Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início » MI541

Competências Clínicas Transversais

Código: MI541     Sigla: CCT

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Medicina

Ocorrência: 2021/2022 - 1S (de 13-09-2021 a 13-02-2022) Ícone do Moodle

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Medicina
Curso/CE Responsável: Mestrado Integrado em Medicina

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MIMED 144 Plano Oficial 2021 5 - 3,5 33 94,5

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Fernando Miguel Batista Friões Regente

Língua de trabalho

Português

Objetivos

- Abordagem de situações clínicas frequentes na prática clínica, enquadrando dados semiológicos, com o respectivo processo de investigação diagnóstica e instituição de terapêutica (por exemplo: dor torácica, dispneia, dor abdominal, hemorragia digestiva, alteração do estado de consciência, alterações iónicas e do equilíbrio ácido-base)

-Execução de técnicas médicas essenciais (toracocentese, paracentese, punção lombar, electrocardiograma, colheira de sangue venoso e arterial, entubação nasogástrica, algaliação, suturas de feridas)

- Análise sistematizada do electrocardiograma; noções básicas de ecografia e ecocardiografia (point of care ultrasonography)

- Familiarização com material cirúrgico (ferros, fios e tipos de suturas); avaliação de feridas (classificação, cicatrização e opções terapêuticas); drenagens cirúrgicas e tipo de drenos; estomas (indicações, classificação e complicações)

- Cuidados peri-operatórios e peri-procedimentos invasivos (incluindo noções de fluidoterapia)

Resultados de aprendizagem e competências

Os conteúdos leccionados permitem aos estudantes acompanhar doentes em contexto de enfermaria e lidar com situações frequentes na prática clínica, na medida em que os dotam de competências na (i) avaliação do doente em contexto de enfermaria, serviço de urgência e consulta externa, com integração dos respectivos dados semiológicos, (ii) leitura e interpretação de resultados de exames auxiliares de diagnóstico de uso comum em contexto de internamento, e (iii) execução de técnicas médicas essenciais.

Modo de trabalho

Presencial

Programa








 


A actuação clínica em contexto hospitalar requer a integração de um conjunto de conhecimentos de natureza teórica e prática. De facto, a abordagem de um doente, quer  em contexto de urgência, enfermaria ou consulta externa, requer por um lado a integração dos seus antecedentes, dados semiológicos e resultados de exames auxiliares de diagnóstico, e por outro lado a execução de procedimentos com fins diagnósticos e terapêuticos. Nesse sentido, a Unidade Curricular de Competências Clínicas Transversais pretende dotar os estudantes destas diferentes competências, tendo em vista uma maior capacidade de lidar com situações clínicas agudas e acompanhar doentes em contexto de enfermaria.


Em concreto, esta Unidade Curricular versará:


- Abordagem de situações clínicas frequentes na prática clínica, enquadrando dados semiológicos, com o respectivo processo de investigação diagnóstica e instituição de terapêutica (por exemplo: dor torácica, dispneia, dor abdominal, hemorragia digestiva, alteração do estado de consciência, alterações iónicas e do equilíbrio ácido-base)


-Execução de técnicas médicas essenciais (toracocentese, paracentese, punção lombar, electrocardiograma, colheira de sangue venoso e arterial, entubação nasogástrica, algaliação, suturas de feridas)


- Análise sistematizada do electrocardiograma; noções básicas de ecografia e ecocardiografia (point of care ultrasonography)


- Familiarização com material cirúrgico (ferros, fios e tipos de suturas); avaliação de feridas (classificação, cicatrização e opções terapêuticas); drenagens cirúrgicas e tipo de drenos; estomas (indicações, classificação e complicações)


- Cuidados peri-operatórios e peri-procedimentos invasivos (incluindo noções de fluidoterapia).


Bibliografia Obrigatória

Castelo-Branco, L.., Guerra-Pereira, N., Gago, T.; Competências Clínicas Práticas e Preparação para OSCE., Lidel- Edições Técnicas, Lda., 2016
Vaz-Carneiro, A. ; Técnicas Médicas Essenciais , Lidel-Edições Técnicas, Lda., 2017
Hampton, J., Hampton, J. ; The ECG Made Easy., Elsevier Health Sciences., 2019
Reddi, A. ; Fluid, Electrolyte and Acid-Base Disorders-Clinical Evaluation and Management , Springer International Publishing AG, 2017
Brunicardi, F., Andersen, D., Billiar, T., Dunn, D., Hunter, J., Kao, L., Matthews, J., Pollock, R. ; Schwartz´s Principles of Surgery , McGraw-Hill Education/Medical. , 2019

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

A Unidade Curricular terá por base 6 aulas teórico-práticas de 90m e uma componente de estágio clínico, envolvendo não só a utilização de modelos de simulação no Centro de Simulação Biomédica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, mas também estágios nos Serviços de Medicina Interna e de Cirurgia Geral do Centro Hospitalar Universitário de São João, EPE. As aulas teórico-práticas destinam-se à discussão sistematizada de situações clínicas frequentes na prática clínica diária e ao estágio clínico ao treino efectivo das competências conferidas por esta Unidade Curricular.

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Participação presencial 50,00
Prova oral 50,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 61,50
Frequência das aulas 33,00
Total: 94,50

Obtenção de frequência

Presença em 5 aulas teórico-práticas e 18 horas de estágio.

Fórmula de cálculo da classificação final


A classificação final terá por base 5 componentes:

A) avaliação contínua de Medicina Interna
B) avaliação contínua de Cirurgia Geral
C) exame prático/oral em modelos de simulação
D) exame prático/oral de Medicina Interna
E) exame prático/oral de Cirurgia Geral

Fórmula de cálculo da classificação final:
(A/2 + B/2)x 0.5 + (C/3 + D/3 + E/3)x0.5

Qualquer um dos cinco componentes (A a E) é eliminatório, devendo o aluno ter uma nota mínima de 9.5 em cada um.

Avaliação especial (TE, DA, ...)

Mesmas condições gerais descritas acima.

Melhoria de classificação

A melhoria de classificação só é possível para o componente de avaliação prática/oral, mediante a repetição dos 3 componentes correspondentes (C a E), nas épocas previstas, mediante inscrição prévia.
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Faculdade de Medicina da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2022-05-28 às 07:53:06 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais