Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FEUP
Hoje é domingo
Você está em: Início > MEMG0010
Autenticação




Mapa das Instalações
Edifício A (Administração) Edifício B (Aulas) - Bloco I Edifício B (Aulas) - Bloco II Edifício B (Aulas) - Bloco III Edifício B (Aulas) - Bloco IV Edifício C (Biblioteca) Edifício D (CICA) Edifício E (Química) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício G (Civil) Edifício H (Civil) Edifício I (Electrotecnia) Edifício J (Electrotecnia) Edifício K (Pavilhão FCNAUP) Edifício L (Mecânica) Edifício M (Mecânica) Edifício N (Garagem) Edifício O (Cafetaria) Edifício P (Cantina) Edifício Q (Central de Gases) Edifício R (Laboratório de Engenharia do Ambiente) Edifício S (INESC) Edifício T (Torre do INEGI) Edifício U (Nave do INEGI) Edifício X (Associação de Estudantes)

Hidromineralurgia

Código: MEMG0010     Sigla: HM

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
CNAEF Indústrias extrativas

Ocorrência: 2017/2018 - 2S Ícone do Moodle

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Engenharia de Minas
Curso/CE Responsável: Mestrado em Engenharia de Minas e Geo-Ambiente

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MEMG 20 Plano de estudos oficial a partir de 2008/09 1 - 6 56 162

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
António Manuel Antunes Fiuza Regente

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 3,00
Práticas Laboratoriais: 1,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 3,00
Aurora Magalhães Futuro da Silva 3,00
Práticas Laboratoriais Totais 1 1,00
Aurora Magalhães Futuro da Silva 1,00

Língua de trabalho

Português

Objetivos

Os objectivos da disciplina são: - Conhecimento: Relembrar conceitos relativos a balanços de massa de sistemas bi-fásicos (sólido-líquido); Conceitos gerais de química; - Compreensão: Reconhecer, descrever e identificar as operações unitárias envolvidas num processo hidromineralúrgico; - Aplicação: Distinguir o campo de aplicação das diferentes alternativas tecnológicas; Seleccionar as tecnologias adaptadas a cada situação. - Análise: Calcular de balanços de massa em estado estacionário utilizando métodos analíticos, numéricos e gráficos sobre cada operação unitária estudada - Síntese: Criar e organizar diagramas coerentes processo para cada operação unitária e para o conjunto do processo. Avaliação: Comparar alternativas processuais.

Resultados de aprendizagem e competências

- Conhecimento: Relembrar conceitos relativos a balanços de massa de sistemas bi-fásicos (sólido-líquido); Conceitos gerais de química;
- Compreensão: Reconhecer, descrever e identificar as operações unitárias envolvidas num processo hidromineralúrgico;

- Aplicação: Distinguir o campo de aplicação das diferentes alternativas tecnológicas; Seleccionar as tecnologias adaptadas a cada situação.
- Análise: Calcular de balanços de massa em estado estacionário utilizando métodos analíticos, numéricos e gráficos sobre cada operação unitária estudada
- Síntese: Criar e organizar diagramas coerentes processo para cada operação unitária e para o conjunto do processo.

Avaliação: Comparar alternativas processuais

Modo de trabalho

Presencial

Programa

LIXIVIAÇÃO: Introdução: Balanços de massas: princípios gerais. Leis de FICK relativas à difusão. Transferência de massa. Noções introdutórias fundamentais: cálculos com polpas e rendimento da extracção. Teoria da lixiviação: controlo difusional e controlo químico. Efeitos da agitação, da temperatura, concentração, relação de fases e geometria da interface. Lixiviação Dinâmica. Lixiviação Estática. Lixiviação in situ; A bio-lixiviação:; Lixiviação sob pressão; Exemplos: A hidromineralurgia do ouro, do alumínio, do cobre e do urânio. SEPARAÇÃO SÓLIDO-LÍQUIDO: introdução e objectivos. Lavagem descontínua. Lavagem em contínuo, por repolpagem, em contra-corrente utilizando espessadores-decantadores. Lavagem em contínuo, por repolpagem, em contra-corrente utilizando filtros. Lavagem em contínuo, em contra-corrente, por difusão. A filtração: a equação básica da filtração;. Selecção e dimensionamento de filtros contínuos. Dimensionamento. Descrição dos principais tipos de filtros. Clarificação. Floculação e coagulação. ENRIQUECIMENTO E PURIFICAÇÃO: Permuta Iónica:. Equilíbrio e isotérmica. Cinética da reacção. Permuta iónica em leito fixo. Eluição. Venenos. Noções sobre permuta iónica em contínuo;. Tecnologia. Adsorção por carbono activado: Propriedades do carvão activado. Mecanismo da adsorção nos carvões. Preparação; Dessorção; Tecnologia. Aplicações. Extracção por solventes: Teoria da extracção. Sistemas de extracção: (a) extractantes quelantes. (b) extractantes acídicos, (c) sistemas que envolvem associações iónicas e (d) sistemas que envolvem solvatação. Composição da fase orgânica. Tecnologia da extracção. Determinação do número de andares. Equipamento. ACABAMENTO: Precipitação iónica: Formação de um precipitado: agregação, orientação e sobre-saturação. A nucleação. Co-precipitação por adsorção, formação de soluções sólidas e oclusão. Cristalização. Cementação, Precipitação gasosa, Electrólise.

Bibliografia Obrigatória

António Fiúza; Hidromineralurgia, 2011
Emilío Gómez, Fernendo Urbina, Antonio Pérez e António Chaparro; Mineria Química, 1993. ISBN: Instituto Tecnologico GeoMinero de España

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

AULAS TEÓRICO-PRÁTICAS – Exposição dos principais conceitos fundamentadores das diferentes operações unitárias envolvidas num processo hidromineralúrgico. Exemplos de situações concretas. AULAS TEÓRICO-PRÁTICAS - 6 aulas - Trabalhos Práticos laboratoriais 6 aulas- Realização de problemas paradigmáticos seleccionados;

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Exame 76,00
Trabalho laboratorial 24,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Elaboração de projeto 0,00
Estudo autónomo 106,00
Frequência das aulas 42,00
Trabalho laboratorial 14,00
Total: 162,00

Obtenção de frequência

Condição 1 - Para obter frequência os alunos terão que estar presentes em pelo menos 75% das aulas teórico-práticas e práticas leccionadas. Condição 2 - Ter realizado pelo menos 5/6 dos trabalhos práticos laboratoriais e escrito os respectivos relatórios.

Fórmula de cálculo da classificação final

Componente de Avaliação Contínua - 24% Exame Final - 76% Por sua vez a nota de Avaliação Contínua é obtida a partir da seguinte decomposição: Componente Laboratorial - Laboratório + Relatórios - 12% Componente de Acompanhamento - Realização e Correcção de Problemas Seleccionados - 12%. Nesta componente será pedido aos alunos que resolvam um ou mais problemas. Na aula seguinte será pedido a alguns dos alunos que que apresentem a sua resolução e a expliquem oralmente aos colegas. O docente classificará essa resolução tendo em conta não só os valores obtidos mas especialmente a compreensão que o aluno apresente da questão.

É condição necessária de aprovação obter uma classificação mínima de 8 valores no exame final.

Provas e trabalhos especiais

Realização de 6 trabalhos práticos laboratoriais e respectivos relatórios. Realização semanal de problemas colocados pelos docentes. Os trabalhadores-estudantes são obrigados a realizar os trabalhos laboratoriais e respectivos relatórios, ficando dispensados da resolução semanal de problemas. Neste caso, a componente de avaliação distribuída é de apenas 12%.

Avaliação especial (TE, DA, ...)

Aplicação da Legislação em vigor.

Melhoria de classificação

A melhoria de classificação far-se-á exclusivamente em exame de recurso e apenas para a componente de exame final.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2020 © Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2020-05-31 às 02:54:24 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais