Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FMUP
Você está em: Início » Notícias » Estudo da FMUP conclui que 20% dos portugueses sofrem de incontinência urinária
Autenticação




Esqueceu-se da senha?

Notícias

Estudo da FMUP conclui que 20% dos portugueses sofrem de incontinência urinária

O estudo foi solicitado à FMUP pela APU e APNUG

De acordo com um estudo desenvolvido pelo Serviço de Higiene e Epidemiologia da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), um em cada cinco portugueses com mais de 40 anos sofre de incontinência urinária (IU). O estudo, solicitado à FMUP pela Associação Portuguesa de Urologia e Associação Portuguesa de Neuro-Urologia e Neuro-Ginecologia, foi apresentado esta semana, em Lisboa.

Os resultados deste estudo de prevalência da IU - o primeiro realizado em Portugal - demonstram que esta patologia afecta sobretudo as mulheres (21,4% contra 7,6% dos homens).

Dentro do género feminino, a faixa etária mais afectada por esta patologia é a dos 60 aos 79 anos de idade, cuja prevalência ultrapassa os 25%. No entanto, contrariando o estereótipo de que a incontinência está associada a uma idade bastante avançada, o estudo permitiu comprovar que mais de 18% das mulheres com idades compreendidas entre os 40 e os 59 anos - activas - sofre deste problema. Nos homens, os mais afectados são os mais velhos. Nos indivíduos com idades superiores a 80 anos a prevalência chega aos 21,6%.

O estudo epidemiológico demonstrou ainda que, dos indivíduos que apresentavam sintomas de incontinência, apenas 4,9% tinham declaração de diagnóstico. Segundo os especialistas, a pouca importância atribuída à patologia, considerada um "problema normal da idade", e o constrangimento em reportá-la podem estar na base da diferença entre a prevalência da incontinência e o número de diagnósticos.

A incontinência urinária é um importante problema de saúde devido à sua alta prevalência, ao impacto que tem na qualidade de vida dos doentes afectados e aos custos que acarreta. A Organização Mundial de Saúde identificou esta patologia como um problema major de saúde pública (afecta mais de 200 milhões de pessoas em todo o Mundo).
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2020 © Faculdade de Medicina da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2020-08-06 às 00:48:25 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais