Go to:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Logótipo
Você está em: Start > Notícias > Provas de Doutoramento em Psicologia - Joana Marina Santos Silva Vieira

News

Provas de Doutoramento em Psicologia - Joana Marina Santos Silva Vieira

26.09.2017 | 15h00 | Auditório 1

Provas de doutoramento no ramo de Psicologia, requeridas pela Mestre Joana Marina Santos Silva Vieira.

Apreciação da tese intitulada: (Re)conciliando trabalho e família: articulações com a parentalidade e com o ajustamento socioemocional da criança

Júri:
  • Doutor José da Conceição Mendes Marques
  • Doutora Maria Teresa Meireles Lima da Silveira Rodrigues Ribeiro
  • Doutora Maria Manuela Pedro Veríssimo
  • Doutora Anne Marie Germaine Victorine Fontaine
  • Doutora Maria Paula Pinto da Rocha Mena de Matos
  • Doutora Cidália Maria Neves Duarte

A sessão é aberta a todos os interessados.


RESUMO

A conciliação entre a vida familiar e profissional constitui atualmente um dos maiores desafios enfrentados pelas famílias e sociedades contemporâneas, assumindo este desafio particular relevância em Portugal, um dos países da União Europeia com maior número de famílias de duplo-emprego. Não obstante, as questões da conciliação trabalho-família permanecem pouco estudadas, do ponto de vista psicológico, no nosso país. Em particular, a investigação dos efeitos desta conciliação de papéis na parentalidade, nas relações pais-filhos e no desenvolvimento da criança configura uma importante lacuna da investigação neste domínio.

O presente trabalho teve, assim, como principal objetivo analisar as associações entre ambas as experiências de conciliação positiva e negativa do trabalho e da família e a qualidade das relações pais-filhos, procurando compreender também como estas dinâmicas de conflito e enriquecimento na conciliação de papéis dos pais se associam com o ajustamento socioemocional da criança. Adicionalmente, pretendeu-se identificar tipologias diádicas de conciliação trabalho-família privilegiadas por casais de duplo-emprego com base nos efeitos interativos das suas experiências de conflito e enriquecimento, para além de desenvolver e validar versões portuguesas de dois dos instrumentos de medida mais amplamente utilizados e validados na literatura internacional no domínio da interface Trabalho-Família. De uma maneira geral, os resultados mostraram que o modo como os pais conciliam os seus papéis profissional e familar encontra-se associado com a qualidade das relações que estabelecem com os seus filhos (vinculação, frutração relacional, envolvimento e sentido de competência parental), o que por sua vez parece influenciar o ajustamento socioemocional das crianças (comportamentos de internalização e externalização). Do ponto de vista diádico, os resultados evidenciaram efeitos diferenciais entre os parceiros, com uma maior associação entre as experiências de conciliação das mães e a qualidade das relações pai-criança, do que o contrário (conciliação dos pais e relaçõees mãe-criança). Adicionalmente, e no que diz respeito aos indicadores de ajustamento socioemocional da criança, observaram-se contributos igualmente diferenciais das experiências de conflito e enriquecimento de pais e mães. Enquanto que a experiência de conflito trabalho-família por parte dos pais mostrou ter uma ligação direta com os comportamentos de internalização e externalização da criança, o conflito das mães só mostrou estar indiretamente associado com estes comportamentos (por via da influência do conflito na qualidade da relação mãe-criança). Já no caso do enriquecimento, não foram observadas associações diretas com os indicadores de ajustamento da criança, apenas efeitos indiretos da experiência de enriquecimento trabalho-família de ambos pais e mães sobre os comportamentos de internalização e externalização da criança, com a qualidade da relação parental a desempenhar aqui o papel central de ligação. Termina-se este trabalho apontando as principais implicações da presente investigação, bem como algumas pistas para futuros estudos neste domínio.


ABSTRACT

Balancing work and family roles is one of the major challenges faced today by contemporary families and societies. These challenges are particularly relevant in the case of Portugal, one of the European Union countries with the highest rate of full- time dual-earner couples. Notwithstanding, the work-family balance issues remain little studied, from a psychological point of view, in our country.

The main goal of the present investigation was to analyze how parents' positive and negative work-family balance experiences associate with the quality of parent-child relationships, and also with indicators of child's socioemotional adjustment. Additionally, this study aimed to identify dyadic typologies of work-family balance based on couples' experiences of conflict and enrichment while managing their multiple roles, and also to develop and validate Portuguese versions of two of the most prominent measures in work-family research.

Overall, our results indicated that the way parents balance their work and family roles is associated with the quality of their parent-child relationships (parental confidence, involvement, attachment and relational frustration), which in turn is linked to their children's socioemotional adjustment (internalizing and externalizing behaviors). From a dyadic point of view, our results evidenced differential crossover effects between partners, with a stronger association between mothers' work-family balance experiences and fathers' parent-child relationships, than the other way around (fathers' work-family balance and mothers' relationship with the child). Additionally, differential contributions of fathers' and mothers' work-family experiences were observed regarding child's socioemotional adjustment behaviors. While fathers' work-family conflict was directly associated with child's internalizing and externalizing behaviors, mothers' work-family conflict was only indirectly related to these outcomes (via its negative effect on mother's-child relationship quality). As for enrichment, no direct associations were found with child's outcomes. Only indirect effects were oberved from both fathers'  and mothers' work-family enrichment to child's internalizing and externalizing behaviors, with parent-child relationship playing the central linking role. We conclude this work by pointing out the main implications of the present investigation, as well as some recommendations for future studies in this field.



RÉSUMÉ

L'articulation entre emploi et famille est un des grands défis de la société contemporaine. Le Portugal est un pays où cette question est particulièrement importante à cause de ses chiffres de couples donc les deux travaillent à temps complet. Malgré être une de les plus grandes taux de la Union Européenne, l'étude de cette articulation est encore peux étudié dans notre pays.

L'objectif principal de cette recherche était analyser les associations entre les expériences positives et négatives de articulation entre emploi et famille avec la qualité de la relation parent-enfant, et avec les indicateurs socio-émotionnels de l'adaptation de l'enfant. En outre, cet étude a voulu identifié les typologies dyadiques de articulation entre emploi et famille basés sur les expériences des couples de conflit et enrichissement pendant la gestion de ces multiples rôles; et développer et valider les versions portugaises de deux des plus importantes mesures de articulation entre emploi et famille.

En général, les résultats indiquent que l'articulation entre emploi et famille est associée avec la qualité de la relation parent-enfant (confiance parentale, engagement, attachement et frustration relationnelle), ce qui conduit à l'adaptation de l'enfant (conduites internes et externes). En ce qui concerne la perspective dyadique, les résultats montrent un échange entre les effets de chaque parent, avec un effet plus significatif des expériences de articulation entre emploi et famille de la mère sur la qualité de la relation père-enfant que l'effet contraire (expériences de articulation entre emploi et famille du père sur la qualité de la relation mère-enfant). En plus, des contributions différentes entre pères et mères on été observés sur les conduites de adaptation socio-émotionnels de l'enfant. Pendant que le conflit emploi-famille des pères était directement lié avec les conduites internes et externes des enfants, le conflit emploi-famille des mères était seulement associé indirectement (via un effet négatif de la qualité de la relation mère-enfant). Associations directes entre enrichissement et les variables de l'enfant on pas été trouvés. Seulement effets indirects on été observés entre l'enrichissement emploi-famille des pères et mères et les conduites internes et externes des enfants, liés par la relation parent-enfant. Cet étude présente aussi ces implications et recommandations pour les futures recherches.

Recommend this page Top
Copyright 1996-2017 © Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto  I Terms and Conditions  I Acessibility  I Index A-Z  I Guest Book
Page created on: 2017-11-19 at 12:10:12