Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início » Publicações » Visualização » António Veloso de Pinho: Medicina e Liberdade

António Veloso de Pinho: Medicina e Liberdade

Título
António Veloso de Pinho: Medicina e Liberdade
Tipo
Tese
Ano
2022-05-25
Autores
João Maria Veloso Trevisan Encarnação
(Autor)
FMUP
Ver página pessoal Sem permissões para visualizar e-mail institucional Pesquisar Publicações do Participante Sem AUTHENTICUS Sem ORCID
Classificação Científica
FOS: Ciências médicas e da saúde > Outras ciências médicas
Outras Informações
Resumo (PT): António Veloso de Pinho nasceu a 4 de Abril de 1894 em Campanhã, no Porto. Filho de pai incógnito, cujo apelido só adoptaria vários anos depois, quando o encontrou pela primeira vez, e de Perpétua do Lado Veloso, foi desde logo entregue a uma ama, que o criou até aos nove anos no Porto. Em resultado deste início de vida atribulado, os seus estudos ficaram alguns anos atrasados. No entanto, após começar a viver com a mãe, conseguiu condensar anos lectivos, ingressando na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto em 1912, com dezoito anos. Em 1918, enquanto aluno da faculdade, voluntariou-se no Hospital Joaquim Urbano para o combate à epidemia de tifo exantemático que acometeu a cidade do Porto nesse ano. Em 1919, com a maioria das cadeiras concluídas (excepto Otorrinolaringologia e Oftalmologia), começou a trabalhar na Faculdade de Medicina do Porto, como Segundo Assistente de Histologia, cargo que ocupou até 1925. Em 1921, concluiu a licenciatura com uma média de 14 valores e apresentou a sua dissertação, intitulada “Nótulas de Histologia Hipofisária”, a um júri presidido pelo Professor Abel Salazar (1889-1946), tendo sido aprovado com 17 valores. No mesmo ano, começa a trabalhar no Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de Santo António. Em 1926, torna-se Segundo Assistente do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de Santo António e, mais tarde, em 1929, Primeiro Assistente. Um entusiasta da Histologia, foi o principal responsável por, em 1927, se voltarem a fazer exames histológicos de tumores otorrinolaringológicos no Laboratório Clínico do Hospital de Santo António. Paralelamente, trabalhou no Sanatório Rodrigues Semide, também no Porto, um estabelecimento para tratamento de tuberculose da Santa Casa da Misericórdia. Nesse sanatório, foi responsável pelo Serviço de Laringologia e fundador do Boletim de Tisiologia, juntamente com o Dr. António de Araújo. A 1 de Fevereiro de 1937, é nomeado Director Interino do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de Santo António, apresentando nesse ano o seu primeiro relatório sobre as condições de trabalho e as lacunas existentes ao Provedor da Santa Casa da Misericórdia. Em 1938, já como Director de Serviço, apresenta o segundo relatório, salientando as melhorias do ano precedente, mas reforçando a necessidade de continuar a investir tanto nas condições de trabalho, como na formação dos médicos do hospital. Durante os anos em que foi Director de Serviço, continuou a lutar pela melhoria das instalações e apetrechamento material do serviço, mas também pela contínua formação teórica e prática dos médicos. Publicou numerosos artigos científicos, principalmente na área da Otorrinolaringologia, em revistas portuguesas e francesas. Em 1938, executou a primeira laringectomia total registada na cidade do Porto. Em Fevereiro de 1941, a Mesa da Santa Casa da Misericórdia do Porto nomeia o Dr. Veloso de Pinho Sub-Director Clínico do Hospital Santo António, cargo que continuou a desempenhar provavelmente até 1947. Em 1953, inicia-se um conflito entre o Dr. Veloso de Pinho e a Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia do Porto, que pretendia a sua aposentação compulsiva. O processo arrastou-se durante anos, com sucessivos recursos interpostos por ambas as partes. Enquanto esteve afastado do Hospital de Santo António e do Sanatório Rodrigues Semide, continuou a prática clínica no seu consultório privado, situado na Rua 31 de Janeiro. Interessado por política desde jovem, escreveu vários artigos sobre o tema e participou em congressos e comemorações republicanas. Tal como o Professor Abel Salazar, seu mentor e amigo, foi uma voz activa contra a ditadura, sendo classificado como “elemento desafecto ao Estado Novo”, o que lhe valeu em Outubro de 1961 uma estadia de treze dias na prisão para “averiguações por crimes contra a segurança do Estado”. O conflito com a Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia do Porto só termina em Maio de 1961, ano em que o Dr. Veloso de Pinho vence o recurso. Quase dez anos após o início do processo, retoma o seu lugar como Director do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de Santo António e como laringologista do Sanatório Rodrigues Semide, aposentando-se em 1964, com setenta anos, por limite de idade. Manteve contudo actividade no seu consultório durante mais alguns anos. Morreu em 1987, aos noventa e três anos. Está sepultado, ao lado da sua mulher, Maria José Matos Mendes Domingues Veloso, no jazigo da família, no Cemitério do Prado do Repouso, no Porto.
Abstract (EN): António Veloso de Pinho was born on April 4th 1894 in Campanhã, Porto. He was the son of an unknown father, whose surname he only adopted several years later, when the two met for the first time. His mother, Perpétua do Lado Veloso, entrusted a nanny with bringing him up in Porto. Because of this difficult start in life, his studies were delayed a few years. However, when he began living with his mother, at the age of nine, he was able to merge some school years and enter medical school (Faculty of Medicine of the University of Porto) in 1912, at eighteen years old. In 1918, as a student, he volunteered at Joaquim Urbano Hospital to help fight Porto’s exanthematic typhus epidemic. In 1919, with most subjects completed (except for Otorhinolaryngology and Ophthalmology), he started working in the Faculty of Medicine’s Histology Department as Second Assistant, until 1925. In 1921, he finished his degree in Medicine with a final grade of 14 values and presented his thesis, “Nótulas de Histologia Hipofisária” (Notes on pituitary histology), to a jury presided by Professor Abel Salazar; he was approved with 17 values. That same year, he started working in Santo António Hospital’s Otorhinolaryngology Department. In 1926, he became Second Assistant and, in 1929, First Assistant at Santo António Hospital’s Otorhinolaryngology Department. A Histology enthusiast, he was responsible for reinitiating histological exams on otorhinolaryngologic tumors in Santo António Hospital’s Clinical Laboratory. He also worked in Rodrigues Semide Sanatorium, treating tuberculosis patients, as Chief Laryngologist. There, he and Dr. António de Araújo founded “Boletim de Tisiologia” (Tisiology Report). On February 1st 1937, Dr. Veloso de Pinho is appointed Acting Director of Santo António Hospital’s Otorhinolaryngology Department and presents, later that year, the first report about working conditions and necessary improvements to the management at Santa Casa da Misericórdia do Porto. In 1938, as Director of the Department, he submits a second report, stating the improvements that were made, but stressing the need to keep investing in working conditions, but also in the continuous theoretical and practical instruction of doctors. During his many years as Director, he kept fighting to improve the department’s facilities, as well as doctor’s education and skillsets. He published numerous scientific papers, mainly on Otorhinolaryngology, in both Portuguese and French magazines. In 1938, he performed the first laryngectomy recorded in Porto. In February 1941, Dr. Veloso de Pinho is appointed Clinical Sub-Director of Santo António Hospital. He held this position probably until 1947. In 1953, Santa Casa decided Dr. Veloso de Pinho’s compulsory retirement, which he did not accept. The case went to court for many years, with several appeals filed on both sides. While he was withdrawn from his duties at Santo António Hospital and Rodrigues Semide Sanatorium, he kept seeing patients in his private practice at 31 de Janeiro Street, in Porto. Since a young age, he was interested in politics and wrote several papers on the subject; he participated in Republican congresses and gatherings. As Professor Abel Salazar, his mentor and friend, he spoke up against Portugal’s dictatorship and was arrested and incarcerated for thirteen days in 1961 for “inquiries into crimes against state security”. The conflict with Santa Casa da Misericórdia do Porto ended in 1961, when Dr. Veloso de Pinho won the appeal. Almost a decade after the beginning of the case, he returns to Santo António Hospital (as Director of the Otorhinolaryngology Department) and Rodrigues Semide Sanatorium. He retired in 1964, at seventy years old, but kept his private practice for some years after that. He died in 1987, aged ninety-three years old. He is buried alongside his wife, Maria José Matos Mendes Domingues Veloso, in the family’s tomb at Prado do Repouso Cemetery, in Porto.
Idioma: Português
Nº de páginas: 26
Tipo de Licença: Clique para ver a licença CC BY-NC-ND
Documentos
Não foi encontrado nenhum documento associado à publicação com acesso permitido.
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2023 © Faculdade de Medicina da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2023-02-04 às 06:19:57 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias