Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FMUP
Você está em: Início » Oferta Formação » Unidade de Formação Contínua » NCMGF
Autenticação




Esqueceu-se da senha?

Candidaturas 2017/18

Nutrição Clínica na Medicina Geral e Familiar

A doença arterial coronária, o acidente vascular cerebral isquémico, a diabetes tipo 2 e alguns tipos específicos de cancro, até recentemente comuns apenas em países desenvolvidos, são atualmente os principais fatores de morbidade e mortalidade em todo o mundo. Além disso, a prevalência de cancro e de doenças cardiovasculares quase sempre aumenta dramaticamente entre os emigrantes quando se deslocam de países menos desenvolvidos para países mais desenvolvidos. Nas sociedades africanas tradicionais, por exemplo, a doença cardiovascular é praticamente inexistente, mas a prevalência/incidência entre os afro-americanos é semelhante à dos caucasianos americanos. Estas marcantes alterações nos países ao longo do tempo e entre as populações emigrantes indicam que os determinantes primários dessas doenças não são fatores genéticos mas antes ambientais, com particular importância para a dieta e o estilo de vida. É por este motivo que um considerável esforço de pesquisa tem sido dirigido para a identificação dos determinantes modificáveis das doenças crónicas.

A maioria destes estudos tem sido realizada em países ocidentais, em parte devido à importância histórica dessas doenças no Ocidente, mas também porque têm uma infra-estrutura de pesquisa mais desenvolvida.
Uma primeira inferência geral diz-nos que a redução dos fatores de risco nutricionais/dietéticos e de estilo de vida identificáveis ​​e modificáveis ​​poderia prevenir a maioria dos casos de DCV, AVC, diabetes e de muitos tipos de cancro nas populações das sociedades mais desenvolvidas. Estas conclusões são verdadeiramente importantes pois indiciam que essas doenças não são consequências inevitáveis ​​de uma sociedade moderna. Além disso, baixas prevalências/incidências dessas doenças podem ser alcançadas sem medicamentos ou instalações médicas caras, o que não surpreende, porque a sua prevalência/incidência tem sido, historicamente, extremamente baixa em países em desenvolvimento e com menores recursos médicos. No entanto, a prevenção dessas doenças exigirá mudanças nos comportamentos relacionados com o tabagismo, a atividade física, a dieta e estilo de vida. Investir em educação e políticas alimentares torna-se fundamental para apoiar e encorajar essas mudanças.

A prevalência mundial das doenças não transmissíveis (Diabetes tipo 2, doença cardiovascular e cerebrovascular, hipertensão e obesidade), doenças de natureza crónica e que se manifestam na vida adulta, é um grave problema de saúde pública. Está relacionado basicamente com o estilo de vida dos indivíduos e incluem padrões alimentares inadequados (consumo de energia em excesso particularmente a expensas de gorduras e de deficiente ingestão de fibra e vitamina C), o hábito de fumar e a falta de atividade física.

O meio ambiente, um ato cirúrgico ou um traumatismo, as alergias alimentares, o acesso inadequado a alimentos seguros e suficientes, a fase de crescimento e de desenvolvimento, as crenças ou ideias nocivas, a falta de conhecimento e questões socioeconómicas podem afetar o padrão alimentar adequado. Numa pessoa saudável, a omissão de um grupo concreto de alimentos ou a ingestão de alimentos ricos em calorias mas pobres em nutrientes não conduz de forma repentina a um estado nutricional deficiente. É a ingestão prolongada deste tipo de alimentação desequilibrada ou a insuficiência grave/aguda de nutrientes que leva a consequências nutricionais indesejáveis.

Desde há várias décadas que é motivo de preocupação a falta do conhecimento em nutrição nos seus aspetos básicos e práticos na formação dos profissionais das ciências da saúde. A consequência imediata desta carência é a pouca participação dos profissionais de saúde na resolução dos problemas relacionados com a nutrição que afetam as pessoas nas diferentes etapas do ciclo de vida.



Objetivos

Dado que a maioria dos médicos considera os conhecimentos em alimentação, nutrição e dietética fundamentais para a sua prática clínica diária e que diversos estudos apontam para a sua falta de conhecimentos nesta área, assume-se de extrema relevância este curso de formação contínua, importância esta que resultará certamente da não integração da nutrição como disciplina obrigatória no plano curricular da licenciatura em medicina.

Objetivos

- Proporcionar conhecimentos sobre metodologias de avaliação do estado nutricional de populações, desenvolvendo aptidões na obtenção, interpretação e análise de dados obtidos pelas mesmas;

- Proporcionar conhecimentos de forma sistemática e integrada dos aspetos fisiopatológicos e das doenças, a sua etiologia e terapia nutricional adequada;

- Proporcionar capacidades e aptidões para intervenção a nível populacional identificando e apontando soluções para a resolução de problemas de nutrição, dietética e saúde pública.

- Dar a conhecer a importância de uma correta avaliação nutricional e metabólica nas diferentes etapas do ciclo de vida;

- Reconhecer e avaliar a importância da nutrição como terapia em diferentes patologias crónicas, com especial enfase na hipertensão e diabetes mellitus;

- Otimizar conhecimento e prescrição de dietas hipocalóricas com intuito de emagrecimento

Dieta hiperproteica no jovem desportista/atleta;

- Reconhecer e avaliar a importância da nutrição durante gravidez, aleitamento e infância precoce

- Reconhecer e avaliar a importância da nutrição nos idosos e grandes idosos;

- Reconhecer e avaliar a importância da nutrição nos doentes demenciados/dependentes;

- Adquirir conhecimentos sobre diferentes suplementos alimentares existentes e a sua prescrição;

- Implementar e monitorizar o suporte nutricional adequado em ambulatório.

Resultados de aprendizagem

- Conhecer, saber utilizar, aplicar e interpretar criticamente as fontes de informação relacionadas com os dados de alimentação/ nutrição, estilos de vida e outros indicadores sociais relevantes.

- Aquisição de competências na área da nutrição e dietética que lhes permita fazer aconselhamento alimentar nas diversas situações clínicas.

Adequação das metodologias de ensino e dos métodos de avaliação aos resultados de aprendizagem dos estudantes

Método expositivo (aulas teóricas) – destinadas a organizar de forma hierárquica as noções respeitantes a cada tema, em nutrição clínica e dietoterapia.

Aulas teórico-práticas: apresentação e discussão de casos clínicos destinadas a consolidar os conhecimentos adquiridos através da participação ativa do aluno.

No final do curso existirá uma avaliação no formato de teste online disponibilizado na plataforma Moodle.

 


Áreas de Especialização

Condições específicas de acesso ao Curso de Educação Continua

Os candidatos serão seriados através da avaliação da média do curso e das habilitações literárias (ver abaixo ponderações). Em caso de empate será colocado o candidato com melhor ponderação na habilitação literária.

Destinatários - Licenciados ou detentores do Mestrado Integrado em Medicina, Enfermagem ou Farmácia.


Critérios e subcritérios de seleção e seriação dos candidatos .

Ponderação (%)

Média do curso = 20 valores

80%

Média do curso = 19 valores

75%

Média do curso = 18 valores

70%

Média do curso = 17 valores

65%

Média do curso = 16 valores

60%

Média do curso = 15 valores

55%

Média do curso = 14 valores

50%

Média do curso = 13 valores

45%

Média do curso = 12 valores

40%

Média do curso = 11 valores

35%

Média do curso = 10 valores

30%

 

 

Habilitações literárias - Doutorado

20%

Habilitações literárias – Mestre

10%

Habilitações literárias - Licenciado

5%



Critério de desempate de candidatos 

Em caso de empate será colocado o candidato com melhor ponderação na habilitação literária.

Competências Profissionais

Regime de frequência:

 

Os estudantes têm a possibilidade de optar por dois regimes de frequência: o regime Presencial e o regime à Distância. Ambos os regimes possibilitam aos estudantes o acesso às aulas através da combinação de 3 vias (presença em sala de aula, videoconferência e aula gravada) variando entre si na percentagem de acesso atribuída a cada uma destas modalidades.

 

  1. No regime presencial os estudantes devem frequentar no mínimo 75% das aulas presencialmente, em sala de aula. Em casos excecionais e devidamente justificados, os restantes 25% das aulas podem ser assistidos através de videoconferência e e/ou aula gravada.

 

  1. No regime à distância os estudantes devem frequentar no mínimo 75% das aulas através de videoconferência. Em casos excecionais e devidamente justificados, os restantes 25% das aulas podem ser assistidos em diferido através de aula gravada. A inscrição no regime à Distância encontra-se reservado aos estudantes que não apresentem condições para frequência no regime presencial.

Informações

N.º DE VAGAS POR EDIÇÃO:
1.ª Edição:
150 (máx. 20 alunos presenciais)
2.ª Edição: 150 (máx. 20 alunos presenciais)

Local de edição do Curso  17/18
FMUP (b-learning)

Idioma de lecionação
Totalmente em Português

Calendarização e horário
Sábado das 9h às 13h

Propina 
300¤ (Pagamento no ato da matrícula)


CALENDARIZAÇÃO DAS CANDIDATURAS 
 

1ª EDIÇÃO

2ª EDIÇÃO

Apresentação das candidaturas

até 31 ago 2017

18 dez 2017 a 16 jan 2018

Afixação de resultados provisórios

4 de setembro 2017

22 jan 2018

Audiência Prévia 

5 a 18 de set 2017

23 jan a 5 fev 2018

Afixação de resultados definitivos

19 set 2017

7 fev 2018

Apresentação de reclamação dos candidatos

20 set 2017

8 fev 2018

Publicação da decisão de reclamações

21 set 2017

9 fev 2018

Realização de matrículas

22 set a 3 de outubro 2017

12 a 21 fev 2018

Eventual colocação de suplentes

4 de outubro 2017

23 fev 2018

Publicação de vagas sobrantes para a fase seguinte

Não se aplica

Não se aplica

Modo de notificação dos candidatos

On-line na página da FMUP

On-line na página da FMUP


Comentários

Calendarização do curso por edições

1ª edição

2ª edição

Início da atividade letiva no Curso de Educação Continua

14 out 2017

3 mar 2018

Prazo limite para a conclusão da avaliação no Curso de Educação Continua

2 dez 2017

28 abr 2018



Para auxiliar a submissão da Candidatura, pode consultar o Guia de Apoio (1).

CANDIDATURAS AQUI



Para auxiliar a realização da Matrícula/Inscrição, pode consultar o Guia de Apoio (2). 

REALIZAR MATRÍCULA / INSCRIÇÃO AQUI

 
Toda a informação para candidatos à FMUP. Informação disponível aqui!


Contactos

Departamento de Apoio à Investigação e à Pós-Graduação Educação Contínua
Tel.: 220426957
e.mail: educacaocontinua@med.up.pt

Dados Gerais

Docente Responsável: Ovídio Costa
Sigla: NCMGF
Tipo de curso/ciclo de estudos: Unidade de Formação Contínua
Início: 2017/2018
Duração: 108 Horas

Planos de Estudos

Diplomas

  • Nutrição Clínica na Medicina Geral e Familiar (4 Créditos ECTS)

Áreas Científicas Predominantes

Recomendar Página Voltar ao Topo