Saltar para:
Logótipo
This page in english A Ajuda Contextual não se encontra disponível Autenticar-se
FCUP
Você está em: Início > Testemunho

Testemunho

Lara Pato VOLTAR >
O meu nome é Lara Pato e acabei de concluir o Mestrado em Física, especialização em Física Teórica, na FCUP. O meu Erasmus Estágio decorreu entre fevereiro e julho de 2011, no Centro Leo Apostel (CLEA), em Bruxelas (Bélgica), que faz parte da parte flamenga da Universidade Livre de Bruxelas (VUB).

A Bélgica é um país peculiar (não é por nada que estão sem governo há mais de um ano!). É um borbulhar de diferentes nacionalidades, o que tem o seu lado positivo, especialmente para quem gosta de conhecer pessoas de todo o mundo, mas também o seu lado negativo, visto que o país está sobrepovoado e a criminalidade está a aumentar exponencialmente.

Historicamente, a Bélgica como país é relativamente recente, e ao longo da história foi ocupada por imensos povos diferentes. O país está “dividido ao meio”, e o lado flamengo, que fala holandês, é completamente diferente do lado valão, onde se fala francês. No lado flamengo, o lado mais rico, as pessoas são mais frias, e quase não tem espaços verdes, visto que 90% das pessoas vivem em vivendas. O lado francês é mais rural, mas pouco a pouco vão aparecendo mais casas. Quanto à parte turística e cultural, na Bélgica não há nenhuma Torre Eiffel, mas há bastante para visitar. Eu achei especialmente interessante visitar as cidades mais pequenas, como Ghent ou Bruges, que são quase planas e têm uma arquitetura bastante caricata. Se estiver bom tempo, aconselho também um saltinho à parte costeira, que tem praias magníficas! Há também imensos museus de história e arte, muitos bastante baratos. Se não se importarem de gastar mais um pouco de dinheiro, podem parar de vez em quando nos cafés para beber uma cerveja (na Bélgica podem experimentar mais de 450 tipos de cerveja diferentes) e comer um aperitivo.

Quanto à gastronomia, há uma coisa que se destaca: as batatas fritas! Há bancas por todo o lado que vendem cones de batatas fritas, com molho há escolha, e diferentes tipos de carne também fritos para acompanhar. Não é muito saudável, mas é relativamente barato e vale a pena experimentar. Aconselho também experimentar uma “waffle” belga com chantilly. Um grande positivo em viver na Bélgica como estrangeiro é que quase toda a gente é trilingue, sabem holandês, francês e inglês, e por isso a comunicação é fácil. O país gira à volta de Bruxelas, onde estão situadas quase todas as empresas, mas na verdade quase ninguém mora mesmo em Bruxelas, deslocando-se para o trabalho de transportes públicos, que são bastante baratos para estudantes. Isto porque o alojamento é muito caro, especialmente em Bruxelas. Um quarto ou estúdio para estudante em Bruxelas fica entre 400 e 600¤, o que excede a bolsa Erasmus Estágio, mas o ideal é partilhar um apartamento se conhecerem mais pessoas. Nos supermercados os preços são razoáveis, especialmente se tiverem um LIDL ou Colruyt ao pé de casa. Comer fora, isso já é outra coisa! Excetuando as bancas de batatas fritas, o mais barato que se arranja é na Universidade, entre 5 e 10¤ pela refeição completa, por isso para poupar aconselho a comer em casa ou fazer sandes para durante o dia.

O Centro Leo Apostel, onde fui acolhida , é um centro bastante interdisciplinar, com investigadores que vêm de áreas desde a física e matemática até à psicologia, sociologia e filosofia. Lá fui imediatamente bem recebida, e descobri um ambiente relaxado e uma grande abertura de ideias por parte de todos. O trabalho correu bem, tendo-me dado uma primeira experiência com o mundo da investigação e contacto com pessoas de várias áreas de investigação. Trabalhei em Fundamentos de Mecânica Quântica, uma área da física fascinante que tenta ir mais longe no nosso conhecimento da estranha “mecânica quântica”.

O campus da universidade onde o centro se encontra, a VUB, é amplo e agradável, com bastantes espaços verdes e pessoas de todo o mundo. Há também imensas iniciativas para estudantes e festas onde ir, para relaxar do trabalho de vez em quando.

Foi uma experiência incrível, onde conheci pessoas de todos os cantos do Mundo e contactei com uma cultura bastante diferente da nossa. Aconselho vivamente a toda a gente a fazer um Erasmus-Estágio, mas que se informem bem antes de ir, especialmente sobre o centro de acolhimento, para que a experiência seja a melhor possível. É algo que nos faz crescer como pessoas e nos torna mais fortes e flexíveis para enfrentar os sobressaltos da vida.

  • Mestre em Física
  • Erasmus Estágio :: Centro Leo Apostel (CLEA) - Bruxelas, Bélgica
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Última actualização: 2013-07-29 I  Página gerada em: 2018-10-16 às 00:58:58