Go to:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Logótipo
Você está em: Start > MPS04

METODOLOGIA E EPISTEMOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE I

Code: MPS04     Acronym: MEIPSI

Instance: 2004/2005 - 1S

Active? Yes
Responsible unit: Psychology
Curso/CE Responsável: Psychology Master's Degree

Study cycles/ courses

Acronym No. of students Study Plan Curricular Years Credits UCN Credits ECTS Contact hours Total Time
MPSI 20 Plano oficial 2000 1 3 -

Teaching - Hours

Theoretical and practical : 3,00
Type Teacher Classes Hour
Theoretical and practical Totals 1 3,00
Cristina Maria Leite Queirós 1,50
Leonor Mendes de Freitas Queirós e Lencastre 1,50

Objectives

The subject is organized in two modules with the following aims:
1.Description of the two main epistemological traditions (french and anglo-Saxon), stressing in each of them the different scientific criteria; aiming to developing in students a critical spirit towards science, giving guidelines and choices epistemologically founded in the diversity of the great systems of psychology in general and Health’s psychology in particular.
2.Characterization of the scientific research’s phases and the two main types of methodology (quantitative and qualitative), aiming to developing the ability to do research in general and to carry out practical exercises (for example using the SPSS program) that might contribute to the preparation of the dissertation’s empirical part.

Programme

1.Epistemology:
- Definition of Epistemology and its relation with science and with methodology.
- Description of the theories of Comte, Popper, Bachelard, Althusser, Canguilhem, Kuhn and Foucault.
- Characterization of the actual scientific paradigm and examples of its use in Health’s Psychology.

2.Methodology:
- Description of the different phases in the organization and preparation of a research, since the planning to its written presentation.
- Training research in data bases and its usefulness in scientific research;
- Characterization of the two main types of methodology: quantitative and qualitative.
- Description of the main rules to build questionnaires and the use of analysis of content.

Main Bibliography

- Agra, C. (1986). Para uma Epistemopsicologia. Revista de Psicologia e de Ciências da Educação. Nº1, 17-27.
- Albarello, L, Digneffe, F., Hiernaux, J.P., Maroy, C., Ruquoy, D. & Saint-Georges, P. (1997). Práticas e métodos de investigação em ciências sociais. Lisboa: Gradiva.
- Almeida, L. & Freire, T. (2003). Metodologia da investigação científica em Psicologia e Educação. Braga: Psiquilibrios, 3ª edição.
- Althusser, L. (1979). Filosofia e filosofia espontânea dos cientistas. Lisboa : Editorial Presença.
- Bachelard, G. (1991). A filosofia do não. Lisboa : Editorial Presença.
- Bachelard, G. (1993). La formation de l'esprit scientifique. Paris : J. Vrin.
- Bell, J. (1997). Como realizar um projecto de investigação. Lisboa: Gradiva.
- Bryman, A. & Cramer, D. (2003). Análise de dados em ciências sociais, introdução às tecnicas utilizando o SPSS para Windows. Oeiras: Celta Editora.
- Canguilhem, G. (1996). Le normal et le pathologique. Paris : PUF.
- Carrilho, M. M. (1991). Epistemologia : posições e criticas. Lisboa : Fundação Calouste Gulbenkian.
- Cervo, A.L. & Bervian, P.A. (1996). Metodologia científica. S. Paulo : Makron Books.
- Comte, A. (1947). Discurso sobre o espirito positivo. Lisboa : Seara Nova.
- Comte, A. (sem data). O espirito positivo. Lisboa : Editora Rés .
- Deshaies, B. (1997). Metodologia da investigação em ciências humanas. Lisboa: Instituto Piaget.
- Everitt, B.S. (1977). The analysis of contingency tables. London: Champman and Hall.
- Foddy, W. (1996). Como perguntar, teoria e prática da construção de perguntas em entrevistas e questionários. Oeiras: Celta Editora.
- Foucault, M. (1987). A arqueologia do saber. Rio de Janeiro : Forense-Universitária .
- Foucault, M. (1988). As palavras e as coisas. Lisboa : Edições 70.
- Ghiglione, R. & Matalon, B. (1997). O inquérito, teoria e prática. Oeiras : Celta Editora, 3ª edição.
- Green, J. & D'Oliveira, M. (1991). Testes estatísticos em Psicologia. Lisboa: Editorial Estampa.
- Guéguen, N. (1999). Manual de estatística para psicólogos. Lisboa: Climepsi.
- Hout, R. (2002). Métodos quantitativos para as ciências humanas. Lisboa:
Instituto Piaget.
- Ketele, J.M. & Roegiers, X. (1999). Metodologia da recolha de dados: fundamentos dos métodos de observações, de questionários, de entrevistas e de estudo de documentos. Lisboa: Instituto Piaget
- Kuhn, T. (1989). A tensão essencial. Lisboa : Edições 70.
- Kuhn, T. (1994). A estrutura das revoluções cientificas. São Paulo : Editora Perspectiva, 3ª edição.
- Le Moigne, J. (1995). Les épistemologies constructivistes. Paris : P.U.F.
- Lessard-Hébert, Goyette, G. & Boutin, G. (1994). Investigação qualitativa, fundamentos e práticas. Lisboa: Instituto Piaget.
- Levin, J. (1987). Estatistica aplicada a ciências humanas. São Paulo: Harbra, 2ª ed.
- Maroco, J. (2003). Análise estatistica com utilização do SPSS. Lisboa: Sílabo.
- Miller, R. & Brewer, J. (2003). The A-Z of social research. London: Sage.
- Moreira, J.M. (2004). Questionários: teoria e prática. Coimbra: Almedina.
- Pinto, A. (1990). Metodologia da investigação psicológica. Porto: Edições Jornal de Psicologia.
- Popper, K. (1973). La logique de la decouverte scientifique. Paris : Payot.
- Popper, K. (1992). O universo aberto. Lisboa : Publicações Dom Quixote.
- Quivy, R. & Campenhoudt, L. (1998). Manual de investigação em ciências sociais. Lisboa : Gradiva.
- Ribeiro, J.L. P. (1999). Investigação e avaliação em Psicologia e Saúde. Lisboa: Climepsi.
- Siegel, S. (1985). Estatistica no paramétrica aplicada a las ciencias de la conducta. México: Editorial Trillas.

Complementary Bibliography

- Agra, C. (1986). Science, maladie mentale et dispositifs de l'enfance, du paradigme biologique au paradigme systemique. Lisboa : INIC.
- Agra, C. (1990). Sujet autopoiétique et transgression. In P. Mardaga (Ed.) Acteur social et délinquance - une grille de lecture du systeme de justice pénale. Liége: Pierre Mardaga, pp. 415-426.
- Agra, C. (1998). Entre Droga e Crime : actores, espaços, trajectórias. Lisboa: Edit. Noticias.
- Alferes, V. R. (1997). Investigação científica em Psicologia, teoria e prática. Coimbra : Almedina.
- Atlan, H. (1979). Entre le cristal et la fumée. Paris : Editions du Seuil.
- Atlan, H. (1986). A tort et à raison. Paris : Editions du Seuil.
- Bernard, C. (1978). Introdução à Medicina Experimental. Lisboa : Guimarães & C.ª Editores.
- Breakwell, G., Hammond, S. & Fife-Schaw, C. (1995). Research methods in Psychology. London : Sage.
- Campenhoudt, L. (2003). Introdução à análise dos fenómenos sociais. Lisboa: Gradiva.
- Carvalho, J.S. (1994). A metodologia nas humanidades, subsídios para o trabalho cientifico. Mem Martins: Editorial Inquérito.
- Durand, D. (1992). A Sistémica. Lisboa : Dinalivro. (original de 1979).
- Foucault, M. (1994). História da Sexualidade I, a vontade de saber. Lisboa : Relógio d'Água Editores.
- Foucault, M. (1994). História da Sexualidade II, o uso dos prazeres. Lisboa : Relógio d'Água Editores.
- Foucault, M. (1994). História da Sexualidade III, o cuidado de si. Rio de Janeiro : Graal, 4ª edição.
- Ford, D. & Lerner, R. (1992). Developmental systems theory, an integrative approach. Newbury Park : Sage.
- Gaarder, J. (1995). O mundo de Sofia, uma aventura na Filosofia. Lisboa : Editorial Presença.
- Gleick, J. (1989). Caos, a construção de uma nova ciência. Lisboa : Gradiva.
- João Paulo II (1998). Fé e razão, carta encíclica Fides et ratio. Braga : Editorial A.O.
- Marconi, M. & Lakatos, E. (2002). Técnicas de pesquisa. S. Paulo: Atlas. 5ª edição.
- Morin, E. (1991). O paradigma perdido, a natureza humana. Lisboa: Europa-América.
- Morin, E. (1997). As grandes questões do nosso tempo. Lisboa : Editorial Notícias.
- Mucchielli, R. (1979). O questionário na pesquisa psicossocial. S.Paulo:
Martins Fontes
- Nick, E. & Kellner, S. (1971). Fundamentos de estatistica para as ciências do comportamento. Rio de Janeiro: Editora Renes.
- Pereira, A & Poupa, C. (2003). Como escrever uma tese, monografia ou livro científico usando o Word. Lisboa: Sílabo, 2ª edição.
- Pires de Lima, M. (1995). Inquérito sociológico, problemas de metodologia. Lisboa: Presença, 4ª edição.
- Prigogine, I. & Stengers, I. (1990). Entre o tempo e a eternidade. Lisboa : Gradiva.
- Reuchlin, M. (1989). Métodos na Psicologia. Lisboa : Teorema.
- Robert, M. (1988). Fondements et étapes de la recherche scientifique en Psychologie. Québec : Edisem.
- Rosenthal, C. & Frémonttier-Murphy (2002). Introdução aos métodos quantitativos em ciências humanas e sociais. Lisboa: Piaget.
- Serrano, P. (1996). Redacção e apresentação de trabalhos científicos. Lisboa: Relógio d'Água.
- Silva, A.S. & Madureira Pinto, J. (1986). Metodologia das ciências sociais. Porto: Afrontamento.
- Sousa, G. V. (1998). Metodologia da investigação, redacção e apresentação de trabalhos científicos. Porto : Civilização Editora.
- Walliser, B. (1977). Systèmes et modèles, introduction critique à l'analyse de systèmes. Paris : Editions du Seuil.
- McGuigan, F. (1990). Experimental Psychology. San Diego: Prentice-Hall International Inc.

Teaching methods and learning activities

Classes mainly theoretical, assuming sometimes a theoretical-practical character during the accomplishment of certain exercises carried out in the scope of methodology.

Type of assessment

Distributed evaluation without final exam

Calculation formula of final grade

The final classification is the sum of the three thematic works.
Recommend this page Top
Copyright 1996-2018 © Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto  I Terms and Conditions  I Acessibility  I Index A-Z  I Guest Book
Page created on: 2018-12-19 at 06:13:06