Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
Formação regular da Biblioteca |fevereiro a maio
Você está em: Início > EMM0027
Autenticação




Mapa das Instalações
Edifício A (Administração) Edifício B (Aulas) - Bloco I Edifício B (Aulas) - Bloco II Edifício B (Aulas) - Bloco III Edifício B (Aulas) - Bloco IV Edifício C (Biblioteca) Edifício D (CICA) Edifício E (Química) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício G (Civil) Edifício H (Civil) Edifício I (Electrotecnia) Edifício J (Electrotecnia) Edifício K (Pavilhão FCNAUP) Edifício L (Mecânica) Edifício M (Mecânica) Edifício N (Garagem) Edifício O (Cafetaria) Edifício P (Cantina) Edifício Q (Central de Gases) Edifício R (Laboratório de Engenharia do Ambiente) Edifício S (INESC) Edifício T (Torre do INEGI) Edifício U (Nave do INEGI) Edifício X (Associação de Estudantes)

Materiais Metálicos

Código: EMM0027     Sigla: MMET

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Ciência e Tecnologia de Materiais

Ocorrência: 2018/2019 - 2S Ícone do Moodle

Ativa? Sim
Página Web: https://moodle.up.pt/course/view.php?id=1736
Unidade Responsável: Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais
Curso/CE Responsável: Mestrado Integrado em Engenharia Metalúrgica e de Materiais

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MIEMM 36 Plano de estudos oficial a partir de 2006/07 3 - 8 70 216

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 3,00
Práticas Laboratoriais: 2,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 3,00
Luís Filipe Malheiros de Freitas Ferreira 1,50
Filomena Maria da Conceição Viana 1,50
Práticas Laboratoriais Totais 2 4,00
Ricardo Manuel Oliveira Sousa 4,00

Língua de trabalho

Português

Objetivos

Um dos mais frequentes problemas dos engenheiros é a seleção de materiais para as mais diversas aplicações. Existem dezenas de milhares de materiais desenvolvidos e produzidos em resposta à procura e necessidades das sociedades atuais. Assim, uma unidade curricular de Materiais Metálicos, que reúna e apresente informação sobre as mais importantes ligas metálicas do mercado, a relação entre as suas propriedades e aplicações, preços comparativos e potencial de reciclagem, é da maior importância para um currículo de um curso de Engenharia de Materiais.

O principal objetivo desta unidade curricular é familiarizar os estudantes com os diferentes tipos de ligas metálicas disponíveis no mercado. Pretende-se ainda que os estudantes compreendam o modo como a estrutura condiciona as propriedades das ligas metálicas. Igualmente importante é compreender o modo como o processamento e os tratamentos térmicos podem ser utilizados para modificar a estrutura e, desse modo, as propriedades destas ligas.

Resultados de aprendizagem e competências

Com a frequência desta unidade curricular os estudantes deverão: 1) conhecer os principais tipos de ligas metálicas; 2) ser capazes de identificar as propriedades mais relevantes para as aplicações das ligas; 3) conhecer as técnicas de processamento e os tratamentos térmicos mais utilizados para cada tipo de ligas; 4) conhecer o custo relativo das ligas; 5) desenvolver a capacidade de trabalhar em grupo, organizando e distribuindo tarefas que lhes permitam executar e concluir o trabalho prático com sucesso; 6) adquirir competência em estratégias de comunicação (escrita e oral).

Modo de trabalho

Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos simultâneos)

São pré-requisitos da disciplina os conhecimentos adquiridos em Introdução aos Materiais I, Diagramas de Equilíbrio, Laboratórios I e II , Tratamentos Térmicos e Comportamento Mecânico de Materiais.

Programa

Aços estruturais de muito baixo carbono - processamento e obtenção de aços de baixa liga e alta resistência. Aços sem liga de baixo e médio carbono; aços para tratamento térmico. Aços de alta e ultra alta resistência; aços ferramenta. Aços inoxidáveis. Ferros fundidos cinzentos - características tecnológicas; ferros lamelares, nodulares e ADIs. Ferros maleáveis e brancos. Ligas não-ferrosas, sua elaboração, processamento e tratamento térmico. Composição química, propriedades e aplicações das mais importantes ligas de níquel, de titânio, de alumínio, de cobre e de magnésio. Pulverometalurgia.

Bibliografia Obrigatória

Smith, William Fortuna; Structure and properties of engineering alloys. ISBN: 0-07-59172-5 (obra recomendada para estudo de ligas ferrosas, de Al, de Cu, Ti, Ni e aluminetos)
Callister, Jr., William D.; Materials science and engineering. ISBN: 0-471-32013-7 (obra recomendada para estudo das propriedades magnéticas)

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

As aulas teórico-práticas consistem na apresentação e discussão da matéria. Nas aulas práticas, os estudantes planificam e executam trabalhos práticos laboratoriais em grupo com base em pesquisa bibliográfica prévia. Os resultados são apresentados e discutidos num relatório escrito; uma apresentação oral tem lugar no final do semestre seguida de discussão.
Esta unidade curricular também inclui visitas de estudo a duas unidades fabris da região norte.

Palavras Chave

Ciências Tecnológicas > Tecnologia > Tecnologia da produção
Ciências Tecnológicas > Engenharia > Engenharia de materiais
Ciências Tecnológicas > Tecnologia > Tecnologia de materiais

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída sem exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Defesa pública de dissertação, de relatório de projeto ou estágio, ou de tese 40,00
Teste 60,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Elaboração de relatório/dissertação/tese 35,00
Estudo autónomo 70,00
Frequência das aulas 70,00
Trabalho laboratorial 38,00
Total: 213,00

Obtenção de frequência

Em concordância com as regras de assiduidade da FEUP.

Fórmula de cálculo da classificação final

Testes, classificação média com peso de 60%.
Componente prática com peso global de 40%, cuja a avalição consiste em:

Planeamento do trabalho prático – 20% (dos quais 5% são apresentação do plano)

Estado da arte10%

Relatório escrito – 50%

Apresentação com discussão  – 15%

Avaliação Individual – 5%



Provas e trabalhos especiais

As avaliações requeridas sem frequência prévia implicam a realização de um exame escrito com peso de 60% e de um trabalho bibliográfico, a realizar durante cinco dias úteis anteriores ao exame escrito, com um peso de 40% na classificação final.

Avaliação especial (TE, DA, ...)

As formas de avaliação de casos especiais serão idênticas às definidas em "Provas e Trabalhos Especiais" ou "Melhoria de Classificação" conforme não exista ou exista classificação de componente distribuída respectivamente.

Melhoria de classificação

Os estudantes podem melhorar a componente teórica da avaliação através da realização de um exame em época de recurso.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2019-05-22 às 06:21:54 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais