Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início » Notícias » Investigação da FMUP abre novos caminhos no combate às lesões cerebrais

Notícias

Investigação da FMUP abre novos caminhos no combate às lesões cerebrais

Descoberta sobre o papel das hormonas libertadas pela hipófise após uma lesão cerebral pode ter implicações no tratamento de lesões cerebrais traumáticas ou AVC

sig

Um estudo publicado na revista científica eLife, e que contou com o importante contributo de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S), revela que as hormonas libertadas pela hipófise após uma lesão cerebral contribuem para a perda de movimentos corporais. Se estas hormonas foram bloqueadas, indicam estes novos resultados, os efeitos nocivos de uma lesão podem ser contrariados. Uma descoberta que pode ter implicações no tratamento de pessoas com lesões cerebrais traumáticas ou AVC.

“Sabemos que um AVC ou uma lesão de um lado do cérebro causa dificuldades de movimento no lado oposto do corpo e estudos recentes mostraram-nos também que se dermos certas hormonas a um ratinho sem lesão cerebral isso pode causar perda de movimentos num dos lados do corpo. Descobrimos então, após testes in vivo, que são duas hormonas hipofisárias em específico – a ß-endorfina e a Arg-vasopressina – que causam este efeito de contração dos membros”, explica Nikolay Lukoyanov, professor da FMUP e um dos primeiros autores do artigo.

A equipa administrou estas duas hormonas a ratos sem lesões cerebrais e descobriu que eles desenvolveram contração do membro inferior do lado direito. Tentaram depois perceber o que aconteceria se dessem a ratos com lesão cerebral do lado esquerdo medicamentos que bloqueiam os efeitos destas duas hormonas.

“Concluímos que os animais não desenvolveram problemas de movimento do lado direito, como seria de esperar”, adianta, em comunicado, Georgy Bakalkin, professor do Departamento de Biociências Farmacêuticas, Universidade de Uppsala, Suécia, e co-autor do estudo.

Isto diz-nos, conclui Nikolay Lukoyanov, que as “hormonas transmitem sinais específicos dos lados após uma lesão cerebral”. Nesse sentido, “a nossa expectativa é que se tratarmos os pacientes com lesões cerebrais semelhantes com medicamentos que bloqueiam os efeitos destas hormonas, podemos obter melhorias” na condição física.

Estas observações “sugerem que o sistema endócrino através das suas hormonas no sangue pode visar seletivamente os lados esquerdo e direito do corpo dos animais», conclui Bakalkin”. Ainda assim, “temos de ser cautelosos na interpretação destas descobertas e das suas implicações biológicas e precisamos de verificar este fenómeno noutros modelos animais. Mas se se confirmarem os benefícios de tratamentos que bloqueiam estas hormonas, poderemos ter aqui uma nova abordagem ao tratamento de problemas de movimento após um AVC ou lesão”, adverte o investigador.

Georgy Bakalkin e Jens Schouenborg (Universidade de Lund, Suécia) são coautores séniores do estudo que, para além de Nikolay Lukoyanov, tem ainda como primeira autora Liliana Carvalho, do Departamento de Biomedicina da FMUP e investigadora do i3s. Aos dois investigadores da U.Porto juntam-se ainda as cientistas Hiroyuki Watanabe e Olga Nosova e Daniil Sarkisyan, ambas da Universidade de Uppsala (Suécia).

A equipa envolvida no estudo incluiu ainda os investigadores Elena A. Lukoyanova (U.Porto), Mengliang Zhang e Marlene Storm Andersen (Universidade do Sul da Dinamarca), Vladimir Galatenko (Universidade Estatal de Moscovo Lomonosov, Rússia), Alex Tonevitsky (Escola Superior de Economia da Universidade Nacional de Investigação, Rússia), Igor Bazov e Tatiana Iakovleva (Universidade de Uppsala).

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto


Foto: DR
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2021 © Faculdade de Medicina da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2021-10-23 às 19:07:31 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais