Saltar para:
Logótipo
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
FEUP COM VIDA
Você está em: Início > Publicações > Visualização > A Pertinência do Design de Comunicação na Micro-Aprendizagem
Autenticação




Mapa das Instalações
Edifício A (Administração) Edifício B (Aulas) - Bloco I Edifício B (Aulas) - Bloco II Edifício B (Aulas) - Bloco III Edifício B (Aulas) - Bloco IV Edifício C (Biblioteca) Edifício D (CICA) Edifício E (Química) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício G (Civil) Edifício H (Civil) Edifício I (Electrotecnia) Edifício J (Electrotecnia) Edifício K (Pavilhão FCNAUP) Edifício L (Mecânica) Edifício M (Mecânica) Edifício N (Garagem) Edifício O (Cafetaria) Edifício P (Cantina) Edifício Q (Central de Gases) Edifício R (Laboratório de Engenharia do Ambiente) Edifício S (INESC) Edifício T (Torre do INEGI) Edifício U (Nave do INEGI) Edifício X (Associação de Estudantes)

A Pertinência do Design de Comunicação na Micro-Aprendizagem

Título
A Pertinência do Design de Comunicação na Micro-Aprendizagem
Tipo
Tese
Ano
2019-10-16
Autores
Marina da Conceição Melo Pinto
(Autor)
FEUP
Ver página pessoal Sem permissões para visualizar e-mail institucional Pesquisar Publicações do Participante Sem AUTHENTICUS Sem ORCID
Classificação Científica
FOS: Ciências da engenharia e tecnologias > Outras ciências da engenharia e tecnologias
Outras Informações
Resumo (PT): O ser humano é confrontado com enormes quantidades de informação diariamente e, aquando o seu processamento, para prosperar, é obrigado a fazer uso de habilidades de seleção, agrupamento, síntese, foco, organização, classificação, ordenação, etc.. Assim, a forma como a informação é apresentada ao utilizador encoraja diversas formas de visualização, edição, personalização, raciocínio e compreensão. A evolução tecnológica possibilitou uma mudança no paradigma de aprendizagem confinada apenas a espaços formais (tradicionais, sala de aula), permitindo levar a escola para casa e outros ambientes informais através da introdução de dispositivos móveis e ubíquos. Por consequência, possibilita-se uma aprendizagem espontânea, emergente, situacional, flexível, omnipresente, centrada no utilizador e focada num dado problema. Neste sentido, os aprendizes podem aproveitar inter-espaços entre as suas atividades diárias, a qualquer hora e em qualquer lugar, de modo síncrono ou assíncrono, para realizar um pequeno avanço na aprendizagem. Por sua vez, descreve-se assim a micro-aprendizagem, uma modalidade de ensino viável que simplifica e oportuniza a aprendizagem ao longo da vida. O design de comunicação, enquanto processo criativo que atua na construção e significação de mensagens, utiliza diferentes tipos de signos – plásticos, icónicos e linguísticos – para conceber um sentido que o utilizador aprende a decifrar. Contudo, a interpretação desses signos também depende do saber cultural e sociocultural do receptor, a quem é exigido um grande trabalho de associações mentais por forma a integrar os novos signos com o seu conhecimento prévio. Nesta linha de pensamento e por atuar na organização visual e desenho de interface, o Design de Comunicação poderá contribuir para a redução da carga cognitiva extrínseca presente nos materiais de aprendizagem, promovendo a aprendizagem significativa. Assim, esta dissertação descreve e identifica princípios do Design de Comunicação que apresenta como sendo orientadores no desenvolvimento de objetos de micro-aprendizagem para tecnologias ubíquas. Relativamente ao método, realizaram-se quinze entrevistas semi-estruturadas a produtores de conteúdo para o meio digital, compostas por questões qualitativas abertas, escalas de likert, momento de ideação e testes de utilizador. Posteriormente, realizou-se uma análise de conteúdo por inferência, que resultou na sistematização dos princípios do Design de Comunicação inferidos numa framework.
Abstract (EN): Human beings are confronted with huge amounts of information on a daily basis and, at the moment of processing this information, in order to thrive, they are forced to make use of their abilities of selection, grouping, synthesis, focus, organization, classification, ordering and so on. In this line of thought, the way of presenting information to the user encourages different styles of visualization, editing, personalization, reasoning and understanding. Technological evolution allowed a change in the learning contexts confined only to formal, traditional spaces (classroom), allowing to take home and to other informal environments school activities, through the introduction of ubiquitous and mobile devices. The use of portable and mobile devices allows the apprentices to learn anywhere and anytime, characterizing micro-learning, a mobile, ubiquitous and situational learning. As a result, it enables a spontaneous, emergent, situational, flexible, ubiquitous, user-centered learning and focused on a single problem. In this sense, learners can take advantage of interspaces between their daily activities, anytime and anywhere, synchronously or asynchronously, to accomplish a small breakthrough in learning. This, in turn, describes micro-learning, a viable teaching modality that simplifies and facilitates learning. Communication design, as a creative process that works in production and significance of messages, uses different types of signals – plastic, iconic and linguistic – to produce a meaning that users learn to decode. However, these signals interpretation also depends on the cultural and sociocultural knowledge of receivers (users), to whom a work of mental associations in order to integrate the new signals with previous knowledge is required. In this sense and, by acting in the visual organization and interface design, Communication Design may contribute to the reduction of the extrinsic cognitive load presented in the learning materials, helping to promote meaningful learning. Thus, this dissertation aims to identify principles of Communication Design that may be useful in the development of microlearning objects to ubiquitous technologies. Regarding the method, we conducted fifteen semi-structured interviews to digital media content producers, composed of open qualitative questions, likert scales, an ideation moment, and user tests. Subsequently, an inference content analysis study was performed, from which resulted a systematization of the Communication Design principles inferred into a framework.
Idioma: Português
Nº de páginas: 197
Documentos
Não foi encontrado nenhum documento associado à publicação com acesso permitido.
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2020 © Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2020-07-15 às 13:51:50 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais