Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
Pré-candidaturas mobilidade 2019/2020
Você está em: Início > EIC0005
Autenticação




Mapa das Instalações
Edifício A (Administração) Edifício B (Aulas) - Bloco I Edifício B (Aulas) - Bloco II Edifício B (Aulas) - Bloco III Edifício B (Aulas) - Bloco IV Edifício C (Biblioteca) Edifício D (CICA) Edifício E (Química) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício G (Civil) Edifício H (Civil) Edifício I (Electrotecnia) Edifício J (Electrotecnia) Edifício K (Pavilhão FCNAUP) Edifício L (Mecânica) Edifício M (Mecânica) Edifício N (Garagem) Edifício O (Cafetaria) Edifício P (Cantina) Edifício Q (Central de Gases) Edifício R (Laboratório de Engenharia do Ambiente) Edifício S (INESC) Edifício T (Torre do INEGI) Edifício U (Nave do INEGI) Edifício X (Associação de Estudantes)

Fundamentos da Programação

Código: EIC0005     Sigla: FPRO

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Fundamentos da Programação

Ocorrência: 2013/2014 - 1S (de 09-09-2013 a 20-12-2013) Ícone do Moodle

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Engenharia Informática
Curso/CE Responsável: Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MIEIC 172 Plano de estudos a partir de 2009/10 1 - 6 70 162
Mais informaçõesA ficha foi alterada no dia 2013-10-10.

Campos alterados: Componentes de Avaliação e Ocupação, Fórmula de cálculo da classificação final

Língua de trabalho

Português

Objetivos

1 - INTRODUÇÃO

Os engenheiros informáticos requerem conhecimentos elevados de técnicas de programação que só podem ser consolidados com uma boa base de fundamentos da programação.

2 - OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Desenvolver o conhecimento básico para resolver problemas de programação de média complexidade.

3 - DISTRIBUIÇÃO PERCENTUAL

Componente científica: 40%

Componente tecnológica: 60%

 

Resultados de aprendizagem e competências

No final da unidade curricular, o aluno deverá ter capacidade para resolver situações de programação de média complexidade.

Mais especificamente, o estudante deverá ser capaz de:

  • Desenvolver os algoritmos para a resolução dos problemas adotando uma abordagem estruturada;
  • Selecionar e criar as abstrações adequadas, tanto ao nível dos procedimentos como dos dados;
  • Utilizar como ferramenta de desenvolvimento a linguagem Scheme, caracterizada por uma sintaxe simples.

 

Modo de trabalho

Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos simultâneos)

Nenhum conhecimento prévio é necessário.

Programa

Abstração procedimental: elementos de programação em Scheme, procedimentos e processos, recursividade e iteração, ordem de crescimento dos processos.

Abstracção de dados: selectores e construtores, barreiras de abstracção, listas, exemplo de uma abstracção (conjuntos).

Abstracções com dados mutáveis: construtores, selectores, modificadores, listas mutáveis, filas de espera, tabelas, vectores e ficheiros de texto.

Bibliografia Obrigatória

Fernando Nunes Ferreira, António Fernando Coelho; Scheme na descoberta da programação, FEUP Edições, 2011. ISBN: 978-972-752-115-9

Bibliografia Complementar

Springer, George; Scheme and the Art of Programming. ISBN: 0-262-19288-8
Abelson, Harold; Structure and interpretation of computer programs. ISBN: 0-262-01077-1 (disponível em http://mitpress.mit.edu/sicp/full-text/book/book.html)

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

Procura-se um envolvimento participado e contínuo dos alunos no estudo e discussão dos temas da unidade curricular e em trabalhos de programação. Estes trabalhos, a contar para a avaliação, deverão ser normalmente realizados em computador, num período aproximadamente mensal.

 

O aluno será incentivado a procurar ideias para resolver os problemas, pô-las em movimento, com implementações elegantes, legíveis e, tanto quanto possível, eficientes, em tempo (de cálculo) e em espaço (de memória), tendo como ferramenta de desenvolvimento a linguagem Scheme.

  • Aulas Teóricas: exposição dos temas programáticos e discussão de exemplos utilizando computador e projetor de vídeo.
  • Aulas Teórico-Práticas: Apresentação, discussão e desenvolvimento de exercícios de programação em Scheme.
  • Autoaprendizagem: Será facultada fora de aulas, uma vez por semana, uma prova de autoavaliação, realizada em computador e submetida no Moodle para avaliação automática.

 

Software

http://www.drscheme.org/

Palavras-chave

Ciências Físicas > Ciência de computadores > Programação

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída sem exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Participação presencial 5,00
Teste 95,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 92,00
Frequência das aulas 70,00
Total: 162,00

Obtenção de frequência

Não exceder o limite de faltas estabelecido pelas Normas de Avaliação (25% do número de aulas teórico-práticas previstas) e obter uma classificação mínima de 40% na média das três melhores classificações obtidas nas provas práticas.

Fórmula de cálculo da classificação final

As várias componentes de avaliação:

  • AD - Apreciação do desempenho dos alunos face aos exercícios propostos à turma;
  • PP1, PP2, PP3, PP4 - Realização de provas práticas em computador;
  • PE - Realização de uma prova escrita com consulta.

Classificação = APP * 0.55 + AD * 0.05 + PE * 0.40

APP = médias das 3 melhores classificações obtidas nas provas práticas {PP!, PP2, PP3, PP4}

Datas das provas de avaliação:

  • PP1 - 11/nov 17:00
  • PP2 - 4/dez 17:00
  • PP3 - 8/jan 14:00
  • PP4 + PE - 15/jan 14:00 e 17:00
  • PE (rec) - 27/jan 14:00

Observações:

1- É condição de aprovação a obtenção de uma classificação mínima de 40% na componente PE.

2- Caso o estudante tenha frequência mas não seja aprovado à unidade curricular ou falte à PE, poderá realizar uma outra PE na época de recurso.

3- Se a classificação obtida for superior a 16 valores, o aluno poderá ser submetido a uma prova oral, por iniciativa da equipa docente. Neste caso, a classificação final será a média aritmética da classificação obtida e da prova oral.

Provas e trabalhos especiais

A avaliação desta unidade curricular será efetuada através de dois tipos de provas:

  • Provas Práticas (PP) realizadas em computador em que o objetivo é a criação de soluções de programação para problemas específicos. A correção das provas é realizada de forma automática pelo Moodle.
  • Prova Escrita (PE) realizada em papel e com consulta.

 

Avaliação especial (TE, DA, ...)

Consta de uma prova prática em computador (PP) e de uma prova escrita (PE) com consulta.

Classificação = PP * 0.50 + PE * 0.50

Observações:

1- É condição de aprovação a obtenção de uma classificação mínima de 40% em cada uma das provas PP e PE.

2- Se, por decisão do docente, não ocorrer alguma das componentes de avaliação, a cotação correspondente será atribuída à outra avaliação.

3- Se a classificação obtida for superior a 16 valores, o aluno poderá ser submetido a uma prova oral, por iniciativa da equipa docente. Neste caso, a classificação final será a média aritmética das classificações obtidas na prova escrita e na prova oral.

Melhoria de classificação

Consta apenas de uma prova escrita (PE) com consulta, numa escala de 0 a 20 valores. Observação: Se a classificação obtida for superior a 16 valores, o aluno poderá ser submetido a uma prova oral, por iniciativa da equipa docente. Neste caso, a classificação final será a média aritmética das classificações obtidas na prova escrita e na prova oral.

Observações

Não são exigidos pré-requisitos.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2018-12-15 às 00:38:57 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais