Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
Formação regular da Biblioteca |fevereiro a maio
Hoje é domingo
Você está em: Início > EMM0011
Autenticação




Mapa das Instalações
Edifício A (Administração) Edifício B (Aulas) - Bloco I Edifício B (Aulas) - Bloco II Edifício B (Aulas) - Bloco III Edifício B (Aulas) - Bloco IV Edifício C (Biblioteca) Edifício D (CICA) Edifício E (Química) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício G (Civil) Edifício H (Civil) Edifício I (Electrotecnia) Edifício J (Electrotecnia) Edifício K (Pavilhão FCNAUP) Edifício L (Mecânica) Edifício M (Mecânica) Edifício N (Garagem) Edifício O (Cafetaria) Edifício P (Cantina) Edifício Q (Central de Gases) Edifício R (Laboratório de Engenharia do Ambiente) Edifício S (INESC) Edifício T (Torre do INEGI) Edifício U (Nave do INEGI) Edifício X (Associação de Estudantes)

Introdução à Engenharia de Materiais II

Código: EMM0011     Sigla: IEMA2

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Ciência e Tecnologia de Materiais

Ocorrência: 2018/2019 - 2S Ícone do Moodle

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais
Curso/CE Responsável: Mestrado Integrado em Engenharia Metalúrgica e de Materiais

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MIEMM 38 Plano de estudos oficial a partir de 2006/07 1 - 6 56 162

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
José Domingos da Silva Santos Regente

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 2,00
Práticas Laboratoriais: 2,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 2,00
José Domingos da Silva Santos 2,00
Práticas Laboratoriais Totais 2 4,00
José Domingos da Silva Santos 3,00
Maria Ascensão Ferreira Silva Lopes 1,00

Língua de trabalho

Português

Objetivos

Justificação: Esta disciplina constitui-se como a primeira abordagem à ciência e engenharia dos materiais cerâmicos e poliméricos, centrando-se na aprendizagem dos conceitos fundamentais que condicionam as suas aplicações industriais. Objectivos: A disciplina pretende atingir os seguintes objectivos principais: a) estudar os conceitos básicos sobre os cerâmicos e polímeros, b) identificar e estudar a estrutura (cristalina e não-cristalina) destes materiais e os factores físicos e químicos que a condiciona, c) analisar as principais propriedades físico-químicas destes materiais e d) estabelecer relações entre as técnicas de processamento, a estrutura e as propriedades. Competências e Resultados da Aprendizagem: - Identificar e interpretar as estruturas dos materiais cerâmicos e poliméricos. - Conhecer os conceitos fundamentais destes materiais, no que respeita à sua estrutura, métodos de processamento e propriedades. - Identificar, interpretar e resolver problemas associados com a estrutura e as propriedades dos cerâmicos e polímeros.

Resultados de aprendizagem e competências

Os principais resultados de aprendizagem e competências podem resumir-se nos seguintes aspectos:

- Conhecer os conceitos fundamentais destes materiais, no que respeita à sua estrutura, métodos de processamento e propriedades.

- Identificar, interpreter e resolver problemas relacionados com a estrutura e as propriedades dos cerâmicos e polímeros.

Modo de trabalho

Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos simultâneos)

São necessários conhecimentos básicos de matemática, fisica e química.

Programa

MATERIAIS CERÂMICOS. Princípios gerais. Classificação. Propriedades e aplicações. Estruturas cristalinas e não-cristalinas. Definições e fundamentos. Temperaturas de transformação. Viscosidade. Cristalização. Conceitos básicos de processamento de cerâmicos. Tratamentos térmicos. Cerâmicos tradicionais. Cerâmicos de engenharia. Propriedades mecânicas. Influência de parâmetros microestruturais. Fractura frágil. Tenacidade à fractura. Fadiga. Propriedades térmicas. Abrasivos. Refractários. Propriedades eléctricas. MATERIAIS POLIMÉRICOS. Definições básicas e nomenclatura. Classificação. Ciência dos polímeros. Monómeros e Polímeros. Reacções de polimeriação. Grau de Polimerização e peso molecular médio. Homopolímeros e copolímeros. Métodos de polimerização. Cristalinidade e Isomerismo. Processamento e Propriedades. Termoplásticos. Termoplásticos de Engenharia. Termoendurecíveis. Elastómeros. Resistência mecânica. Mecanismos de deformação. Fractura e Fluência. Selecção de materiais.

Bibliografia Obrigatória

William F. Smith; Principles of materials science and engineering. ISBN: 0-07-100936-1
Michael F. Ashby, David R. H. Jones; Engineering materials 2. ISBN: 0-08-032532-7
Cid Silveira; Shiroyuki Oniki; Propriedades dos materiais cerâmicos

Bibliografia Complementar

António S. Pouzada e Carlos A. Bernardo; Introdução à Engenharia de Polímeros

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

O método de ensino adoptado nesta disciplina tem procurado que os alunos possam também ser agentes do seu próprio processo de formação, em colaboração estreita com o docente. É prática comum os alunos serem questionados no decurso da exposição, colocarem dúvidas que entretanto vão surgindo, ou mesmo emitirem opinião sobre os temas. A projecção de slides tem sido o meio de apoio utilizado nas aulas. A componente prática assenta na resolução de problemas, aulas de demonstração laboratoriais e visitas de estudo.

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Exame 70,00
Trabalho de campo 15,00
Trabalho laboratorial 15,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 68,00
Frequência das aulas 56,00
Trabalho de campo 28,00
Trabalho laboratorial 10,00
Total: 162,00

Obtenção de frequência

É obtida frequência com a nota mínima de 10 valores.

Fórmula de cálculo da classificação final

Nota final = 0,70 * (componente teórica) + 0,30 * (componente prática)

Provas e trabalhos especiais

Não aplicável

Trabalho de estágio/projeto

Não aplicável

Avaliação especial (TE, DA, ...)

A componente teórica é avaliada através de um exame escrito e a componente prática de trabalhos teórico-práticos laboratoriais. As percentagens relativas da componente teórica e prática mantém-se em 70 e 30% da classificação final, respectivamente. As visitas de estudo às empresas e as palestras são obrigatórias.

Melhoria de classificação

A classificação pode ser melhorada através da realização de um novo exame final que terá de ser requerido pelos alunos.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2019-05-26 às 00:32:57 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais