Saltar para:
Logótipo
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
Formação de utilizadores da Biblioteca: 2º semestre de 2017/18
Hoje é domingo
Você está em: Início > Concurso especial - estudante internacional - 2018/2019
Autenticação




Mapa das Instalações
Edifício A (Administração) Edifício B (Aulas) - Bloco I Edifício B (Aulas) - Bloco II Edifício B (Aulas) - Bloco III Edifício B (Aulas) - Bloco IV Edifício C (Biblioteca) Edifício D (CICA) Edifício E (Química) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício F (Minas e Metalurgia) Edifício G (Civil) Edifício H (Civil) Edifício I (Electrotecnia) Edifício J (Electrotecnia) Edifício K (Pavilhão FCNAUP) Edifício L (Mecânica) Edifício M (Mecânica) Edifício N (Garagem) Edifício O (Cafetaria) Edifício P (Cantina) Edifício Q (Central de Gases) Edifício R (Laboratório de Engenharia do Ambiente) Edifício S (INESC) Edifício T (Torre do INEGI) Edifício U (Nave do INEGI) Edifício X (Associação de Estudantes)

Concurso especial - estudante internacional - 2018/2019

Cursos/CE disponíveis

Licenciatura

Mestrado Integrado

Destinatários

Nota: A informação contida nesta página é provisória, aguarda aprovação.

Podem candidatar-se à matrícula e inscrição nos primeiros ciclos de estudos e nos ciclos de estudos integrados de mestrado os estudantes Internacionais*:

a) Titulares de uma qualificação que dê acesso ao ensino superior, entendida como qualquer diploma ou certificado emitido por uma autoridade competente que ateste a aprovação num programa de ensino de nível secundário desse país e lhes confira o direito de se candidatarem e poderem ingressar no ensino superior no país em que foi conferido;

b) Os titulares de um diploma de ensino secundário português.

* Notas:
1 - São considerados estudantes internacionais os indicados no artigo 3.º do Decreto-Lei n.º 36/2014 de 10 de março. Os candidatos que não sejam considerados internacionais, de acordo com a referida legislação, não podem candidatar-se através deste regime.

2 - O candidato portador de dupla nacionalidade, sendo uma delas de um Estado membro da União Europeia, não pode candidatar-se através deste regime.

3 – O candidato que possua o Estatuto de Igualdade de Direitos e Deveres previsto no Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre a República Portuguesa e a República Federativa do Brasil também não pode candidatar-se através deste regime.


Propinas:

Informação de propinas 2018/2019 (a definir). Poderá consultar informação de propinas referente a 2017/2018.

Pré-requisitos

A FEUP não exige pré-requisitos para acesso aos seus ciclos de estudos.

Vagas

Curso/CE Fase Vagas Ano Curricular
Licenciatura em Ciências de Engenharia - Engenharia de Minas e Geo-Ambiente 1 4
2 4
Mestrado Integrado em Bioengenharia 1 4
2 1
Mestrado Integrado em Engenharia Civil 1 30
2 18
Mestrado Integrado em Engenharia do Ambiente 1 6
2 1
Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial 1 6
2 2
Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 1 20
2 15
Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação 1 13
2 1
Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica 1 14
2 6
Mestrado Integrado em Engenharia Metalúrgica e de Materiais 1 5
2 1
Mestrado Integrado em Engenharia Química 1 6
2 2
Ciclo de estudos Vagas totais Vagas 1.ª fase Vagas 2.ª fase
Licenciatura em Ciências de Engenharia - Engenharia de Minas e Geo-Ambiente 8 4 4
Mestrado Integrado em Bioengenharia 5 4 1
Mestrado Integrado em Engenharia Civil 48 30 18
Mestrado Integrado em Engenharia do Ambiente  7 6 1
Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial 8 6 2
Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 35 20 15
Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação 14 13 1
Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica 20 14 6
Mestrado Integrado em Engenharia Metalúrgica e de Materiais 6 5 1
Mestrado Integrado em Engenharia Química 8 6 2

Ao n.º de vagas da 2.ª fase acrescem as vagas sobrantes da 1.ª fase.

Candidaturas

Prazos

1.ª Fase
1 de dezembro de 2017 a 1 de janeiro de 2018 Apresentação de pré-candidaturas*
2 de janeiro a 2 de fevereiro de 2018 Apresentação das candidaturas*
21 de fevereiro de 2018  Afixação dos resultados provisórios
22 de fevereiro a 7 de março de 2018  Audiência prévia
14 de março de 2018  Afixação dos resultados definitivos
15 de março a 5 de abril de 2018  Apresentação de reclamações
12 de abril de 2018  Publicação da decisão de reclamações
21 de março a 3 de abril de 2018  Realização de matrículas
9 a 16 de abril de 2018  Colocação de suplentes
17 de abril de 2018  Publicação de vagas sobrantes
Até 3 de abril de 2018  Pedido de creditação de formação anterior / experiência profissional
Até 24 de abril de 2018  Publicação dos resultados da creditação
Até 10 dias úteis após publicação do resultado da creditação Alteração da inscrição resultante do processo de creditação
2.ª Fase
3 de fevereiro a 30 de abril de 2018  Apresentação das candidaturas*
15 de maio de 2018  Afixação dos resultados provisórios
16 a 29 de maio de 2018  Audiência prévia
5 de junho de 2018  Afixação dos resultados definitivos
5 a 25 de junho de 2018  Apresentação de reclamações
2 de julho de 2018  Publicação da decisão de reclamações
12 a 22 de junho de 2018  Realização de matrículas
25 de junho a 3 de julho de 2018  Colocação de suplentes
Até 22 de junho de 2018  Pedido de creditação de formação anterior / experiência profissional
Até 13 de julho de 2018  Publicação dos resultados da creditação
Até 10 dias úteis após publicação do resultado da creditação Alteração da inscrição resultante do processo de creditação

* As pré-candidaturas e as candidaturas para estudantes que possuam um diploma do ensino médio brasileiro e que tenham realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) podem ser efetuadas acedendo à apresentação de candidaturas.

Condição Habilitacional Prévia

1. Conhecimento da língua em que o ciclo de estudos é ministrado (para o Mestrado Integrado em Engenharia Civil - Português ou Inglês; para os restantes ciclos de estudos - Português) avaliado através de apresentação de documento comprovativo.

2. Nas provas de ingresso aceitar-se-ão:

- provas de ingresso nacionais previstas para cada ciclo de estudos (ver abaixo);

- provas de ingresso consideradas homólogas das nacionais, conforme disposto no artigo 20.º-A do Decreto-Lei n.º 296-A/98, de 25 de setembro, na sua redação atualizada pelo Decreto-Lei n.º 90/2008, de 30 de maio e na Deliberação n.º 438/2017, de 31 de maio, alterada pela Deliberação n.º 667/2017, de 13 de julho;

- exames nacionais do ensino médio (ENEM) realizados no Brasil em 2014 e anos seguintes, nas áreas previstas para cada ciclo de estudos;

- exames nacionais Gao Kao e Lian Kao (aplicável apenas ao Mestrado Integrado em Engenharia Civil - MIEC) realizados na China em 2014 e anos seguintes, com as componentes de matemática e física ou matemática e exame integrado de ciências.

Candidatos que concorram com as provas ENEM:

As classificações ENEM serão convertidas para uma escala 0-200 (escala portuguesa de classificações) segundo a fórmula:

Nota Final = Nota ENEM * 200/1000

Após a conversão das classificações ENEM, só serão admitidos candidatos com classificações individuais, em cada uma das cinco áreas de conhecimento do ENEM, iguais ou superiores a 95.

Candidatos que concorram com as provas Gao Kao ou Lian Kao (aplicável apenas ao Mestrado Integrado em Engenharia Civil):

As classificações do Gao Kao e Lian Kao serão convertidas para uma escala 0-200 (escala portuguesa de classificações) segundo a fórmula:

Nota Final = Nota Gao Kao ou Lian Kao × 200/escala considerada no exame

Após a conversão das classificações Gao Kao e Lian Kao, só serão admitidos candidatos que verifiquem cumulativamente:

- classificações individuais nas componentes de matemática e física ou matemática e exame integrado de ciências igual ou superior a 95.

- classificação global Gao Kao ou Lian Kao igual ou superior a 130.

Candidatos que concorram com outras provas:

Ter classificações nas provas de ingresso (ou em exame nacional equivalente) iguais ou superiores aos limites legalmente fixados:

  1. Classificação mínima nas provas de ingresso: 95 pontos (na escala 0-200);
  2. Classificação mínima de candidatura: 100 pontos (na escala 0-200). 

Ciclo de estudos Provas de ingresso (2018/2019)
Licenciatura em Ciências de Engenharia - Engenharia de Minas e Geo-Ambiente Um dos seguintes conjuntos:
02 Biologia e Geologia
19 Matemática A
ou
07 Física e Química
19 Matemática A
Mestrado Integrado em Bioengenharia Um dos seguintes conjuntos:
02 Biologia e Geologia
19 Matemática A
ou
07 Física e Química
19 Matemática A
Mestrado Integrado em Engenharia Civil 07 Física e Química
19 Matemática A
Mestrado Integrado em Engenharia do Ambiente Um dos seguintes conjuntos:
02 Biologia e Geologia
19 Matemática A
ou
07 Física e Química
19 Matemática A
Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 07 Física e Química
19 Matemática A
Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial 07 Física e Química
19 Matemática A
Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação Um dos seguintes conjuntos:
07 Física e Química
19 Matemática A
ou
19 Matemática A
18 Português
Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica 07 Física e Química
19 Matemática A
Mestrado Integrado em Engenharia Metalúrgica e de Materiais 07 Física e Química
19 Matemática A
Mestrado Integrado em Engenharia Química 07 Física e Química
19 Matemática A

Critérios de seriação

Candidatos que concorram com as provas ENEM:

Áreas de conhecimento do ENEM
Ponderações
Ciências Humanas e suas Tecnologias (CHT)  5% 
Ciências da Natureza e suas Tecnologias (CNT) 40% 
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (LCT)  5% 
Matemática e suas Tecnologias (MT) 45%
Redação (R)   5% 


Nota = (CHT*ponderação + CNT*ponderação + LCT*ponderação + MT*ponderação + R*ponderação)

Conversão para uma escala 0-200 (escala portuguesa de classificações) segundo a fórmula:

Classificação de seriação = Nota * 200/1000

Só serão admitidos candidatos com uma classificação de seriação igual ou superior a 130 pontos.

 

Candidatos que concorram com as provas Gao Kao ou Lian Kao (aplicável apenas ao Mestrado Integrado em Engenharia Civil):

A nota de candidatura é uma classificação na escala de 0 a 200, calculada através da aplicação da seguinte fórmula, cujo resultado é arredondado às décimas, considerando como uma décima o valor não inferior a 0,05:

                                               Nota: P1 × 0,45 + P2 × 0,40 + P3 × 0,15

 em que:

P1 = classificação, na escala inteira de 0 a 200, da componente de matemática

P2 = classificação, na escala inteira de 0 a 200, da componente física ou componente de exame integrado de ciências

P3= classificação global, na escala inteira de 0 a 200, Gao Kao ou Lian Kao

Só serão admitidos candidatos com uma classificação de seriação igual ou superior a 130 pontos.


Candidatos que concorram com outras provas:

A nota de candidatura é uma classificação na escala de 0 a 200, calculada através da aplicação da seguinte fórmula, cujo resultado é arredondado às décimas, considerando como uma décima o valor não inferior a 0,05:

Nota: P1 x 0,5 + P2 x 0,5

em que:

P1 e P2 = classificações, na escala inteira de 0 a 200, dos exames finais correspondentes às provas de ingresso exigidas (50% para cada uma).

Critério de desempate
Em caso de empate, será considerada a avaliação da carta de motivação e eventuais cartas de recomendação associadas ao processo de candidatura.

 

Documentos a entregar

  • Documento de identificação (Bilhete de Identidade/Cartão de Cidadão/ Passaporte) ou declaração contendo os dados de identificação (obrigatório);
  • Documento(s) comprovativo(s) das provas específicas [exames nacionais, provas homólogas, ENEM, Gao Kao ou Lian Kao (apenas no MIEC)] autenticado(s) pelos serviços oficiais de educação do respetivo país (1) (obrigatório);
  • Diploma ou certificado emitido por uma autoridade competente que ateste a aprovação num programa de ensino de nível secundário (1) (obrigatório);
  • Declaração emitida pelos serviços oficiais de educação do país de origem atestando que a habilitação secundária de que são titulares, obtida nesse país, é suficiente para aí ingressar no ensino superior oficial em cursos congéneres daqueles a que se pretendem candidatar (1) (2). Em alternativa, certificado de equivalência ao ensino secundário português emitido por uma entidade nacional competente (3). (obrigatório);
  • Documento comprovativo do conhecimento da língua em que o ciclo de estudos é ministrado - para o MIEC Português ou Inglês; para os restantes ciclos de estudos Português (documento emitido por entidade competente ou declaração de compromisso de honra emitida pelo candidato) (obrigatório);
  • Declaração de que se encontra abrangido pelo estatuto de Estudante Internacional (Decreto-Lei n.º 36/2014 de 10 de março) (obrigatório);
  • Declaração de candidatura ao Programa de Incentivos para Estudantes Internacionais da Universidade do Porto (opcional);
  • Carta de motivação (obrigatório);
  • Carta(s) de recomendação (Opcional);
  • Fotografia (opcional).

(1) Os documentos deverão ser autenticados pelos serviços consulares ou embaixadas de Portugal com sede no país a que a habilitação diz respeito ou com Apostilha de Haia (para os países que aderiram à Convenção de Haia). O mesmo deve acontecer relativamente às traduções, obrigatórias, de documentos cuja língua original não seja a portuguesa, espanhola, francesa, inglesa ou italiana.

O documento comprovativo dos resultados do ENEM não carece de autenticação uma vez que esta informação é confirmada junto do INEP.

Os documentos podem ser submetidos não autenticados na fase de candidatura. No entanto, os candidatos colocados que tenham algum documento pendente no processo de candidatura (por exemplo, certidões não autenticadas) só poderão efetuar a matrícula mediante a entrega/envio desse documento.


(2) Estão dispensados de apresentação desta declaração os:
- Titulares do ensino médio ou 2.º grau do Brasil que tenham realizado o Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM).


(3) Poderá consultar informação sobre procedimento de equivalência ao ensino secundário português no seguinte endereço:
http://www.dge.mec.pt/equivalencias-estrangeiras

Emolumentos

A candidatura está sujeita ao pagamento, não reembolsável, de 100 euros.

Procedimento para pagamento via paypal:
1. Clicar na imagem Associar referência MB para pagamento associada ao emolumento de candidatura.
2. Ao escolher esta opção vai ligar-se ao site do PayPal para efetuar o pagamento.
Para efetuar a transação por PayPal sugerimos que utilize o Google Chrome como browser.

Procedimento para geração de Referências Multibanco:
1. Clicar na imagem Associar referência MB para pagamento associada ao emolumento de candidatura.
2. Confirmar os dados apresentados e clicar em "Atribuir", ficando automaticamente com a referência associada (nota: as referências multibanco poderão demorar algum tempo a serem geradas).
3. Clicar em "voltar à conta corrente" para ver a referência gerada.

No caso de pagamentos efetuados a partir do estrangeiro, poderá fazer  realizar uma transferência bancária, com as despesas por conta do ordenante, utilizando os dados do documento anexo.
Seguidamente deverá enviar o comprovativo da transferência para acesso.ingresso@fe.up.pt, com os seguintes dados:
- Nome, morada, país, número de identificação fiscal.


Notas:
- Após a data limite para apresentação das candidaturas os candidatos dispõem de mais 5 dias para garantir o pagamento do correspondente emolumento, condição necessária para que a candidatura se torne efetiva. Terminado esse prazo, serão indeferidas liminarmente as candidaturas cujos emolumentos não tenham sido pagos.
- Os candidatos excluídos ou não colocados (suplentes) numa fase e que pretendam candidatar-se a outra fase terão de apresentar nova candidatura e pagar os respetivos emolumentos.

Procedimentos

Procedimento para submissão da candidatura

  1. Escolha o ciclo de estudos/curso e o regime de acesso pretendido (Concursos de Ingresso).
  2. Selecione “Apresentar a candidatura”. Se já é estudante da FEUP, terá de se validar com o utilizador e senha de estudante. Se não for estudante da FEUP ser-lhe-á solicitado que preencha o formulário de pedido de utilizador. As credenciais (utilizador e senha) serão enviadas para o e-mail que indicar no formulário.
  3. Preencha o formulário de candidatura e anexe os documentos solicitados. Nota: os campos a vermelho são de preenchimento obrigatório.
  4. Submeta a candidatura. Se ao tentar submeter for detetado um erro (ex.: campos obrigatórios por preencher), o sistema emite uma mensagem de alerta.
    Se a informação for submetida com sucesso, deverá verificar todos os dados introduzidos e confirmar ou editar os dados.
  5. Após confirmação da submissão da candidatura, verá informação para pagamento do respetivo emolumento por referência multibanco. No caso de pagamentos efetuados a partir do estrangeiro, deverá consultar a informação da secção Emolumentos (ver acima).
  6. Qualquer problema que tenha na submissão da candidatura deverá ser reportado para acesso.ingresso@fe.up.pt, durante o prazo para apresentação das candidaturas, ou no dia útil seguinte ao término das mesmas.

Procedimento para consulta do estado da candidatura

  1. Valide-se no sistema de informação com o utilizador e senha que utilizou na candidatura;
  2. Clique sobre o seu nome;
  3. Selecione o ano letivo da(s) candidatura(s) submetida(s);
  4. Nas opções que aparecem no lado direito da página selecione “Candidaturas de Ingresso”.

Procedimento para efetuar o pedido de reconhecimento/creditação

  1. No formulário de candidatura, no campo "Pretende efetuar um pedido de creditação", coloque “Sim”.
  2. Após submissão da candidatura, nas opções do lado direito da página, em Reconhecimentos, selecione "Criar/Editar" e insira o pedido.
  3. O pedido de reconhecimento/creditação (opcional) está sujeito ao pagamento, não reembolsável, dos emolumentos indicados na Tabela de Emolumentos da UP e Despacho n.º7/2016 do Diretor da FEUP.
Procedimento para realização da matrícula

Este procedimento será disponibilizado através de um link na página inicial da FEUP, no início do prazo de matrículas.


Legislação Aplicável

Decreto-Lei n.º 36/2014 de 10 de março - Regulamenta o estatuto do estudante internacional a que se refere o n.º 7 do artigo 16.º da Lei n.º 37/2003, de 22 de agosto, que estabelece as bases do financiamento do ensino superior, alterado por:
Regulamento n.º 205/2014 de 27 de maio - Regulamento de aplicação do estatuto de estudante internacional na Universidade do Porto

Decreto-Lei n.º 227/2005, de 28 de dezembro - Define o novo regime de concessão de equivalência de habilitações estrangeiras dos ensinos básico e secundário, revogando parcialmente o Decreto-Lei n.º 219/97, de 20 de Agosto

Decreto-Lei n.º 296-A/98, de 25 de setembro - Regula o regime de acesso e ingresso no ensino superior, que na sua redação foi atualizado pelo:

Decreto-Lei n.º 90/2008, de 30 de maio - Altera e republica o Decreto-Lei n.º 296-A/98, de 25 de Setembro, que fixa o regime de acesso e ingresso no ensino superior

Deliberação n.º 438/2017, de 31 de maio – Regula candidatura ao ensino superior português de estudantes titulares de cursos do ensino secundário estrangeiro 2018/2019 alterada pela Deliberação n.º 667/2017, de 13 de julho

Deliberação n.º 974/2015, de 29 de maio - Regula a aplicação do disposto no artigo 20.º-A do Decreto-Lei n.º 296-A/98, de 25 de setembro

Portaria n.º 224/2006, de 8 de março - Aprova as tabelas comparativas entre o sistema de ensino português e outros sistemas de ensino (Alemanha, Angola, Cabo Verde, Federação da Rússia, Grécia, México, Moçambique, Reino Unido, República Popular da China e Ucrânia), bem como as tabelas de conversão dos sistemas de classificação correspondentes, nos termos da alínea a) do artigo 5.º do Decreto-Lei n.º 227/2005, de 28 de Dezembro

Portaria n.º 699/2006, de 12 de julho - Aprova as tabelas comparativas entre o sistema de ensino português e outros sistemas de ensino (África do Sul, Argentina, Austrália, Bélgica, Bolívia, Brasil, Bulgária, Cuba, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos da América, França, Guiné-Bissau, Indonésia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Marrocos, Moldávia, Países Baixos, Paquistão, Roménia, São Tomé e Príncipe, Senegal, Suíça, Timor-Leste, Tunísia, Turquia, Venezuela e Zimbabué), bem como as tabelas de conversão dos sistemas de classificação correspondentes respeitantes a vários países. Revoga o despacho n.º 27249/2004, de 9 de Dezembro
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2018-02-25 às 23:52:31