)

- Desenvolver a perspetiva da unidade corpo e mente, percursora do modelo bio-psico-social, e compreender a importância dos fatores psicossociais na saúde e no desencadear e no curso da doença.

- Aplicar o modelo bio-psico-social a situações específicas (doença crónica, doença de prognóstico fatal, situação terminal)

- Desenvolver competências de relação e de comunicação com os utentes dos serviços de saúde e com os outros profissionais que integram as equipas multidisciplinares prestadoras de cuidados de saúde (relação/ comunicação médico-doente e relação/comunicação dos médicos com os diferentes profissionais da área da saúde).

- Desenvolver competências de relação e de comunicação na Entrevista Clínica

. Aprender a comunicar com o doente e com a família

- Saber reconhecer e aprender a lidar, de forma eficaz, com a sintomatologia que, na esfera psicológica, é mais comum – ansiedade e depressão.

- Saber reconhecer e lidar com o processo de luto

- Aprender a comunicar “más notícias”

- Aprender a lidar com a Morte e o Morrer
 
- Aprender a identificar e a lidar com situações difíceis do contexto clinico (agressividade, doente que não fala, doente que fala demais...)

- Aprender a reconhecer a importância da relação e da comunicação médico-doente na adesão terapêutica

- Desenvolver o conhecimento de si e do outro

Semiologia e Fisiopatologia II

M321 - ECTS

Objetivos gerais

- Adquirir autonomia, capacidades de autoaprendizagem e propósitos de educação contínua que garantam preservação da postura pessoal e competência profissional adequada ao desempenho da prática médica ao longo da vida;

- Adquirir posturas e atributos indispensáveis ao desempenho da profissão médica, percebendo a importância definitiva da relação médico-doente;

- Dar contexto clínico ao currículo científico básico, i.e., integrar os conhecimentos previamente adquiridos numa perspetiva clínica;

Objetivos específicos

Na Semiologia e Fisiopatologia II (SFII), às competências clínicas básicas adquiridas na SFI, acrescentam-se as competências elementares de raciocínio e elaboração clínica, ou seja, as capacidades de conceber em cenário fisiopatológico explicativo, de deduzir uma listagem de problemas e de propor um plano de investigação clínica, a um nível elementar, compatível com o currículo desenvolvido. Os aspetos relativos à aprendizagem cognitiva focam-se nos sistemas hematológico, renal, neurológico e hepatobiliodigestivo bem como no reforço dos sistemas abordados previamente e na aquisição de competências de exame físico.

Semiótica Laboratorial

M323 - ECTS

Os alunos deverão ser capazes:

  • Possuir uma compreensão profunda das componentes do processo diagnóstico e do papel da medicina laboratorial.
  • Propor a inclusão de novos testes de diagnóstico com base em estudos de custo/benefício.
  • Formular diagnósticos diferenciais e identificar os diagnósticos mais prováveis.
  • Saber como utilizar a medicina baseada na evidência para escolha do melhor teste para uma dada situação clínica.
  • Saber como utilizar “Guidelines” na estratificação dos pedidos de exames de diagnóstico.
  • Saber atender à situação/perspetiva do doente na decisão de investigação diagnóstica.
  • Saber selecionar os exames com a maior probabilidade de obter um resultado útil, com custos/riscos aceitáveis.
  • Compreender como a prevalência da doença afeta o valor preditivo dos testes de diagnóstico.
  • Identificar os principais fatores a considerar ao selecionar um determinado teste, incluindo a probabilidade pré-teste, as características de desempenho do teste (sensibilidade, especificidade e valor preditivo), os custos, os riscos/benefícios e as preferências do doente como indivíduo.
  • Limitar a possibilidade de falsos positivos/falsos negativos através de uma seleção criteriosa dos exames de diagnóstico.
  • Compreender o modo de determinação dos valores de referência e as implicações que daí advêm na interpretação de dados de laboratório.
  • Saber interpretar os resultados, integrando-os no quadro clínico.
  • Reconhecer os principais erros na interpretação dos resultados e o seu impacto nas decisões médicas e evolução clínica.
  • Possuir a capacidade de selecionar, justificar e interpretar testes de diagnóstico nas situações clínicas mais comuns.

Anatomia Patológica Especial

M4_BM01 - ECTS
  1. Compreender o papel desempenhado pela Anatomia Patológica, enquanto especialidade médica, na abordagem diagnóstica e definição da estratégia terapêutica dos pacientes
  2. Contextualizar a informação anátomo-patológica no conjunto dos dados clínicos, analíticos e imagiológicos dos pacientes
  3. Correlacionar as alterações morfológicas, macroscópicas, microscópicas, imunofenotípicas e genéticas com as manifestações clínicas de doença
  4. Integrar os conceitos gerais sobre Anatomia Patológica nos principais modelos clínicos de doença humana.
  5. Adquirir e utilizar linguagem médica adequada na discussão de casos anátomo-clínicos

Bioética e Deontologia Médica

M4_BC01 - ECTS

No contexto de uma sociedade laica e multicultural, proporcionar ao estudante:

Conhecimentos teóricos em bioética adequados à prática dos cuidados de saúde (incluindo organização e investigação) e que os possa ajudar na relação médico-doente;

Habilidades mínimas para efetuar uma análise eticamente fundamentada relativamente a qualquer assunto sobre o qual não haja consenso;

Ferramentas para desenvolver os traços de caráter (tolerância, honestidade, integridade, coragem) necessários para uma boa relação médico-doente.

Garantir que os estudantes tenham adquirido:

Conhecimentos teóricos em bioética que sejam adequados à prática dos cuidados de saúde (incluindo organização e investigação) e que os possa ajudar na relação médico-doente;

Habilidades mínimas para efetuar uma análise eticamente fundamentada relativamente a qualquer assunto sobre o qual não haja consenso;

As ferramentas para desenvolver os traços de caráter necessários para uma boa relação médico-doente.

Cirurgia I e Especialidades Cirúrgicas

M4_BC02 - ECTS

Contribuir para a formação de médicos competentes, que proporcionem cuidados de elevada qualidade, incorporando os avanços científicos na sua prática clínica e que contribuam para esses avanços e adquiram a capacidade de continuar a aprender durante as suas vidas profissionais

Iniciação à Investigação Clínica I

OPT4_03 - ECTS

Objetivos primários:

Proporcionar conhecimentos de metodologia científica, estimulando a criatividade e, simultaneamente, o desenvolvimento do pensamento científico.

Proporcionar oportunidades de iniciação à investigação clínica em diversas áreas do conhecimento no âmbito das Ciências Médicas.

Ensinar os estudantes a identificar problemas relevantes do ponto de vista clínico que merecem ser investigados e a conceber as respetivas propostas de investigação, nas suas diferentes vertentes: científica, ética e financeira.

Objetivos secundários:

Despertar a vocação científica, incentivar e identificar talentos potenciais entre os estudantes de Medicina, pela sua efetiva participação em projetos de investigação.

Despertar uma nova mentalidade em relação à atividade médica hospitalar, no que respeita à vertente de investigação clínica.

Medicina de Emergência

M4_BM02 - ECTS

Abordagem geral da Reanimação e situações de Risco de Vida, destinada à totalidade dos alunos do 4º ano do Curso de Mestrado integrado de Medicina.

Medicina I e Especialidades Médicas

M4_BM03 - ECTS

O estudante vai ter de integrar em pleno os seus conhecimentos adquiridos nas ciências básicas com conhecimentos adquiridos nas disciplinas clínicas. Vai abordar o doente com a integração plena da fisiopatologia, semiologia e clínica. Vai ter de reconhecer diferentes síndromes clínicos e diferentes patologias integrando a anamnese e o exame físico; adquirir atitudes e competências no reconhecimento dos diferentes problemas clínicos apresentados pelo doente, preconizar uma estratégia diagnóstica e estabelecer diagnósticos diferenciais de um modo fundamentado. Vai adquirir e treinar o seu raciocínio clínico. 

Saber elaborar um plano de investigação clínico, nomeadamente quais os meios complementares de diagnóstico (MCDT) a solicitar, incluindo a sua criteriosa justificação e a correta interpretação e integração com os achados clínicos. Conhecer as indicações, vantagens e limitações dos diferentes MCDT. 

Apresentar um plano terapêutico e estabelecer um prognóstico.

Desenvolver capacidades de comunicação com os seus pares e perceber da necessidade do trabalho multidisciplinar em saúde e de modo particular na abordagem clínica do doente.

Estabelecer uma adequada relação médico-doente e demonstrar um respeito total pela confidencialidade e privacidade do doente.

Métodos Quantitativos em Clínica

OPT4_01 - ECTS

A unidade curricular tem como objetivo proporcionar aos estudantes conhecimentos sobre métodos de análise estatística aplicados à investigação clínica.
Os conhecimentos serão transmitidos numa vertente predominantemente prática que complemente o conhecimento teórico: o ensino será baseado no estudo de casos concretos de investigação e na análise de dados reais, para que os estudantes ganhem experiência sobre a correta implementação estatística que deve ser utilizada. Pretende-se que os estudantes adquiram competências que possam utilizar durante a execução da sua dissertação de mestrado.

Neurociências Clínicas

M4_BC03 - ECTS Aptidões processuais, capacidade de:
a) obter uma história completa,
b) executar um exame neurológico orientado e estruturado,
c) examinar doentes com alteração do estado de consciência ou estado mental anormal,
d) realizar uma punção lombar,
e) efetuar uma apresentação oral clara e concisa.

Aptidões analíticas, capacidade de:
a) reconhecer sintomas que podem significar doença do sistema nervoso,
b) distinguir pelo exame neurológico sinais normais de anormais,
c) determinar a topografia da lesão no sistema nervoso com nos sintomas e sinais,
d) formular o diagnóstico diferencial com base na topografia da lesão, evolução clínica, epidemiológicos, dados sociodemográficos relevantes,
e) uso, indicações e interpretação dos testes mais comuns em neurologia,
f) conhecer os princípios farmacológicos e terapêuticos das doenças neurológicas,
g) referenciar adequadamente os doentes reconhecendo as emergências,
h) rever e interpretar a literatura médica

Nutrição Artificial

OPT4_04 - ECTS A manutenção de um estado nutricional adequado nos doentes nos quais não é possível recorrer-se aos meios fisiológicos normais é reconhecido desde há vários anos como um factor determinante na formação médica. É fundamental preparar os alunos para a importância de conhecimentos sobre um adequado suporte nutricional a fornecer aos doentes. São objectivos de aprendizagem: integrar a informação do modo de funcionamento dos diversos aparelhos e sistemas, isoladamente e como partes de todo o organismo, quer num indivíduo saudável, quer no indivíduo doente e perceber quais as limitações que poderão influenciar um adequado suporte nutricional a instituir em diferentes patologias clínicas. Nesta disciplina o estudante iniciará a sua aprendizagem sobre o estudo dos alimentos, e dos mecanismos pelos quais o organismo ingere, assimila e utiliza os nutrientes que nos fornecem a energia necessária para a nossa sobrevivência.

ORL/ Oftalmologia

M4_BC04 - ECTS

ORL

Ter os conhecimentos nucleares na área da Otorrinolaringologia.

Desenvolver conhecimentos práticos na realização duma história clínica.

Desenvolver habilidades na execução do exame objetivo, nomeadamente otoscopia, rinoscopia anterior, exploração da faringe e cavidade oral e exame cervical.

 

Oftalmologia

Adquirir conhecimentos e capacidades para: colher e relatar uma história clínica oftalmológica, interpretar sinais e sintomas oculares, realizar exame oftalmológico sumário (de acordo com grelha de procedimentos obrigatórios efetuados nas aulas práticas) e propor os tratamentos adequados ou referenciação diferenciada (urgência ou consulta).

Adquirir conhecimentos sobre patologias oculares mais prevalentes, suas terapeuticas e efeitos secundários oculares de terapêuticas sistémicas e tópicas.

Terapêutica Geral I

M4_BC05 - ECTS

Conhecer o tratamento do doente respiratório vertente global (oxigénio e fármacos)

Familiarizar-se com a influencia do equilíbrio ácido-base e fluidoterapia no suporte global do doente.

Conhecer a terapêutica com antimicrobianos e adjuvante hiperbárica.

Terapêutica Geral II

M4_BM04 - ECTS

Conhecer qual o tratamento do doente cardiovascular, dor, osteoporose, biológicos, corticoides e da diabetes como situação de saúde/doença frequente do mundo atual.

Conhecer a sequencia da terapêutica com psicofármacos, intoxicações.

Familiarizar-se com a multi-prescrição e a interação de fármacos.

Anatomia Patológica Especial

M4_BM01 - ECTS
  1. Compreender o papel desempenhado pela Anatomia Patológica, enquanto especialidade médica, na abordagem diagnóstica e definição da estratégia terapêutica dos pacientes
  2. Contextualizar a informação anátomo-patológica no conjunto dos dados clínicos, analíticos e imagiológicos dos pacientes
  3. Correlacionar as alterações morfológicas, macroscópicas, microscópicas, imunofenotípicas e genéticas com as manifestações clínicas de doença
  4. Integrar os conceitos gerais sobre Anatomia Patológica nos principais modelos clínicos de doença humana.
  5. Adquirir e utilizar linguagem médica adequada na discussão de casos anátomo-clínicos

Bioética e Deontologia Médica

M4_BC01 - ECTS

No contexto de uma sociedade laica e multicultural, proporcionar ao estudante:

Conhecimentos teóricos em bioética adequados à prática dos cuidados de saúde (incluindo organização e investigação) e que os possa ajudar na relação médico-doente;

Habilidades mínimas para efetuar uma análise eticamente fundamentada relativamente a qualquer assunto sobre o qual não haja consenso;

Ferramentas para desenvolver os traços de caráter (tolerância, honestidade, integridade, coragem) necessários para uma boa relação médico-doente.

Garantir que os estudantes tenham adquirido:

Conhecimentos teóricos em bioética que sejam adequados à prática dos cuidados de saúde (incluindo organização e investigação) e que os possa ajudar na relação médico-doente;

Habilidades mínimas para efetuar uma análise eticamente fundamentada relativamente a qualquer assunto sobre o qual não haja consenso;

As ferramentas para desenvolver os traços de caráter necessários para uma boa relação médico-doente.

Cirurgia I e Especialidades Cirúrgicas

M4_BC02 - ECTS

Contribuir para a formação de médicos competentes, que proporcionem cuidados de elevada qualidade, incorporando os avanços científicos na sua prática clínica e que contribuam para esses avanços e adquiram a capacidade de continuar a aprender durante as suas vidas profissionais

Medicina de Emergência

M4_BM02 - ECTS

Abordagem geral da Reanimação e situações de Risco de Vida, destinada à totalidade dos alunos do 4º ano do Curso de Mestrado integrado de Medicina.

Medicina I e Especialidades Médicas

M4_BM03 - ECTS

O estudante vai ter de integrar em pleno os seus conhecimentos adquiridos nas ciências básicas com conhecimentos adquiridos nas disciplinas clínicas. Vai abordar o doente com a integração plena da fisiopatologia, semiologia e clínica. Vai ter de reconhecer diferentes síndromes clínicos e diferentes patologias integrando a anamnese e o exame físico; adquirir atitudes e competências no reconhecimento dos diferentes problemas clínicos apresentados pelo doente, preconizar uma estratégia diagnóstica e estabelecer diagnósticos diferenciais de um modo fundamentado. Vai adquirir e treinar o seu raciocínio clínico. 

Saber elaborar um plano de investigação clínico, nomeadamente quais os meios complementares de diagnóstico (MCDT) a solicitar, incluindo a sua criteriosa justificação e a correta interpretação e integração com os achados clínicos. Conhecer as indicações, vantagens e limitações dos diferentes MCDT. 

Apresentar um plano terapêutico e estabelecer um prognóstico.

Desenvolver capacidades de comunicação com os seus pares e perceber da necessidade do trabalho multidisciplinar em saúde e de modo particular na abordagem clínica do doente.

Estabelecer uma adequada relação médico-doente e demonstrar um respeito total pela confidencialidade e privacidade do doente.

Metodologias de Investigação em Biopatologia

OPT4_05 - ECTS
  1. Compreender os princípios básicos subjacentes ao diagnóstico molecular
  2. Dominar as principais técnicas e ferramentas de análise molecular e celular em biopatologia
  3. Compreender o quadro de situações em que se podem aplicar
  4. Aprender a conceber, estruturar e realizar um trabalho laboratorial
  5. Incrementar as capacidades de comunicação científica através da organização e interpretação dos resultados experimentais sob a forma de comunicação científica (oral / poster) ou manuscrito científico.

Neurociências Clínicas

M4_BC03 - ECTS Aptidões processuais, capacidade de:
a) obter uma história completa,
b) executar um exame neurológico orientado e estruturado,
c) examinar doentes com alteração do estado de consciência ou estado mental anormal,
d) realizar uma punção lombar,
e) efetuar uma apresentação oral clara e concisa.

Aptidões analíticas, capacidade de:
a) reconhecer sintomas que podem significar doença do sistema nervoso,
b) distinguir pelo exame neurológico sinais normais de anormais,
c) determinar a topografia da lesão no sistema nervoso com nos sintomas e sinais,
d) formular o diagnóstico diferencial com base na topografia da lesão, evolução clínica, epidemiológicos, dados sociodemográficos relevantes,
e) uso, indicações e interpretação dos testes mais comuns em neurologia,
f) conhecer os princípios farmacológicos e terapêuticos das doenças neurológicas,
g) referenciar adequadamente os doentes reconhecendo as emergências,
h) rever e interpretar a literatura médica

Nutrição Artificial

OPT4_04 - ECTS A manutenção de um estado nutricional adequado nos doentes nos quais não é possível recorrer-se aos meios fisiológicos normais é reconhecido desde há vários anos como um factor determinante na formação médica. É fundamental preparar os alunos para a importância de conhecimentos sobre um adequado suporte nutricional a fornecer aos doentes. São objectivos de aprendizagem: integrar a informação do modo de funcionamento dos diversos aparelhos e sistemas, isoladamente e como partes de todo o organismo, quer num indivíduo saudável, quer no indivíduo doente e perceber quais as limitações que poderão influenciar um adequado suporte nutricional a instituir em diferentes patologias clínicas. Nesta disciplina o estudante iniciará a sua aprendizagem sobre o estudo dos alimentos, e dos mecanismos pelos quais o organismo ingere, assimila e utiliza os nutrientes que nos fornecem a energia necessária para a nossa sobrevivência.

ORL/ Oftalmologia

M4_BC04 - ECTS

ORL

Ter os conhecimentos nucleares na área da Otorrinolaringologia.

Desenvolver conhecimentos práticos na realização duma história clínica.

Desenvolver habilidades na execução do exame objetivo, nomeadamente otoscopia, rinoscopia anterior, exploração da faringe e cavidade oral e exame cervical.

 

Oftalmologia

Adquirir conhecimentos e capacidades para: colher e relatar uma história clínica oftalmológica, interpretar sinais e sintomas oculares, realizar exame oftalmológico sumário (de acordo com grelha de procedimentos obrigatórios efetuados nas aulas práticas) e propor os tratamentos adequados ou referenciação diferenciada (urgência ou consulta).

Adquirir conhecimentos sobre patologias oculares mais prevalentes, suas terapeuticas e efeitos secundários oculares de terapêuticas sistémicas e tópicas.

Terapêutica Geral I

M4_BC05 - ECTS

Conhecer o tratamento do doente respiratório vertente global (oxigénio e fármacos)

Familiarizar-se com a influencia do equilíbrio ácido-base e fluidoterapia no suporte global do doente.

Conhecer a terapêutica com antimicrobianos e adjuvante hiperbárica.

Terapêutica Geral II

M4_BM04 - ECTS

Conhecer qual o tratamento do doente cardiovascular, dor, osteoporose, biológicos, corticoides e da diabetes como situação de saúde/doença frequente do mundo atual.

Conhecer a sequencia da terapêutica com psicofármacos, intoxicações.

Familiarizar-se com a multi-prescrição e a interação de fármacos.

Anestesiologia e Medicina Peri-operatória I

OPT5_17 - ECTS

Conhecer a avaliação do doente no pré-operatório e respetiva otimização

Conhecer as principais técnicas anestésicas, de ventilação, de monitorização.

Conhecer as particularidades do idoso e pediátrico que vai ser operado

Conhecer as modalidades de analgesia de parto

Saber quais os principais dilemas éticos no peri-operatório

Angiologia e Cirurgia Vascular

OPT5_27 - ECTS

 A Unidade Optativa de Angiologia e Cirurgia Vascular tem como objectivo, fornecer aos alunos de Mestrado Integrado em Medicina do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, um complemento na aquisição de conhecimentos na área da patologia vascular, á formação básica teórica e prática obtida no Modulo de Angiologia e Cirurgia vascular da Unidade Curricular de Cirurgia II.

Assim, além do aprofundamento do conhecimento nas áreas da doença arterial obstrutiva periférica, doença arterial aneurismática, isquemia aguda dos membros, doença arterial cerebrovascular extra-craneana, tromboembolismo venoso e insuficiência venosa crónica dos membros inferiores (varizes), o aluno deve ter contacto com outras patologias, nomeadamente com as caracteristicas clínicas e necessidades terapêuticas do pé diabético, dissecção aórtica, hipertensão renovascular, traumatismos vasculares com particular ênfase nos iatrogeneos, hiperhidrose, malformações vasculares, linfedema dos membros, métodos diagnósticos em patologia vascular e alternativas terapêuticas, médica, cirurgia endovascular, cirurgia convencional e cirurgia endoscópica.

Cirurgia de Ambulatório

OPT5_02 - ECTS

Após a conclusão bem-sucedida da unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de:

-Discriminar as vantagens da Cirurgia de Ambulatório (CA) e contextualizá-la no Mundo e em Portugal

-Identificar os critérios de admissibilidade à CA, bem como as especialidades envolvidas

-Reconhecer as patologias passíveis de tratamento em regime de ambulatório, bem como os princípios para uma rigorosa seleção do doente e avaliação do risco cirúrgico

-Proceder à colheita da história clínica, revisão dos antecedentes pessoais e esquematização do exame físico;

-Compreender e orientar todas as etapas do circuito do doente em ambiente ambulatório, que incluem, desde o diagnóstico ao seguimento pós-operatório, nomeadamente: 1ª consulta, consulta pré cirúrgica, bloco operatório, pensos e tratamentos pós-operatórios; consulta pós operatória e a alta clínica da consulta; Telefonemas do dia anterior, dia seguinte e 30 dias

-Reconhecer a organização estrutural e funcional da Unidade de CA e o seu planeamento

Cirurgia II e Especialidades Cirúrgicas

M5_BC01 - ECTS

A unidade curricular de Cirurgia II e Especialidades Cirúrgicas mantém os objetivos gerais de formação iniciados na unidade curricular de Cirurgia I e Especialidades Cirúrgicas. A aquisição de conhecimentos básicos de cirurgia expande-se agora para as áreas da oncologia cirúrgica. Pretende-se familiarizar os estudantes com a epidemiologia, patologia, diagnóstico e tratamento dos cancros, estimulando o aprofundar do conhecimento sobre as doenças malignas. A vertente Humana e ética que envolve o tratamento do cancro, as sequelas, as opções de paleação e o tratamento de suporte, que devem ser do conhecimento de qualquer médico, são versados. Desenvolveu-se um programa teórico que aborda a patologia maligna cirúrgica mais frequente, adicionando vertentes da cirurgia geral nas quais o Serviço de Cirurgia do HSA tem especial diferenciação.
O programa inclui também, conceitos de Cirurgia Vascular, Cirurgia Plástica e Anestesiologia.
No âmbito Cirurgia Vascular são objetivos de aprendizagem os conceitos epidemiológicos, de diagnóstico e tratamento das doenças arteriais agudas e crónicas, obstrutivas e aneurismáticas e das doenças venolinfáticas nas suas vertentes aguda e crónica.
No âmbito da Cirurgia Plástica são objetivos do conhecimento a cirurgia reconstrutiva da cabeça, pescoço, mama e membros, os aspetos clinicos da estética da mama e da remodelação corporal e a fisiopatologia do doente queimado.
No âmbito da Anestesiologia são objetivos o conhecimento sobre o que corresponde a avaliação pré e pós operatória, as diferentes técnicas anestésicas, a utilização de diferentes anéstésicos locais, a manipulação da via aérea e a importância e função das Unidades de Cuidados Anestésicos.
No âmbito da Urologia, o estudante é estimulado a aprofundar os conhecimentos, na epidemiologia, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento das patologias mais frequentes. O estudante, com os conhecimentos obtidos nos seminários e aulas práticas, deve ser capaz de elaborar anamnese cuidadosa, salientar os sintomas essênciais em cada patologia, complementada com o exame objetivo.

Cirurgia Pediátrica

OPT5_04 - ECTS

Após a conclusão bem-sucedida da unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de:

- Compreender a fisiopatologia, o diagnóstico e os princípios de manuseamento das entidades cirúrgicas comuns e raras, com particular relevância clinica, nas crianças e adolescentes;

- Promover a melhoria da prestação de cuidados de saúde primários e referenciados à população infantil e adolescentes;

- Conhecer a propedêutica, a patologia e a clinica das situações comuns e relevantes no âmbito da Cirurgia Pediátrica;

- Proceder ao diagnóstico diferencial e iniciar o manuseamento pré-operatório em situações de urgência;

- Apreender os momentos do tratamento cirúrgico e identificar quando referenciar;

- Comunicar com a criança/adolescente, pais/cuidadores e médico assistente, demonstrando atitude responsável e humanística.

Cirurgia Plástica e Reconstrutiva

OPT5_19 - ECTS

 

O objetivo da optativa de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva é o ensino dos princípios fundamentais dessa especialidade de forma resumida e prática adaptada aos estudantes de medicina, o que pode ser importante não só para aqueles que ponderam seguir essa especialidade cirúrgica como também para todos aqueles que pretendem seguir outras especialidades cirúrgicas nas quais seja importante conhecer os princípios gerais de cirurgia reconstrutiva.

As aulas presenciais serão teóricas e práticas permitindo aos alunos contactar com as principais entidades nosológicas da Cirurgia Plástica Reconstrutiva, adquirindo o conhecimento das metodologias diagnósticas e terapêuticas da especialidade.

Cuidados Paliativos

OPT5_20 - ECTS
  • Aquisição de conhecimentos científicos e técnicos pertinentes e actualizados para adequar a prática da Medicina à prestação de cuidados ao doente crónico oncológico e não oncológico, de acordo com a filosofia e os princípios dos Cuidados Paliativos.

Emergência Médica I

OPT5_22 - ECTS

Abordagem prioritária da Emergência Médica do foro Médico (doença médica), destinada a alunos do 5º ano do Curso de Mestrado integrado de Medicina, no 1º semestre, com um mínimo de 6 alunos (para a realização da UC) e um máximo de 48 alunos por semestre.

Hidrologia Clínica

OPT5_15 - ECTS

- Conhecer a realidade da chamada “Medicina de Estância”

-Valorizar os aspetos contextuais reconhecidos pela OMS, nomeadamente na sua Classificação Internacional de Função (“ICF”) na Promoção da Saúde, quer na vertente preventiva quer na curativa

-Conhecer o Termalismo como modalidade representativa da “Medicina de Estância” no continente europeu

- Diferenciar os vários tipos de água e seus efeitos

- Aplicar os conhecimentos teóricos e práticos na área da Hidrologia

- Compreender os modelos operativos do funcionamento de um balneário termal

- Identificar as termas portuguesas e os seus tipos de água, as suas indicações e contraindicações

- Ter algumas noções sobre a realidade termal no espaço da UE

- Aplicar técnicas crenoterápicas e técnicas complementares

- Prescrever um programa dietético e um programa de exercício, mediante a avaliação da condição física e de fatores de risco

- Compreender aspetos legislativos e regulamentares do termalismo em Portugal

Imagiologia Clínica

OPT5_14 - ECTS

Integração dos meios de estudo e informação clínica.

Indicações clínicas para as diferentes técnicas diagnósticas e terapêuticas guiadas por imagem.

Capacidade diagnóstica de situações de urgência e não urgentes básicas.

Capacidade de diagnóstico guiado por relatório nas situações diferenciadas.

Perspetivação dos avanços técnicos.

Imunologia Clínica

OPT5_11 - ECTS

Para além dos objetivos gerais e transversais a todas as unidades curriculares do MIM, os objetivos principais são:

- Otimização da ligação funcional entre os conhecimentos teóricos, a prática clínica e a decisão terapêutica.

Medicina da Criança e do Adolescente I

M5_BM01 - ECTS

Objetivos gerais: Dotar o estudante de conhecimentos, atitudes e competências que o habilitem a prestar cuidados assistenciais à criança e ao jovem, no contexto familiar e social. Para tanto deve obter informação sobre promoção da saúde, prevenção da doença, proteção à criança e à família, conhecer a criança normal nos seus diversos aspetos, e dominar o conhecimento das doenças mais frequentes e as medidas terapêuticas que as combatam atempada e eficazmente com vista a uma integração plena e produtiva da criança e do jovem na vida adulta.

Objetivos específicos:
Ao completar a sua formação pré–graduada, o estudante deve ser capaz de:
  • Conhecer as características da criança normal, dos 0 aos 18 anos: crescimento, desenvolvimento, plano de vacinação, comportamento, variantes do normal;
  • Identificar as especificidades de grupo etário, nomeadamente: recém-nascido normal; adaptação ao nascer; amamentação; idade pré-escolar; idade escolar; adolescência (puberdade);
  • Conhecer as normas de vigilância de saúde infantil;
  • Identificar e orientar as situações mais frequentes: de doença aguda; maus tratos; acidentes; adquirir atitudes e capacidades de comunicação com a criança, o adolescente e a família;
  • Integrar uma equipa multidisciplinar de saúde orientada para a criança;
  • Conhecer as patologias mais comuns nos diferentes grupos etários;
  • Saber intervir em situações de urgência e emergência;
  • Desenvolver a capacidade de raciocínio clínico a partir de: Anamnese e exame físico; Sistematização dos problemas; Formulação hierarquizada das hipóteses de diagnóstico; Utilização criteriosa dos meios complementares de diagnóstico; Proposta fundamentada da intervenção terapêutica; Análise crítica dos resultados; Elaboração de plano de seguimento;
  • Comunicar de forma adequada com a criança e a família;
  • Compreender e desenvolver uma abordagem integrada, nomeadamente nas situações de doença crónica;
  • Conhecer as especificidades pediátricas da ética médica, em cada grupo etário.

 

Medicina da Mulher: Ginecologia

M5_BC02 - ECTS

Conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes:
a) capacidade de obter uma historia clinica completa,
b) reconhecer sintomas e sinais e realizar um exame fisico orientado e estruturado, quer ginecologico quer da mama
c) uso, indicaçoes e interpretação dos exames de diagnostico,
d) formular os diferentes diagnosticos diferenciais,
e) capacidade de formular um diagnostico definitivo
f) conhecer as terapeuticas medicas e/ou cirurgicas para o diagnostico prosposto, bem como para diagnosticos diferenciais,
g) ter conhecimento de diferentes abordagens cirurgicas ( cirurgia convencional/cirurgia minimamente invasiva- laparoscópica),
h) capacidade de saber prever a evolução, o prognóstico clínico,
i) conhecer o grau de gravidade da doença e a sua forma de resolução, em grau "normal", de urgencia ou de emergencia,
j) ter conhecimentos de epidemiologia, principios de prevenção e rastreio (ginecologico e da mama).

Medicina da Mulher: Obstetrícia

M5_BC03 - ECTS

Objectivo principal:

- Fornecer informação básica na área da Obstetrícia e desenvolver capacidades conexas nos estudantes do Mestrado Integrado de Medicina: conhecimentos sobre fisiologia, semiologia, patologia e terapêutica, exame clinico e exames subsidiários, prevenção e rastreio. Evidenciar a coexistência de dois potenciais doentes, a mãe e o feto.

.

 

Objectivos gerais:

- Conhecer os cuidados pré-concepcionais e a importância da consulta de pré-concepção

- Conhecer a fisiologia materna e feto-placentar.

- Conhecer a patologia própria da gravidez.

- Conhecer de que forma determinadas patologias preexistentes podem afectar a gravidez e vice-versa.

- Aprender os aspectos relevantes de uma história obstétrica.

identificando problemas que impliquem a referência das doentes.

- Saber como se vigia uma gravidez, na dupla perspectiva da mãe e do feto.

- Compreender a razão subjacente ao pedido de determinados análises e exames imagiológicos e em que idades gestacionais.

- Conhecer as técnicas de avaliação do estado fetal

- Conhecer atitudes e formas de prevenção de doenças que podem afectar o sucesso da gravidez

- Aprender a aconselhar as grávidas sobre estilos de vida, dieta e hábitos e responder às queixas mais comuns

- Aprender a identificar uma gravidez de risco

- Aprender a resolver pequenos problemas que possam ocorrer durante a gravidez e puerpério.

 - Aprender a realizar um exame obstétrico de rotina, nomeadamente a inspecção vaginal com espéculo, o toque bimanual, detectar a actividade cardíaca fetal, medir a altura uterina e diagnosticar a apresentação fetal através da palpação abdominal no termo.

- Preencher correctamente o Boletim de Saúde da Grávida

- Conhecer a fisiologia do parto, o que diferencia um parto normal de um parto anormal e os cuidados básicos na assistência a um parto eutócico.

- Conhecer os cuidados pós-parto e a importância do aleitamento materno.

- Conhecer a legislação pertinente relacionada com a gravidez.

Medicina da Transplantação

OPT5_09 - ECTS

Ao concluir esta unidade curricular o estudante deverá estar apto a:

  1. Conhecer os principios de doação de orgãos para transplantação
  2. Entender que a eficácia da transplantação depende do conhecimento da imunologia do transplante, do manuseio das drogas imunossupressoras, da interpretação dos exames laboratoriais e imagiológicos, e do desenvolvimento das técnicas cirúrgicas;
  3. Conhecer meios de avaliação e seleção dos candidatos a transplante;
  4. Monitorizar o doente em lista de espera, no período pós operatório e após o internamento;
  5. Entender as normas éticas e a politica nacional de doação de órgãos.

Medicina das Doenças Emergentes e Consulta do Viajante

OPT5_13 - ECTS Aquisição de noções epidemiológicas, clínicas, diagnósticas e tearapêuticas das questões mais comuns em Medicina Tropical e nas doenças emergentes. O estudante deverá compreender a importância do assunto num mundo globalizado e na crescente "expansão"  de problemas outrora restritos a zonas tropicais.

Medicina Geral e Familiar I

M5_BM02 - ECTS

 

A Unidade Curricular (UC) de Medicina Geral e Familiar (MGF) pretende dar a conhecer o Médico de família  como o profissional de saúde que actua  a nível dos Cuidados de Saúde Primários, que conhece e gere os problemas de saúde que afectam os indivíduos, a sua família  e a comunidade a que pertencem, sendo na maioria das vezes o primeiro ponto de contacto dos doentes com o sistema de saúde.

O grupo EURACT (European Academy of Teachers in Family Medicine/General Practice) através da Agenda Educativa Euract de Medicina Geral e Familiar delineou as características fundamentais que a disciplina e o ensino da MGF deve conter agrupando-a em seis competências nucleares que  uma vez adquiridas se convertem em aptidões de desempenho com vista à sua aplicação na prática nos cuidados de saúde. Essas  competências  nucleares são: Gestão em Cuidados Primários; Cuidados centrados na Pessoa; Aptidões  para a resolução de problemas específicos; Abordagem abrangente; Abordagem holística; Orientação comunitária.

Fundamentados nestes  pressupostos, apresentamos as bases do conteúdo curricular da área de MGF, iniciando-se com a UC de MGF I no 5º ano e posteriormente com MGF II no 6.º ano. Pretende-se que durante o semestre relativo a MGF I os alunos adquiram conhecimentos atitudes e competências necessárias a um bom desempenho em MGF, antecipando o que será o ano  profissionalizante, no qual se espera que, mediante uma prática orientada, o estudante  receba formação e treino indispensáveis para o exercício da Medicina em contexto extra-hospitalar.

São objectivos gerais sensibilizar os futuros médicos, para a aquisição de conhecimentos e competências a utilizar em Cuidados de Saúde Primários (área com características próprias) e como Médico de Medicina Geral e Familiar (âmbito específico de atuação). Promover a aquisição de conhecimentos competências e atitudes conducentes à abordagem focada no indivíduo (por oposição à abordagem centrada na doença), na família, e na comunidade.

Medicina II e Especialidades Médicas

M5_BM03 - ECTS

Os objectivos gerais de aprendizagem a atingir pelos alunos serão distribuídos pelas componentes do conhecimento, das capacidades clínicas e das atitudes e comportamentos.

Conhecimentos: os alunos deverão compreender os mecanismos e formas de apresentação das principais síndromes e patologias que integram o programa dos diferentes módulos da disciplina, a sua abordagem diagnóstica, os princípios da terapêutica, incluindo a abordagem de situações agudas e a definição do prognóstico. Será essencial a compreensão dos condicionalismos ambiências, sociais e culturais das doenças, os princípios da medicina preventiva, da promoção da saúde, da epidemiologia e da saúde comunitária e como estes princípios devem ser aplicados ao doente individualizado. Os aspectos éticos e legais do exercício da medicina e a organização dos cuidados de saúde, serão componentes essenciais do conhecimento a integrar pelos alunos no momento da decisão clinica e da orientação dos doentes.

Capacidades clínicas: os alunos deverão demonstrar capacidades e eficácia em comunicar com os doentes e seus familiares, bem como com os restantes profissionais envolvidos na prestação de cuidados e demonstrar capacidade de trabalhar em equipa multidisciplinar. Devem obter e registar uma história clínica estruturada, executar correctamente um exame físico completo, saber fazer uma adequada listagem de problemas, formular hipóteses de diagnóstico e definir um plano de investigação. A capacidade da interpretação integrada dos achados da anamnese, do exame objectivo e dos exames complementares de diagnóstico serão essenciais para propor um plano de tratamento e definir o prognóstico. Os alunos deverão adquirir aptidões para executar procedimentos e técnicas clínicas essenciais, que serão definidas por cada módulo da disciplina. 

Atitudes e comportamentos: deverão demonstar atitudes e comportamentos compatíveis com os cuidados centrados no doente, consistentes com os mais elevados padrões de qualidade da arte da Medicina, que devem integrar: o respeito pela diversidade cultural, social e linguística dos doentes, dos colegas de profissão e dos restantes profissionais de saúde; o reconhecimento dos direitos do doente, incluindo o dever de confidencialidade e o consentimento devidamente informado; o desenvolvimento da capacidade de investigação clinica e da análise crítica da informação científica; o reconhecimento da necessidade de garantir qualidade e segurança dos cuidados prestados ao doente, segundo os padrões e as recomendações das sociedades cientificas; o reconhecimento dos limites pessoais e profissionais, ser capaz de pedir ajuda e ajudar sempre que necessário.

Medicina Intensiva

OPT5_06 - ECTS

Após a conclusão bem-sucedida da unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de:

- Compreender a Medicina Intensiva como um conjunto de conhecimentos próprios, não exclusivo de qualquer especialidade existente, que tem por base a monitorização intensiva e o suporte do doente grave com falências orgânicas potencialmente reversíveis;

- Aplicar o conjunto de gestos técnicos, classicamente associados a diferentes especialidades, necessários para fins diagnósticos, de vigilância, orientação e terapêutica;

- Compreender o modelo próprio de atuação prática, com base no conceito da compreensão da lógica própria da fisiopatologia, complementado por uma estratégia de avaliação contínua;

- Assumir atitude responsável e humanística em situações de fim de vida, que podem exigir escolhas de natureza ética difíceis.

Medicina Legal

M5_BC04 - ECTS
Objetivo geral: Criar um período de aquisição de competências básicas em ciências forenses (conhecimentos, capacidades e atitudes), tendo em vista preparar os futuros médicos para atuarem de forma correta e adequada, no melhor interesse dos seus doentes, e sempre nos termos da lei, quando confrontados na sua vida profissional com questões de índole médico-legal, independentemente da especialidade em que trabalhem, de forma a contribuírem para uma boa administração da Justiça, para a prevenção da violência e para o tratamento, proteção, reabilitação e reintegração das pessoas envolvidas em questões com repercussão forense.

 Objetivos específicos:

  1. Proporcionar um conjunto de conhecimentos básicos sobre as várias vertentes de atuação da medicina legal e das outras ciências forenses, no que se refere à sua abrangência, objetivos, competências e pertinente legislação, com particular ênfase na forma como estas ciências se podem e devem articular com as restantes áreas da intervenção médica;
  2. Proporcionar um conjunto de conhecimentos básicos sobre semiologia médico-legal relativa aos diferentes tipos de lesões e, designadamente, sobre a biomecânica da produção das lesões, bem como desenvolver capacidades para a documentação de lesões e sequelas (descrição e registo fotográfico);
  3. Proporcionar um conjunto de conhecimentos básicos sobre a natureza e produção de vestígios, bem como desenvolver capacidades para a sua adequada identificação, documentação, colheita (se necessário) e preservação, acondicionamento e transporte, garantindo a cadeia de custódia;
  4. Desenvolver capacidade para interpretar determinados tipos de traumatismo e formular os adequados diagnósticos diferenciais (clínicos e médico-legais), aspeto particularmente relevante quando estes possam constituir indício de crimes de natureza pública;
  5. Fornecer linhas gerais de orientação sobre a atuação médica adequada relativamente a situações médico-legais específicas, tendo em vista a articulação transdisciplinar fundamental à resolução desses casos, não só a nível das diferentes especialidades médicas mas, também, com outras áreas do saber, designadamente o direito, o serviço social e a psicologia;
  6. Sensibilizar os futuros médicos, através do contacto com casos reais, para a necessidade de se empenharem na proteção das vítimas e na prevenção da violência (voluntária e involuntária).

Neurocirurgia

OPT5_03 - ECTS

Após a conclusão bem-sucedida da unidade curricular , o estudante deverá ser capaz de:

-Demonstrar cultura médica básica , no que diz respeito ao conhecimento genérico sobre determinadas patologias neurocirúrgicas, suas incidências e prevalências; designadamente no que se refere à patologia traumática craniana, patologia raquidiana, tumores interessando o sistema nervoso, hemorragias intracranianas e moderna neurocirurgia funcional com particular enfoque no tratamento da epilepsia, das doenças do movimento e da dor;

-Identificar e orientar atempadamente problemas ou condições clínicas que podem beneficiar de cuidados por parte de um especialista  em Neurocirurgia, de forma a evitar sequelas e impossibilidade de cura, ou mesmo ser responsabilizado pela morte ou incapacidade grave;

-Compreender a diferenciação da Neurocirurgia, dentro das ciências neurológicas, como uma área individual e bem definida.

Ortopedia

M5_BC05 - ECTS

O conhecimento da profilaxia, diagnóstico e tratamento das principais doenças do aparelho locomotor, sobretudo as traumáticas, congénitas, do desenvolvimento e degenerativas. A frequência prática, denominada “Aulas Práticas” é antecedida por uma informação teórica, o Primer Teórico.

Patologia Gastrointestinal

OPT5_12 - ECTS
Após a conclusão bem-sucedida da unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de:
  1. Compreender as bases científicas da Gastrenterologia;
  2. Identificar os princípios fundamentais da biologia, da genética e da clínica das doenças do aparelho digestivo;
  3. Efetuar a colheita, registo e transmissão da informação clínica (história da doença, exame objetivo e exames complementares, a qual será utilizada de modo a equacionar uma lista de problemas, e examinar objectivamente o doente;
  4. Estabelecer uma estratégia de diagnóstico, com a metodologia de investigação mais adequada;
  5. Resolver problemas clínicos com as propostas terapêuticas mais apropriadas;
  6. Diferenciar as doenças digestivas que podem ser observadas no ambulatório.
  7. Discernir quais os programas de rastreio, nomeadamente das doenças de base genética, e compreender a importância da prevenção da doença e da promoção da saúde.

Prática Clínica de Oncologia

OPT5_21 - ECTS
  1. Conhecer as principais manifestações clínicas e princípios de abordagem terapêutica das formas mais comuns de cancro
  2. Reconhecer a importância da multidisciplinaridade na abordagem clínica do doente oncológico
  3. Identificar o contributo das diversas Especialidades Médicas na abordagem do doente oncológico
  4. Compreender as bases de definição da estratégia terapêutica oncológica nos diversos sistemas orgânicos
  5. Integrar, mediante a observação de casos clínicos, os diversos conhecimentos obtidos sobre a epidemiologia, biologia, patologia, clínica e terapêutica do Cancro

Psiquiatria

M5_BC06 - ECTS

O currículo básico, que é fundamental para todos os médicos, especifica as áreas consideradas de especial relevância, a serem cobertas, na Unidade Curricular de Psiquiatria do mestrado Integrado de medicina, do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar.

O ensino da Psiquiatria foi assim estruturado, de forma a que, os alunos possam ter acesso aos conteúdos programáticos em contextos vários de aulas teóricas, teórico-práticas, aulas práticas (em que o doente é o fator constante e indispensável, para a aprendizagem de técnicas de abordagem, comunicação e intervenção junto daquele que sofre), e aulas com forte cariz socio-afetivo, em que a preocupação primeira é a pessoa e os seus ambientes social, familiar e afetivo, sempre orientados para a redução do estigma, para a formação individual, para o aumento da literacia em psiquiatria e saúde mental, para o respeito pelos direitos fundamentais de cidadania, para a prevenção e para a promoção da saúde mental nos diferentes contextos de vida.

Deve facultar um nível adequado de saber psiquiátrico, com competências clínicas e conhecimento das intervenções adequadas, para proporcionar uma avaliação e uma terapêutica eficazes para todos os doentes.

Os médicos recém-formados devem ser capazes de reconhecer, avaliar e diagnosticar as Perturbações Mentais mais prevalentes, intervir de forma eficaz em situações de emergência psiquiátrica e saber como e quando devem encaminhar, para médicos seniores ou especialistas, alguns doentes com quadros patológicos psiquiátricos de difícil manejo.

O currículo não especifica deliberadamente os detalhes e o nível de profundidade que deve ser atingido, mas apresenta perspetivas, relacionadas com o médico como académico e cientista, como médico de medicina geral e como especialista.

Os principais objetivos específicos, para o ensino de psiquiatria clínica, são:

            1- Proporcionar aos alunos conhecimento e compreensão das principais perturbações psiquiátricas e a relação, da saúde mental e psiquiatria, com outras áreas médicas do saber, assim como os princípios subjacentes à teoria psiquiátrica moderna e os tratamentos mais habitualmente utilizados;

            2- Ajudar os alunos a desenvolver as competências necessárias, para aplicar os conhecimentos, em situações clínicas do dia a dia;

            3- Encorajar os alunos a desenvolverem as competências necessárias para responder, de forma empática, aos problemas mentais, doenças e sofrimento psicológico em todos os contextos médicos;

            4- Fornecer conhecimentos que permitam, aos alunos, lidarem de forma adequada com a sua própria saúde e bem-estar.

Resumidamente deve dar aos estudantes os conhecimentos básicos, de Psiquiatria, nomeadamente a sua inserção no contexto das ciências médicas, as suas especificidades metodológicas e clínicas, bem como os aspetos clínicos do conjunto das doenças do foro mental de maior relevância epidemiológica.

Reabilitação Cardíaca

OPT5_26 - ECTS

Os objetivos gerais de aprendizagem a adquirir pelos alunos serão a obtenção de conhecimentos teórico-práticos na área da prevenção e reabilitação cardiovascular, acompanhando doentes em regime de consulta externa, sessões de exercício físico supervisionado e internamento. A identificação e correção de fatores de risco cardiovascular e o conhecimento sobre as várias componentes, conteúdos e indicações dos programas de Reabilitação Cardíaca, serão os objetivos principais desta Unidade Curricular.

 

Anestesiologia e Medicina Peri-operatória II

OPT5_18 - ECTS Conhecer a farmacologia dos anestésicos e a profundidade anestésica. Conhecer a anestesia regional. Saber lidar com os incidentes críticos intraoperatórios. Conhecer as técnicas anestésicas para a anestesia para as várias especialidades. Saber lidar com o pós-operatório imediato. Conhecer as metodologias da anestesia fora do bloco operatório. Familiarizar-se com o doente crítico em Anestesiologia.  Ter conhecimento da metodologia de Enhanced Recovery After Surgery

Cirurgia de Ambulatório

OPT5_02 - ECTS

Após a conclusão bem-sucedida da unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de:

-Discriminar as vantagens da Cirurgia de Ambulatório (CA) e contextualizá-la no Mundo e em Portugal

-Identificar os critérios de admissibilidade à CA, bem como as especialidades envolvidas

-Reconhecer as patologias passíveis de tratamento em regime de ambulatório, bem como os princípios para uma rigorosa seleção do doente e avaliação do risco cirúrgico

-Proceder à colheita da história clínica, revisão dos antecedentes pessoais e esquematização do exame físico;

-Compreender e orientar todas as etapas do circuito do doente em ambiente ambulatório, que incluem, desde o diagnóstico ao seguimento pós-operatório, nomeadamente: 1ª consulta, consulta pré cirúrgica, bloco operatório, pensos e tratamentos pós-operatórios; consulta pós operatória e a alta clínica da consulta; Telefonemas do dia anterior, dia seguinte e 30 dias

-Reconhecer a organização estrutural e funcional da Unidade de CA e o seu planeamento

Cirurgia II e Especialidades Cirúrgicas

M5_BC01 - ECTS A unidade curricular de Cirurgia II e Especialidades Cirúrgicas mantém os objetivos gerais de formação iniciados na unidade curricular de Cirurgia I e Especialidades Cirúrgicas. A aquisição de conhecimentos básicos de cirurgia expande-se agora para as áreas da oncologia cirúrgica. Pretende-se familiarizar os estudantes com a epidemiologia, patologia, diagnóstico e tratamento dos cancros, estimulando o aprofundar do conhecimento sobre as doenças malignas. A vertente Humana e ética que envolve o tratamento do cancro, as sequelas, as opções de paleação e o tratamento de suporte, que devem ser do conhecimento de qualquer médico, são versados. Desenvolveu-se um programa teórico que aborda a patologia maligna cirúrgica mais frequente, adicionando vertentes da cirurgia geral nas quais o Serviço de Cirurgia do HSA tem especial diferenciação.
O programa inclui também, conceitos de Cirurgia Vascular, Cirurgia Plástica e Anestesiologia.
No âmbito Cirurgia Vascular são objetivos de aprendizagem os conceitos epidemiológicos, de diagnóstico e tratamento das doenças arteriais agudas e crónicas, obstrutivas e aneurismáticas e das doenças venolinfáticas nas suas vertentes aguda e crónica.
No âmbito da Cirurgia Plástica são objetivos do conhecimento a cirurgia reconstrutiva da cabeça, pescoço, mama e membros, os aspetos clinicos da estética da mama e da remodelação corporal e a fisiopatologia do doente queimado.
No âmbito da Anestesiologia são objetivos o conhecimento sobre o que corresponde a avaliação pré e pós operatória, as diferentes técnicas anestésicas, a utilização de diferentes anéstésicos locais, a manipulação da via aérea e a importância e função das Unidades de Cuidados Anestésicos.
No âmbito da Urologia, o estudante é estimulado a aprofundar os conhecimentos, na epidemiologia, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento das patologias mais frequentes. O estudante, com os conhecimentos obtidos nos seminários e aulas práticas, deve ser capaz de elaborar anamnese cuidadosa, salientar os sintomas essênciais em cada patologia, complementada com o exame objetivo.

Cirurgia Pediátrica

OPT5_04 - ECTS

Após a conclusão bem-sucedida da unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de:

 - Compreender a fisiopatologia, o diagnóstico e os princípios de manuseamento das entidades cirúrgicas comuns e raras, com particular relevância clinica, nas crianças e adolescentes;

 - Promover a melhoria da prestação de cuidados de saúde primários e referenciados à população infantil e adolescentes; 

 - Conhecer a propedêutica, a patologia e a clinica das situações comuns e relevantes no âmbito da Cirurgia Pediátrica;

 - Proceder ao diagnóstico diferencial e iniciar o manuseamento pré-operatório em situações de urgência;

 - Apreender os momentos do tratamento cirúrgico e identificar quando referenciar;

 - Comunicar com a criança/adolescente, pais/cuidadores e médico assistente, demonstrando atitude responsável e humanística.

Cirurgia Plástica e Reconstrutiva

OPT5_19 - ECTS

O objetivo da optativa de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva é o ensino dos princípios fundamentais dessa especialidade de forma resumida e prática adaptada aos estudantes de medicina, o que pode ser importante não só para aqueles que ponderam seguir essa especialidade cirúrgica como também para todos aqueles que pretendem seguir outras especialidades cirúrgicas nas quais seja importante conhecer os princípios gerais de cirurgia reconstrutiva.

As aulas presenciais serão teóricas e práticas permitindo aos alunos contactar com as principais entidades nosológicas da Cirurgia Plástica Reconstrutiva, adquirindo o conhecimento das metodologias diagnósticas e terapêuticas da especialidade.

Cuidados Paliativos

OPT5_20 - ECTS Aquisição de conhecimentos científicos e técnicos pertinentes e actualizados para adequar a prática da Medicina à prestação de cuidados ao doente crónico oncológico e não oncológico, de acordo com a filosofia e os princípios dos Cuidados Paliativos.

Emergência Médica II

OPT5_23 - ECTS

Abordagem prioritária da Emergência Médica do foro Traumática (trauma), destinada a alunos do 5º ano do Curso de Mestrado integrado de Medicina, no 2º semestre, com um mínimo de 6 alunos (para a realização da UC) e um máximo de 48 alunos por semestre.

Hidrologia Clínica

OPT5_15 - ECTS

- Conhecer a realidade da chamada “Medicina de Estância”

-Valorizar os aspetos contextuais reconhecidos pela OMS, nomeadamente na sua Classificação Internacional de Função (“ICF”) na Promoção da Saúde, quer na vertente preventiva quer na curativa

-Conhecer o Termalismo como modalidade representativa da “Medicina de Estância” no continente europeu

- Diferenciar os vários tipos de água e seus efeitos

- Aplicar os conhecimentos teóricos e práticos na área da Hidrologia

- Compreender os modelos operativos do funcionamento de um balneário termal

- Identificar as termas portuguesas e os seus tipos de água, as suas indicações e contraindicações

- Ter algumas noções sobre a realidade termal no espaço da UE

- Aplicar técnicas crenoterápicas e técnicas complementares

- Prescrever um programa dietético e um programa de exercício, mediante a avaliação da condição física e de fatores de risco

- Compreender aspetos legislativos e regulamentares do termalismo em Portugal

Imagiologia Clínica

OPT5_14 - ECTS

Integração dos meios de estudo e informação clínica.

Indicações clínicas para as diferentes técnicas diagnósticas e terapêuticas guiadas por imagem.

Capacidade diagnóstica de situações de urgência e não urgentes básicas.

Capacidade de diagnóstico guiado por relatório nas situações diferenciadas.

Perspetivação dos avanços técnicos.

Imunologia Clínica

OPT5_11 - ECTS

Para além dos objetivos gerais e transversais a todas as unidades curriculares do MIM, os objetivos principais são:

- Otimização da ligação funcional entre os conhecimentos teóricos, a prática clínica e a decisão terapêutica.

Medicina da Criança e do Adolescente I

M5_BM01 - ECTS

Objetivos gerais: Dotar o estudante de conhecimentos, atitudes e competências que o habilitem a prestar cuidados assistenciais à criança e ao jovem, no contexto familiar e social. Para tanto deve obter informação sobre promoção da saúde, prevenção da doença, proteção à criança e à família, conhecer a criança normal nos seus diversos aspetos, e dominar o conhecimento das doenças mais frequentes e as medidas terapêuticas que as combatam atempada e eficazmente com vista a uma integração plena e produtiva da criança e do jovem na vida adulta.

Objetivos específicos:
Ao completar a sua formação pré–graduada, o estudante deve ser capaz de:
  • Conhecer as características da criança normal, dos 0 aos 18 anos: crescimento, desenvolvimento, plano de vacinação, comportamento, variantes do normal;
  • Identificar as especificidades de grupo etário, nomeadamente: recém-nascido normal; adaptação ao nascer; amamentação; idade pré-escolar; idade escolar; adolescência (puberdade);
  • Conhecer as normas de vigilância de saúde infantil;
  • Identificar e orientar as situações mais frequentes: de doença aguda; maus tratos; acidentes; adquirir atitudes e capacidades de comunicação com a criança, o adolescente e a família;
  • Integrar uma equipa multidisciplinar de saúde orientada para a criança;
  • Conhecer as patologias mais comuns nos diferentes grupos etários;
  • Saber intervir em situações de urgência e emergência;
  • Desenvolver a capacidade de raciocínio clínico a partir de: Anamnese e exame físico; Sistematização dos problemas; Formulação hierarquizada das hipóteses de diagnóstico; Utilização criteriosa dos meios complementares de diagnóstico; Proposta fundamentada da intervenção terapêutica; Análise crítica dos resultados; Elaboração de plano de seguimento;
  • Comunicar de forma adequada com a criança e a família;
  • Compreender e desenvolver uma abordagem integrada, nomeadamente nas situações de doença crónica;
  • Conhecer as especificidades pediátricas da ética médica, em cada grupo etário.

 

Medicina da Mulher: Ginecologia

M5_BC02 - ECTS

Conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes:
a) capacidade de obter uma historia clinica completa,
b) reconhecer sintomas e sinais e realizar um exame fisico orientado e estruturado, quer ginecologico quer da mama
c) uso, indicaçoes e interpretação dos exames de diagnostico,
d) formular os diferentes diagnosticos diferenciais,
e) capacidade de formular um diagnostico definitivo
f) conhecer as terapeuticas medicas e/ou cirurgicas para o diagnostico prosposto, bem como para diagnosticos diferenciais,
g) ter conhecimento de diferentes abordagens cirurgicas ( cirurgia convencional/cirurgia minimamente invasiva- laparoscópica),
h) capacidade de saber prever a evolução, o prognóstico clínico,
i) conhecer o grau de gravidade da doença e a sua forma de resolução, em grau "normal", de urgencia ou de emergencia,
j) ter conhecimentos de epidemiologia, principios de prevenção e rastreio (ginecologico e da mama).

Medicina da Mulher: Obstetrícia

M5_BC03 - ECTS

Objectivo principal:

- Fornecer informação básica na área da Obstetrícia e desenvolver capacidades conexas nos estudantes do Mestrado Integrado de Medicina: conhecimentos sobre fisiologia, semiologia, patologia e terapêutica, exame clinico e exames subsidiários, prevenção e rastreio. Evidenciar a coexistência de dois potenciais doentes, a mãe e o feto.

.

 

Objectivos gerais:

- Conhecer os cuidados pré-concepcionais e a importância da consulta de pré-concepção

- Conhecer a fisiologia materna e feto-placentar.

- Conhecer a patologia própria da gravidez.

- Conhecer de que forma determinadas patologias preexistentes podem afectar a gravidez e vice-versa.

- Aprender os aspectos relevantes de uma história obstétrica.

identificando problemas que impliquem a referência das doentes.

- Saber como se vigia uma gravidez, na dupla perspectiva da mãe e do feto.

- Compreender a razão subjacente ao pedido de determinados análises e exames imagiológicos e em que idades gestacionais.

- Conhecer as técnicas de avaliação do estado fetal

- Conhecer atitudes e formas de prevenção de doenças que podem afectar o sucesso da gravidez

- Aprender a aconselhar as grávidas sobre estilos de vida, dieta e hábitos e responder às queixas mais comuns

- Aprender a identificar uma gravidez de risco

- Aprender a resolver pequenos problemas que possam ocorrer durante a gravidez e puerpério.

 - Aprender a realizar um exame obstétrico de rotina, nomeadamente a inspecção vaginal com espéculo, o toque bimanual, detectar a actividade cardíaca fetal, medir a altura uterina e diagnosticar a apresentação fetal através da palpação abdominal no termo.

- Preencher correctamente o Boletim de Saúde da Grávida

- Conhecer a fisiologia do parto, o que diferencia um parto normal de um parto anormal e os cuidados básicos na assistência a um parto eutócico.

- Conhecer os cuidados pós-parto e a importância do aleitamento materno.

- Conhecer a legislação pertinente relacionada com a gravidez.

Medicina da Transplantação

OPT5_09 - ECTS

Ao concluir esta unidade curricular o estudante deverá estar apto a:

  1. Conhecer os principios de doação de orgãos para transplantação
  2. Entender que a eficácia da transplantação depende do conhecimento da imunologia do transplante, do manuseio das drogas imunossupressoras, da interpretação dos exames laboratoriais e imagiológicos, e do desenvolvimento das técnicas cirúrgicas;
  3. Conhecer meios de avaliação e seleção dos candidatos a transplante;
  4. Monitorizar o doente em lista de espera, no período pós operatório e após o internamento;
  5. Entender as normas éticas e a politica nacional de doação de órgãos.

Medicina das Doenças Emergentes e Consulta do Viajante

OPT5_13 - ECTS

Aquisição de noções epidemiológicas, clínicas, diagnósticas e tearapêuticas das questões mais comuns em Medicina Tropical e nas doenças emergentes. O estudante deverá compreender a importância do assunto num mundo globalizado e na crescente "expansão"  de problemas outrora restritos a zonas tropicais.

Medicina Geral e Familiar I

M5_BM02 - ECTS

 

A Unidade Curricular (UC) de Medicina Geral e Familiar (MGF) pretende dar a conhecer o Médico de família  como o profissional de saúde que actua  a nível dos Cuidados de Saúde Primários, que conhece e gere os problemas de saúde que afectam os indivíduos, a sua família  e a comunidade a que pertencem, sendo na maioria das vezes o primeiro ponto de contacto dos doentes com o sistema de saúde.

O grupo EURACT (European Academy of Teachers in Family Medicine/General Practice) através da Agenda Educativa Euract de Medicina Geral e Familiar delineou as características fundamentais que a disciplina e o ensino da MGF deve conter agrupando-a em seis competências nucleares que  uma vez adquiridas se convertem em aptidões de desempenho com vista à sua aplicação na prática nos cuidados de saúde. Essas  competências  nucleares são: Gestão em Cuidados Primários; Cuidados centrados na Pessoa; Aptidões  para a resolução de problemas específicos; Abordagem abrangente; Abordagem holística; Orientação comunitária.

Fundamentados nestes  pressupostos, apresentamos as bases do conteúdo curricular da área de MGF, iniciando-se com a UC de MGF I no 5º ano e posteriormente com MGF II no 6.º ano. Pretende-se que durante o semestre relativo a MGF I os alunos adquiram conhecimentos atitudes e competências necessárias a um bom desempenho em MGF, antecipando o que será o ano  profissionalizante, no qual se espera que, mediante uma prática orientada, o estudante  receba formação e treino indispensáveis para o exercício da Medicina em contexto extra-hospitalar.

São objectivos gerais sensibilizar os futuros médicos, para a aquisição de conhecimentos e competências a utilizar em Cuidados de Saúde Primários (área com características próprias) e como Médico de Medicina Geral e Familiar (âmbito específico de atuação). Promover a aquisição de conhecimentos competências e atitudes conducentes à abordagem focada no indivíduo (por oposição à abordagem centrada na doença), na família, e na comunidade.

Medicina II e Especialidades Médicas

M5_BM03 - ECTS

Os objectivos gerais de aprendizagem a atingir pelos alunos serão distribuídos pelas componentes do conhecimento, das capacidades clínicas e das atitudes e comportamentos.

Conhecimentos: os alunos deverão compreender os mecanismos e formas de apresentação das principais síndromes e patologias que integram o programa dos diferentes módulos da disciplina, a sua abordagem diagnóstica, os princípios da terapêutica, incluindo a abordagem de situações agudas e a definição do prognóstico. Será essencial a compreensão dos condicionalismos ambiências, sociais e culturais das doenças, os princípios da medicina preventiva, da promoção da saúde, da epidemiologia e da saúde comunitária e como estes princípios devem ser aplicados ao doente individualizado. Os aspectos éticos e legais do exercício da medicina e a organização dos cuidados de saúde, serão componentes essenciais do conhecimento a integrar pelos alunos no momento da decisão clinica e da orientação dos doentes.

Capacidades clínicas: os alunos deverão demonstrar capacidades e eficácia em comunicar com os doentes e seus familiares, bem como com os restantes profissionais envolvidos na prestação de cuidados e demonstrar capacidade de trabalhar em equipa multidisciplinar. Devem obter e registar uma história clínica estruturada, executar correctamente um exame físico completo, saber fazer uma adequada listagem de problemas, formular hipóteses de diagnóstico e definir um plano de investigação. A capacidade da interpretação integrada dos achados da anamnese, do exame objectivo e dos exames complementares de diagnóstico serão essenciais para propor um plano de tratamento e definir o prognóstico. Os alunos deverão adquirir aptidões para executar procedimentos e técnicas clínicas essenciais, que serão definidas por cada módulo da disciplina. 

Atitudes e comportamentos: deverão demonstar atitudes e comportamentos compatíveis com os cuidados centrados no doente, consistentes com os mais elevados padrões de qualidade da arte da Medicina, que devem integrar: o respeito pela diversidade cultural, social e linguística dos doentes, dos colegas de profissão e dos restantes profissionais de saúde; o reconhecimento dos direitos do doente, incluindo o dever de confidencialidade e o consentimento devidamente informado; o desenvolvimento da capacidade de investigação clinica e da análise crítica da informação científica; o reconhecimento da necessidade de garantir qualidade e segurança dos cuidados prestados ao doente, segundo os padrões e as recomendações das sociedades cientificas; o reconhecimento dos limites pessoais e profissionais, ser capaz de pedir ajuda e ajudar sempre que necessário.

Medicina Intensiva

OPT5_06 - ECTS

Após a conclusão bem-sucedida da unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de:

- Compreender a Medicina Intensiva como um conjunto de conhecimentos próprios, não exclusivo de qualquer especialidade existente, que tem por base a monitorização intensiva e o suporte do doente grave com falências orgânicas potencialmente reversíveis;

- Aplicar o conjunto de gestos técnicos, classicamente associados a diferentes especialidades, necessários para fins diagnósticos, de vigilância, orientação e terapêutica;

- Compreender o modelo próprio de atuação prática, com base no conceito da compreensão da lógica própria da fisiopatologia, complementado por uma estratégia de avaliação contínua;

- Assumir atitude responsável e humanística em situações de fim de vida, que podem exigir escolhas de natureza ética difíceis.

Medicina Legal

M5_BC04 - ECTS
Objetivo geral: Criar um período de aquisição de competências básicas em ciências forenses (conhecimentos, capacidades e atitudes), tendo em vista preparar os futuros médicos para atuarem de forma correta e adequada, no melhor interesse dos seus doentes, e sempre nos termos da lei, quando confrontados na sua vida profissional com questões de índole médico-legal, independentemente da especialidade em que trabalhem, de forma a contribuírem para uma boa administração da Justiça, para a prevenção da violência e para o tratamento, proteção, reabilitação e reintegração das pessoas envolvidas em questões com repercussão forense.

 Objetivos específicos:

  1. Proporcionar um conjunto de conhecimentos básicos sobre as várias vertentes de atuação da medicina legal e das outras ciências forenses, no que se refere à sua abrangência, objetivos, competências e pertinente legislação, com particular ênfase na forma como estas ciências se podem e devem articular com as restantes áreas da intervenção médica;
  2. Proporcionar um conjunto de conhecimentos básicos sobre semiologia médico-legal relativa aos diferentes tipos de lesões e, designadamente, sobre a biomecânica da produção das lesões, bem como desenvolver capacidades para a documentação de lesões e sequelas (descrição e registo fotográfico);
  3. Proporcionar um conjunto de conhecimentos básicos sobre a natureza e produção de vestígios, bem como desenvolver capacidades para a sua adequada identificação, documentação, colheita (se necessário) e preservação, acondicionamento e transporte, garantindo a cadeia de custódia;
  4. Desenvolver capacidade para interpretar determinados tipos de traumatismo e formular os adequados diagnósticos diferenciais (clínicos e médico-legais), aspeto particularmente relevante quando estes possam constituir indício de crimes de natureza pública;
  5. Fornecer linhas gerais de orientação sobre a atuação médica adequada relativamente a situações médico-legais específicas, tendo em vista a articulação transdisciplinar fundamental à resolução desses casos, não só a nível das diferentes especialidades médicas mas, também, com outras áreas do saber, designadamente o direito, o serviço social e a psicologia;
  6. Sensibilizar os futuros médicos, através do contacto com casos reais, para a necessidade de se empenharem na proteção das vítimas e na prevenção da violência (voluntária e involuntária).

Microbiologia Clínica

OPT5_10 - ECTS

Para além dos objetivos gerais e transversais a todas as unidades curriculares do MIM, os objetivos principais são:

- Atualização de conhecimentos no sentido da melhoria das capacidades profissionais nas áreas de diagnóstico microbiológico clínico e laboratorial

- Otimização da ligação funcional entre o laboratório de diagnóstico microbiológico, a prática clínica, a decisão terapêutica e a comissão de controlo de infeção e resistência aos antimicrobianos

Neurocirurgia

OPT5_03 - ECTS

Após a conclusão bem-sucedida da unidade curricular , o estudante deverá ser capaz de:

-Demonstrar cultura médica básica , no que diz respeito ao conhecimento genérico sobre determinadas patologias neurocirúrgicas, suas incidências e prevalências; designadamente no que se refere à patologia traumática craniana, patologia raquidiana, tumores interessando o sistema nervoso, hemorragias intracranianas e moderna neurocirurgia funcional com particular enfoque no tratamento da epilepsia, das doenças do movimento e da dor;

-Identificar e orientar atempadamente problemas ou condições clínicas que podem beneficiar de cuidados por parte de um especialista  em Neurocirurgia, de forma a evitar sequelas e impossibilidade de cura, ou mesmo ser responsabilizado pela morte ou incapacidade grave;

-Compreender a diferenciação da Neurocirurgia, dentro das ciências neurológicas, como uma área individual e bem definida.

Ortopedia

M5_BC05 - ECTS

 

O conhecimento da profilaxia, diagnóstico e tratamento das principais doenças do aparelho locomotor, sobretudo as traumáticas, congénitas, do desenvolvimento e degenerativas. A frequência prática, denominada “Aulas Práticas” é antecedida por uma informação teórica, o Primer Teórico.

 

Psiquiatria

M5_BC06 - ECTS

O currículo básico, que é fundamental para todos os médicos, especifica as áreas consideradas de especial relevância, a serem cobertas, na Unidade Curricular de Psiquiatria do mestrado Integrado de medicina, do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar.

O ensino da Psiquiatria foi assim estruturado, de forma a que, os alunos possam ter acesso aos conteúdos programáticos em contextos vários de aulas teóricas, teórico-práticas, aulas práticas (em que o doente é o fator constante e indispensável, para a aprendizagem de técnicas de abordagem, comunicação e intervenção junto daquele que sofre), e aulas com forte cariz socio-afetivo, em que a preocupação primeira é a pessoa e os seus ambientes social, familiar e afetivo, sempre orientados para a redução do estigma, para a formação individual, para o aumento da literacia em psiquiatria e saúde mental, para o respeito pelos direitos fundamentais de cidadania, para a prevenção e para a promoção da saúde mental nos diferentes contextos de vida.

Deve facultar um nível adequado de saber psiquiátrico, com competências clínicas e conhecimento das intervenções adequadas, para proporcionar uma avaliação e uma terapêutica eficazes para todos os doentes.

Os médicos recém-formados devem ser capazes de reconhecer, avaliar e diagnosticar as Perturbações Mentais mais prevalentes, intervir de forma eficaz em situações de emergência psiquiátrica e saber como e quando devem encaminhar, para médicos seniores ou especialistas, alguns doentes com quadros patológicos psiquiátricos de difícil manejo.

O currículo não especifica deliberadamente os detalhes e o nível de profundidade que deve ser atingido, mas apresenta perspetivas, relacionadas com o médico como académico e cientista, como médico de medicina geral e como especialista.

Os principais objetivos específicos, para o ensino de psiquiatria clínica, são:

            1- Proporcionar aos alunos conhecimento e compreensão das principais perturbações psiquiátricas e a relação, da saúde mental e psiquiatria, com outras áreas médicas do saber, assim como os princípios subjacentes à teoria psiquiátrica moderna e os tratamentos mais habitualmente utilizados;

            2- Ajudar os alunos a desenvolver as competências necessárias, para aplicar os conhecimentos, em situações clínicas do dia a dia;

            3- Encorajar os alunos a desenvolverem as competências necessárias para responder, de forma empática, aos problemas mentais, doenças e sofrimento psicológico em todos os contextos médicos;

            4- Fornecer conhecimentos que permitam, aos alunos, lidarem de forma adequada com a sua própria saúde e bem-estar.

Resumidamente deve dar aos estudantes os conhecimentos básicos, de Psiquiatria, nomeadamente a sua inserção no contexto das ciências médicas, as suas especificidades metodológicas e clínicas, bem como os aspetos clínicos do conjunto das doenças do foro mental de maior relevância epidemiológica.

Reabilitação Cardíaca

OPT5_26 - ECTS Os objetivos gerais de aprendizagem a adquirir pelos alunos serão a obtenção de conhecimentos teórico-práticos na área da prevenção e reabilitação cardiovascular, acompanhando doentes em regime de consulta externa, sessões de exercício físico supervisionado e internamento. A identificação e correção de fatores de risco cardiovascular e o conhecimento sobre as várias componentes, conteúdos e indicações dos programas de Reabilitação Cardíaca, serão os objetivos principais desta Unidade Curricular.

Dissertação/ Projeto/ Estágio

M601 - ECTS

O estudante escolhe livremente uma das modalidades da UC, programando, calendarizando e desenvolvendo o trabalho com o acompanhamento de um orientador, e eventualmente de um coorientador. Todas as modalidades são igualmente legítimas e valorizadas. A redação do trabalho é apreciada por um júri, sendo complementada por um ato público de apresentação e discussão.  

 

 

Cirurgia Hospitalar

M605 - ECTS

Aquisição de conhecimentos:

Conhecimento de etiopatogenia, epidemiologia, fisiopatologia, anatomia patológica, semiologia clinica e laboratorial, diagnóstico, intervenção e terapêutica dos principais grupos diagnóstico do âmbito da cirurgia geral.

Noções básicas de urgência em Cirurgia geral, diagnóstico, tratamento e encaminhamento de doentes.

 

 

 

Medicina da Criança e do Adolescente II

M606 - ECTS Pretende-se que o estudante sedimente os conhecimentos obtidos na Unidade Curricular da Medicina da Criança e do Adolescente I e participe nas tarefas clínicas, acompanhando a atividade do serviço, com o objetivo de aperfeiçoar o treino no diagnóstico e tratamento das patologias pediátricas e a preparação para a Prova Nacional de Seriação e Avaliação do Internato Médico.

Medicina da Mulher

M604 - ECTS

Objetivos de aprendizagem
(conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)
a) capacidade de obter uma historia obstétrica completa,
b) reconhecer sintomas e sinais e realizar um exame físico orientado e estruturado
c) uso, indicações e interpretação dos exames de diagnostico,
d) formular os diferentes diagnósticos diferenciais,
e) capacidade de formular um diagnostico definitivo,
f) conhecer as terapêuticas médicas e/ou cirúrgicas para o diagnostico proposto, bem como para diagnósticos diferenciais,
g) ter conhecimento de diferentes abordagens cirúrgicas,
h) capacidade de saber prever a evolução, o prognóstico clínico,
i) conhecer o grau de gravidade da doença e a sua forma de resolução, em grau "normal", de urgência ou de emergência,
j) ter conhecimentos de epidemiologia, princípios de prevenção e rastreio

Medicina Geral e Familiar II

M602 - ECTS A unidade curricular (UC) de Medicina Geral e Familiar (MGF) pretende dar a conhecer o Médico de Família enquanto agente central dos Cuidados de Saúde Primários (CSP) que conhece e gere problemas que afectam os indivíduos, a sua família e a comunidade a que pertencem.
Na continuidade da MGF I, em que os conteúdos formativos são veiculados de
modo fundamentalmente teórico-prático e em que os estudantes obtiveram essencialmente conhecimentos e foram orientados para atitudes e competências a adquirir e desenvolver, inerentes a um bom desempenho em MGF, em MGF II o objectivo global é a formação e treino dos estudantes, indispensável para a prática da Medicina, mediante uma prática orientada, sendo integrados nas actividades de uma Unidade de Saúde dos CSP.
O grupo EURACT (European Academy of Teacher’s in General Practice) através da Agenda Educativa Euract de Medicina Geral e Familiar (¹) – delineou as características fundamentais que a disciplina e o ensino da Medicina Geral e Familiar deve conter agrupando-a em seis competências nucleares que uma vez adquiridas se convertem em aptidões de desempenho com vista à sua aplicação prática nos cuidados de saúde.
Essas competências nucleares são: Gestão em Cuidados Primários; Cuidados Centrados na Pessoa; Aptidões para a resolução de problemas específicos; Abordagem abrangente; Orientação comunitária; Abordagem holística.
Os cuidados prestados pelos Médicos de Família são: centrados na pessoa; abrangentes; holísticos; longitudinais; coordenados.
Objectivos Gerais
• Propor aos estudantes a adopção de uma abordagem sistémica e centrada na pessoa
• Permitir aos estudantes interiorizarem o papel do MF e as particularidades da MGF:
1. acessibilidade, continuidade, longitudinalidade e coordenação de cuidados;
2. visão dos pacientes enquanto pessoas que podem adoecer, procurando o impacto que a doença tem em cada um; utilização de métodos de consulta e de registo próprios;
3. do raciocínio à decisão clínica;
4. capacidade para tolerar e lidar com a incerteza;
5. Gestão do tempo de consulta e priorização dos problemas.
• Familiarizar os estudantes com:
1. os padrões mais comuns das queixas, sintomas, problemas de saúde
2. a morbilidade da comunidade
3. a aplicação de técnicas de comunicação na consulta
4. trabalho de equipa
5. a autoavaliação e a melhoria da qualidade
• Treinar a capacidade de avaliação, diagnóstico e tratamento dos problemas mais comuns na consulta de MGF
• Contribuir para uma decisão mais informada por parte dos estudantes na futura escolha de uma especialidade
Objectivos específicos
Área dos Conhecimentos - Em MGF II devem ser aprofundados e objecto de reflexão os conhecimentos veiculados em MGFI (ver Ficha de UC de MGFI)
Área das Competências - No final do programa, os estudantes devem ser capazes de:
1. Realizar uma consulta completa, usando o modelo «Os 7 passos da consulta» e o «Método clínico centrado no paciente»
2. Coligir os dados psicossociais (familiares, culturais, profissionais e ambientais, entre outros) e identificar factores de risco para a saúde
3. Realizar o exame físico dirigido, incluindo, sempre que apropriado:
a) avaliação da tensão arterial
b) avaliação da glicemia capilar
c) execução de testes rápidos de urina
d) exame dos pés dos pacientes com diabetes
e) exame de recém-nascidos e crianças
f) exame da orofaringe e otoscopia
g) avaliação do estado físico e mental em pessoas idosas
h) determinação de alterações da audição e da visão (utilizando as tabelas disponíveis)
i) exame clínico da mama
j) exame ginecológico e obstétrico e a colheita para citologia cervico-vaginal
4. familiarizar-se no uso das classificações de doenças e problemas de saúde
5. saber utilizar quando necessário escalas ou métodos de avaliação das funções cognitivas e outras
6. saber fazer “intervenção breve” (por ex. para a cessação tabágica)
7. saber informar sobre a contracepção
8. saber informar/aconselhar os pais sobre problemas comuns da infância
9. saber informar/educar sobre medidas gerais de alimentação e actividade física
10. saber informar/educar sobre a técnica de avaliação ambulatória da TA
11. saber informar/educar sobre os procedimentos necessários para prevenir o pé diabético
12. Avaliar os problemas dos pacientes:
a) - priorizando os problemas e definindo os que necessitem de intervenção urgente
b) integrando os problemas biológicos com os psicossociais
c) reconhecendo e gerindo a complexidade da multimorbilidade
d) formulando hipóteses clínicas tendo em conta dados
epidemiológicos/probabilísticos
13. Saber, para os problemas mais comuns:estabelecer um plano diagnóstico, com uso racional de meios complementares e interpretação dos seus resultados; prescrever um plano educacional e de capacitação do paciente; prescrever medicamentos usando as regras da prescrição racional; identificar os recursos pessoais, médicos e sociais/comunitários necessários e disponíveis para a concretização dos planos
14. Fazer registos clínicos usando o método RMOP (registo médico orientado por problemas), actualizando sempre que oportuno a informação básica do doente; redigindo notas clínicas de seguimento em formato SOAP; verificando eatualizando no final de cada consulta, se necessário, a lista de problemas, bem como a classificação dos mesmos como ativos ou inativos; utilizar aplicações electrónicas de registo clínico, prescrição e referenciação
15. Saber comunicar com pacientes os seus familiares e/ou cuidadores de modo empático e segundo e as orientações recomendadas de acordo com o contexto e a circunstância
Área das Atitudes e Comportamentos profissionais
No final do programa, o estudante deve ter atitudes e comportamentos profissionais
1. Demonstrar empatia e uma postura ética
2. Respeitar a autonomia dos pacientes, bem como os seus valores e preocupações
3. Ser sensível às diferenças de género, socioculturais, económicas e religiosas
4. Ser pontual e apresentar-se de acordo com as normas
5. Estabelecer relações cordiais e cooperantes com os diferentes profissionais da unidade de saúde
6. Ter postura crítica para com procedimentos sem base científica comprovada

Medicina Hospitalar

M607 - ECTS

Esta Unidade Curricular tem por objetivos a vivência prática da Medicina e integração dos conhecimentos adquiridos ao longo do curso.

 

  • Objetivos específicos

Durante o processo formativo, o estudante deverá saber identificar os problemas do doente, regista-los de forma adequada (método clínico de Weed) e definir qual a informação necessária para os resolver. Deverá, ainda, saber pesquisar a literatura e bases de dados pertinentes, selecionar os melhores estudos e aplicar regras de evidência para aferir a sua validade.

Para alargar o conhecimento aos cuidados terciários (a aplicar, após o internamento, a alguns doentes), o estudante frequentará uma Unidade de Cuidados Continuados onde deverá:

  1. Compreender a importância da prática clínica nos cuidados continuados, tendo em conta a reabilitação, readaptação à doença e a promoção da autonomia e dignidade do doente;
  2. Conhecer o enquadramento concetual da rede de cuidados continuados integrados em Portugal;
  3. Identificar as tipologias e caraterísticas da rede de cuidados continuados;
  4. Compreender a importância da organização dos serviços de cuidados continuados e respetiva coordenação;
  5. Compreender e aplicar os princípios chave da organização e gestão clínica de equipas, ao nível dos cuidados continuados integrados.

Saúde Mental

M603 - ECTS
  • • Compreender a saúde mental como uma prioridade de saúde pública
  • Promover visão integradora de conhecimentos provenientes das ciências do comportamento, psicossociais e biomédicas
  • Realçar a importância da epidemiologia na compreensão do peso das doenças psiquiátricas e dos problemas de saúde mental entre as principais causas de incapacidade e de morbilidade à escala mundial, com particular atenção à realidade de Portugal na Europal
  • Desenvolver as noções de vulnerabilidade e de resiliência e a importância da identificação de factores de risco e de protecção em Saúde Mental.
  • Compreender o impacto do estigma na Saúde Mental.
  • Compreender a Saúde Mental nos diferentes períodos do Ciclo Vital e em função dos contextos em que o indivíduo se insere.
  • Integração dos conhecimentos a partir da observação da prática clínica ao nível dos cuidados primários de saúde, nomeadamente através do estudo de casos.
  • Transposição e integração  de conhecimentos entre teoria e prática
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Última actualização: 2012-12-06 I  Página gerada em: 2022-01-29 às 08:30:49 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais