Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FCUP
Você está em: Início > AP100

Desenho

Código: AP100     Sigla: AP100

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Arquitetura Paisagista

Ocorrência: 2015/2016 - A

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Geociências, Ambiente e Ordenamento do Território
Curso/CE Responsável: Licenciatura em Arquitectura Paisagista

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
L:AP 48 Planos de estudos a partir 2009 1 - 9 204 243

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
José Maria da Silva Lopes Regente

Docência - Horas

Teorico-Prática: 6,00
Tipo Docente Turmas Horas
Teorico-Prática Totais 2 12,00
José Maria da Silva Lopes 6,00

Língua de trabalho

Português - Suitable for English-speaking students

Objetivos

A Disciplina de Desenho ao promover a representação e o conhecimento do mundo visível e das imagens mentais através do registo gráfico manual, tem os seguintes objectivos:
- Desenvolver no estudante a capacidade de observação, a habilidade e o conhecimento do acto do desenho e a sensibilidade aos valores plásticos e estéticos;
- Criar condições para que o estudante enfrente o acto de projectar com agilidade espontaneidade e consciência;
- Estimular a presença no acto projectual de componentes não sistemáticas, simbólicas e poéticas.
- Promover a satisfação e o conhecimento da necessidade e do prazer da representação; da expressão do número e da medida; da memória visual da realidade exterior e interior.
- Reconhecer que o desenho é a expressão gráfica de uma intencionalidade que deve procurar a sua matriz na realidade exterior e no património do Desenho e da Arquitectura;
- Entender que se aprende a desenhar desenhando e desenhando-se, isto é, a intencionalidade do desenho está, também, na matriz que é o autor.

Resultados de aprendizagem e competências

No final do ano lectivo o aluno, através do desenho, deve ter adquirido competências e capacidades de observação, de representação, de memorização, de expressão, de organização e de desenvolvimento projectual.

Modo de trabalho

Presencial

Programa

O programa desenvolve-se através de 3 FASES tratando 4 Temas Gerais; O Corpo Humano, O Objecto, O Espaço Interno e A Paisagem, num progressivo aprofundamento técnico conceptual e metodológico.

1ª Fase – Percepção e Reconhecimento
Das pessoas, dos objectos, do espaço interior e da paisagem urbana.
Iniciação do contacto com o universo do desenho, dos métodos, dos ritmos e dos procedimentos.
- Introdução à percepção, à prática do ver e à sua consciencialização;
- As características da visão e as técnicas de representação;
- A estrutura, medida, e proporção das formas
- O espaço - os sistemas de representação e os métodos empíricos
- As características morfológicas, as interacções e as qualidades do espaço

Sessões Teóricas
- Apresentação da disciplina e do regime do trabalho
- Os instrumentos e suportes
- A representação perspéctica – um método empírico
- A representação axonométrica – uma experiência empírica


2ª Fase – Reconhecimento e Expressão
Dos objectos, do corpo humano, da figura humana, do espaço contido, da paisagem.
Sistematização das experiências, dos conhecimentos e dos processos de trabalho
- As imagens da realidade e as realidades da imagem
- Os suportes do desenho, os instrumentos, modos e processos
- Dos modos e atitudes na expressão gráfica
- Da percepção e da observação - condições de reconhecimento e cultura - “cultivo da realidade”
- Dos conceitos do desenho e das metodologias de trabalho

Sessões Teóricas
- Os modos do desenho – Esboço; Contorno; Detalhe; Esquisso
- Os elementos plásticos do desenho
- A cor como imaterial - como sistema; A cor como material - como técnica
- A Figura Humana – Proporção; Anatomia; Academia; Nu Natural

3º Fase – Expressão e Consideração
No espaço contido, nos objectos, na figura humana, na paisagem.
A “consideração” é entendida como a valorização e autonomização das capacidades produtivas do estudante face ao real.
- Da intencionalidade conceptual, programática e poética do estudante
- Da identidade gráfica e estética
- Das qualidades e características do tema
- Da capacidade em compor imagens

Sessão Teórica
- A expressão gráfica.

Bibliografia Obrigatória

Gómez Molina; Juan José ; Las lecciones del dibujo. ISBN: 84-376-1376-0
Vieira, Joaquim Pereira Pinto; Desenho eProjecto são o mesmo?. ISBN: 972-9483-13-2
Nicolaides, Kimon; The Natural way to Draw

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

O programa será desenvolvido segundo a tipologia de aula teórico-prática.
As sessões teóricas destinam-se a apresentar as matérias, os temas, os exemplos e os fundamentos teóricos dos exercícios práticos a desenvolver em cada fase de trabalho e estudo.
Serão fornecidas fichas de trabalho definidoras do enquadramento teórico e prático de cada fase, bem como do regime dos exercícios e dos parâmetros de avaliação e crítica.
Os exercícios constituem o referente didáctico, por excelência, a partir do qual se promove a reflexão crítica sobre o próprio trabalho e o dos outros.
Privilegia-se o contacto entre o docente e o aluno, sujeitos comprometidos na interacção de saberes e de expectativas, de questões e de respostas.
Os pontos de situação e as sessões de avaliação constituem momentos fundamentais de todo o processo.

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída sem exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Participação presencial 100,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Frequência das aulas 272,00
Total: 272,00

Obtenção de frequência

A avaliação é contínua. Processa-se através da correcção de cada trabalho, da crítica comparada e de pontos de situação tomando em consideração, explicitamente, os factores de avaliação expressos nas fichas de trabalho de cada uma das fases. No fim de cada fase há uma exposição e avaliação individual do trabalho com atribuição de classificações de 0 a 20. No final do ano o aluno deve entregar o trabalho da última fase e o de todas as fases anteriores.

Obtenção da Frequência
A não apresentação da pasta com todo o trabalho implica a reprovação no ano. A presença nas sessões de avaliação é obrigatória e indispensável. Não há recurso a exame. Para a obtenção da frequência é necessário garantir a assiduidade a, pelo menos, 75% das aulas previstas.

Fórmula de cálculo da classificação final

No final de cada fase, a avaliação será o resultado dos desenvolvimentos comparados das respostas dos estudantes, tendo como referência os parâmetros definidos nas fichas de trabalho.
O cálculo da classificação pressupõe a progressão dos níveis de exigência dos exercícios, bem como a perspectiva temporal e a síntese das aprendizagens. A classificação final, considerada a assiduidade e o aproveitamento global do aluno, será a média ponderada de duas classificações previstas para o ano lectivo: a primeira valerá 1/3 da classificação total. Um momento de avaliação em Dezembro terá efeitos meramente indicativos.
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2019 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2019-04-22 às 19:49:26