Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FCUP
Você está em: Início > B371
Autenticação




Mapa das Instalações
FC6 - Departamento de Ciência de Computadores FC5 - Edifício Central FC4 - Departamento de Biologia FC3 - Departamento de Física e Astronomia e Departamento GAOT FC2 - Departamento de Química e Bioquímica FC1 - Departamento de Matemática

Aquacultura

Código: B371     Sigla: B371

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Biologia

Ocorrência: 2009/2010 - 1S

Ativa? Sim
Unidade Responsável: Departamento de Zoologia e Antropologia
Curso/CE Responsável: Licenciatura em Biologia

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
L:B 54 Plano de estudos a partir de 2008 3 - 5 49 135

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
António José Rogeiro Gouveia Regente

Docência - Horas

Teórica: 2,00
Práticas: 1,50
Tipo Docente Turmas Horas
Teórica Totais 1 2,00
António Paulo Alves Ferreira de Carvalho 0,70
António José Rogeiro Gouveia 1,30
Práticas Totais 3 4,50
António Paulo Alves Ferreira de Carvalho 4,50

Língua de trabalho

Português

Objetivos

Obtenção de conhecimentos biológicos básicos nesta área de actividade bem como das espécies de água doce e marinha produzidos em Portugal.
Obtenção das competências necessárias para a gestão biológica de uma unidade de aquacultura.

Programa

I. INTRODUÇÃO
- Definição de aquacultura.
- Estabelecimento da aquacultura a nível mundial.
- Estabelecimento da aquacultura na Europa e em Portugal.
- Aquacultura extensiva, semi-intensiva e intensiva.

II. FACTORES AMBIENTAIS
- Temperatura: efeitos directos e indirectos deste factor sobre os peixes.
- Oxigénio dissolvido: variação da concentração deste factor com a temperatura, a pressão, a salinidade, a altitude e a actividade metabólica dos peixes; referência à acção dinâmica específica; peixes de respiração branquial obrigatória e facultativa.
- pH: referência a águas com pH ácido e alcalino e seus efeitos nos peixes.
- Matérias em suspensão: seus efeitos nos peixes e nos ovos;
- Amónia, NH3 e NH4; toxicidade; variação da toxicidade com o pH, a temperatura e a actividade metabólica dos peixes. Referência aos filtros em sistemas fechados.
- Anidrido carbónico: efeito deste factor nos peixes - nefrocalcinose.
- Luz: estrutura do aparelho visual dos peixes; tipos de visão dos peixes, influência do fotoperíodo nos peixes.
- Salinidade: sua determinação. Espécies eurihalinas e estenohalinas.
- Dureza: sua definição.

III. CRITÉRIOS PARA A SELECÇÃO DE ESPÉCIES
- Atendendo a critérios biológicos. Grau de tecnologia alcançado, controle do ciclo de vida, espécies indígenas existentes na região, tipo de alimentação, possibilidade de postura induzida. Referência à alimentação larvar de peixes marinhos (microalgas, rotíferos, Artemia e copépodes).
- Atendendo ao mercado: preço de comercialização (referência à lei da oferta e da procura)
-Pesquisa de mercado (hábitos alimentares dos consumidores, tipo de consumidor a que o produto se destina).
- Atendendo à situação geográfica: importância dos factores ambientais.

IV. CRITÉRIOS PARA A SELECÇÃO DE LOCAIS
A - CRITÉRIOS PARA A SELECÇÃO DE LOCAIS EM TERRA
- Preço do terreno.
-Disponibilidade de água: quantidade e qualidade; métodos de determinação do caudal disponível: medições directas do volume,
- Topografia do terreno.
- Qualidade e quantidade de água disponível.
- Solo: granulimetria, porosidade e permeabilidade. Matéria orgânica presente nos sedimentos.
- Acessibilidade do local.
- Vias de comunicação.

B - CRITÉRIOS PARA A SELECÇÃO DE LOCAIS NO MEIO AQUÁTICO
- Velocidade e direcção dos ventos: rosa dos ventos.
- Ondulação: características das ondas, modo de formação. Referência ao "fetch".
- Batimetria: linhas isométricas.
- Correntes.

V- SISTEMAS DE PRODUÇÃO
Descrição dos diversos tipos de sistemas utilizados em aquacultura: vantagens e inconvenientes de cada tipo de sistema.
- Tanques de terra batida ("ponds"): construção (diques secundários, diques primários e comportas). Referência a doença do rodopio em salmonídeos provocada pelo Myxobolus cerebralis.
- Tanques de cimento: tanques circulares, quadrados e rectangulares.
- "Raceways".
- Silos.
- Jangadas flutuantes: materiais, formas, tamanhos. Culmatação das redes. Jangadas tipo ("off-shore").
-Gaiolas submersíveis.
- "Enclosures".
-Lanternas, cordas (culturas em linha longa e em jangadas com cordas) e cultura em estacas.
- Unidades de reprodução e incubação de ovos ("hatcheries") para peixes de água doce e salgada.


V. PRINCIPAIS ESPÉCIES COM INTERESSE EM AQUACULTURA
- Caracterização das principais espécies com interesse em aquacultura: caracterização biológica e ambiental, ciclo de vida, técnicas de cultura, alimentação e principais problemas de produção.
- Referência à situação da cultura de cada uma das espécies em Portugal: número de unidades de produção existentes e respectiva produção nacional.
- Peixes de Água Doce: truta arco-íris e enguia
- Peixes Marinhos: moluscos bivalves (ostra, amêijoa e mexilhão) e peixes (robalo, dourada e rodovalho).

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

Aulas teóricas e aulas práticas.

Tipo de avaliação

Avaliação por exame final

Componentes de Avaliação

Descrição Tipo Tempo (Horas) Peso (%) Data Conclusão
Participação presencial (estimativa) Participação presencial 49,00
Total: - 0,00

Observações

Bibliografia

FACTORES AMBIENTAIS
LEITRITZ & LEWIS, 1976 - Trout and salmon culture.
WHEATON, 1982 - Acuacultura. Diseño y construccion de sistemas.
CACHAFEIRO, 1984. La trucha. Cria industrial.
LAPETRA, 1985 - Tecnologia de las explotaciones piscícolas.
BEVERIDGE, 1987 - Cage aquaculture.
BARNABÉ, 1989 - Aquaculture. Vol. I.
PILLAY, 1990 - Aquaculture. Principles and practices.
HUET, 1997. Textbook of fishculture. Breeding and cultivation of fish.
LANDAU, 1992 - Introduction to aquaculture.
LEKANG, 2007 - Aquaculture Engeneering.

CRITÉRIOS PARA A SELECÇÃO DE ESPÉCIES E LOCAIS
LEITRITZ & LEWIS, 1976 - Trout and salmon culture.
CACHAFEIRO, 1984. La trucha. Cria industrial.
LAPETRA, 1985 - Tecnologia de las explotaciones piscícolas.
BEVERIDGE, 1987 - Cage aquaculture.
BARNABÉ, 1989 - Aquaculture. Vol. I.
PILLAY, 1990 - Aquaculture. Principles and practices.
MORALES, 1991 - Acuacultura marina animal.
PILLAY, 1990 - Principles and practices.
PILLAY, 1992 - Aquaculture and the environment.
HUET, 1997. Textbook of fishculture. Breeding and cultivation of fish.

TIPOS DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO
ROSELLÓ, 1971 - Cria de truchas.
LEITRITZ & LEWIS, 1976 - Trout and salmon culture.
EDWARDS, 1978 - Salmon and trout farming in Norway.
STEVENSON, 1980 - Trout farming manual.
WHEATON, 1982 - Acuacultura. Diseño y construccion de sistemas.
HUET, 1983 - Tratado de piscicultura.
CACHAFEIRO, 1984. La trucha. Cria industrial.
LAPETRA, 1985 - Tecnologia de las explotaciones piscícolas.
PILLAY, 1990 - Aquaculture. Principles and practices.
MORALES, 1991 - Acuacultura marina animal.
HUET, 1997. Textbook of fishculture. Breeding and cultivation of fish.
LANDAU, 1992 - Introduction to Aquaculture.
LEKANG, 2007 - Aquaculture Engeneering.

PRINCIPAIS ESPÉCIES COM INTERESSE EM AQUACULTURA
A fornecer de acordo com as espécies
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2021 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2021-09-21 às 20:37:58 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais