Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
Clube de Leitura – Vamos a Livros
Você está em: Início > EQ0129
Autenticação




Mapa das Instalações
Edifício A (Administração) Edifício B (Aulas) - Bloco I Edifício B (Aulas) - Bloco II Edifício B (Aulas) - Bloco III Edifício B (Aulas) - Bloco IV Edifício C (Biblioteca) Edifício D (CICA) Edifício E (Química) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício G (Civil) Edifício H (Civil) Edifício I (Electrotecnia) Edifício J (Electrotecnia) Edifício K (Pavilhão FCNAUP) Edifício L (Mecânica) Edifício M (Mecânica) Edifício N (Garagem) Edifício O (Cafetaria) Edifício P (Cantina) Edifício Q (Central de Gases) Edifício R (Laboratório de Engenharia do Ambiente) Edifício S (INESC) Edifício T (Torre do INEGI) Edifício U (Nave do INEGI) Edifício X (Associação de Estudantes)

Métodos Instrumentais de Análise

Código: EQ0129     Sigla: MIA

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Ciências Físicas (Química)

Ocorrência: 2019/2020 - 1S

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Engenharia Química
Curso/CE Responsável: Mestrado Integrado em Engenharia Química

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MIB 22 Plano de estudos oficial 3 - 6 56 162
MIEQ 69 Plano de estudos oficial 2 - 6 56 162

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Maria Arminda Costa Alves Regente

Docência - Horas

Teóricas: 1,00
Práticas Laboratoriais: 3,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teóricas Totais 1 1,00
Mónica Sofia Freitas dos Santos 1,00
Práticas Laboratoriais Totais 5 15,00
Mónica Sofia Freitas dos Santos 3,00
Nuno Miguel Ratola Neto 4,00
Silvia Cristina Rodrigues dos Santos 4,00
Vítor Jorge Pais Vilar 4,00
Mais informaçõesA ficha foi alterada no dia 2019-10-15.

Campos alterados: Melhoria de classificação, Componentes de Avaliação e Ocupação, Observações

Língua de trabalho

Português - Suitable for English-speaking students

Objetivos

 

Os objetivos gerais são:

  • Proporcionar um conhecimento adequado dos princípios, instrumentação e aplicações das técnicas analíticas mais frequentes, incluindo a espectroscopia de absorção atómica e molecular, os métodos eletroquímicos e separativos (cromatográficos e eletroforéticos);
  • Proporcionar um conhecimento adequado dos principais processos de extração e manuseamento de amostras sólidas, líquidas e gasosas e das suas implicações ao nível da incerteza da medição analítica;
  • Proporcionar as capacidades necessárias que permitam ao aluno selecionar uma determinada técnica analítica para resolver um problema, determinar eventuais restrições, selecionar o método analítico mais adequado, identificar alternativas, comparar as vantagens e desvantagens de cada um e exibir capacidade crítica de interpretação de resultados analíticos;
  • Desenvolver as capacidades de comunicação, em particular, de resultados técnicos e as capacidades de cooperação em grupo;
  • Estimular o uso de bases da teoria científica para resolver problemas do mundo real e desenvolver capacidades de pensamento crítico.

Resultados de aprendizagem e competências

 Para atingir estes objetivos, os alunos devem saber:

  • Explicar os princípios e modo de funcionamento dos equipamentos analíticos mais usados nas áreas de eletroquímica, espectroscópica e cromatográfica;
  • Projetar uma experiência analítica para resolver um problema real;
  • Conduzir uma análise laboratorial, de acordo com as Boas Práticas de Laboratório, em condições de higiene e segurança, que envolva manipulação da amostra, extração, pré-concentração e medição instrumental e calcular o resultado analítico e respetiva incerteza;
  • Interpretar e comunicar um resultado analítico e produzir relatórios técnicos;
  • Funcionar eficientemente em equipa.

Modo de trabalho

Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos simultâneos)

não aplicável

Programa

 


Programa teórico-prático: Introdução. Métodos Instrumentais de Análise. Fatores de seleção de métodos analíticos. Conceitos básicos de validação. Processos de preparação de amostras (LLE, SPE, SLE e SPME). Métodos espectrais de análise. Espectroscopia de absorção molecular no UV-Vis. Espectroscopia de absorção atómica. Atomização por chama, eletrotérmica e ICP. Câmara de vapor frio para análise de mercúrio e gerador de hidretos para determinação de arsénio e selénio. Métodos eletroquímicos de análise. Determinações potenciométricas com elétrodos seletivos de iões. Métodos cromatográficos. Fundamentos. Teoria da Cromatografia. Cromatografia em fase gasosa com deteção por ionização de chama, captura de eletrões e espectrometria de massa. Cromatografia líquida de alta eficiência com deteção por ultravioleta/visível e fluorescência.


Programa laboratorial: As aulas laboratoriais decorrem no laboratório de Métodos Instrumentais de Análise do DEQ (E105), sendo formados 6 grupos por turma. Os estudantes terão de realizar obrigatoriamente os seguintes 7 trabalhos laboratoriais, dos quais 6 em regime de rotatividade (T1 a T6). Na primeira semana, todos os estudantes irão realizar o trabalho T0. Nas semanas anteriores à semana da FEUP os estudantes irão realizar os trabalhos T1 a T3 em regime de rotatividade. A semana seguinte à semana da FEUP será reservada para a preparação de um relatório intercalar sobre um dos trabalhos já realizados (o qual será selecionado pelo professor). Nas restantes semanas, os estudantes realizarão os trabalhos T4 a T6 em regime de rotatividade.

T0. Validação de um método analítico para a análise de cádmio em solos por espetroscopia de absorção atómica (EAA) de chama após digestão ácida;


T1. Determinação do conteúdo em cobre num fio elétrico por EAA de chama;


T2. Determinação do conteúdo em metais pesados num solo por ICP-OES;


T3. Determinação do conteúdo em peróxido num elixir oral por espectroscopia de absorção molecular pelo método da adição de padrão;


T4. Determinação do conteúdo em sal (Na+) num alimento por elétrodo seletivo de ião;


T5. Determinação da concentração do antibiótico metronidazole numa solução aquosa por HPLC-UV;


T6. Determinação do linalol (óleo essencial) em extratos de plantas por GC-FID pelo método de padrão interno.

Bibliografia Obrigatória

Douglas A. Skoog, Donald M. West, F. James Holler; Fundamentals of analytical chemistry. ISBN: 0-03-074922-0
Douglas A. Skoog, James J. Leary; Principles of instrumental analysis. ISBN: 0-03-075398-8
James N. Miller and Jane C. Miller; Statistics and chemometrics for analytical chemistry. ISBN: 0-13-022888-5

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

Aulas teórico-práticas: Exposições suportadas por meios audiovisuais, dando ênfase à aplicação do conhecimento a questões do quotidiano e a fenómenos relacionados com a Engenharia Química; Resolução de problemas-exemplo.

Palavras Chave

Ciências Físicas > Química > Análise instrumental

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída sem exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Exame 30,00
Teste 30,00
Trabalho escrito 25,00
Trabalho laboratorial 15,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Elaboração de relatório/dissertação/tese 25,00
Estudo autónomo 75,00
Frequência das aulas 56,00
Trabalho escrito 3,00
Trabalho laboratorial 3,00
Total: 162,00

Obtenção de frequência

As aulas laboratoriais são obrigatórias para todos os alunos, incluindo os que estão ao abrigo do artigo 4ª, alíneas a) e b).

Para obter frequência, o aluno deverá ter obrigatoriamente realizado todos os trabalhos práticos, deverá ter evidenciado correta preparação e execução dos trabalhos e deverá elaborar no caderno laboratorial a discussão dos resultados obtidos, podendo ser verificado pelo docente na semana que se segue à sua realização.

É dada oportunidade de repetição de um dos trabalhos em caso de falta justificada, desde que a data de substituição do trabalho seja combinada com a antecedência mínima de 2 semanas e na medida das disponibilidades do laboratório.

Fórmula de cálculo da classificação final

CF = 0,30 MT + 0,15 RELint + 0,25 REL + 0,30 EX

em que:

MT – nota média de 2 minitestes de 15 minutos (V/F). Estes testes não serão agendados e serão realizados durante as aulas teórico-práticas. Os estudantes devem obter uma nota mínima média de 7/20 valores. Se um aluno faltar a algum miniteste ou não obtiver a nota mínima, deverá realizar esta componente de avaliação na época de recurso;

RELint– nota do relatório intercalar de grupo referente a um dos trabalhos práticos realizados na aula, selecionado pelo docente; o relatório deve ser entregue ao docente (versão em papel) na aula prática seguinte.

REL – nota do relatório completo de grupo referente a um dos trabalhos práticos realizados na aula, selecionado pelo docente. O relatório final deve ser enviado (versão em PDF) ao docente Vítor Vilar por email (vilar@fe.up.pt) até 26 de dezembro, às 17 h e posteriormente entregue em versão de papel até às 16 h do dia 3 de Janeiro;

EX – nota do exame prático escrito, realizado a 13 de dezembro, em que serão colocadas questões sobre os métodos analíticos realizados nas aulas práticas, bem como o cálculo de resultados e discussão dos mesmos. A nota mínima do exame é 7/20.

 
Para obter aprovação à disciplina, a nota final deve ser igual ou superior a 10 valores.

NOTA: o plágio em qualquer componente de avaliação escrita será penalizado com nota zero.

 

 

Provas e trabalhos especiais

Não aplicável.

Trabalho de estágio/projeto

Não aplicável

Avaliação especial (TE, DA, ...)

 

Exame na época especial de acordo com as regras gerais. Os alunos deverão ter frequência prática (implica a realização de todos os trabalhos laboratoriais) e deverão ter avaliação à componente REL. A classificação final CF1 dada por:

CF1 = 0,80 EE+ 0,20 REL

em que: EE – nota do exame em época especial (nota mínima de 7/20).

Para obter aprovação à disciplina, a nota CF1 deve ser igual ou superior a 10 valores.

Melhoria de classificação

Os alunos com frequência prática, que tenham nota a todas as componentes de avaliação (MT, RELint e REL), mas que não tenham obtido aprovação, ou pretendam realizar melhoria de classificação, poderão realizar o exame da época de recurso sendo a classificação final CF2 dada por:

CF2 = 0,60 EXR + 0,20 RELint + 0,20 REL

em que: EXR é a nota do exame de recurso.

 

Os alunos com frequência prática de anos anteriores, que pretendam fazer melhoria de classificação, deverão realizar um dos trabalhos laboratoriais deste ano, em grupo e em data a combinar até ao final do mês de Outubro. Com os resultados obtidos farão um relatório completo individual. A classificação final será dada por:

CF3 = 0,60 EXR + 0,40 REL

em que: EXR é a nota do exame de recurso.

 

Para obter aprovação à disciplina, a nota final CF2 ou CF3 deve ser igual ou superior a 10 valores.

 

Observações

Os alunos repetentes, mas com frequência prática, poderão optar pela dispensa de realização dos trabalhos práticos. Nesse caso deverão realizar um dos trabalhos laboratoriais deste ano, em grupo e em data a combinar até ao final do mês de Outubro. Com os resultados obtidos farão um relatório completo individual. A classificação final será dada por:

CF4 = 0,60 EXR + 0,40 REL

em que: EXR é a nota do exame de recurso.

 

Para obter aprovação à disciplina, a nota final CF4 deve ser igual ou superior a 10 valores.

 

 

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2020 © Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2020-08-04 às 21:58:32 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais