Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > Publicações > Visualização > Una indústria na "aldeia": a génesis da ourivesaria no concello de Gondomar, Portugal

Una indústria na "aldeia": a génesis da ourivesaria no concello de Gondomar, Portugal

Título
Una indústria na "aldeia": a génesis da ourivesaria no concello de Gondomar, Portugal
Tipo
Capítulo ou Parte de Livro
Ano
2021
Autores
Sousa, Ana Cristina
(Autor)
FLUP
Ver página pessoal Sem permissões para visualizar e-mail institucional Pesquisar Publicações do Participante Sem AUTHENTICUS Sem ORCID
Felícia, Diana
(Autor)
FLUP
Ver página pessoal Sem permissões para visualizar e-mail institucional Pesquisar Publicações do Participante Sem AUTHENTICUS Sem ORCID
Outras Informações
Resumo (PT): Estendendo-se a Oriente da cidade do Porto e acompanhando a sul o rio Douro, o município de Gondomar é, na atualidade, o maior centro de produção aurífera, realidade que lhe valeu o epíteto de “capital da ourivesaria”. Território predominantemente rural até finais do século XX, foi-se diferenciando a nível industrial, e desde a centúria de Oitocentos, pelos ofícios de marcenaria e ourivesaria, sectores que absorveram parte da mão-de-obra de uma população ativa em contínuo crescimento. Partindo da investigação levada a cabo nos registos paroquiais das freguesias do concelho, nos almanaques comerciais, nos registos de marcas de ourives da Contrastaria do Porto, nos recenseamentos militares, pedidos de passaportes, outras publicações periódicas e várias entrevistas a artesãos, pretende-se, com este artigo, expor algumas das razões que tornaram possível o nascimento de um Eldorado num cenário predominantemente agrícola, marcado pela escassez e pobreza. A afirmação de dinastias familiares desde o século XV III, o envolvimento de todos no processo produtivo e a prática de fabrico a preços muito baixos, possível através de uma clara e contínua exploração da mão-de-obra braçal, contam-se entre as justificações deste fenómeno.
Abstract (EN): Extending to the east of the city of Porto and following the Douro river to the south, the Gondomar’s council is currently the largest center of gold production, a reality that earned it the epithet of the “goldsmith’s capital”. Predominantly rural until the end of the twentieth century, it has been differentiated at the industrial level, and since the eighteenth century, by the crafts of carpentry and goldsmithing, sectors that absorbed part of the workforce of a continuously growing active population. Based on the research carried out in the parish registers of the parishes of the council, in the commercial almanacs, in the registrations of goldsmiths’ in the Porto Assay Office, in the military censuses, passport applications, other periodic publications and several interviews with artisans, with this article, we intend to explain some of the reasons that made possible the birth of an “Eldorado” in a predominantly agricultural scenario, marked by scarcity and poverty. The affirmation of family dynasties since the eighteenth century, the involvement of all in the production process and the practice of low-cost manufacturing, made possible by a clear and continuous exploitation of the manual labor, are among the justifications of this phenomenon.
Idioma: Português
Tipo (Avaliação Docente): Científica
Documentos
Nome do Ficheiro Descrição Tamanho
Livro-Paraíso-Bogotá_AnaCristinaSousa2 19057.94 KB
Publicações Relacionadas

Dos mesmos autores

Do mesmo livro

Juan de Arfe, "grande official" y "ditoso" ourives (2021)
Capítulo ou Parte de Livro
Sousa, Ana Cristina
Recomendar Página Voltar ao Topo