Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
Projecto da Casa da U. Porto
Você está em: Início > EC0069
Autenticação




Mapa das Instalações
Edifício A (Administração) Edifício B (Aulas) - Bloco I Edifício B (Aulas) - Bloco II Edifício B (Aulas) - Bloco III Edifício B (Aulas) - Bloco IV Edifício C (Biblioteca) Edifício D (CICA) Edifício E (Química) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício G (Civil) Edifício H (Civil) Edifício I (Electrotecnia) Edifício J (Electrotecnia) Edifício K (Pavilhão FCNAUP) Edifício L (Mecânica) Edifício M (Mecânica) Edifício N (Garagem) Edifício O (Cafetaria) Edifício P (Cantina) Edifício Q (Central de Gases) Edifício R (Laboratório de Engenharia do Ambiente) Edifício S (INESC) Edifício T (Torre do INEGI) Edifício U (Nave do INEGI) Edifício X (Associação de Estudantes)

Manutenção e Reabilitação de Edifícios

Código: EC0069     Sigla: MRED

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Construções

Ocorrência: 2018/2019 - 1S

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Secção de Construções Civis
Curso/CE Responsável: Mestrado Integrado em Engenharia Civil

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MIEC 34 Plano de estudos oficial a partir de 2006/07 5 - 5 45 133

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Rui Manuel Gonçalves Calejo Rodrigues Regente

Docência - Horas

Teóricas: 1,50
Teórico-Práticas: 1,50
Tipo Docente Turmas Horas
Teóricas Totais 1 1,50
Rui Manuel Gonçalves Calejo Rodrigues 1,50
Teórico-Práticas Totais 2 3,00
Rui Manuel Gonçalves Calejo Rodrigues 3,00

Língua de trabalho

Português

Objetivos

JUSTIFICAÇÃO:
O Engenheiro Civil, quer pelo seu envolvimento em diferentes fases de projeto, quer pelo seu papel decisivo na fase de construção encontra-se em posição privilegiada para assumir um papel importante na fase de utilização de um edifício.

OBJETIVOS:
Desenvolver aptidões técnicas para abordagem de um edifício em serviço. Individualização de um conceito novo no domínio da gestão que é a Gestão de Edifícios Assim a disciplina de Manutenção & Reabilitação de Edifícios tem como objetivo fundamental habilitar os futuros Engenheiros Civis com uma formação específica em todas as vertentes técnicas de um edifício em serviço

Resultados de aprendizagem e competências

 De uma forma sistemática poderão enumerar-se os seguintes campos de intervenção:

- Em fase de projeto:
- Estimação do custo de um edifício em serviço.
- Estimação do custo global de soluções alternativas
- Parametrização da vida útil de um edifício ou solução

- Em fase de construção:
- Definição de exigências construtivas com o objetivo durabilidade
- Definição de exigências construtivas com o objetivo "manutenção"
- Definição e seleção de materiais e componentes na perspetiva "durabilidade".

- Em fase de utilização:
- Gestão de património edificado
- Estudos e projetos de manutenção
- Consultoria em projetos de reabilitação
- Definição e estudo da tecnologia de manutenção e reabilitação
- Canalização e concurso de recursos financeiros de apoio a ações de manutenção e reabilitação.

Modo de trabalho

Presencial

Programa

Comportamento de um edifício em serviço (Fatores de degradação de edifícios, Vida útil, Classificação das intervenções, Simulação do comportamento de um edifício). Gestão de Edifícios, Edifícios Inteligentes. Manutenção de Edifícios (Conceitos envolvidos, Politicas de manutenção, Economia de manutenção, Metodologia de manutenção, Legislação aplicável, Programas de financiamento). Reabilitação de Edifícios (Classificação e critérios das intervenções, Metodologia de Reabilitação, Aspetos económicos). Levantamento e diagnóstico de patologias num edifício. Tecnologia de manutenção e reabilitação (M&R) de edifícios (Estruturas, Alvenarias não resistente, Revestimentos exteriores, Revestimentos interiores, Pinturas, Coberturas, Vãos, Instalações). Projeto de Reabilitação de Edifício.

Conteúdo Científico – 50% Conteúdo Tecnológico – 50%

DEMONSTRAÇÃO DA COERÊNCIA DOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS COM OS OBJETIVOS DA UNIDADE CURRICULAR:
Os conteúdos programáticos conferem aos futuros engenheiros civis, quer pelo seu envolvimento em diferentes fases de projeto, quer pelo seu papel decisivo na fase de construção, competências para assumir um papel importante na fase de utilização de um edifício.

Bibliografia Obrigatória

Rodrigues, Rui Manuel Gonçalves Calejo; Manutenção de edifícios
Portugal. Instituto Português da Qualidade; Terminologia da manutenção
Taborda, Rui Pessanha Araújo; Gestão de manutenção do parque habitacional
Ferreira, Luís António de Andrade; Uma introdução à manutenção. ISBN: 972-95794-4-X
Rodrigues, Rui Manuel Gonçalves Calejo; Gestão de edifícios
Coelho, Helder; Panorâmica sobre a gestão de grandes edifícios
H W Harrison, P M Trotman; BRE Building Elements: Building services - performance, diagnosis, maintenance, repair and the avoidance of defects , BREPress. ISBN: 1-86081-424-7
H W Harrison, R C de Vekey; BRE Building Elements: Walls, windows and doors - Performance, diagnosis, maintenance, repair and avoidance of defects, BREPress. ISBN: 1-86081-235-X
P W Pye, H W Harrison; BRE Building Elements: Floors and flooring - performance, diagnosis, maintenance, repair and the avoidance of defects., BREPress, 2003. ISBN: 1-86081-631-2
H W Harrison, P M Trotman and G K Saunders; BRE Building Elements: Roofs and roofing: Performance, diagnosis, maintenance, repair and the avoidance of defects - Third Edition, BREPress, 2009. ISBN: 978-1-84806-092-0
D Jaunzens, P Grigg, R Cohen, M Watson, E Picton; Building performance feedback: getting started, BREPress, 2003. ISBN: 1-86081-627-4
D Jaunzens, D Warriner, U Garner, A Waterman; Applying facilities expertise in building design, BREPress, 2001. ISBN: 1-86081-501-4

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

Pedagogicamente utiliza-se o método de ensino baseado na necessidade de aprendizagem para vencer dificuldades. Cada aluno é posto no início da disciplina perante um caso prático no domínio da patologia de edifícios, para o qual não tem aptidões de resolução. É-lhe dada a oportunidade de desenvolver essas aptidões no desenrolar da disciplina com aulas teóricas e teórico-práticas. São particularmente importantes os tempos de atendimento às 4ª das 9:00 ás 13:00

DEMONSTRAÇÃO DA COERÊNCIA DAS METODOLOGIAS DE ENSINO COM OS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM DA UNIDADE CURRICULAR:
Estabelecer processos e algoritmos de análise conceptual e construtiva de modo a identificar as mais eficientes segundo os pontos de vista pretendidos. Hierarquizar os resultados da aplicação de metodologias de avaliação e estratégias de escolha de soluções. Entender e propor novas soluções para incremento da qualidade construtiva. Avaliar as metodologias utilizadas e antever linhas de evolução que as mesmas poderão seguir.

Palavras Chave

Ciências Tecnológicas > Tecnologia > Tecnologia da construção > Construção civil

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Defesa pública de dissertação, de relatório de projeto ou estágio, ou de tese 100,00
Exame 0,00
Teste 0,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 12,00
Frequência das aulas 36,00
Trabalho de campo 12,00
Total: 60,00

Obtenção de frequência

A obtenção de classificação final exige o cumprimento de assiduidade à unidade curricular, conforme estabelecido nas regras de avaliação do MIEC. Considerase que um estudante cumpre a assiduidade a uma unidade curricular se, tendo estado regularmente inscrito, não exceder o número limite de faltas correspondente a 25% de cada um dos tipos de aulas previstos.

Fórmula de cálculo da classificação final

Trabalho 100%
Teste 100%
Exame final 100%

(Será sempre considerada a melhor classificação )

 

Provas e trabalhos especiais

Análise de um caso real de anomalia em edifício

- Identificação

- Exame

- Diagnóstico

- Metodologia de intervenção

(o trabalho individual é feito continuamente ao longo do período de aulas - preveêm-se quatro entregas parciais)

 

Observações

Tempo de trabalho estimado fora das aulas: 3 horas /entrega = 12 horas

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2019-04-18 às 20:20:26 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais